História Teddy's boy. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Canon Divergence, Harry Potter, Scorbus, Teddy X Scorpius
Visualizações 36
Palavras 896
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, LGBT, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Okay, não perguntem de onde isso saiu (eu tbm não sei);
Não sei quando vou atualizar (sorry im a terrible person);
Essa história tá a muito tempo no meu drive (help);

Capítulo 1 - Prick;


Fanfic / Fanfiction Teddy's boy. - Capítulo 1 - Prick;

Albus Cedric nunca teve uma relação muito boa com seu pai, Ginny diz que isso ocorre por eles compartilharem de personalidades muito parecidas e que costumam entrar em conflito. Por consequência disso Albus acabou tomando aquilo como um dogma. Afinal, ele já é idêntico ao seu pai em aparência, não seria difícil serem iguais em mais um aspecto.

Edward Regulus Lupin não pensa assim.

Ele não acha que seu padrinho e Albus briguem muito por serem parecidos.

Ele pensa que é o oposto.

Seu padrinho é impulsivo e corajoso, Albus pensa antes de agir. Não fora nenhum susto para Teddy saber que Albus acabou sendo sorteado para a casa da Sonserina, em seu primeiro ano em Hogwarts. Ele, na verdade, já esperava por isso. O susto foi que os familiares do garoto acharam ele ser sonserino algo estranho, como se não conhecessem o filho que tem.

Teddy às vezes esquecia que os Potter são incrivelmente lentos. Talvez a única exceção fosse Lily e o próprio Albus, seu pai, Sirius, costuma dizer que Lily  é como um dia a avó dela fora (Albus é só uma peste mesmo).

O jovem Black-Lupin pode afirmar que Albus e Harry são muito diferentes por tantos motivos, mas tem três fatores em especial que  diferenciam Albus, absurdamente, do pai: Albus é manipulador, mesquinho e mimado. Seria mais preciso se seu padrinho tivesse mantido a ideia original de nome que tinha para o garoto. Albus Severus, seria muito mais certeiro na hora de avisar o quão duas caras e manipulador aquele garoto poderia ser.

Albus é como uma criança pequena que quer brincar com o brinquedo de outras crianças e quando elas não deixam ele chora, esperneia, grita, até ter o que quer. E no final ele consegue.

Teddy odeia Albus, sempre odiou.

Harry sempre disse ser birra de criança, algo infundado e que ambos deveriam superar e serem amigos, “vocês são família, afinal.”

Claro, pode ter começado por motivos bobos e fúteis, mas Teddy nunca conseguiu superar o ódio que nutre por Albus, porque o outro garoto sempre faz algo que só aumenta aquela chama.

Iniciou com o nascimento do mesmo. Teddy tinha cinco anos, ele não gostou de como o garoto sempre chorava nas horas que Harry estava consigo e monopolizava a atenção de seu padrinho. Mas tudo bem, Teddy não o odiava por isso, ele aprendeu a lidar, ele só passou a odiar o garoto quando ele passou a monopolizar a atenção de seu melhor amigo. James Rúbeo também odiava o garoto no início. Ele tinha três anos quando Albus nasceu e não entendia porque seus pais não ligavam mais tanto para ele, nem que seu novo irmão tinha necessidades sendo um bebê tão pequeno.

James ficava emburrado com seus pais e fugia para casa de seus padrinhos, Sirius e Remus. James e Teddy nunca foram tão próximos em toda sua vida do que durante o primeiro ano de  vida de Albus, e isso diz muita coisa levando em conta o quão próximos eram aqueles dois.

Então, a primeira palavra de Albus foi ‘Iames’ e, de repente, tudo que James sabia falar era sobre seu pequeno irmãozinho, o que ele havia aprendido de novo e como era legal ter um irmãozinho.

Foi a primeira vez que Edward sentiu ódio.

Era um sentimento ruim que deixava um gosto metálico na ponta da língua, mas ele não podia evitar sentir. Era cru e rude, vibrava pelo seu corpo e saia quase como um rugido. Quando ele contou para seu papai, Remus, sobre como ele se sentia sempre que via o garotinho recebeu um olhar de condescendência e compreensão.

Teddy amava seus pais, eles sempre o entendiam.

Era algo sobre o instinto de lobo que foi passado de seu pai para si. “Existem pessoas que você simplesmente não consegue conviver, em você é fraco por você não ser lobisomem, meu pequeno. Quando eu era mais novo, tinha esse garoto que estudava comigo em Hogwarts, só de olhar para ele eu tinha vontade de bater a cabeça dele em alguma parede. Logicamente, eu nunca fiz nada. O distanciamento da pessoa ajuda a superar o ódio. Depois de um tempo longe eu até me senti mal por tudo que o resto dos Marotos aprontou àquele garoto sobre minha influência. Nós podemos ficar longe daqui por um tempo, se você preferir, Eddy.”

Eles não contaram para Harry o real motivo de se mudarem, eles apoiaram Teddy e o afastaram quando pediu. Ele tinha sete anos quando se mudaram para França, Sirius tinha parentes lá, sua prima, Narcissa Malfoy. Ele já vinha tentando reatar laços com ela a um tempo, de qualquer jeito. A mudanca foi apenas o motivo mais forte.

Com doze anos Teddy percebeu que estava apaixonado pelo primo de segundo (ou terceiro, ele nunca entendeu muito bem) grau, Scorpius Hyperion Malfoy. Scorpius era um garoto alto demais para a idade, dois anos mais novo que Teddy, magricela, tinha joelhos ossudos, cabelos loiros um tom mais escuros que o do pai, Draco, com sobrancelhas castanho claras e olhos azul prateado.

Teddy pediu ele em namoro com dezesseis anos no pátio da escola deles, Beauxbatons. Scorpius corou e disse sim, eles se beijaram com os gritos histéricos e aplausos de Victoire de fundo. Quando eles completaram dois anos de namoro ela já planejava o casamento deles.

Quando Teddy tinha vinte e dois anos ele voltou com os pais e a família de Scorpius para Londres. Já era tempo de voltar para casa.









Notas Finais


Foi isso né, falem aí o que acharam, ou acham que vai rolar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...