1. Spirit Fanfics >
  2. Tempo de amar >
  3. A batalha do esclarecimento

História Tempo de amar - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoas lindas!! Mais um capítulo em mãos!!
Espero que gostem!!
Boa leitura!!


Naturo pertence à Masashi Kishimoto.

Capítulo 17 - A batalha do esclarecimento


~ Kakashi

Faziam horas que estávamos lá, eu estava com as costas encostadas da parede, na diagonal do sofá, as mãos no bolso da calça e a cabeça baixa, direcionada aos pés. Tsunade estava sentada na ponta do estofado, com os joelhos flexionados e seus cotovelos apoiados nos mesmos, entrelaçando os dedos das mãos, as quais serviam de apoio para seu rosto. Seu olhar era direcionado ao Uchiha que sentava na poltrona, perpendicular ao sofá e à mim. Sasuke estava descansando o tronco no encosto do assento, olhava para a parede e seu semblante estava sério, bem como o meu e de Tsuna.

- É um prazer recebê-los aqui na casa da minha família. Preciso realizar umas reformas, ainda. A que devo essa visita "inesperada"? - falou com ironia, a última palavra.

- É muita ousadia sua, falar desse modo, Uchiha - pronunciou a Senju, em um tom de poucos amigos - sabe o porque de nossa aparição. Temos pouco tempo até Sakura chegar, aliás, já era para ter chegado há tempos. Pode começar falando os porquês de ter vindo até aqui.

- Ah claro. Ela está chegando e vocês sabiam, então? - olhou-me de canto.

- O assunto não é esse. Por favor, foco.

- Hai. Eu vim fazer o que a tempos deveria ter feito. Restaurar meu clã - falou simples e tranquilo. Eu, que até agora não me pronunciara e nem queria fazê-lo, vacilei e pigarrei, mas permaneci encostado e quieto - mais alguma dúvida? Por que eu tenho umas - olhou-me novamente.

- Sim. Você havia dado 6 meses à Sakura, certo? Por que veio antes? - Tsunade manteve o domínio da conversa.

- Deu vontade - foi visível, a contração de cada músculo do corpo da Hokage.

- Uchiha, eu já te localizei diante de nossa situação, não quero refazer meu feito. Por que agora? E por que não se reportou a mim quando veio à Vila, há dois meses, ou quando chegou, há dois dias?

- Primeiro, tenho que resolveu minha situação com Sakura, depois com vocês.

- Não conseguiremos te ajudar, se você não tem a menor vontade - Tsunade já estava perdendo a paciência.

- Isso é fácil. É POR QUE EU NÃO PRECISO DA INTROMISSÃO DE VOCÊS NA MINHA VIDA - levantou-se bruscamente e girou seus calcanhares, ficando de frente para nós e exibindo, tanto seu sharingan, quanto seu rinnegan.

Como um reflexo, pulei para a frente do sofá ficando ao lado da Godaime, que já estava em pé e, pela primeira vez, proferi algo:

- Uchiha Sasuke. Você não está em posição de tomar as rédeas de suas ações. Está com algum tipo de transtorno psicológico e se deixar-se levar, ganhará mais do que machucados. Disponha-se, apropriadamente, diante à Hokage, se não, terá problemas - olhei-o friamente com os dois olhos (aos poucos, eu tirava a faixa do olho esquerdo para me acostumar novamente com os dois focos de visões).

- Oh. Hatake-sensei, não o tinha visto. Quer participar de nossa conversa? - sorriu debochado - sei com quem estou lidando. Vocês não aguentariam segundos de batalha comigo. Saiam da minha casa, a conversa acabou.

Não nos mexemos. Ficamos alguns minutos em posição de batalha, apenas esperando quem avançasse primeiro. Claro que esperaríamos uma ação vinda de Sasuke, já que se isso acontecesse, poderíamos prendê-lo e forçá-lo à um tratamento psiquiátrico. Todavia, ele não se mexeu. Então, voltei a falar.

