História Tell me what you want - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Block B
Personagens Zico
Tags Drama, Imagine, Romance, Zico
Visualizações 84
Palavras 1.601
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Acho que até agora, esse foi o pior hentai que eu fiz, mas tá valendo. Esse é mais um imagine para uma das minhas amigas kpopeiras.
Espero que ela goste.
E vocês também.

Capítulo 1 - Capítulo único


Aquela boate estava lotada, muitos já estavam bêbados se pegando com a primeira pessoa que encontraram. Eu? Eu estava fazendo a mesma coisa também, porém com menor interesse que os outros. Bebia um copo de vodca no barzinho que havia no centro daquela boate, já havia aprontado demais para uma só noite e minhas amigas me abandonaram no meio da festa para se pegarem com outros caras mais velhos que elas. Então aqui estou me embebedando pretendo beber até cair, meus atos começaram a ser decididos na sorte, o que é bom eu faço e o que é ruim também. Tudo eu aceito.

- Uma cerveja, por favor. - Um homem que eu nunca tinha visto na vida se senta ao meu lado e o barman atende ele. O encarei por alguns segundos e... Ele era muito atraente. 

Acho que a bebida já estava afetando minha cabeça, minha mente estava focando apenas nos músculos daquele homem à minha frente que mesmo com a camisa e a jaqueta podiam ser notados. Aquele homem deve ser muito desejado pelas mulheres e muito invejado pelos homens. Estava tão distraída olhando para o corpo do mesmo que não percebi quando ele me olhou. Ele me olhava com o copo nos lábios, isso de alguma maneira se tornou extremamente sexy.

- O que tanto olha? - Ele perguntou assim que me dei conta de que ele percebeu meus olhares sobre si. 

- Você. - As minhas emoções e palavras estavam sendo dominadas pela bebida, com certeza teria uma ressaca terrível no dia seguinte. 

- O que tem de interessante em mim? - Ele diz e eu caio na risada, ele me olha com uma sobrancelha arqueada.

- Se você não se sabe, não sou eu que vou dizer. - Ele sorri dando um último gole da cerveja que tinha no copo, não deixando nenhum resquício.

- E quem pode me dizer? - Certo, além de bonito ele era esperto. 

- Não sei. - Ele sorriu de canto apoiando sua costas na cadeira do mini-bar. - A conta por favor. - O barman chega com a conta eu pego meu cartão de crédito e pago. Me levantei da cadeira e saí sem me despedir do homem que estava me atraindo apenas com sua voz grave.
As pessoas estavam muito agrupadas em um só lugar, estava difícil sair dali. Já podia ver as portas da saída, mas alguém puxou meus braços me prensando na parede.

- Você não me respondeu. - Olhei para o homem que estava sentado junto comigo no bar, mesmo naquela situação eu não conseguia sentir medo, estava excitada.

- O que eu não respondi? - Ele me olhou sorrindo aproximando seu rosto de meu ouvido. - Por que não me diz o que achou interessante em mim?- Vamos, diga.

- Se eu disse vai me soltar? - Ele me olhou pensativo.

- Talvez, agora diga. - Engoli em seco, não podia dizer que tinha achado ele um gostoso do caralho, mas era o que minha mente dizia.

- Você é bonito, por isso estava olhando para você. - Ele aproximou o rosto do meu. Senti sua respiração quente mesclar com a minha. 

- Não acho que seja apenas isso... S/N. - Abri a boca um pouco espantada. Como ele sabia meu nome?

- Como sabe meu nome? - Ele abaixou a cabeça, por um momento seu rosto me pareceu familiar. - Quem é você?

- Achei que se lembraria do seu melhor amigo. - Ele me deu um sorriso sincero e acabei o reconhecendo. 

- Zico? - Ele sorriu. - É você mesmo? 

Zico tinha sido alguém muito importante na minha adolescência. Ele era meu melhor amigo, assim como foi o primeiro garoto que eu me apaixonei realmente e meu primeiro namorado, nunca deixei de amar ele, mas seus pais acabaram se mudando o levando junto com eles. O tirando de perto de mim. Éramos inseparáveis, conhecíamos cada defeito e qualidade um do outro. Quem diria que aquele garoto fraquinho poderia virar isso.

- Oi pequena. - Ele me abraçou muito forte. Eu resmunguei. - Estava falando sério quando disse que sou bonito? - Corei um pouco, tinha me esquecido desse detalhe por alguns segundos, ele riu. - Você ainda fica fofa quando cora. - Rimos juntos.Quando paramos de rir nos encaramos por alguns segundos, mesmo com as mudanças que ele ainda era o Zico que eu conhecia.

