1. Spirit Fanfics >
  2. Tension Sexuelle >
  3. Jumpin', Jumpin'

História Tension Sexuelle - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Tinha esquecido de postar, rsrsss

Amo o meu crack que já está noivo e têm um filho 👀

Capítulo 1 - Jumpin', Jumpin'


Xue provavelmente ia ser arrasado por Mingjue na luta de treinamento, ele já podia imaginar o sorriso orgulhoso do outro e isso deixava o seu sangue fervendo de raiva, porque era orgulhoso demais e odiava perder, odiava ainda mais perder contra aquele homem velho. Iria ser humilhante demais para si.


Suspirou fundo enquanto caminhava em direção a grande sala de treinos onde Mingjue o esperava, estava nervoso e suor que teimava em aparecer, mostrava isso.


Pelo o caminho, encontrou Wuxian, que o parou para trocar algumas palavras.


— Está indo encontrar Mingjue, não é? — ele questionou, dando um sorriso logo de seguida.


— Sim... — respondeu, olhando a grande porta que não estava muito longe de ambos. — Luta de treinamento.


— Nervoso?


— Tsc, eu? — tentou disfarçar, usando ironia. 


— Se estiver perdendo feio, use a tensão sexual de vocês em favor. — comentou, como quem não quisesse nada, o fazendo revirar os olhos minimamente.


— Não existe tensão sexual entre nós. — cortou o outro. — É esse o seu melhor conselho, usar algo que não existe?


Wuxian levantou as mãos minimamente, querendo tréguas.


— Calma, garoto, não precisa ficar tão na defensiva por algo que você diz que não existe, não é mesmo? Eu só digo que, não tenha medo de jogar sujo, comigo resulta. — deu um sorriso malicioso, logo continuando. — Eu preciso ir, tenho apostas a fazer com o Lan, boa sorte com o treino. — nem sequer deu hipótese do Yang responder, pois se pôs logo a andar, o deixando para trás.


Xue bufou, era irritante ter alguém com a língua tão afiada quanto a sua.


Olhou o homem indo embora mais uma vez, pensando em tudo aquilo que ele tinha falado, virando depois as costas para continuar o seu caminho. Melhor era esquecer as palavras ditas num tom malicioso, afinal, entrar em uma luta de cabeça cheia era algo a não se fazer.  




                           [⋆*。]





Mingjue olhou pra figura quase toda vestida de preto vindo na sua direção, podia-se dizer surpreso, porque realmente pensava que o garoto de cabelos negros ia desistir.


— Veio tomar uma surra, garoto? — provocou, se despedindo do colega que antes o acompanhava.


— Você fala demais, tire a dentadura e vamos logo resolver isso. — retrucou a provocação, fazendo o outro ficar de cara ainda mais fechada, o que fez o engolir em seco discretamente.


Mingjue estava bem na sua frente e se de longe ele já era bastante intimidador, então de perto era mil vezes pior, mas não o bastante para deixar claro que estava com o cu entre as mãos, por isso que resolveu o olhar nos olhos. Uma escolha terrível de se fazer na verdade.


— Estou ansioso para te botar no lugar que você pertence, moleque. — a voz dele saiu rouca e isso mexeu com o seu interior.


— Isso é uma promessa? — respondeu automaticamente, perdido pelo o calor do momento.


O mais alto sorriu, se afastando e indo para o meio do espaço.


— Eu vou ser simpático com você e vou deixar você me atacar. — e lá estava, aquele maldito sorriso orgulhoso que tanto o irritava, só Deus sabia como só aquilo fazia o seu sangue ferver.


Não pensou duas vezes em atacar, quando viu o moreno fazendo um gesto com a mão para ele se aproximar de si.


E se sentiu meio perdido, porque no segundo seguinte, estava no chão e com uma certa dor nas costas.


Tinha sido derrubado e não tinha percebido. Assim tão facilmente?


Lentamente se virou de lado e se lamentou da dor que sentia, botando as mãos nas costas.


— Tá doendo? — Mingjue questionou ironicamente, rindo baixo.


— Vai se foder! — respondeu num tom alto.


— Linguagem,  garoto. — o ajudou a se erguer de novo. — Vai desistir já ou quer apanhar mais?


