História Tem que ser você! - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Comedia, Hinata, Irmãos, Naruto, Romance
Visualizações 77
Palavras 2.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capitulo.:]

Capítulo 5 - O Convite


Fazia exatamente seis dias que a vida de Naruto mudou completamente. Saber a história envolvendo Minato, deixava o loiro sem saber como agir ou reagir, mas o que o perturbava de fato era Hinata. Depois que conheceu a morena, todas as noites sonhava com ela, e  em nenhum desses sonhos Hinata era sua irmã. Esse era o problema, não via ela como uma irmã, Ino sim, mas ela não. No decorrer da semana Naruto falou algumas vezes pelo celular com Ino, nada de muito importante, mas ela insistia em ligar.

NARUTO levantou do sofá para ir em direção da cozinha, onde Kushina estava. Parou do lado da porta e ficou observando como a mãe entrava em uma onde de suspiros, estranhou, nunca tinha visto a mãe suspirar daquele jeito, parece que o jantar não afetou apenas ele, mas ela também.

— Mãe. – Aproximou um pouco mais de onde sua estava.

— AHHH... Naruto seu besta, você me assustou. – Saltou a mulher com a mão no coração.

E Naruto não conteve o riso com a expressão da mãe.

— Desculpa velha, o que tá acontecendo?

— Não tá acontecendo nada, por quê? –Tentou desconversar um tanto sem graça.

— Depois do jantar sempre te encontro entre suspiros, não me diga que o velho loiro é o motivo disso? – Frisou as sobrancelhas para mostrar desapontamento. 

— Naruto, é melhor me respeitar, ou te dou uma chinelada, agora me deixa em paz.

— Eita, nem precisa responder, vou sair. – Não querendo entrar no assunto, virou as costas e saiu.

Kushina continuou sem afazeres na cozinha tentando voltar a respiração ao normal.

Naruto percorria a cidade de Tóquio com sua moto. Não tinha um destino certo, só queria pilotar e pensar na vida até decidir um lugar específico, onde pudesse passar o resto do dia sozinho. Depois de varias voltas pela grande cidade iluminada, sabia exatamente aonde ir.

Estacionou a moto de frente da grande torre de Tóquio, porém o foco não seria ali. Caminhou um pouco depois da torre e avistou uma praça, era uma praça pequena, não havia ninguém, tinha apenas três bancos, e a grama tinha um cheiro que trouxe para Naruto uma sensação agravável. Aquela praça fazia parte de sua infância, Jiraiya e Tsunade, sua avó, sempre o levava lá para tomar sorvete, depois que Tsunade veio a falecer, Jiraiya não levou mais o neto. Antigamente haviam mais pessoas que visitava a pequena praça, porém naquele momento não tinha ninguém, tudo que ele queria, um momento sozinho consigo mesmo, deitou em um dos bancos e começou a observar as nuvens.

HINATA tinha acabado de terminar seu livro preferido, a única coisa que fazia ele fugir da realidade, era uma boa leitura, e atualmente fugir um pouco da realidade era o melhor a se fazer.

Ino descia as escadas, e Hinata não entendia por que ela nunca arrumava os cabelos quando levantava, não tinha como não rir da irmã com os cabelos tão alto e bagunçados, era impossível ver seus olhos diante de tanto cabelo.

— Por que esse sorriso bobo, Hina? – Perguntou a loira tentando se ajeitar e se atrapalhando mais.

— Não me culpe Ino, culpe seus cabelos. – Riu ainda mais quando a irmã fez uma careta com a língua para fora.

— Hina, que tal convidarmos a testuda para um dia de compras? Eu preciso renovar meu guarda roupa.

— Acho legal, vou tomar um banho e te encontro aqui. – Correu para o quatro com o intuito de se preparar para sair com Ino.

As compras iam uma maravilha, Ino e Sakura sempre disputando pela mesma roupa, era impressionante a rivalidade das duas por coisas simples. Depois das diversas sacolas serem colocadas no carro, a próxima decisão era tomar um grande milk-shake. A praça do shopping estava lotada, escolheram um lugar afastado da aglomeração de pessoas que se formava no centro.

— E então, vão-me falar como foi o jantar? – Questionou Sakura com curiosidade. 

— Como você é curiosa Sakura. – Ino não perdia tempo quando se tratava de provocar a rosada.

— E você é uma porca chata. – Rebateu a garota com indireta.

— Ino, não fica provocando a Sakura, conta logo. – Hinata se pronunciava achando engraçado a forma das duas.

— O jantar foi bom, nosso brother é super bonito, nesse aspecto se parece comigo, seu nome é Naruto, um pouco impulsivo e temperamental, e no decorrer da semana conversei com ele algumas vezes, resumindo, ele é legal.

