1. Spirit Fanfics >
  2. Tell me You love me >
  3. A razão pela qual eu queria morrer, o plano de Harry:

História Tell me You love me - Capítulo 22


Escrita por: YuHuangShang

Notas do Autor


༺Aviso Legal༻ Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.
༺Aviso Legal༻ A obra original não me pertence, nem como alguns personagens aqui citados. A história original e de total autoria da escritora J. K. Rowling, porém, alguns personagens em original são de minha total autoria.
༺Aviso Legal༻ O capítulo FOI REVISADO, contudo ainda deve conter erros ortográficos que serão corrigidos após o termino da fanfic.


⚔Sinopse e Capa feitas na FuckDesings⚔

⚔BOA LEITURA⚔

Capítulo 22 - A razão pela qual eu queria morrer, o plano de Harry:


Fanfic / Fanfiction Tell me You love me - Capítulo 22 - A razão pela qual eu queria morrer, o plano de Harry:

"Hey!
Sorry but you just got in my way
I promise honey I can feel your pain
And maybe I enjoy it just a little bit
Does that make me insane?"

"Insane - Black Gryph0n & Baasik"


Tell me You Love me 

Yu Huang Shang-ti

Capítulo vinte e dois:

A razão pela qual eu queria morrer, o plano de Harry:


— Eu não vou fazer isso, ok? — Harry bufou enquanto respondia sem vontade. Recebendo um olhar avaliador pela parte de Roma. 

— Eu sei que você vai — Roma cruzou os braços sobre o peito. 

— Se você sabe que eu vou fazer. Por que perguntou? — Revirou os olhos. 

Tudo bem que Harry estava planejando algo muito grande — grande o bastante para que Hogwarts adiasse suas aulas por boas semanas — contudo, tinham olhos por toda Hogwarts que impedia seus planos. Até o momento. 

— Você vai ser pego — Roma insistiu. 

— Eu não vou! Caramba, é difícil assim? — Harry murmurou — Você sabe tão bem quanto qualquer um que eu sou ótimo no que eu faço! É impossível para me pegarem — Sorriu triunfante — Pelo menos não esse ano ou no próximo —.

— Harry! Você não sabe no que está se metendo — Roma grunhiu em desespero. 

Sim! Estava totalmente desespero. Diabos, ele era um deus? — Pelo menos alguns humanos o consideravam assim — E não conseguia tirar o maldito plano da cabeça de Harry. 

— Destiny concorda comigo — Apontou para a fada que voava distraído ao redor dos dois indivíduos. — Diz pra ele Destiny — Harry sorriu triunfante. 

— Roma, deixe-o. Se ele quer fazer isso...deixe-o — Destiny resmungou — Ele não vale nem a saliva gastada com ele — 

— Eu te odeio! — Harry vociferou — Eu vou fazer isso e pronto! Não é como se eu fosse morrer — Deu de ombros antes de continuar — Ainda... — Sorriu amarelo. 

— Harry — Roma chamou sua atenção — Me escute. Pelo menos uma vez! — 

— Eu sei! Maldição, eu sei! Ok? — Harry bagunçou os cabelos — Eu sei que tudo isso é uma péssima ideia. Mas você sabe tanto quanto eu, o tanto que eu preciso fazer isso! — Murmurou — Ou ele vai conseguir o que quer. E isso não pode ocorrer de nenhuma maneira! — 

— Eu tentei Harry. Depois não diga que eu não lhe avisei — Roma suspirou em derrota.

— Obrigada! Você é melhor — Harry sorriu agradecido. 

Sim, precisava fazer o que podia. Precisava matar Alisson. 

...

— Isso tem tudo para dar errado — Destiny resmungou. 

— Você ainda pode desistir. Mais você sabe, você é praticamente meu mascote — Harry sorriu malicioso — Se eu morro, você também morre — 

— Eu não sou seu mascote, bruxo! Nós somos companheiros — Irritado Destiny o repreendeu. 

— Se o Tommy ouve você falando. Ele com certeza vai te mandar direto pro paraíso das fadas — Harry brincou. 

