1. Spirit Fanfics >
  2. TEEN WOLF: sexy stories 09 >
  3. Capítulo Único

História TEEN WOLF: sexy stories 09 - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


oi, pessoal, trouxe a penúltima parte das 10 dessa nossa saga de teen wolf, o fim tá chegando pessoal ç.ç

esse aqui é um pouco diferente das outras partes, ela é um pouco menor e num estilo mais diferenciado, mais poético de um momento turbulento na vida de stiles.

caso ajude, essa história se passa entre a parte oito (onde vemos as primeiras vezes de scott e stiles) e a parte um (quando stiles e scott voltam a ficar juntos). sim, tudo misturado nessa ordem de postagem, se é fã de dark não pode reclamar da minha linha de postagem kkkkk

Capítulo 1 - Capítulo Único


Stiles Stilinski dizia para si mesmo que precisava ser maduro com toda aquela situação, ainda assim machucava olhar. Por trás dos sorrisos e brincadeiras, quando sozinho no quarto, antes de dormir, quando tudo estava em silêncio e seus olhos encaravam o teto escuro, ficava lembrando de todos os momentos que eles tiveram juntos e o que podiam ter sido.

Mas agora havia silêncio no lugar de amor e amizade no lugar de namoro. Scott McCall conheceu uma garota e se apaixonou por ela. Allison Argent. Ela era legal, mas Stiles não se forçava para gostar, sentia ciúmes e não negaria esse sentimento a si mesmo, ainda que se alguém perguntasse ele negaria.

Scott e ele nunca haviam nomeado ou tido um relacionamento sério. Eram amigos, tiveram suas muitas primeiras vezes juntos e ficaram por um tempo. Poucas pessoas sabiam desse envolvimento dos dois e assim continuou. Em nenhum momento ele culpou o melhor amigo por se apaixonar. Ele mesmo havia se apaixonado, pelo próprio amigo, mas aparentemente não fora o suficiente.

Apesar de ser extrovertido acabou se fechando um pouco quando se tratava de estar com outra pessoa. Em certas noites exagerava ao ponto de achar que entraria para o celibato e foi assim que acabou em uma cama com Derek Hale.

Derek era um babaca de marca maior na época. Mas de uma forma estranha os dois se davam bem e ao abrigar Derek em sua casa, após a ceninha em que Derek claramente havia provocado Danny entrando sem camiseta no quarto, a pessoa que caiu na tentação foi o próprio Stiles.

Os dois transaram a primeira vez no quarto do humano, começaram se xingando na cozinha porque discordavam do que fazer no jantar, então Stiles subiu para o quarto enfurecido e Derek o seguiu. Eles trocaram um beijo possessivo, onde brigavam por dominância até Derek ceder e se deixar levar.

Stilinski era um provocador de marca maior a ponto de perturbar Derek até mesmo enquanto era fodido e o estimulando com isso. Levando-o a estocadas rápidas e fundas e a marcas que fizeram Scott, no dia seguinte, perguntar do que se tratavam. Stiles deu de ombros, “eu não pergunto do que se tratam as suas”, atirou quando saiu andando pelo corredor e gostou da sensação que encheu o peito.

Hale e ele não demoraram a voltar a se encontrarem na cama. Não podia negar o quão gostoso aquele lobisomem idiota era e o quanto gostava daquilo. Libertos de amarras e inseguranças, Stiles se entregava ao fogo crepitante que era seu tesao juvenil e a resistência de Derek enquanto uma criatura sobrenatural era muito bem vinda. As noites e dias, tardes livres inteiras em que passava montado no pau do outro, sentindo-o cada vez mais confortável, tendo sua boca cheia da porra dele após chupá-lo ou o quanto amava se enterrar naquela bunda malhada.

Mas concluiu que deveria ser sincero com Derek, então o contou sobre tudo, desde o início até eles estarem ali e de como estava se sentindo mal por “usá-lo” por esses motivos. O mais velho apenas o questionou: “você está sentindo prazer enquanto fodemos?”, Stiles assentiu. “Isso que importa pra mim, não tô te pedindo amor. É sexo. Você quer e eu quero”.

Tirada aquela barreira invisível que acabou se formando entre eles, acabaram voltando-se para uma amizade com benefícios. No início eles fizeram sexo como coelhos. Ele desenvolveu um vício pelo pau de Derek que não o negava quando queria. Gostava do tom mais escuro da pele, dos pelos na virilha e dos sons que atingiam seus ouvidos quando Derek praticamente uivava porque Stiles fazia uma garganta profunda, o abrigando bem em sua boca. Até mesmo pediu, muitas vezes em sussurro que após gozar dentro de si, aquele homem lobo não saísse de si, que mantivesse o pau ali até que não fosse mais possível.

As coisas esfriaram com o tempo, ainda assim eles mantinham uma certa rotina entre estudar, defender suas vidas e transar. Ainda assim, Stiles se pegava pensando em Scott McCall quando deitava na cama sozinho. Ele ainda o amava e Scott ainda amava Allison.

