História Teen Wolf - Season 7: Tie Up Some Loose Ends - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Scott McCall, Stiles Stilinski
Tags 7 Temporada, Allisaac, Allison Argent, Allydia, Cora Hale, Isaac Lahey, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Maleo, Malia Tate, Scalia, Sciles, Scira, Scott Mccall, Stiles Stilinski, Stydia, Teen Wolf, Teen Wolf 7 Temporada
Visualizações 499
Palavras 2.785
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, queridos leitores!

A história a seguir tenta acompanhar a narrativa da série original o mais próximo possível.
A cada capítulo postarei a soundtrack que pode ser ouvida durante a narrativa.
Ao ver o texto "Now playing", basta colocar a música indicada para dar o clima necessário à cena.
A história será atualizada todos os domingos.

Segue a Soundtrack o episódio:

1. Marian Hill - Wild
2. Mikky Ekko - Smile
3. Ritual of Mine - Hell in my head

Capítulo 5 - Better The Devil You Know Than The One You Don't


Fanfic / Fanfiction Teen Wolf - Season 7: Tie Up Some Loose Ends - Capítulo 5 - Better The Devil You Know Than The One You Don't

Alec acordara cedo naquela manhã. 

Prometera ao Dr. Deaton que o ajudaria na Clínica naquele dia. 

O veterinário havia lhe ensinado a como aliviar a dor que os animaizinhos sentiam e isso o deixava muito satisfeito. Sem falar que Scott pareceu realmente aprovar a ideia.

Se algum dia viesse a ser um sucessor do Alfa ou até mesmo  do insuportável Liam, sentia que com esses pequenos detalhes, logo estaria à altura. 

Estava sentado na recepção lendo uma HQ de Star Wars que Stiles lhe emprestara (fazendo-o jurar que pagaria com a vida caso acontecesse algo com a revista), quando uma garota entrou desesperada.

Ela era linda. Talvez a garota mais linda que ele já havia visto na escola. Sabia que seu nome era Tina González e que para seu total desgosto, tinha um crush no Dunbar (que graças a Deus estava na UCLA arrumando o dormitório para o início das aulas em algumas semanas). 

- Por favor, onde está o veterinário? Minha cachorrinha comeu... algo e parece estar sentindo muita dor! Me ajuda, por favor! -Tina chorava desesperada. 

Alec sentiu uma estranha vontade de abraçá-la, protegê-la, beijá-la... Afastou esse pensamento e limitou-se a responder: 

-Calma! Eu vou levá-la até o Dr. Deaton, ok? Você pode aguardar sentada ali. Prometo que vamos fazer o possível. - Algo queria o manter ali. Seria seu perfume doce? A vontade de fazê-la se sentir melhor? - Vai ficar tudo bem. - sorriu de forma carinhosa. 

Dizendo isso, pegou a pequena yorkshire que parecia estar sentindo de fato muita dor e a levou até a sala nos fundos.


***


(Now playing: Marian Hill - Wild)

- Ainda estou sem entender por que você está aqui. 

Theo e Malia estavam no carro da garota. 

Do outro lado da rua estava o Pierce's Groceries, um pequeno mercado que pertencia ao pai de Nathan Pierce. 

- Primeiro motivo? Eu tenho um carro, coisa que você não tem mais. Segundo? Bem, eu conheço o Nathan e não quero que você o mate, mesmo ele sendo um babaca sádico. E terceiro e mais importante, não confio em você! 

- Isso me ofende! Ou pelo menos deveria! - Theo sorriu maliciosamente .

- Cala a boca. Olha ali! - disse Malia apontando para a garota que entrava na mercearia. 

-Sidney! - disse Theo se aproximando do banco do motorista para enxergar melhor. 

Malia sentiu o cheiro da loção pós-barba misturada com um leve aroma de menta que exalava de Theo. Sentiu-se um pouco quente diante da súbita aproximação. 