Encarou os potes a sua frente, antes de pegar o último ingrediente de sua lista. Quem o visse naquela loja, pensaria que Harry resolverá fazer um simples bolo. Contudo, Harry sábia que com o que tinha em mãos e com a combinação certa, ele poderia até mesmo matar alguém. 

— Não podia simplesmente jogar um avada nele? — Roma perguntou enquanto flutuava em sua forma de criança ao redor de Harry. 

— Só queremos apagá-lo — Harry murmurou, antes de entregar o pagamento para a dona da loja. 

— Pra isso temos feitiços — Destiny resmungou. 

— Você sabe. Eu ainda não consegui a maldita varinha sem rastreando — Harry revirou os olhos antes de começar a explicar o óbvio — Se resolverem olhar o histórico das varinhas de cada aluno de hogwarts. Não iriam desconfiar de mim? Feitiço paralisante, seguido de vários crucios e logo um avada? — Zombou. 

— Eles não fariam isso... — Roma o encarou de modo estranhos — Ok, eles falariam. O que eu estava esperando? Eles são lacaios de hogwarts — 

— É. Eles fariam — Destiny concordou. 


TOMARRY


— Eu odeio aula de herbologia — Abraxas reclamou. 

— Nosso Bebezinho ta lindo — Evans sussurrou encarando o pequeno bebê alaranjado que começará a soltar pequenas mudas ao seu redor — Você acha que deveríamos considerar isso como os dentes dele? — Evans perguntou apontando para as pequenas mudas soltas. 

— Eu não sei. Deveria? — Encarou-os incerto — Deveriamos perguntar para a professora — coçou a cabeça loira. 

Harry e Tom por outro lado encaravam o pequeno bebê gordo e de cor rosa. Que os encarava seriamente. 

— Parece que ele esta vendo todos os pecados que eu cometi e está me julgando — Harry se abraçou e tremeu — Bebês são assustadores — 

— Está com fome? Eu acho — Tom resmungou. Procurando alguma coisa para alimentar o bebê planta ao seu redor. 

Por outro lado, Harry encarava seriamente Alisson do outro lado da estufa. Que reclamava sobre alguma coisa com seu companheiro de mesa. 

Alisson Monter — tudo bem, Harry com toda certeza estava com ciúmes por razões bobas — Afinal, Tom nem mesmo conversava com esse corvino idiota, mas ele daria um jeito no mesmo ou acabaria o matando na frente de milhares de alunos e então seria preso em Azkaban. 


TOMARRY


— Muito bem, está tudo aqui? — Harry perguntou enquanto encarava todos os itens em cima da mesa — Eu deveria saber de alguma coisa importante? — Harry encarou seriamente seu ajudante. 

— Uma máscara e luvas, você deveria usá-las — Roma sugeriu —  Ou talvez prefira inalar o cheiro e ter paralisia facial por boas horas. Ou então, vai que você sem querer espirra uma parte da poção nas suas mãos e não conseguirá mexer nem mesmo um dedo pelos próximos dias — Me encarou com um sorriso — Você quem sabe — Deu de ombros. 

— Tudo bem. Luvas e máscara, ficar sem mexer as mãos e ter paralisia do rosto — Harry murmurou antes de voltar seu olhar para a fada que repousava em seu ombro — Faz sua mágica ai mascote — Harry sorriu irônico. 

— Só se você pedir com carinho — Destiny resmungou, enquanto encarava as mãos. 

— Roma. Gaiola — 

— Ok, ok! Luvas e máscara — Destiny revirou os olhos. 

— Agradeço pela cooperação. De ambos — Sorriu por baixo da máscara. 

— Nós amamos cooperar com você — Ambos responderam em uníssono, revirando os olhos em seguida. 

Harry Potter, era possessivo com tudo aquilo que achava que lhe pertencia — incluindo o próprio Tom — e Tom estava no meio disso tudo, afinal ambos eram companheiros destinados e Harry odiava que alguém como Alisson Monter respirasse o mesmo oxigênio que Tom respirava. 