- O que você, realmente, quer dela Sasuke? Não a merece! Não a tratou como deveria. E continua não tratando. Ela, assim como qualquer outra mulher, merece respeito. É o mínimo! Não precisa amá-la, mas não tem o porque de machucá-la. Ainda mais, agora, que ela está livre de você.

- Sensei... já foi profissional... não sabe mais atuar sem se perder em sentimentos? Só porque está apaixonado por ela, ou, até, tendo um caso com sua ex-aluna, colocará sua vida em jogo? - riu mais uma vez. Sim, o ódio estava consumindo ele, novamente - ela me deve um filho, Hatake. E é isso que pegarei dela.

- Você não pegará nada de ninguém! Se tocar suas mãos nela, novamente, eu acabo com você!

- NANI? - Tsunade interrompeu, mas Sasuke a ignorou e continuou me respondendo.

- Aah. Então sua cadelinha contou tudo mesmo? Que engraçado, ela não parecia saber falar comigo... terei que ir mais fundo na próxima?

- SE VOCÊ FIZER QUALQUER COISA COM ELA, CONSIDERE-SE UM HOMEM MORTO! - a Hokage gritou furiosamente.

- Não a chame desse modo Uchiha. E não terá próxima vez, nem que eu precise te enterrar para isso - ele nos olhou com deboche e iria iniciar outra crise histérica de riso, mas eu o cortei - Sasuke, sabemos que esse não é você. Apenas aceite um tratamento psicológico, é um pedido que fazemos.

- Acham mesmo que eu preciso disso? Estão me chamando de louco? VOCÊS REALME... - fomos cortados por três ANBU's.

 

- Godaime-Hokage e Hatake Kakashi, Sakura foi vista em batalha, a 7km da Vila. Dois ninjas patifes, mas bons de luta. Tem três ANBU's lá, mas não estamos dando conta. Precisamos de reforços.

O semblante de Sasuke mudou drasticamente, atingiu um ápice de tristeza que nunca o vi transparecer. Aquele o Sasuke de verdade. Ele estava preocupado. O que está acontecendo com esse moleque? Sem ouvir nada, invoquei Pakkun e desatei a correr com ele ao meu lado.

- Sakura?

- Sim. Apenas ache-a.

- Sim Kakashi. Tranquilize-se, ela não está longe - Pakkun era esperto, percebeu minha pressa e por isso não discutiu, em relação a minha fala curta.

Logo que sai do distrito Uchiha, senti seu chakra nos acompanhar, mas não falei nada. Apenas queria ir atrás da minha rosada.
 

~ Sakura
 

Eu estava batalhando há uns 20 minutos, quando quatro ANBU's me avistaram, três deles ficaram comigo, para auxiliar na luta, enquanto o outro foi notificar Tsunade. Era de se esperar que as coisas se descomplicassem, mas não foi o que aconteceu. Emi executava diversos jutsus e, se não fosse tão absurda a ideia, eu acreditaria que era filha de Orochimaru. Mais 10 minutos de batalha e já tinha um ANBU no chão, foi nocauteado por um golpe de taijutsu feito por Kento. Puxei duas Kunais e as envolvi com papéis-bomba, lancei cada uma na direção de um deles, foi suficiente para fazê-los recuar e nos escondermos.

Kento possuía um bom faro e rapidamente localizou um dos meus aliados, travaram uma intensa batalha que resultou no sucesso do detentor de cabelos verdes. Ou seja, erámos dois contra dois. Emi apareceu em minha frente no mesmo momento em que seu parceiro encontrou o meu, iniciou-se, então, uma batalha dupla e aquilo parecia não ter fim. No meu caso, eu possuía a vantagem de regeneração celular, assim, pouco importava os ferimentos que Emi fazia, visto que eu cicatrizava-os em questão de segundos. Não sei a quanto tempo estávamos naquela, mas meu cansaço começou a se fazer presente, quando meu último companheiro caiu ao chão.

