História Tell me a reason why - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Comedia
Visualizações 2
Palavras 1.962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Trocando estresse


Fanfic / Fanfiction Tell me a reason why - Capítulo 2 - Trocando estresse

Acordei com o sol na minha cara, esqueci a droga da cortina. Quando as fechei, baixei o olhar, sem querer olhei o relógio, estava marcando mais que meio-dia. Meio-dia?! Como assim? Me levantei depressa. Olhei aos lados vendo.. Vendo.. Tudo diferente. Então, depois de três segundos, lembrei de tudo. Me sentei na cama. Suspirei alto, não adianta correr pois, já estava atrasada, mais que atrasada. O que eu me perguntava, era porque o meu celular não tinha tocado o despertador.  Resolvi mandar uma mensagem para a minha colega que trabalhava lá, pedir que ela explicasse que eu estava atrasada por um motivo que explicaria a minha chefe depois. Procurei meu celular em minha cômoda, passando as mãos na superfície da cômoda, mas não o vi lá, por isso não tocou, não estava perto de mim. Me levantei depressa, andei até a sala, peguei meu casaco adentrando os bolsos, até que o achei. Quando liguei a tela para desbloquear, não era o meu, ele estava mais moderno que o meu.. e o meu era falsificado. Em momento algum eu deixei meu celular sozinho. Eu estava confusa... Alguém me assaltou? De novo? Como se fossem querer um celular falsificado...Fiquei olhando para o celular, até que o meu número estava me ligando. QUE MACUMBA É ESSA? MEU DEUS. A. Atendi o telefone e um cara começou a falar:

 - Ow, garçonete. Você trocou seu celular com o meu, na rua ontem lembra? Você esbarrou em mim, "esbarrou". Como você não consegue enxergar uma pessoa na sua frente? Enfim, eu quero meu celular. Venha trazer na minha casa depois. - ele falou rápido como se fosse pedir a uma garçonete. Eu. Eu ri mentalmente. Coitado. Eita. Ele viu minhas fotos. Oh. Não creio. Suspirei:

 - Garçonete? Eu hien, meu amigo. Eu trabalho no caixa. Então, um pouco de respeito, porque eu nem sei quem é você. Trazer na sua casa? Não vou poder. - eu estava é com medo. Respirei fundo e depois continuei:

 - Podemos marcar um lugar e trocar. - eu disse suspirando. Depois percebi que ele não estava só falando comigo, mas com outra pessoa:

 - Hmm.. - ouvi umas vozes de dois caras conversando. Aquilo me deu uma insegurança.. Mas consegui ouvir a conversa deles mesmo baixo:

 - Essa é a garota gostosa que você trocou o celular? Chama ela aqui.. - Ouvi outro cara de voz grossa dizer isso, com segundas intenções? Uau. Voz grossa. Grossa mesmo. Imagina ouvir essa voz de noite... QUE? MEXERAM NO MEU CELULAR. A. Provavelmente não era o que esbarrei. Mas logo continuaram:

 - Gostosa o caralho. Ela .. - ele foi interrompido pelo outro. Percebi que o outro pegou o telefone dele a força, o MEU telefone e começou a falar comigo normalmente:

 - Oi, Li. Li é o seu nome? É que eu vi nos contatos. 

 - É.. Sim é Li. E o seu? - Que medo deles. Eu hien. Só quero meu celular. O carinha que esbarrou em mim.. Cheio de ordem para cima de mim, como se eu fosse obedecer. Eles meio que me desrespeitaram e estão achando que EU vou atrás deles? Me revoltei. Apesar de eu ser calma, e não chegada a brigas.. revoltei. Os homens de hoje estão assim? Cheios de intimidade? Credo. Não é de se suspeitar.. já que já "sabia"  que se é tratada atualmente daquela maneira. Já estava cansada de ser tratada assim. Mas ouvi atentamente:

 - Namjoon. Prazer. - Namjoon. Namjoon da voz grossa. Voz bonita. Sorri sem querer e mordi meu lábio inferior:

 - Ah.. prazer. Mas então, é o seguinte. Eu esbarrei com seu amigo ontem, e acabamos trocando o celular acidentalmente pela minha pressa. É possível ele me encontrar? - Estava nervosa. Medo me consumia por eles fazerem algo comigo. Tremendo igual a uma vara verde, sem perceber ele continuou:

- Olha.. Ele está meio estressado essa semana. Digo, nós. Aconteceram umas coisas e.. - eu o interrompi dizendo: 

- Olha. Eu entendo. Entendo que estejam estressados, eu tive muitas coisas até agora, mas é só para resolver esse problema. Só isso, é difícil assim? Ele é por acaso uma superestrela que não tem tempo nem para peidar direito? - disse totalmente ignorante para ele. Pelo visto ele se surpreendeu, parece que ele estava pensando em algo e depois falou:

 - Nós iremos te achar. Só esteja com o telefone. - Ele me respondeu devagar. Eu respondi, curta e grossa:

- Ok, tchau. - Desliguei logo depois.

 Ah, nossa, que maravilha. Perdi meu celular com um completo estranho. Ótimo. Esse dia podia ficar melhor? Fiquei um tempo fitando o celular em minhas mãos. Fui até minha cama, tirei a roupa, e vesti uma simples bonitinha. Vesti uma blusa branca com mangas até debaixo dos ombros, uma calça preta e um all star vermelho. Passei perfume, peguei meu celular, chaves os guardando no bolso da camisa, que fica na barriga, igual aos casacos, em seguida saí de casa trancando tudo. Trancando bem. Depois da última vez..oh, meu Deus. Não deixo mais nada aberto. Nem as cortinas. Saí de casa, andei até uma cafeteria que tinha a uns 20 minutos de caminhada. Sentei em uma mesa vazia em frente a cafeteria, me sentindo calma, estava faminta. Não comi desde ontem, mas só queria algo para acalmar tudo e me alimentar um pouco. Eu preciso relaxar um pouco. Minha vida pode não ser muito agitada, porém, mudar repentinamente por que fui assaltada, complicou um pouco, antes eu gastava pouco dinheiro no eu quarto, e coisas como comida, também não gastava muito. Agora, não posso comer nem comprar algo, porque a casa é cara, economizando ao máximo, e bebendo só água. Olhei para cima, tentando interromper a confusão dos meus pensamentos, com o calor entre meus ombros vendo o sol brilhando, me abanei um pouco com as mãos. Logo sinto alguém pegar em meus braços. Antes que eu pudesse me mexer, ou dizer algo, olho para os lados vendo que eram dois caras encapuzados, tento me soltar enquanto gritava pedindo ajuda, mas ninguém me ouvia, ou melhor, ninguém ajudava. A Cafeteria tinha poucos clientes, sendo o suficiente para me ajudar. Eu tentava a todo custo me soltar, mas eles continuaram a me puxar para fora do local. Cinco minutos depois, eles me levaram a uma van, que estava atrás da cafeteria e era totalmente sujo, com o chão cheio de água da sujeira do lixo, era tipo o lixeiro da cafeteria. Me empurraram para dentro com muita força quando abriram a porta. Fiquei calada com medo se eu falasse algo. Fiquei fitando minhas mãos, vermelhas pelo jeito que me apertaram ao me trazer até aqui. Eles me soltaram, me sentando a força, se sentaram em minha frente. Um deles esticou a mão até mim: 

- Me dê. - ele me disse sem deixar com que eu visse seu rosto. Fiquei confusa e olhei baixo dizendo:

 - Eu não sei do que você está falando.. - a. Fui sequestrada. Medo. SABIA QUE ISSO IRIA ACONTECER. Eu só tenho mel demais. Mas ele logo continuou bravo: 

- Não se faça de desentendida! Me dê logo meu celular, antes que eu.. - ele levantou a mão em direção ao meu rosto como se fosse bater em mim, o amigo dele ficou repetindo "Calma, sem violência. Não se descontrole assim." segurando a mão no ar. Pude perceber ser o cara da voz grossa. O..Namjoon, me livrou de um tapa. ISSO, lembrei o nome dele. Então, entendi do que se tratava. Mas...acabei reagindo totalmente o contrário o que eu costumava fazer..:

 - Vai fazer o quê? Vamos, me bata. É só uma coisa simples, não precisava fingir me sequestrar. Você poderia ter sido gentil até ao ter falado comigo no telefone, e mesmo aqui. Não precisa ser grosso, eu até entendo que esteja estressado, mas não te dá razão para tratar os outros assim, se fazendo de mais importante. - falei um pouco alto, vendo que o deixei sem palavras. O Namjoon o olhou, segurou ele, colocando uma mão no peitoral dele o afastando para trás e segurando o outro pulso dele, pois ele parecia que iria ficar descontrolado, pelo visto ele também não gostava de ser confrontado. Nesse instante, saí correndo da van, com medo deles, mas quando olhei para trás, para certificar de que não estavam me seguindo, vi os dois olharem para o chão. Fiquei confusa, mas assim que olhei o chão, estava o celular na água, com a tela trincada. Parei de correr, fiquei parada, senti meu bolso vazio ao colocar as mãos. Oh, não. E meus pés molhados. Pelo visto eu pisei em um rio antes de sair da van. Rio. Maravilhoso. O que eu deveria fazer? Correr? Pensei uns cinco segundos, apertei as mãos, voltando a encontro deles de cabeça baixa. Eles saíram da van, ficando em minha frente o estressadinho. Namjoon, ficou entre nós atrás, e começou a falar:

 - É.. agora vocês tem um problema maior.. - ele riu e me olhou. O amigo dele, o Senhor estressadinho apertou os punhos olhando para mim:

- Você vai comprar outro. Se você tivesse me deixado falar e não correr.. isso não teria acontecido. - ele disse grosso, pegando o celular, mostrando para mim, todo quebrado ao redor da tela enquanto gesticulava. Apontei para ele com a mão esquerda, que segurava o celular dizendo:

 - Se você tivesse um pouco mais de educação e soubesse controlar sua raiva, eu não teria corrido. - ele respirou fundo como se estivesse cansado, aliás eu também estava estressada. Com fome? Eu era o capeta. Levantei a cabeça, decidida a enfrentar a situação, então ele esticou uma mão para mim como se pedisse algo: 

- Me dê o dinheiro. Você vai pagar por outro. Se teve dinheiro para comprar um modelo igual ao meu.. - eu o cortei dizendo:

 - O meu é falso. Ele estava mais barato quando o comprei pela internet. - eu disse rindo, fazendo o Namjoon rir. Ele logo se aproximou mais de mim, me olhando bem de pertinho: 

- Você vai pagar por um novo, com as músicas e fotos, você vai recuperar de algum jeito, OK? - antes que eu pudesse responder, Namjoon interferiu:

 - Vamos nos acalmar, pessoal. Olha, J-Hope, é só um celular, podemos comprar outro.. - J-hope, ou seja lá o nome dele, riu balançando a cabeça negativamente me olhando de cima a baixo falando com os braços cruzados: 

- Não, não. Agora eu faço questão de ter um mais caro. - Ele disse me provocando, com o olhar ameaçador, deixando poucos centímetros longe de nossas testas. Mordi minha boca com raiva, suspirei, coloquei as mãos na cintura e disse com o olhar provocador: 

- É o mais caro que você quer? Pois é o melhor que você vai ter. - fiquei parada olhando para seus olhos profundamente. Eu estava estressada. No mesmo dia que quase perdi meu emprego, fui assaltada, tive que mudar de casa, e estou comendo pouco, porque o aluguel é muito caro. Até ele chegar e me tratar assim, eu não conseguia me controlar, por ser um absurdo ele me tratar assim. Alguns minutos depois, Namjoon nos separou colocando os braços no meio de nós: 

- Calma, pessoal. Li, olha o que você está falando, se você estiver.. - entendi o que ele quis dizer e fui direto ao ponto:

 - Não vou mentir. Agora eu faço questão de pagar por outro novo. Espere por alguns meses que você ganha outro, outro ainda melhor. - estava completamente com raiva daquele cara. Por Deus, ele sabia provocar alguém. Respirei fundo, cruzei os braços, giro os olhos para cima, mas tudo ficou escuro. Só vi a escuridão tomar conta de meus olhos, me desequilibrei e acabei caindo. Só não sei onde.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...