— Um Yang nunca desiste.


        


                           [⋆*。]




Todo o seu corpo estava dolorido e mesmo assim Xue não acreditava que estava perdendo daquele jeito tão feio.


Se levantou rapidamente, fazendo o outro suspirar, já estavam naquilo fazia quase uma hora e mesmo assim o mais novo não cedia, devia ter levado mais à séria quando ele disse que um Yang não desistia.


— Apenas aceite a derrota, garoto, não é assim tão ruim perder de um veterano, é normal até. — falou num tom de tédio, aquilo já tinha perdido a sua graça.


— Nunca! — gritou pro mesmo, recebendo outro suspiro.


— Essa é a última vez que te deito a baixo, depois disso, eu tô indo embora. — avançou contra ele, pronto para o derrubar, fazendo uma rasteira no garoto em seguida, mas ele tinha sido mais esperto desta vez e se agarrou à ele, o levando junto para a queda.


As mãos de Mingjue foram rápida e o ajudaram a ele não cair totalmente sobre Xue que ria.


— Filho da p... Você tá doído?! — gritou com ele. 


— Jogo sujo, Mingjue. — sorriu travesso, se divertindo com a expressão que ele fazia.


— Jogo sujo seria eu te pegar e te derrubar outra vez. — soltou, fazendo o sorriso do moreno aumentar e o seu diminuir.


— Isso é uma promessa? — falou rente ao seu ouvido, segurando a sua risada, nunca pensaria que tivesse realmente seguindo o conselho do Wuxian, mas o seu ego simplesmente não aguentava outra derrota.


— Garoto... — ameaçou, começando a se preparar para levantar.


O Yang se aproveitou, derrubando o Nie no momento mais vulnerável que ele tinha apresentado até agora, ficando agora por cima dele.


O derrubado, nada disse, apenas o encarou com uma expressão confusa. Não tinha esperado por aquilo.


— Saia. — mandou, não sendo obedecido.


— Agora que eu consegui ganhar controle? Nem fodendo, só se você se der como perdedor e talvez assim eu considere essa opção.


— Moleque. — sem perder tempo, Mingjue levou as mãos a cintura do mesmo e o empurrou para o lado, voltando depois a ficar com o controle. — Você só têm controle porque eu te deixo, não se acostume.


Os rostos estavam próximos demais e o único que pareceu reparar nisso foi o Yang, não se sentia incomodado para dizer a verdade. 


As suas sombrancelhas arquearam de leve, ali estava mais uma chance para jogar sujo ou assim ele se desculpava para o passo que tanto queria dar naquele momento.


Talvez Wuxian tivesse certa e talvez houvesse química sexual entre eles.


Colou as bocas de uma forma urgente, enquanto uma mão pousava sobre o couro cabeludo do mais velho, deixando o momento mais envolvente.


Não demorou muito para o beijo ser correspondido e quando foi, Xue só conseguia se sentir grato.


As bocas se mexiam com fome, era como se dependessem do beijo para continuar existindo. O moreno deixou um gemido escapar da sua boca quando a língua do outro veio explorar a boca com experiência.


Não era preciso ser um gênio para saber que Mingjue era muito experiente —, afinal, era mais velho — e que ele é que estava em controle do ósculo.


O ar se fez falta e quem quebrou o contacto foi o próprio Nie.


— Ainda pensa que eu uso dentadura? — ironizou, olhando o outro que ainda tinha a respiração ofegante.


O Yang lheu deu o dedo do meio como resposta, como prova do seu bom humor depois do momento tão íntimo.


— Se eu falar que penso quê você usa viagra, você me mostra que não? — provocou, sendo na verdade bastante honesto naquilo que perguntava.


Mingjue o olhou surpreso, não pensava que ele queria ir para esse patamar mesmo depois de terem acabado de trocar um beijo quase obsceno. Se sentia um pouco nervoso porque sabia que o outro quase não tinha algum tipo de experiência e também porque não sabia se ele estava realmente querendo isso.


— Você fala demais. — resmungou.


— Você sabe como me calar. — a língua passou pelo os próprios lábios, chamando a atenção do mais velho.


— Garot—


Xue revirou os olhos, o puxando pelo o colarinho, selando os lábios mais uma vez, desta vez sendo correspondido logo de primeira. 