Voltamos no 2 vs 1 e dessa vez, a serventia deles ganhou corpo, até porque, eu já não aguentaria nem mais 10 minutos de batalha. Acumulei chakra na mão direita, cerrei meu punho e levei-o de encontro ao chão de terra e grama. Rachei o solo profundamente, prendendo Emi em uma das valas, porém Kento pulou, escapando do mesmo fim. Queria que tivesse sido ao contrário, mas eu não estava em posição de reclamar, afinal, voltou para o 1 vs 1. Kento partiu para o taijutsu e trocamos grandes sequências de golpes, até ele acertar um que me fez cair longe.

Aproveitei o momento de distração, escondi-me novamente e o esperei vir me procurar. Quando o fez, sai em direção oposta, indo até Emi para finalizá-la. Saquei minha Kunais e direcionei ao seu pescoço, esse momento passou lentamente: a lâmina atravessou parte de seu pescoço, levando-a à óbito, instantaneamente, ao mesmo tempo, em que ouvi o grito de Kento atrás de mim.

- NÃAAAAO!!! VOCÊ A MATOU! ESTÁ FODIDA NA MINHA MÃO! ISSO É POR VOCÊ EMI, MEU AMOR!

Lançou 5 shurikens e avançou em minha direção. Desviei das cinco, porém, na última, torci o tornozelo em uma das rachaduras do chão, caí logo em seguida o vendo se aproximar.

- Ora, ora - iniciou, sorrindo - eu só queria te matar sabe? Mas agora eu quero te ver sofrer. Pagar pelo o que fez.

- Por que você quer isso? Não era um sonho dela? Agora está livre.

- Eu a amava. Fazia e farei tudo por ela. Inclusive te torturar.

- Eu sei o que é dar a vida a um amor, mas ela já fez isso por você? Alguma vez? Você sempre fez o que ela pediu, o que ela sonhou. E o seu sonho? Ela sabia qual era seu sonho?

- COMO OUSA FALAR DELA DEPOIS DE MATÁ-LA? EU A AMEI. EU NUNCA TIVE SONHOS! MEU SONHO ERA VÊ-LA FELIZ.

- Não! Não era. Você apenas acha que era! Isso é o que pensamos quando ficamos cegos de amor. Ela já falou que te ama? Sabe seu prato preferido?

- CALE A BOCA, SUA VADIA!

- Se você, definitivamente, me matar, apenas viva livre depois disso. Assim que se perdoar e se deixar ser livre, verá como o mundo, realmente, é e o que VOCÊ, realmente, é.

- EU FALEI - um soco - PARA VOCÊ - dois socos - CALAR A BOCA - me preparei para receber o terceiro soco, que não veio. Eles chegaram.
 

~ Sasuke
 

Sakura? Em apuros? Como eu fui tão idiota? Olhei em volta da casa e vi Tsunade e Kakashi suando frio, provavelmente de preocupação com a rosada. Eu deveria estar, também, o que está acontecendo comigo? Quando estou sozinho, me preocupo com ela e penso em como vê-la feliz. Mas na frente do outros, quero apenas matar todo mundo e ter um filho com ela. O QUE ESTÁ ACONTECENDO? Quando voltei em mim, vi Kakashi saindo pela janela, seguindo Pakkun, fui atrás. Meu dever é ajudá-los, afinal, erámos um time, não é? Quando eu estava saindo ouvi Tsunade ao fundo:

- Eles se amam Sasuke e eu sei que você a ama como uma irmã. Preze pela felicidade dela.

Aquilo foi um tiro no peito. É por isso que estou assim? Sempre que perco alguém, eu ajo dessa forma. Ela me amava e eu fui rude. Não que eu a ame agora, mas perdi o amor dela. Não estou conseguindo aceitar isso? É isso? Tsunade tem razão, eu a amo como irmã, quero vê-la feliz. Sou capaz disso?

Corri para alcança-lo, o que não demorou muito.

- Pakkun, me fale onde ela está e eu nos levo pelo kamui - Kakashi parou no mesmo momento, sendo copiado pelo seu cachorro. Olhou-me analisando minhas ações e posturas, afirmou com a cabeça e direcionou o olhar à miniatura de pug.

