História Temos mais de um mês - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Haikyuu!!
Personagens Koushi Sugawara, Shouyou Hinata, Tobio Kageyama, Tooru Oikawa
Tags Haikyuu, Kagehina, Shounen Ai, Yaoi
Visualizações 32
Palavras 1.007
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, LGBT, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Minha segunda vez escrevendo algo aqui ( a primeira eu apaguei), não pretendo deixar essa história. Espero que gostem.

Capítulo 1 - No meu quarto


Cap. 1

Depois de um dia cansativo, Kageyama Tobio chega na sua casa, tira seus sapatos, e vê que sua mãe está na mesa da sala de jantar com um papel na mão, ela parece estar preocupada com algo, provavelmente com os problemas de família, sua irmã tinha falecido, e a mãe de kageyama estava triste afinal ela amava a sua irmã.

-Mãe, cheguei. – kageyama fala em um tom baixa, mas suficiente para sua mãe escutar.

Na hora do intervalo, do mesmo dia, um amigo do clube em que ele frequentava, manda um link, de um site adulto, mas não um “comum” um gay. Kageyama só foi ver que o seu amigo tinha lhe mandado isso, quando chegou em casa e foi checar seu computador.

Kageyama abre o site, e fica surpreso e confuso, o amigo em questão era Bissexual, e queria zoar ele, só não contava que Kageyama ficou com um rubor na sua cara. Talvez tenha ficado surpreso de mais.

-Ah, Tobio você pode pegar aquela caixa na garagem? – Diz a mãe dele. A caixa era uma, em que tinha muitas fotos antigas, bolsas e roupas, sua mãe não desempacotou desde que chegaram de mudança, o que faz 2 anos e meio.

-Claro. – Diz, Kageyama voltando ao mundo, saindo de seu quarto que estava trancado.

A caixa estava em cima de uma prateleira, com alguns quadros empoeirados e flores de plásticos velhas, e uma mala de viagem que era sua, mas não usava fazia um ano, já que estava cheia de ferramentas que seu pai guardava ali.

Kageyama pegou uma escada que sempre ficava ao lado da prateleira, colocou de forma que alcançasse a prateleira, kageyama subiu nela, e conseguiu alcançar a prateleira.

Um estrondo é possível de ser ouvido, e um grito logo em seguida, a mãe de kageyama foi correr para ver o que tinha acontecido. Era kageyama, com a mala no seu braço, a escada em seu corpo juntamente com as ferramentas. Ele tinha caído, e o braço esquerdo de kageyama estava quebrado.

No médico

-Então, como você já sabe o seu filho quebrou o braço, ele terá que vir aqui depois de 15, e só poderá retirar o gesso depois de 45. Ele ficará bem, só de a ele os remédios que estão na receita. – fala o médico.

Eu realmente não acreditava, eu não ia poder jogar vôlei por mais de um mês, fora as pessoas que iam ficar me olhando, mas não ia ser para sempre.

Nós saímos do hospital e fomos para a casa, foi um pouco desconfortável, afinal eu passei mais de 5 horas naquele lugar.

Quando eu cheguei em casa eu só pensava em uma coisa, dormir. Eu cai na minha cama, com cuidado, e dormi tão rápido, que foi um pouco impressionante. No dia seguinte, Kageyama foi para a escola com a ajuda de sua mãe, que o levou, ninguém sabia do que tinha lhe acontecido, chegou na escola com um frio na barriga, pensando em voltar pra casa, mas saiu do carro, quando sua mãe disse que não poderia buscar ele. Já que ia estar dando aula na faculdade, sua mãe era professora universitária.

“Que ótimo” Kageyama pensou, afinal teria que ir andando para sua casa. Logo na entrada ele vê seu colega de time, Sugawara o vice capitão do time, logo parando e o observando.

-Kageyama, você ‘tá bem? –Diz o Sugawara se aproximando, parecendo um pouco surpreso.

-Sim... e eu acho que vou ter que faltar o treino de hoje.

-Não, tudo bem, eu vou avisar a todos, não se preocupe! – Diz, parecendo um pouco estranho.

Kageyama se despede de Sugawara e vai para a sua sala. O tempo na sala passa rápido, seu intervalo já passou no mesmo ele só comprou um iogurte. E quando ele menos ver, o dia está acabando e a aula também. O sinal toca, Kageyama pega sua mochila, e vai até a porta, em direção a saída, pega seus sapatos, e indo em direção ao portão principal é parado.

Um garoto que o para, segurando sua mochila, é o Hinata outro colega de time. Kageyama fica surpreso afinal era para o seu colega estar no clube, treinando.

-Kageyama eu vou te levar para casa! - Exclama de forma descoordenada, quase caindo.

-Você não deveria estar no treino?

-Sim! Mas eu vou te levar, porque parece meio difícil né? o Sugawara me contou.

-Hum, como vai me levar? – Fala em tom de sarcasmo, não tendo fé no pequeno.

-De bicicleta.

Kageyama não esperava que essa resposta fosse tão sincera.

-Tá – responde, já que não lhe resta muitas opções.

Os dois vão para onde ficam as bicicletas. Hinata pega a sua, e aponta para um suporte de pé que tem na mesma. Kageyama se sente arrependimento, mas espera Hinata sentar na bicicleta e sobe no suporte.

Hinata dá as primeiras pedaladas, mas logo se cansa, então para a bicicleta e olha para Kageyama.

- Acho que não deu certo, haha – Diz com sorriso torto.

-Vamos andando, minha casa não é tão longe, e eu meio que já esperava que isso não fosse dar certo.

Hinata murmura descontente. Os dois andaram até chegarem na casa do Kageyama, Hinata empurrava sua bicicleta, olhando para o chão, Kageyama ficou encarando-o quando solta um suspiro.

-Ei idiota, não fica ‘triste.

-Ah, tudo bem. Sabe eu estou com sede, quando nós chegarmos na sua casa posso beber água? –pergunta Hinata com um certo receio.

-Claro.

Chegando na casa de Kageyama, o mesmo abre a porta, e eles entram.

-Pode ficar à vontade, se quiser pode ir no meu quarto, você já sabe onde é né?

-Tá bom, eu sei onde é.

Hinata entre no quarto de Kageyama, olha tudo em volta, o quarto de Kageyama é arrumado e tem o cheiro dele, além disso ele vê o computador dele ligado, Hinata se aproxima pela curiosidade e o computador que estava ligado em seu modo suspendido, foi ligado, Kageyama não colocou senha no mesmo, então Hinata abriu ele e viu um site adulto gay. 

Continua


Notas Finais


Gostaram desse capitulo? um beijo, e até semana que vem com o segundo capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...