 



                          [⋆*。]




Ambas as camisas estavam no chão e Mingjue estava encostado à parede do seu quarto com os olhos fechados e o maxilar trancado, contendo os gemidos que tanto queriam sair.


Ele nunca tinha imaginado na sua vida que o Yang fosse bom de boquete. A língua parecia se moldar perfeitamente contra o seu pau.


— Caralho, você mama que é uma maravilha.. — falou do nada, fazendo o moreno parar o que fazia —, mas não retirando o membro da boca — e o olhar.


Se sentia constrangido, porque as palavras apenas tinham saído da sua boca.


Mas mal ele sabia, que o de joelhos tinha gostado do comentário, continuando o seu trabalho com mais entusiasmo, fazendo Nie voltar a tentar guardar os gemidos para si.


Já só se ouvia pelo o quarto, o barulho obsceno da boca do Xue trabalhando e em algum momento os ofegos do Nie.


O seu apêndice estava quando chegando e por isso teve que afastar a boca do outro rapidamente, puxando os cabelos negros não com muita força.


Antes de se pronunciar, limpou a saliva que tinha escorrido.


— O quê foi? — estava com algum receio de ter feito algo errado, afinal, era o seu primeiro oral em um homem.


— Segunda etapa.


— Você não precisa me preparar, Mingjue, não sou uma criança e não sou feito de cristal. — retrucou.


— Sendo o quê for, eu não simplesmente fazer isso sem algum tipo de preparação, é importante eu te deixar preparado. — ambos reviraram os olhos, Mingjue por ter que explicar e Xue por ter que ouvir. 


           


                     [⋆*。]




Os dedos lambuzados em lubrificante tateavam o interior com cuidado, procurando o lugar máximo de prazer.


Diferente de si, Xue não continha os gemidos, mostrava de forma explícita de onde gostava de ser tocado, o que deixava Mingjue mais seguro.


— Salta essa merda, vêm logo.. — Xue falou de um jeito meio manhoso, já cansado de só sentir os dedos quase tocando na sua próstata.


Mingjue tirou os dedos, já se sentia farto também, queria sentir o outro por completo.


Melou o próprio falo com lubrificante para facilitar o processo e logo, se o colocou na entrada do mesmo, começando apenas um roçamento que o fazia se contrair.


— Para de me provocar, seu velho! — disse alto, já não aguentando as provocações. 


O moreno riu, enfiando lentamente o seu membro. Ambos gemeram de um jeito doloroso mas sentiam ambos um prazer enorme.


— Para de me apertar desse jeito, porra... — Mingjue pediu, tentando não gozar tão rapidamente, ainda queria ir mais longe que apenas isso.


O moreno tentou relaxar o corpo ainda mais, recebendo mais do outro dentro de si. Era gostoso, mesmo não habituado a sensação.


Começou a ser ditado um ritmo lento e Xue não conseguiu manter as mãos para si, abraçando as costas largas do mais velho.


Os corpos quentes e já meio suados se chocavam, fazendo barulhos pornográficos ecoarem por todo o quarto, podiam se dizer fãs daquele barulho, já que na esperança de o ouvirem mais, passaram para um ritmo mais rápido.


O pau do mais novo finalmente recebeu algum tipo de atenção, o fazendo gemer mais alto.


A masturbação era feita no mesmo ritmo em que as estocadas, e continuando assim gozaria primeiro.


Mas sendo sincero consigo mesmo, não se importava de perder ali, naquela confusão de lençóis pretos.


Antes de se deixar ir, virou o seu rosto e puxou o Nie para um beijo mais lento, que foi facilmente correspondido no meio de tanta ação.


E assim que o ósculo chegou ao seu fim, Xue simplesmente não aguentou mais e deixou o prazer o dominar, chegando ao seu deleite e sujando o seu abdômen e o lençol com a sua porra.


Mingjue não demorou muito para chegar ao seu deleite e gozando dentro do mesmo, exausto, deitou-se ao lado do parceiro, que ainda estava ofegante demais.


O silêncio não era desagradável, mas Mingjue não resistiu em mandar uma boca.


— Empate?


— Eu te odeio. — disse dando uma risada. 

   





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...