- Hugo Boss. - disse ele a olhando com aquele olhar irritantemente sedutor. - A loção. Presente do Ethan e do Jackson enquanto os ajudei na Europa. Sabe, aqueles dois são caras bem legais. 

O maldito com certeza percebeu quando seu coração acelerou por alguns milésimos de segundos. 

- Ainda estou tentando entender qual é a importância da sua estúpida loção na investigação. Você não deveria estar lá dentro tentando descobrir algo sobre  o Fornecedor? - disparou de forma agressiva. 

Theo apenas sorriu e saiu do veículo em direção à mercearia. 

Malia o observou atravessar a rua e entrar no local. 

- Idiota! - esbravejou sem saber a quem exatamente estava xingando. Ela ou ele?


***


-Não, não, Lydia! Você não está morta! Pelo menos não completamente! 

Como alguém podia estar "não completamente morta"? Ela não compreendia o que era tudo aquilo. E desde quando Allison e Meredith se conheciam? 

- O que quer dizer com isso, Allison? 

-Ela quer dizer que você está apenas desconectada do seu corpo, mas que ele ainda apresenta sinais vitais. - respondeu Meredith. 

-Ai, Lyds, é uma longa história. Sente-se aqui e te contaremos tudo. - Allison dizia apontando  uma cadeira ao seu lado. 

Lydia se aproximou cautelosamente e sentou-se lado de Allison. 

-Onde estamos? E desde quando vocês se conhecem?

-Não nos conhecíamos até termos um objetivo em comum e nos encontrarmos aqui.- Meredith falou suavemente. - Viemos para te ajudar a voltar.

-Voltar? Pra onde? - Aquilo só ficava mais estranho! Todos estavam loucos? Ou era ela quem estava? 

- Isso aqui, Lydia, falando de forma simples, é uma espécie de limbo e no momento, você está presa nele. - Allison colocava as palavras como se estivesse explicando algo relativamente complicado para uma criança de 9 anos de idade. 

Lydia franziu o cenho.

- Limbo? 


***


(Now playing: Mikky Ekko- Smile)

- Pronto! Aqui está sua cadelinha. Sã e salva! 

Deaton e Alec se olharam sorrindo com satisfação ao ver Tina chorar e abraçar sua cadelinha. 

-Obrigada, Alec! 

Alec ficou paralisado. ELA SABIA QUEM ELE ERA? 

A garota mais linda e popular da escola SABIA DA SUA EXISTÊNCIA?

Tentou sorrir mas tudo que conseguiu fazer foi uma careta estranha com um sorriso retorcido. 

O tilintar do sininho na porta indicou que alguém entrava. 

Alec viu um homem careca, alto, forte, pele naturalmente bronzeada adentrar o recinto. 

Se empertigou ao ver o homem. Os pêlos da nuca por algum motivo se eriçaram. 

-Deu tudo certo, querida? 

-Deu, sim, pai!  

O homem pagou a consulta a Deaton e saiu com a filha. 

-Não sei explicar o motivo, mas algo nesse sujeito não me agradou. - Deaton disse com um ar desconfiado. 

Alec o compreendia. Algo o incomodava também.


***


Theo estava na seção de bebidas. Fingiu estar concentrado nos diferentes vinhos a sua frente mas estava de fato ouvindo a conversa que ocorria dois corredores a frente. 

- Eles depositaram o dinheiro? - era a voz de Nathan. 

-Sim! E já vão nos passar novos nomes. E não se preocupe, eu vou te dar os 30% que prometi. - Sidney dizia. - Mas pro idiota do Greenberg? Nem sonhando!

-Falando nele... 

Theo viu Greenberg entrar na mercearia e ir em direção à seção de doces em que Sidney e Nathan se encontravam. 

- Vocês receberam a mensagem também? O Gonzales vai buscar...

-Cala essa boca, idiota! - Nathan o interrompeu furiosamente olhando ao redor. . 