— Como você é convencida Ino. – Sakura adorava provocar a amiga.

— Não fala assim testuda, eu imagino que você já tenha conhecido meu irmãozinho.

— Como assim? – Ficou sem entender o que Ino queria dizer.

— Hina já havia conhecido Naruto em uma boate, e a única vez que não sair com ela foi quando estava doente, então você é quem estava com ela no dia, certo Hina? – Olhou em direção a Hinata.

Hinata sentiu o rosto ficar ruborizado, não podia deixar a irmã e amiga perceberem que o sentimento que fluía por Naruto era diferente do que elas esperavam, um sentimento que ela própria não esperava e não sabia identificar.

— Hina, não me lembro de você ter saído do meu lado ou conhecido alguém. – Afirmou a garota de cabelo rosa.

— Ah...lembra daquele garoto que te ensopou de bebida? – Hinata tentou disfarçar o máximo.

— Com certeza lembro, é meio difícil de esquecer, não me diga que é ele?

— Não, lembra de um loiro, alto, que estava com ele? É esse.

— Não, não me lembro, afinal, minha atenção foi toda para o idiota de cabelo preto.

Hinata sentiu o corpo relaxar, não falaria mais nada, de alguma forma não queria que Ino soubesse que Naruto flertou com ela.

— Então quer dizer testuda que sua atenção foi toda para o moreno? – Ino pronunciava as palavras com grande ironia, deixando Sakura sem reação.

— Ino, não vem com suas gracinhas.  

— Acho que tá na hora de irmos? – Hinata interrompeu evitando uma discussão.

— Tem razão Hina, é melhor irmos, Ino tá chata.

— Ei Sak, não fica com raiva de mim, foi só um comentário.

— Seus comentários às vezes incomoda Ino. – Pronunciou Sakura já levantando da cadeira.

— Olha, para mostrar que estou arrependida, que tal irmos nós três a praia? – Comentou Ino ao saltar da cadeira.

— Qual, e quando?

Ino tinha provocado, mas sabia como mudar o humor de Sakura, se tem uma coisa que a rosada adora, é praia.

— Odaiba beach, amanhã testuda.

— Confirmado porca.

Se abraçaram em gargalhadas. Hinata adorava a amizade das duas, em momento discutindo ou competindo, no outro momento se abraçando. 

NARUTO tinha acabado de chegar em casa depois de passar a metade do dia deitado em um banco de uma praça abandonada. Jogou o capacete no sofá e foi até a cozinha procurando algo para comer, sua barriga fazia questão de lembrar que não tinha nada no estomago. Depois de comer dois pedaços de bolo de chocolate, beber todo o suco de laranja da jarra, Naruto decidiu dormir. Ao passar pelo pequeno corredor viu a porta do quarto de Kushina aberta, ela penteava o grande cabelo vermelho em frente ao espelho. A beleza da mãe impressionava Naruto, e para quem não os conheciam podia muito bem dizer que era sua irmã mais velha. Isso fez Naruto perceber que nem sabia se a mãe tinha irmãos, achou o momento apropriado para interrogar essa questão.

— Mãe, você é linda. – Começaria aos poucos, sabia que a questão dos pais de Kushina era delicada.

— Obrigada meu amor, eu prefiro me elogiando do que me chamando de velha.

— Velha, posso te fazer uma pergunta?

— Naruto, você não tem jeito né? Pode.

— Por que não fala comigo sobre meus avós?

— Naruto, você já conhece bastante sobre Jiraiya e Tsunade. 

Viu que a mãe queria fugir do assunto, mas não pretendia dá o braço a torcer e continuaria o interrogatório.

— Sabe muito bem que não falo de Jiraiya e Tesunade, seus pais adotivos, e sim de seus pais biológicos.

Observava cuidadosamente a mãe mudar de uma expressão feliz, para uma expressão fechada e triste.

— Filho, não tenho nada que falar. 

— Nunca me disse onde estão, como, e por que morou com Jiraiya e Tsunade, se tem irmãos, sempre que tento conversar com você sobre isso, me cortava, não acha que já estou grande o bastante para conhecer o passado da minha mãe.

— Tudo bem filho, vou contar. – Comentou a mãe sentando na cama.

— Ok, vou ouvir. – Sentou ao lado da mãe na cama.

— Eu não sei o nome dos meus pais, quando era bebê fui abandonada em um lixo, Jiraiya e Tsunade me encontram e me criaram com filha, a única coisa que tenho deles é o sobrenome. Quando me abandonaram deixaram apenas um bilhete escrito com as palavras “Kushina Uzumaki”.

