História Tempo escolar atribulado - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Grandine, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Minerva Orland, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Zeref
Tags Nalu, Romance
Visualizações 5
Palavras 1.600
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Capítulo 13


P.O.V Luna

 

-Luna, Luna acorde! Vamos chegar atrasados.- ouvi eu.

Ainda estava meia a dormir quando ouvi a Wendy a tentar acordar-me desesperadamente.

-Luna, já são 11 da manhã. Estamos a ficar atrasados.- disse ela.

-Wendy, não te preocupes. Deixei tudo pronto ontem à noite quando acordei.- disse eu levantando-me.

A Wendy ficou muito admirada com o que eu disse, mas depois de se acalmar disse:

-Tudo bem então. Nee, Luna gostas do meu vestido?

Ela tinha um vestido verde em xadrez, uns sapatos azuis e o cabelo solto.

-Estas muito bonita Wendy.- disse eu.- Mas agora vai acordar o Natsu, pois para além de me vestir temos que ir buscar o Romeo e a Lucy.

-Ok.- disse ela saindo do quarto.

Levantei-me e fui ao armário. Peguei numas calças cinzas, numa camisola num cinza quase preto, num casaco também cinza e numas sapatilhas praticadas.

Fui tomar um banho, pois sabia que quando o Natsu finalmente acorda-se, demoraria muito tempo a ficar pronto.

Depois de um bom banho tomado, roupa vestida e cabelo seco e penteado, dirigi-me para a sala. Lá só estava a Wendy com o Happy e a Charle.

-Wendy veste o teu casaco azul, pois pode ficar frio entretanto.- disse eu.

-Ok Luna.- disse ela pousando os gatos no sofá e foi buscar o seu casaco.

Logo depois sentamo-nos no sofá à espera do Natsu.

Uns minutos depois, ele apareceu. Ele vestia umas calças de ganga, uma camisola de manga curta vermelha escura, um casaco preto e umas sapatilhas azuis corvo.

-Vamos então?- perguntei eu.

-Vamos!- afirmaram os dois ao mesmo tempo.

Eles dirigiram-se para o carro, enquanto eu ia buscar as chaves e as coisas que faltavam para o piquenique.

Quando peguei nas chaves, vi uma pulseira com duas asas nela. Era a pulseira que o Zeref me dera pouco depois de começarmos a namora. Eu já não a usava há muito tempo, pois não cria lembrar-me do passado, mas já era altura de enfrentar a realidade.

Peguei na pulseira e coloquei-a no pulso, mesmo que isso significa-se lembrar-me dele.

Depois dirigi-me para o carro com as coisas, que foram imediatamente arrumadas no porta bagagem do carro. Quando entrei no carro, o Natsu reparou na pulseira, mas ao reparar que eu tinha um olhar indiferente, acabou por não dizer nada.

--------Quebra tempo--------

Ao chegarmos ao parque, o Romeo e a Wendy saíram do carro a correr e iam em direcção do parque, quando eu gritei:

-ROMEO! WENDY! ENCONTREM UM LUGAR PARA A GENTE FICAR.

-OK LUNA.- gritou a Wendy desaparecendo com o Romeo.

-Por que é que são eles a procurarem?- perguntou o Natsu fazendo bico.

-Porque eu preciso da tu ajuda. Lucy podes ajudar também?-disse eu.

-Claro Luna.- disse ela.

-Eu não vou ajudar.- disse o Natsu ainda chateado.

-Então não almoças.- disse eu.

-Que queres que leve?- perguntou ele em sinal de rendição.

Eu sorri e entregue-lhe a geladeira, a Lucy pegou nos sacos onde estavam a toalha, os talheres e os pratos de plástico e finalmente eu peguei no cesto onde estava a comida.

Dirigimo-nos para o interior do parque. Eu ia um pouco mais à frente, para deixar o Natsu e a Lucy falarem mais à vontade.

Andamos até chegarmos ao centro do parque onde tinha a cerejeira mais alta, antiga e bela de toda Magnólia.

A Wendy e o Romeo já estavam á nossa espera. Enquanto nós os mais velhos tratávamos de tudo, os mais novos estavam a competir em quem conseguia encontrar mais Sakura inteiras caídas no chão.

Quando já estava tudo pronto a Wendy e o Romeo vieram ter com a gente. Mas quando o Romeo chegou perto do Natsu, foi só uma questão de tempo para que os dois fossem correr pelo parque, já que estes praticamente se consideravam irmãos e o facto de que o Natsu era praticamente uma criança, ajudava na diversificação.

Nós, as meninas, ficamos a ver os dois a correrem feitos loucos até que o resto do pessoal chegou. Os primeiros foram o Gageel, a Levy e a Ayame. Pouco depois chegaram a Erza, o Jellar, o Gray e a Juvia.

Quando já estamos juntos eu disse:

-Vamos almoçar?

-Aye!!!!!!!- disseram todos ao mesmo tempo.

Coloquei alguns petiscos na toalha e servi os sumos. Enquanto nós deliciávamos, contamos as novidades em relação à Lucy o que causou um grande festim no grupo.

Quando se acalmaram eu disse:

-Bem, o que vos parece de arrumarmos está bagunça e irmos dar uma volta!

-Boa ideia. Mas onde estão a Wendy e o Romeo?- perguntou a Erza.

Nesse momento todos nós nos apresentamos da ausência deles. Nesse momento ouvimos um grito feminino. Era a voz da Wendy e vinha da velha cerejeira.