Harry odiava tudo aquilo que não envolvia Tom. E como ele mesmo havia dito, Harry estava de volta ao passado para que pudesse mudar seu destino e estava na hora de começar a se livrar do lixo que estava a sua volta e Alisson Monter seria sua primeira vítima. 

E não podia tudo simplesmente acabar tão rápido assim, ele o faria sofrer. O faria conhecer o verdadeiro Harry e o faria se arrepender até mesmo de olhar para Tom Riddle. 

...

— Deveríamos testar isso? — Harry perguntou incerto. 

Tudo bem, já passavam das zero horas e sua poção finalmente estava finalizada. Contudo, não sabia se estava realmente funcionando — apesar de confiar cegamente nos ensinamentos da própria morte —.

— Não olha pra mim. Eu não vou me submeter a isso — Roma fez um "X" com as mãos. Antes de desaparecer deixando somente Destiny e Harry na sala. 

— Não, eu me recuso a ser sua cobaia — Destiny recusou rapidamente antes mesmo de Harry olhar em sua direção — Eu estarei no quarto — Explicou antes de desaparecer assim como Roma. 

— Todos falam que me ama! Mas todos se negam a me ajudar quando mais preciso — Harry murmurou — Eu odeio vocês — Resmungou. 

Apoiando o queixo em suas mãos e os cotovelos na mesa. Harry encarou a poção de cor vômito e com um cheiro nada agradável e forte, que mesmo por baixo da máscara conseguirá sentir o cheiro que fez seus olhos lacrimejarem. 

— Por que matar alguém é tão difícil? — Reclamou enquanto soltava um suspiro dramático — Pois bem. Só saberemos quando ele beber essa maldita poção, se não... — Harry sorriu de modo pensativo. 

Harry Potter usaria a força bruta para fazer com que Alisson bebesse a poção. Nem que para isso, usasse seus punhos naquele rostinho de boneca de voodoo dele. 

...

— E com isso, tudo pronto — Harry selou o pequeno bilhete com um filete de saliva. 

— Você vai mesmo fazer isso? — Roma o encarou de modo julgador. 

— Você sabia que eu ia fazer isso quando resolveu me mandar de volta — Bufou — Sem ressentimentos, por favor! — Revirou os olhos. 

— Isso tem tudo para dar errado, e você sabe — Roma resmungou pegando o bilhete que lhe estendido. 

— Você sabe o que fazer, não é? — Harry resmungou — Faça seu trabalho direito — Murmurou se sentando em uma das cadeiras da sala. 

— Sim. Você acha que ele vai acreditar? — Roma perguntou brincando com o papel em suas mãos. 

— Ele vai vir com o rabo abanando. Tudo como planejado — Harry riu alto enquanto espreguiçava. 

— Tome cuidado — Roma murmurou. 

— Eu vou. Afinal, eu tenho você ao meu lado — Harry sorriu de forma sorrateira, fundindo-se a escuridão da sala. 

TOMARRY


Alisson encarou surpreso quando um bilhete praticamente voara até seu rosto de forma brusca. Hesitante encarou o bilhete dobrado cuidadosamente, como se ninguém mais além dele pudesse ver o que tinha dentro. Na parte da frente apenas uma frase residia. 

Para Alisson. 

Levantou as sombrancelhas empolgado, imaginando quem poderia ser. Respirou fundo e lançou uma série de feitiços, para ver se não havia nenhuma pegadinha ali no bilhete. Confirmado que o bilhete tinha apenas um feitiço que era dirigido somente ao sigilo onde somente ele poderia ver o que estava escrito, criou coragem e abriu o bilhete. 

Sentiu as pupilas dilatadas e o coração batendo como tambor ao ler o conteúdo do pequeno bilhete. 