 Era evidente o olhar de tristeza de Kushina, o que  feriu Naruto profundamente, agora entendia  o porque a mãe nunca falava sobre seus pais.

— Nunca pensou em procura-los? –Questionou a mãe.

— Sim filho, quando fiz quinze anos eu procurei, com o sobrenome ficou mais fácil de achar, e Jiraiya me ajudou.

— E então, encontrou?

— Apenas meu pai. Eu e Jiraiya descobrimos que meu pai sempre ia a um bar, fui ao encontro dele e nem precisei dizer nada, ele me reconheceu, não imagina como eu fiquei feliz por ele ter me reconhecido, porém, a felicidade acabou no momento em que ele abriu a boca.

— Ele tinha bafo? – Brincou Naruto para descontrair.

— Não Naruto. – Kushina deixou o sorriso envolve-la.

Queria fazer a mãe rir um pouco, não aguentava mais ver a expressão de sofrimento dela, e por mais idiota que fosse a brincadeira, funcionou, e a expressão de sofrimento foi substituída por um sorriso.

— Naruto, me deixa terminar. – Afirmou a mãe.

— Desculpa, prossiga.

— Como eu havia dito, ele me reconheceu, mas suas palavras foram cruéis, disse que não queria me ver, minha mãe havia morrido ao me dar a luz, me culpava por ter nascido, e meu lugar era exatamente onde tinha me abandonado.

— Como eu queria dá um soco no desgraçado, como pode falar isso?– A raiva tomava conta de Naruto.

— Então o soco seria do lado direito, por que Jiraiya acertou em cheio o lado esquerdo. – Brincou Kushina.

— Vou agradecer ao velho tarado. 

Kushina sorria com as palavras de Naruto.

— Mãe eu sinto muito, agora entendo por que nunca me contou. – Abraçou a mãe para confortá-la.

— Tudo bem meu menino, agora vai dormir.

Naruto se via sentado em um banco, não fazia a mínima ideia de onde estaria, um banco no meio do nada, estava sozinho, ou pelo menos era o que pensava. Via um vulto se aproximando dele e sua visão ia clareando conforme o vulto se aproximava. Seu coração ia sair pela boca assim que percebeu quem era o misterioso vulto.

— Hinata, o que faz aqui?

A garota se aproximava sem falar uma palavra, e a cada passo que dava, Naruto congelava o corpo e a respiração faltava. Estava tão linda usando um vestido vermelho longo, os cabelos soltos, não tinham como não paralisar com tamanha beleza a sua frente.

Hinata se aproximou ficando cara a cara com Naruto.

— Me beija Naruto.– Suplicava olhando nos olhos do loiro, e antes que pudesse responder ouviu uma musica soar.

Olhava para os lados e não via nada, de repete ao olhar para frente não avistava mais Hinata, e a música continuava.

— HINATA, HINATA. – Essas eram suas palavras.

Naruto despertava do sonho totalmente atormentado, sentou na cama passando a mão pelo cabelo arrepiado, e só depois de se recuperar e notar que tinha sonhado é que percebeu que a música ainda continuava. Notou que o som vinha de sua calça jogada no chão, batendo a mão na testa, e sentindo estupido por não reconhecer o próprio toque de celular, pegou o objeto olhando a chamada e o levando ao ouvido.

— Naruto, te acordei?

— Que nada Gaara, são só 3h da madrugada, como eu poderia tá dormindo a essa hora? – Disse com a voz carregada de ironia e raiva.

— Isso é ironia Naruto?

— Fala logo por que merda me ligou a essa hora?

— Sem estresse amigo. Temari chegou hoje com o noivo Shikamaru.

— Tá de brincadeira Gaara, me ligou só pra dizer isso?

— Foi.

— Gaara, vou te matar.– Nunca teve tanta vontade de matar Gaara como naquele momento.

— Calma, me deixa terminar Naruto. Como eu havia dito, eles chegaram hoje, vão ficar só esse domingo e pretende curtir com os amigos em uma praia.

— Ainda vou te matar Gaara.

— Naruto seu idiota, te liguei para te convidar, Sasuke já concordou.

— Hm, quem mais foi convidado?

— Itachi e sua noiva foram convidadas por Temari, Nina, a noiva de Itachi é amiga de Temari, Lee e Chouji foram convidados por Shikamaru, eu convidei você, Sasuke, Sany, sua pegue-te, e mais duas amigas.

— Que praia? – Questionou Naruto.

— Odaiba beach, agora vou desligar, te encontro lá, às 9h da manhã.

— Certo.

Naruto voltou a deitar na cama, queria descansar, e mesmo que não pudesse admitir, queria sonhar com Hinata de novo.


Notas Finais


Comentem, favoritem. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...