Nós corremos de imediato para lá e logo vimos a Wendy apoiada no Romeo com a perna direita levantada.

Eu vou na direcção dela e digo preocupada:

-Por favor, diz-me que não tentaste subir ao topo da cerejeira com o Romeo.

-Não, desta vez estava a tentar chegar ao gato preto que está preso na árvore!- disse ela apontando para um dos ramos.

-Mas é o Lily. Então era aqui que ele estava.- disse o Gageel.

-Então o gato é teu?- perguntou a Erza.

-Sim, ele tinha desaparecido á dois dias.- respondeu o mesmo.

-Ele não vem para baixo, pelo menos enquanto estiver com a cauda presa no ramo.- disse a Wendy.

-Natsu, Ayame preciso de um impulso.- disse eu para eles com um pequeno sorriso maroto nos lábios.

Os dois, ao entenderem o meu objectivo, aproximaram-se da cerejeira e fizeram uma espécie de escadinha com as mãos. Eu afastei-me um pouco, para logo correr na direcção deles e saltar. Quando o meu pé direito tocou nas mãos dos dois, o Natsu e a Ayame fizeram força para me impulsionar para cima, fazendo com que eu conseguisse chegar a um ramo que estava perto do ramo do Lily.

-Sugoi! À quanto tempo ela faz isto?- perguntou o Gageel.

-Não sei! À muito.- disse o Natsu.

-Ei, Rox despacha-te.- disse o Gageel.

-Calma, não me apresses cabeça de lata.- disse eu sentando-me no ramo onde o pequeno gato estava.

-Quando ela descer, vou dar cabo dela!- afirmou ele um pouco irritado.

-Não te aconselho!- disse o Natsu num lapso de inteligência.

Nesse momento ele lembrou-se das lutas entre mim e a Ayame.

-Talvez tenhas razão. É melhor pensar duas vezes.- disse o moreno cruzando os braços.

Eles logo começaram a rir-se e quando se acalmaram eu disse:

-Agora que terminaram, que tal uma ajudinha?!

-De que precisas?- perguntou a Erza.

-Podem me passar uma garrafa de água? Está no cesto.- disse eu.

A Erza foi logo buscar a água, mas antes que ela volta-se a Levy perguntou:

-O que vais fazer com a água?

-A cauda do Lili está com algo pegajoso e isso faz com que ele não consiga descer. Vou tentar limpara a cauda com a água.- disse eu.

-Luna! Aqui tens a água.- disse a Erza.

-Ok! Manda!- disse eu.

Ela atirou a garrafa de forma a passar pelos ramos e chegar as minhas mãos um pouco amolgada.

-Arygato, Erza.- disse eu.

-Luna, o Lili não se dá muito bem com a água.- disse o Gageel.

-Já está.- disse eu colocando o Lili na minha cabeça.

-Foi rápido.- disse o Jellar.

-Natsu, apanha a água.- disse eu lançado a garrafa.

Ele apanhou-a e depois eu comecei a descer. Ao chegar ao último ramo, deixei-me cair e logo estava no chão. Logo dirigi-me para o Gageel, entregando-lhe o Lili. Pela primeira vez, vi o Gageel a derramar lágrimas.

Estava feliz por ele, mas ao olhar para a Wendy, vi que ela estava a chorar, mas de tristeza. Eu e o resto do pessoal fomos ter com ele e logo eu perguntei:

-Que se passa?

-Eu não faço nada bem. Nunca consigo fazer nada como deve de ser!- disse ela chorando ainda mais.

Eu sorri para ela. Peguei nela e sentei-a no meu colo. Peguei no meu celular e coloquei a banda sonora da música Ochinai Sora e comecei cantar.

Conforme eu ia cantando, a Wendy ia se acalmando e o resto da malta rodeou-me. Quando terminei recebi uma salva de palmas.

-Não sabia que cantavas tão bem!- disse a Levy.

-Bem, desces ser o exemplo de rapariga perfeita.- disse Gray.

-Juvia, encontrou uma nova rival do amor.- disse a azulada.

-Vá Juvia não te preocupes. É verdade que tenho muitos talentos, mas também tenho muitos defeitos.- disse eu.

-Bem, o que acham de irmos dar uma volta?- perguntou o Jellar.

-Aye!- disseram todos.

-Vão andando. Eu vou arrumar as coisas. Ayame, toma conta dos dois mais novos, pode ser?- disse eu.

-Ok, mas não demores.- disse ela.

-Aye!- disse eu dirigindo-me á zona de piquenique, enquanto eles se afastavam.

Coloquei todo o lixo num caixote, fazendo com que o peso da carga fosse menor. Depois levei tudo para o carro. Quando voltei para o parque pensei:

-“Acho que descansar um pouco antes de ir ter com o resto do pessoal não seria mal pensado.”

Então decidi deitar-me numa parte da relva e relaxar um pouco, no entanto tudo vai por água a baixo, quando ouvi uma voz que esperava nunca mais ter que ouvir.

-Ainda continuas com uma voz melodiosa.

-Que fazes aqui?- perguntei eu levantando-me e virando-me para o rapaz que estava atrás de mim.- Zeref?

-É assim que tratas o teu ex-namorado?- perguntou ele com um pequeno sorriso.

-Se eu bem me lembro, disse para tu nunca apareceres à minha frente enquanto não mudares de vida.- disse eu com um olhar gélido.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...