Alguns meses depois Derek deixou de procurá-lo, ele agora tinha o próprio pack e pessoas por quem viver. Não era incomum que lobisomens que tem um pack preferissem se relacionar com as pessoas dentro dele. Então, Stiles voltou a sua doce solidão.

Passou boas semanas sozinho. Ele jogava videogame, lia algumas coisas, ficava em seus estudos, tentava evitar a morte das pessoas que gostava, dançava The Killers sozinho no quarto e já não chorava tanto antes de dormir. Amar McCall se tornava algo distante, mas ainda real.

Tentou se atrair por outras pessoas, até saiu para festas, mas nada que ele conseguisse levar adiante, nem que fosse o famigerado caso de uma noite.

Certas noites ele se revoltava consigo mesmo por se deixar assombrar por alguém que não o queria e imaginava que era como estar em alto mar no meio de uma tempestade enquanto tinha apenas uma jangada sem remos. Ele ia cair no mar com toda certeza.

Em momentos começou a teorizar maluquices. Se Scott chegasse hoje em sua casa e o pedisse um beijo, ele daria? Se o chamasse para ir pra cama, ele iria? Teria coragem de ser amante do melhor amigo? Scott nunca o procurou e Stiles agradeceu por isso para que não precisasse responder ou tomar essa decisão. Afastou a ideia.

Dias depois de despachar todas essas ideia e planos malucos, na noite mais chuvosa que Stiles recordava de ter visto algo aconteceu. Seu pai, xerife de Beacon Hills, estava ilhado não delegacia e só seria liberado quando o tempo melhorasse, o que, segundo a meteorologia dizia que não aconteceria tão cedo então já se preparava para dormir sozinho em casa.

Estava na cozinha bebendo água, vestido apenas em seu pijama quando ouviu uma batida na porta da frente. Olhou as horas no celular. 00:24. Olhou um pouco acima do mostrador de horas. Não tinha sinal de rede. Só emergências.

Uma nova batida. Passou pela sala e pegou o taco de beisebol. Depois de tudo pelo que passou já deixava algumas coisas espalhadas pela casa. Mas quando se aproximou da porta e viu quem era, revirou os olhos e quis quebrar o taco nas costas daquele lobisomem idiota.

“Podia ter me avisado, dito quem era.” Reclamou quando abriu a porta e encontrou um Derek Hale ensopado de chuva, enchendo a varando de água.

De cara fechada, o mais velho entrou sem pedir permissão e quando parou na sala começou a tirar a própria roupa sem nenhum pudor.

Stiles tentou pará-lo. “E se meu pai estivesse em casa?”, pontuou deixando o taco de lado e não desviando em nenhum momento sua atenção do corpo grande, forte e expostos. “Eu teria sentido o cheiro”, deu de ombros.

O humano voltou a questionar um Derek Hale completamente nu no meio da sua sala sobre o motivo dele estar ali. A confissão veio após ser empurrado contra a parede e ser beijado bruscamente enquanto sentia a semi ereção do lobisomem idiota se esfregando contra sua virilha ainda coberta pela calça do pijama. Derek estava com saudades. Stiles riu alto. Não podia acreditar que ele, com um pack a sua disposição de fazer tudo que ele quisesse.

“Você não mente pra mim”, foi o que recebeu. Poucas palavras, grande peso. Mas Derek estava certo, nunca mentiu sobre o que tinham. Poderia se sentir magoado pelo abandono, porém, como antes, não tinham nenhum relacionamento sério.

Entre beijos e chupões, xingamentos e mordidas, os dois estavam nus, ali mesmo no corredor de entrada da sala de estar, entregues a um desejo e vontade quase primal. Derek o pegou no colo e o fez entrelaçar as pernas na cintura para ter melhor apoio, então Ele entrou em Stiles e o fodeu contra a parede. O pau entrando em estocadas cadenciadas para que pudesse ser mais forte e fundo.

Os olhos de Derek brilhavam na penumbra escura da luz que tinha as luzes ainda apagadas, tendo apenas a luz da cozinha para clarear. Stiles amava sentir aquela invasão e a pegada forte e bruta de Derek em sua cintura.

Stiles podia sentir o sentimento que emanava do outro. Havia algo ali, mas ele não falou nada, apenas aproveitou  o quanto de prazer era proporcionado pela união de seus corpos.

Depois disso eles cederam ao chão e lá consumaram o ato, suados e entregues um ao outro, os dois gozaram ali mesmo sujando seus corpos e deixando respirações descompassadas escaparem dos pulmões pelas bocas e narizes.

Derek Hale queria entender. Foi isso que disse a Stiles enquanto tomavam banho. Entender como alguém poderia amar outro tão fortemente. Stiles não respondeu de imediato, sorriu, mas não feliz. Amor era algo poderoso e incrível, mas as pessoas faziam muita coisa por amor, boas ou ruins e amar poderia ser horrível. Mas ele não podia controlar como se sentia com relação a Scott, apenas sentia.

Hale não pareceu feliz em saber que ele ainda amava Scott, eles discutiram e se beijaram.


Notas Finais


então, pessoal, a décima parte e última será o aniversário de stiles e hora de juntar alguns amigos para uma festa e uma pessoa do passado vai retornar para essa comemoração...

até a próxima,

xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...