Te espero na última sala do terceiro andar. Venha sozinho, tenho uma surpresa para você... Tenho certeza de que irá amar. Não demore

Tom Riddle 

Sim, Alisson sabia que poderia muito bem ser alguma pegadinha de mal gosto por parte dos corvinos ou ate mesmo de Harry. Mais aquela esperança no fundo de coração, o fazia sentir o suor escorrer por suas costas e mãos. 

Ele iria e torcia no fundo de seu interior que fosse Tom. À, ele seria tão feliz. 

...

— Tom? — Alisson perguntou resistance, e sentiu seu coração falhar uma batida ao encarar as costas que tanto conhecia. 

— Finalmente chegou. Achei que não viria — Tom sorriu de forma gentil. 

Tudo bem! Ok, Alisson estava pirando. Ele sempre soube que Tom também tinha olhos para ele, que Tom gostava dele. 

— Por que me chamou? — Perguntou timidamente, hesitando em chegar perto de Tom. 

— Eu queria te falar uma coisa — Tom o encarou sério. Antes de caminhar até o garoto que tinha as bochechas vermelhas — Eu terminei com o Harry. Eu... Eu não consegui te tirar da cabeça Alisson — Confessou acariciando as bochechas do garoto. 

— Eu... Eu...você gosta de mim Tom? — Perguntou. 

Alisson sentiu que poderia finalmente morrer. Estava tão feliz, Tom Riddle estava confessando que gostava dele. 

— Sim, eu percebi que você é a pessoa com quem eu quero estar — Deu-lhe um selo nos lábios — Eu preparei algumas coisas para você — Puxou o garoto em direção a uma mesa que estava organizada de maneira bonita e elegante no canto da sala. 

— Tom... Isso é — Colocou as mãos sobre os lábios — Eu sempre esperei por isso — Alisson sentiu os olhos arderem. 

— Eu sei. Desculpe-me por fazê-lo esperar tanto tempo — Respondeu beijando-lhe o topo da cabeça — Vamos comer? — Perguntou puxando uma cadeira para que Alisson pudesse se sentar. 

— Eu adoraria — Alisson sorriu enquanto sentava-se. 

Céus! Estava tão feliz com tudo isso. Mal podia acreditar que Tom finalmente havia o notado. 

— Aqui, beba. Você vai adorar essa bebida — Tom sorriu largo, antes de pegar um copo com a mesma bebida e tomar um gole. 

Hesitante, ainda assim bebeu o liquido esverdeado. Arregalando os olhos logo em seguida pelo otimo gosto que tinha. 

— Do que é feito? — Alisson perguntou antes de tomar o resto da bebida em seu copo e ser servido por Tom. 

— Hortelã e cana-de-açúcar — Tom sorriu de maneira sutil — Eu sabia que você ia adorar — 

— Sim, é muito gostoso — Murmurou sentindo-se entorpecido. 

— Eu sei. Apesar do cheiro insuportável de quando é feito, ela some quando misturado com alguma outra bebida — Tom o encarou com os lábios se abrindo em um sorriso sem mostrar os dentes — Pobre Alisson — Tom riu de forma contida — Tudo bem, eu sei que por Tom qualquer um! Qualquer um em Hogwarts toda faria qualquer coisa pelo meu namorado —

— Tom? Eu não estou entendendo — Alisson perguntou de maneira confuso. Sim, estava confuso e o peso em seu corpo deixava o raciocínio lento. 

— Você acreditou mesmo que o meu Tom, iria querer algo com você? — Tom riu de maneira escandalosa — Que vergonha — Suspirou — Tudo bem, eu vou deixar você saber quem eu realmente eu sou antes de você apagar de vez — 

Alisson encarou artodoado Tom se levantar. E rapidamente ficar de seu tamanho, com o rosto de Harry. 

— Cade os aplausos? Eu fui ótimo com a atuação — Harry debochou — Espero que tenha bons sonhos — Riu cinicamente. 


TOMARRY


Capítulo revisado

Yu Huang Shang-ti









Notas Finais


Desculpem-me pelo sumiço. Mais eu estou sem notebook e então finalmente resolvi criar coragem para escrever pelo celular e sério! Minha mão ta doendo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...