História Time to Time - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Candice Accola, Ian Somerhalder, Joseph Morgan, Nina Dobrev, The Vampire Diaries
Personagens Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Klaus Mikaelson
Tags Delena Klaroline
Visualizações 78
Palavras 766
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


outro capítulo?
dois dias seguidos com capítulo? essa sou eu mesma? kkk
espero que gostem amores, e amanhã tem mais.

LEIAM AS NOTAS FINAIS

Capítulo 26 - "the game just started"


Fanfic / Fanfiction Time to Time - Capítulo 26 - "the game just started"

Elena

Damon e e u estávamos quase lá quando a campainha tocou. Esperávamos que Klaus fosse atender, mas continuou tocando e tocando até nós dois perdermos totalmente o clima e nos vestirmos e descermos para abrir a porta. Quando chegamos na sala, Klaus e Caroline haviam acabado de chegar também.

- Vocês são os Salvatore-Mikaelson? - perguntou um homem engravatado com uma maleta na mão.

Klaus afirmou o convidou para entrar. Aquele só poderia ser o advogado que iria nos esclarecer tudo. Talvez, depois daquilo, nossas vidas fossem mudar pra sempre. 

- Então... o que era tão importante para o nosso pai? - perguntou Damon sem conseguir esperar. 

O cara riu e tirou um papel gigante da maleta negra que carregava.

- Primeiro, quero que me mostrem as cartas que ele as deixou para vocês. Já abriram-nas? 

Negamos. Estava send difícil conviver com o fato das cartas. 

Klaus não havia gostado do homem, isso era perceptível pela forma como o encarva.

- Por que daríamos as cartas a você? - questionou ele. Caroline pisou em seu pé, mas ele não sentiu nada e continuou firme com a pergunta. O advogado pareceu surpreso e ofendido. 

- Por que eu as pediria se não soubesse que elas existiriam? - ele suspirou. - Sr. Salvatore- Mikaelson, trabalho para o seu há mais de quinze anos, e quando Esther Salvatore-Mikaelson foi assassinada...

- Minha mãe foi assassinada? - perguntou Damon. Ele se levantou e nos encarou. Caroline e eu nos entreolhamos e engolimos em seco.

- Nossa mãe.. - começou Klaus. - É isso que diz as cartas? - ele mudou seu tom de voz assustado para bravo em instantes.

O advogado nos encarou e nos o encaramos expressando uma cara do tipo: não acredito que você fez merda!

Ele fez uma série de perguntas, mas os meninos mal conseguiam responder devido ao baque da descoberta. O idiota havia percebido que não estávamos bem, e nos deu dez minutos de pura calma para tentarmos digerir a situação melhor. 

- Elena! - me puxou Caroline. - Que diabos acabou de acontecer? - questionou ela.

- Eu não sei. E porque seu pescoço está marcado desse jeito? - perguntei e ela passou as mãos pelo seu pescoço, escondendo-o em seguida. 

- Não lhe devo satisfações como você mesma diz. - esbravejou.

- E por que veio falar comigo? - cruzei meus braços. 

- Porque isso não nos envolve. Bom, mais ou menos. Não é uma situação privada minha e sua, envolve os meninos e nós sabíamos de tudo. Elena, se você não se sente mal, pode-se considerar um monstro. - colocou as mãos na cintura. 

Revirei os olhos.

- Olha aqui idiota, - sussurrei - não sou um monstro, ok? Eu estou péssima com isso e estou no dilema se devemos contar ou não. Vai que a bomba saia por oura pessoa e dessa vez eles fiquem abalados conosco? - falei mais baixo ainda.

Caroline

O advogado havia dado um tempo para processarmos melhor a ideia do assassinato da mãe deles. Eu havia conversado com Elena sobre o fato de nós duas sabermos e não termos contado. 

Enquanto todos estavam na cozinha, voltei a sala para falar com o advogado. Ele estranhou minha presença lá e franziu o cenho.

- Como... Esther foi assassinada? - perguntei. 

- Não devo satisfações a quem não é da família. - falou ele, em seguida Klaus chegou atrás de mim.

- Acho que você não vê um pai, uma mãe, uma coisa feliz nessa residência né? - perguntou ele para o advogado. - Você não deveria dizer isso. Ela é minha namorada, e minha melhor amiga. - eu o encarei.

Minha namorada.

Minha melhor amiga.

Acho que aquilo deveria me fazer feliz, mas fiquei triste. Eu era uma mentirosa.

O advogado suspirou e por fim abriu a boca. 

- Seu pai, me deu ordens, querido. Eu irei cumpri-las, ou seja, tudo tem o seu tempo. Estava tudo nos planos dele, então... minha função é instruir vocês para um futuro melhor. então, e escutem. Eu irei embora, e vocês abriram as cartas hoje e uma por uma. Se não perceberam, há numeros nas cartas e vocês o faram por ordem. As cartas 1 e 2 são de Niklaus, que por acaso é o mais velho. 3 e 4, são de Damon. Após a leitura de cada carta, necessito que vocês me liguem, para o próximo passo. 

- O que isso significa? - perguntou Damon.

Nessa altura, estavam todos na sala.

- O jogo dos Salvatore-Mikaleson acabou de começar. - falou ele com uma cara não muito boa. 

 


Notas Finais


GENTE FINALMENTE CONSEGUI UMA SEQUENCIA DE POSTAGENS DESSA FANFIC!
VAI SER O SEGUINTE, SEXTAS, SÁBADOS E DOMINGOS TEREMOS CAPÍTULOS
TRÊS DIAS SEGUIDOS DE CAPÍTULO!
BOM, A FANFIC É MUITO GRANDE E EU QUERO ELA LONGA COM CAPÍTULOS PEQUENOS, OU SEJA, ESSA VAI SER A FREQÊNCIA
ESPERO QUE GOSTEM!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...