Theo sorriu internamente. Não era pra menos que Finstock o odiasse tanto. Grenberg era realmente muito idiota. Mas quem era esse tal de Gonzales e o que ele estava indo buscar? 

Refletia sobre o que havia escutado quando um barulho de coisas caindo no escritório ao fundo da loja chamou a atenção de todos. Sentiu o cheiro dela. Que diabos aquela idiota estava fazendo? 

Viu Nathan e os outros se dirigirem ao escritório. Claro  que ele poderia parar aqueles imbecis em menos de 10 segundos, mas Scott deixara bem claro que ele deveria ser sutil e não levantar suspeitas, afinal, eles não tinham noção de que o pack soubesse tanto sobre suas recentes atividades. 

Precisava usar outra tática. 

Pegou uma das garrafas de vinho e a jogou no chão de forma que se estilhaçasse o mais ruidosamente possível. 

Nathan e os outros se viraram em sua direção, o primeiro é claro, com uma feição bem desesperada ao ver o líquido manchar o chão da loja do pai. 

- Ahh, cara! Me desculpa! Me desculpa mesmo! Eu me assustei e acabei deixando cair o que ia levar! Mas não se preocupe! Eu vou pagar por isso! - Theo fingia, na melhor atuação holywoodiana, que sentia muito pelo ocorrido. 

-Theo? -era Sidney. 

-Sidney! Olá! Como vai? - Sorriu mostrando seus dentes perfeitamente alinhados. 

-Bem e você está... ótimo! - disse olhando-o da cabeça aos pés. -Você não se lembra do Greenberg e do Nathan? 

-Ahh, claro!  Fizemos algumas matérias juntos e vocês jogavam no time de lacrosse, certo? 

- Isso mesmo, cara! Você lembra! -Greenberg soava pateticamente entusiasmado. 

-Não sabia que você tinha voltado. - Nathan falou desconfiado.  

- Voltei mas por pouco tempo. Estou apenas resolvendo algumas papeladas na venda da casa dos meus pais. Eles não queriam esquentar a cabeça com isso então eu vim no lugar deles. 

Theo soava inocente em sua fala e como já não sentia mais o cheiro de Malia, resolveu dar um fim naquela conversa fiada idiota. 

- Bem, é melhor eu ir. E vou levar um desses! - disse pegando uma garrafa. 

-Se não tiver com quem beber, pode me ligar. - Sidney falou sugestivamente. 

- Adoraria tomar um desses com você qualquer dia desses. - respondeu de forma atraente já virando-se em direção ao caixa. 

Garota idiota, pensou.


***


Scott observava a bala em sua mão.

-Bom, o Argent está do nosso lado, a Kate é uma psicopata mas não deixa de estar na lista dos caçadores também e a Allison, bem ela está morta. Se bem que aqui é Beacon Hills, entao  não duvido que ela esteja andando por aí... 

- Allison nunca faria armas para serem usadas por tipos como Monroe. - Scott soara mais agressivo do que queria. Sabia que Stiles não estava sugerindo isso, mas ainda assim, a menção a ela na fala do amigo, o irritava. 

-Calma, eu sei! Era só uma piada... Deixa pra lá!- Stiles expirou dramaticamente - O que eu estava dizendo é que ela não está mais entre nós, mas será que outra pessoa não aprendeu como fazer as armas com ela? Sei lá, o Isaac, por exemplo? 

- Stiles, Isaac salvou a vida da Lydia se você não lembra! 

- Eu sei e sou grato! Mas em uma investigação, todos são suspeitos. Até quem a gente não quer que seja.  Mas enfim, será que não existe, sei lá, algum diário dela por aí e alguém tenha se apoderado dele? 

- Um manual. - Allison lhe mostrara o manual dado a ela por Kate na época que decidira ser uma caçadora. 

-Um  manual? É isso! Alguém está com esse tal manual! 

-Precisamos ir até o apartamento do Chris e nos certificar de que ele realmente não está mais lá. 