- Você me assustou. - Ele gargalhou. - É sério. Pense antes de encurralar uma garota na parede. - Ele me olhou sério. - O que foi-
Do nada senti lábios carnudos se chocarem com os meus, suas mãos grandes foram parar em  meu rosto e meus olhos arregalaram um pouco. Os lábios de Zico eram doces e macios, acabei cedendo quando ele pediu passagem. Nossas bocas se mexiam com lentidão e até diria que havia sentimentos naquele beijo. Ele mordeu meu lábio inferior antes de parar por falta de ar, nossas testas ficaram coladas por alguns segundos até ele erguer a cabeça e me olhar triste.

- Desculpe S/N... Eu não consegui aguentar... Eu senti sua falta. -Eu sorri o puxando pela jaqueta ele se assustou um  pouco.

- Então vamos matar essa saudade em  outro lugar. - Ele sorriu segurando meu pulso me puxando para dentro da boate novamente, só que dessa vez fomos para o segundo andar, lá tinha vários quartos usaríamos um deles. 

Quando entramos naquele quarto Zico fez questão de trancar a porta. Ele me puxou e me prensou na parede novamente.

- O que eu acabei de dizer sobre encurralar garotas na parede? - Ele sorriu de canto.
-  Nunca escutei o que você disse S/N, não vai ser agora que eu vou mudar. - Ele atacou meus lábios sem pestanejar, diferente do outro beijo que havíamos dado esse estava mais urgente e com mais desejo. Nossas línguas batalhavam para ter o controle e minhas pernas no momento já estavam entrelaçadas em sua cintura.

- Eu sempre quis saber o que você escondia por debaixo dessa roupas. - Ele me derrubou na cama tirando meu vestido de uma vez, mas sem tê-lo rasgado. Não estava com vergonha, o ato que iriamos poderia precisar de qualquer emoção menos vergonha. Ele encarou meu corpo que estava apenas com uma lingerie branca e mordeu os lábios. - Seu corpo é lindo S/N.- Olhei para ele que começou a se despir, tirando primeiro a jaqueta depois a blusa. Puxei seu pescoço e nos beijamos novamente, suas mãos sapecas começaram a fazer caminhos imaginários em meu corpo. Levei uma de minhas mãos ao seu membro ainda coberto pela calça e apertei. Ele arfou separando nossas bocas. - Não me faça enlouquecer S/N. - Sorri travessa.

- Essa é minha intenção. - Me levantei e comecei a beijar seu pescoço descendo para o peitoral do mesmo, ele apenas olhava-me com seus olhos pequenos mais escuros devido a excitação que estava sentindo. Desci o zíper de sua calça e ele me ajudou a retirá-la junto com a cueca, o membro do mesmo saltou para fora da cueca e digamos que ele era avantajado. Segurei apertando levemente o que fez o maior deixar a cabaça cair para trás acompanhado por um gemido rouco e baixo. Na mesmo hora abocanhei o membro de Zico fazendo movimentos frenéticos ele segurou meus cabelos com força enquanto mantinha sua cabeça caída para o lado deixando alguns gemidos altos escaparem quando eu sugava com mais força. Depois de alguns minutos ele fez com que eu parasse e me empurrou me fazendo cair na cama. Ele tirou meu sutiã e com um pouco de força rasgou minha calcinha.

- Fique de quatro. - Fiz o que mesmo me pediu e o maior se colocou atrás de mim, em uma só estocada me senti ser preenchida por seu membro, acabei por soltar um grito mínimo de prazer, enquanto ele me penetrava sem dó fazendo a cama dar uma surra na parede o barulho que ela fazia a cada estocada era tão alto que não me surpreenderia se ela quebrasse naquele momento.
Foram longos minutos naquela posição meu interior já havia começado a apertar o membro de Zico, ele me colocou deitada e novamente me penetrou.

- Ah Zico, mais forte... - Gemi manhosa sentindo Zico afundar-se em meu interior com mais força e rapidez acertando meu ponto várias e várias vezes. Zico gemia em meu ouvido baixinho e rouco. Após tantos movimentos de vai e vem me entreguei a um ápice intenso esmagando o membro de Zico que com essa estimulação a mais se desfez dentro de mim. Nós dois estávamos na mesma situação ofegantes e suados. Após ter se retirado de mim caiu ao meu lado quase sem forças e me fez deitar em seu peitoral.

- Zico... - Ele olhou para mim. - Isso quer dizer que somos namorados de novo, não é? - Ele se ajeitou novamente na cama.

- Depende... Me diga o que você quer. - Olhou para mim de novo

- Eu quero você. - Vi seus olhos diminuírem conforme seu sorriso se fez presente em seu rosto, aproximou nossos rostos me beijando novamente. 

- Eu te amo S/N. - O abracei, ele beijou minha testa.

- Desde quando aprendeu a ser tão sexy daquele jeito? - Disse me referindo quando nos encontramos no bar.

- Não sei. - Rimos.  Depois de alguns segundos acabamos pegando no sono, ele primeiro que eu. Observei seu rosto por alguns segundo antes de dormir e a imagem de seus olhos fechados e sua boca entreaberta bastaram para eu me sentir extremamente feliz.


Notas Finais


Então gostaram?
Espero que sim.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...