- Ouviu, Pakkun. Precisamos chegar lá urgente - assim, o cachorro falou de onde ele sentia o faro dela e eu finalizei o trabalho.

Chegamos em uma parte da floresta, mais ou menos a 7km de Konoha e com uma enorme cratera no chão.

- Acho que está por aqui, mesmo. Muito bem Pakkun, obrigado - Kakashi se despede e o cachorro some na nuvem de fumaça. Ele me olha, novamente, minuciosamente, respira fundo - obrigado, Sasuke. Agora, vamos, não podemos perder tempo.

Vimos o corpo de uma mulher loira com um corte curto, mas profundo, presa entre uma das fendas abertas, provavelmente, por Sakura. Nos arredores vimos corpos de três ANBU’s, muitas árvores derrubadas, kunais e shurikens cravadas em troncos, pedras e no solo. Mas, então, ouvimos uma voz. Era uma voz masculina. Seguimos o som e chegamos, às escondidas, próximo ao dois que debatiam. Sakura estava caída ao chão, o homem, de cabelos verdes, estava indo vagarosamente em sua direção.

- ... mas agora quero te ver sofrer, pagar pelo que fez.

- Por que você quer isso? Não era um sonho dela? Agora você está livre.

- Eu a amava. Fazia e farei tudo por ela. Inclusive te torturar - NEM FERRANDO QUE VOCÊ FARÁ ISSO. Quando iniciei meu movimento para atacá-lo, Kakashi me segurou e sussurrou: "ainda não, ele ainda pode acertá-la, espere o momento certo".

- Eu sei o que é dar a vida a um amor, mas ela já fez isso por você? - um tapa na cara - Alguma vez? Você sempre fez o que ela pediu, o que ela sonhou. E o seu sonho? Ela sabia qual era seu sonho? - dois tapas.

- COMO OUSA FALAR DELA DEPOIS DE MATÁ-LA? EU A AMEI. EU NUNCA TIVE SONHOS! MEU SONHO ERA VÊ-LA FELIZ.

- Não! Não era - Sakura... - você apenas acha que era! Isso é o que pensamos quando ficamos cegos de amor. Ela já falou que te ama? Sabe seu prato preferido? - eu não sei seu prato preferido... o que te fiz passar Saky? Espero que um dia me perdoe. Acho que entendo como as coisas devem ser.

- CALE A BOCA, SUA VADIA! - Kakashi me soltou bruscamente e, num lépido movimento levantou-se. Puxei-o abruptamente e calei-o, tapando a sua boca com minha mão: "se acalme, eu sei o que está sentindo. Vamos esperar a hora certa".

- Se você, definitivamente, me matar, apenas viva livre depois disso. Assim que se perdoar e se deixar ser livre, verá como o mundo, realmente, é e o que VOCÊ, realmente, é.

- EU FALEI - ele socou ela. Era agora. Olhei para Kakashi - PARA VOCÊ - "AGORA" - CALAR A BOCA.

Kakashi correu até o desgraçado, enquanto eu corri até Sakura, para tirá-la da frente dele. Kakashi entrou na frente dela e recebeu o soco, logo após, passou à socá-lo, sem dó e nem piedade. Ele entrou na frente dela. Trocou a vida dele pela dela. Ele realmente a ama. Ela não tirou os olhos dele, a preocupação estava estampada em seu rosto.

- Ele é ligeiro, Sasuke. Mais do que imagina. Eles tem raízes de Orochimaru. Ajude Kakashi e, por favor, não morram - não morram, nem eu, nem ele. Ela ainda se preocupa. O que eu fiz com você, Sakura?

- Hai - encostei-a em um tronco e olhei-a por cima dos ombros - me desculpe, Sakura.

- Não se preocupe. Vá e voltem. Estou esperando pelos dois.


Notas Finais


E ai, meus lindos? O que estão achando??
Espero que estejam gostando!!
O próximo capítulo sairá essa semana, ainda.
Beijinhoos!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...