- Soa estranho pra você também quando você o chama de Chris? - Stiles apertava os olhos como se estivesse refletindo.

-Stiles! - Scott chamou Stiles à realidade como Lydia costumava fazer -  Foco! 

-Ok, Ok! Vamo lá!


***


Theo entrou no carro e viu que Malia havia deixado não só a chave do veículo mas também todas as suas roupas dentro dele. 

Deu partida saindo à procura da coiote e a avistou a duas quadras de distância. Parou o carro e abriu uma das portas de trás enquanto o animal pulava no banco.

- O que diabos você estava fazendo lá? - disse assim que avistou pelo retrovisor a garota nua no lugar do animal peludo. Por algum motivo, começou a corar um pouco. 

- Apenas me dê as minhas roupas, ok? - disse Malia sem compreender direito porque estava tão constragida. 

-Aqui! - disse Theo jogando as roupas pra trás. 

- Eu estava procurado alguma coisa. Qualquer coisa. E bem, eu achei isso na mochila do Nathan! - Malia mostrava um pen drive. - E o que você descobriu? 

- Só que estao esperando um cara chamado Gonzales buscar alguma coisa. 

-  Gonzales? Tenho a impressão de já ter ouvido esse nome antes. 

Malia agora já estava vestida e saltava para o banco da frente. Ao passar, bateu o pé na cabeça de Theo. 

-Ai! 

-Desculpa! - desculpou-se tentando prender o riso. 

Theo riu balançando a cabeça. 

- Então, o que você acha que estão indo buscar? Mais armas? - perguntou o rapaz. 

- Talvez! Acho que pode ter algo aqui. - a garota respondeu mostrando o pen drive. 

- Então vamos checar. 

Malia sorriu em concordância.


***


Isaac estava hospedado temporariamente no apartamento de Peter no centro da cidade. Malia havia falado com o pai, a pedidos de Scott,  e ele não achou que haveria problema desde que as coisas se "mantivessem inteiras". O que de certa forma ia totalmente de encontro com o que havia acontecido há poucos instantes.  

Scott o procurara para lhe contar sobre as armas que estavam sendo comercializadas e que não conseguira encontrar o Manual de Allison no apartamento do Argent. Por um breve momento, o amigo perdeu o controle quebrando a mesa da sala com um soco ao ouvir a notícia. 

O Alfa não conseguia compreender aquela reação, não porque não conseguisse entender a raiva, mas porque em um momento Isaac estava calmo e pensativo, no outro estava socando coisas e alguns segundos depois voltava a ficar com o rosto impassível, 

- Me desculpe por isso. Eu estou... um pouco instável ultimamente e essa informação mexeu um pouco comigo. 

- Está acontecendo algo? Eu posso te ajudar? - Scott o observava atentamente. 

- Não! Não precisa se preocupar, Scott. Eu estou bem. Acho que  essa coisa de caçadores e tudo mais deve ter me afetado um pouco além do esperado. - respondeu com um sorriso. 

Scott gostaria de acreditar naquele sorriso mas algo em suas entranhas gritava o alertando. Algo estava errado! Algo estava muito errado.


***


Lydia não conseguia se mover. A incredulidade estampada em seu rosto deixava claro que nem em seu pior pesadelo ela previra aquilo. 

- MAS ELE NÃO PODE SER DUAS COISAS AO MESMO TEMPO! Nós o derrotamos justamente nos aproveitando dessa condição! - sua voz soava esganiçada tamanho era seu desespero. 

- Ele não podia. Mas Nogitsunes são seres extremamente inteligentes, Lydia. Por algum motivo, nos poucos segundos em que habitou um corpo híbrido, ele aprendeu a coexistir. - Allison explicava pacientemente. 

-Ele me salvou! 

- Mantenha os amigos perto e os inimigos mais perto ainda. Depois de ter salvo a sua vida, quem iria desconfiar dele se eu não te contasse? 

