1. Spirit Fanfics >
  2. Tempestades e Calmaria >
  3. Dor Inimaginável

História Tempestades e Calmaria - Capítulo 24



Notas do Autor


Olá pessoas! Mais um capítulo pra vocês, espero que gostem!

Sem mais delongas

Boa Leitura

Capítulo 24 - Dor Inimaginável


Não sei há quanto tempo estávamos ali, mas eu não tinha a menor intenção de sair daquele abraço. É como se todos os problemas sumissem quando eu estou com ele. Depois de um tempo, cedi ao sono e adormeci nos braços de Pedro.

[MARINA OFF]

[BIEL ON]

Vi pela vidraça do quarto Pedro e a garota dormindo abraçados. Essa menina realmente tem algo muito especial, pelo menos pra ele. Um médico se aproximou de mim e disse que só uma pessoa poderia ficar com ele durante a noite, então saí do hospital e fui até um barzinho que tinha perto de casa.
-Marcos! Me vê uma dose de uísque. - Chamei pelo garçom, que já era um conhecido meu.
Marcos-Pra já!

Me sentei de costas pro balcão e acendi um cigarro, não fumo nem bebo muito, apenas quando estou estressado com alguma coisa. Depois de um tempo, Marcos me entregou o copo e eu comecei a bebericar enquanto observava a rua vazia, aquilo me traziam lembranças do passado, lembranças que eu não sei se gostaria de ter.
Marcos-Então, o que houve? Você só vem aqui quando tem problemas.
-Meu irmão tá no hospital. - Disse deixando a ponta do cigarro no cinzeiro ao meu lado.
Marcos-Pedro?! O que houve?
-Se envolveu em uma briga e acabou quebrando os punhos.
Marcos-Ele nunca vai mudar, não é?
-Não sei, mas tem uma garota... Ela parece conseguir acalmar ele. - Expliquei ouvindo meu amigo engolir em seco ao fim da fala.
Marcos-I-Isso é sério?
-Aparentemente, é.
Marcos-Bom, já era hora. Ele não pode viver pra sempre preso às brigas de rua, não é mesmo?
-Ele nunca vai deixar as brigas de rua. Não é como se ele pudesse simplesmente negar o passado e fingir que cresceu como uma criança feliz.
Marcos-Claro, mas você seguiu em frente, não foi? Ele finalmente está fazendo o mesmo.
-Marcos, eu não segui em frente, porque toda vez que eu deito minha cabeça na porra do travesseiro, eu lembro de quando nós três chegávamos em casa com as costelas quebradas e um sorriso no rosto por ter conseguido a grana.
Marcos-Por falar nisso... Você tem notícias dela?
-Não. - Respondi seco, deixando claro que não queria continuar o assunto.
Marcos-Entendo.
-Bom, foi um prazer, mas já é quase de madrugada. Até a próxima. - Disse deixando o cigarro no cinzeiro e o copo no balcão.

Subi na moto e fui pra casa, estava cansado mentalmente, minha cabeça ainda martelava sobre o porquê de Pedro ter espancado os moleques por causa daquela garota. Deitei na cama e logo adormeci.

[BIEL OFF]

Quebra de Tempo (7:00)

[MARINA ON]

Havia acabado de acordar, meu instinto natural mandou que eu me levantasse e fosse para a escola. Mas logo lembrei onde estava e permaneci ali. Senti Pedro se mexer na cama e logo ele acordou.
Pedro-Por que ainda está aqui? Tem aula hoje.
-Não vou sair daqui se você não sair comigo.
Pedro-Isso não é um problema. - Disse e colocou uma perna no chão, mas logo um médico entrou desesperado pedindo para que ele não fizesse isso. - O que há?
Médico-Senhorita, pode vir aqui um minuto?
-Ah... Claro. - Disse e segui o médico.

Ele me levou para uma outra sala onde Pedro não poderia ouvir a conversa, de repente meu coração disparou, pois sabia que com Pedro acamado eu não poderia fazer nada contra seja lá o que tentassem.
Médico-Acalme-se, querida. Só vim te mostrar o resultado dos exames.
-Certo.
Médico-Bom, apesar dele aparentar ter quebrado apenas os punhos, descobrimos algo no mínimo assustador...
-O quê? - Perguntei com a preocupação tomando conta do meu semblante.
Médico-Ao batermos o Raio-X, vimos que cada um de seus ossos tem no mínimo, uma pequena fratura. Resumindo, todo o corpo dele está quebrado...
-M-Mas como assim? Ele faz todas as atividades rotineiras normalmente!
Médico-Na verdade, eu não diria fratura. É como se uma pequena parte de cada um de seus ossos estivesse esfarelada.
-Mas... Como... Como ele vive desse jeito? - Não entendia, é impossível alguém viver com os ossos esfarelados, ele deve sentir uma dor inimaginável...
Médico-Aparentemente ele é uma pessoa muito resistente a dor. Pelo tipo de cicatriz em seus ossos, ele tem esse problema há pelo menos cinco anos, mas ele não tem nenhum registro médico desde os seus 8 anos.

Não sabia o que dizer, estava incrédula, levei as mãos à boca e de repente caí de joelhos, começando a chorar compulsivamente.
Médico-Senhorita, por favor, levante-se. - Pediu tocando meu ombro, me levantei lentamente e ele me guiou até o banheiro. Lavei o rosto e voltei ao quarto depois de ser instruída a não contar a ele.
Pedro-O que houve?
-Nada, ele só me mostrou o relatório dos exames...
Pedro-Princesa, eu sei que esteve chorando. O que houve?
-Não é nada, sério.
Pedro-Tem certeza que não quer me contar? - Perguntou e eu soltei um ar que eu nem sabia que estava prendendo.
-Você sabia?
Pedro-Sabia do quê?
-Que todos os seus ossos estão esfarelando?
Pedro-Sabia.
-O-o quê?!
Pedro-Ora, Princesa, isso é óbvio, até cicatriz de faca eu tenho, ossos quebrados é algo comum.
-Não, Pedro, não é! Quebrar ossos é algo comum! Seus ossos estão esfarelando! - Ele me puxou para a cama e me abraçou, então desabei novamente.
Pedro-Fique calma, eu estou bem. E vou ficar bem.
-Pedro... E o que acontece quando seus ossos simplesmente virarem pó dentro do seu corpo?
Pedro-Princesa... Eu só vou partir quando não tiver mais nenhuma ameaça a você no mundo. - Sorriu inocentemente como se fosse algo óbvio.
-E sua vida não importa?
Pedro-Minha vida? - Soltou um riso nasalado. - Minha vida já está ganha.
-O quê? Mas você nem completou o Ensino Médio.
Pedro-Uma vez meu pai me disse que no momento que eu estivesse disposto a dar minha vida por algo, eu encontraria a verdadeira vitória.
-E esse "algo" é seu irmão, certo?
Pedro-Princesa, sua ingenuidade chega a ser engraçada. Claro que não, meu irmão é muito importante pra mim, mas nem se eu quisesse ele permitira que eu desse minha vida em troca da dele. É você.
-E o que te faz pensar que eu permitiria você dar a sua vida por mim?
Pedro-Porque meu irmão cresceu comigo em brigas de rua, ele briga tão bem quanto eu, já você... Bom, você é a garota que eu amo, não tem opção.
-O-O que disse?! - Perguntei enquanto corava abruptamente.
Pedro-Isso mesmo. - Disse e depositou um beijo em minha testa, logo o senti adormecer.


Notas Finais


Então é isso, espero que tenham gostado do capítulo e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...