"Stiles desconfiaria.", pensou Lydia e lembrou-se que Theo também salvara a sua vida uma vez e depois a deixou para morrer. 

- Era ele quem você queria que eu salvasse e não o Stiles. - Lydia agora compreendia o real apelo da amiga. 

- Sim! Eu preciso que o salve! E acredite, isso irá salvar a todos. Principalmente o Scott. - os olhos de Allison se enchiam de lágrimas. - Só você conseguirá isso sem que ele se machuque , Lyds. 

- Mas como? - Lydia estava confusa. Por que os inimigos sempre voltavam? Onde se encaixava o ditado "o bem triunfará"? Era tudo balela? 

- Você irá salvá-lo do mesmo jeito que salvou o garoto da Besta de Gevaudan. - Allison pausou e Lydia entendeu antes mesmo que ela concluísse. - Chamando-o pelo nome com o seu grito. 

Lydia engoliu seco. Olhou ao redor e viu que Meredith se encontrava em pé estendendo-lhe a mão: 

- Vem, Lydia! Vou te ajudar a se encontrar. 

Lydia olhou para Allison que acenava positivamente a cabeça sorrindo. Olhou novamente para Meredith que sorria docemente. 

Pegou a mão da garota e levantou-se. 

- Hora de salvar o dia! - disse ironicamente partindo em direção a sabe-se lá para aonde com Meredith como sua guia.


*

 

(Now playing: Ritual of mine- Hell in my head)

Lydia olhou ao redor. 

Se encontravam em um extenso salão redondo. O chão era coberto por um carpete bordô onde se viam desenhadas diversas árvores e folhas, a garota percebeu que aquelas gravuras a lembravam dos desenhos do Nemeton que fizera anos atrás. Nas paredes se viam pinturas de diversos seres, bruxas, druidas, lobisomens, anjos, entre outros, coexistindo pacificamente com humanos,  além disso, haviam inúmeras entradas para corredores tão longos que ela sequer conseguia enxergar o fim. Olhou para cima e avistou enormes lustres de cristais que iluminavam o ambiente. Mas o que mais lhe chamou atenção foi a quantidade de pessoas entrando e saindo dos inúmeros corredores. 

As pessoas esbarravam umas nas outras mas não pareciam se importar. Cada uma delas apresentava um olhar vago à procura de algo, o que exatamente, Lydia não sabia. 

Meredith a guiava no meio da multidão segurando em seu braço indo em direção a um dos corredores. 

- Foi através deste corredor que a encontrei da última vez, Lydia. - disse a jovem apontando para uma das portas. - Começaremos por ele.

- Começaremos o que exatamente, Meredith? 

- A procurar a porta que leva à sua mente. Isso.. - Meredith disse apontando para Lydia e para outras pessoas que ali circulavam - é espirito. E nesses corredores estão as mentes de cada um. 

Lydia tentava enxergar alguma porta no corredor a sua frente, porém nada via. 

- A mente leva ao corpo. - continuou Meredith. - Algumas pessoas conseguem retornar, outras não conseguem mais entrar pois a mente está bloqueada. E muitas não conseguem sequer encontrar a sua porta. - a jovem banshee então fez uma pausa dramática ao dizer isso. - Quando alguém não encontra a sua porta, significa que a mente se desligou do corpo e... 

-  Significa que a pessoa morreu. - concluiu a ruiva. 

- Sim. 

Lydia refletia sobre o que havia ouvido e lembrava-se das aulas de filosofia.

- O conceito de conatus.  Espinosa defendeu que a capacidade de pensar, a mente,  envolve a capacidade de agir, o corpo. Ambos funcionam mutuamente. 

A jovem parou diante da entrada. 

- Meredith, vamos encontrar a minha mente! - falou a ruiva de forma decidida. 

Meredith assentiu.


Notas Finais


Nos vemos no próximo episódio! ;*

Ps: Pra quem não aguenta mais esperar um momento Stydia, o próximo capítulo vai satisfazer isso! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...