História Tentação - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Overwatch
Personagens Genji, Hanzo, Lúcio, Mccree, Mercy, Reaper
Tags Birdienini, Bunnyribbit, Gencio, Mchanzo, Phamercy
Visualizações 34
Palavras 1.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu tenho problemas pra conseguir pensar em nomes de capítulos? Com certeza.

Esse foi um capítulo bem curto, apesar de ter sido difícil de escrever por conta de problemas com criatividade nessa história, por assim dizer. Tipo, super tenho idéias pra "Tentação" mas tá foda de colocar em palavras ksaksak

Boa leitura~

Capítulo 3 - Frustrado



Os pés de Jesse doíam mais que nunca, era quase como se ele estivesse vivo novamente. Ele corria por entre as ruas daquele bairro em que encontrou o humano pela primeira vez, tentando não perder Hanzo Shimada de vista de novo. Correu pelo que lhe pareceu uma eternidade, entrando em ruas desconhecidas e vazias.

Parou em um beco depois de se casar da corrida e perder o demônio de vista, respirando fundo e tentando normalizar sua respiração, se assustando de leve ao ouvir a voz carregada de sotaque japonês. — Procurando por mim, cowboy?
Viu-o sorrir ladino para si, mas manteve o olhar sério ao que ajeitava o chapéu de vaqueiro, motivo pelo qual Hanzo o chamara de cowboy. — Eu vim atrás de informações.

— Interessante. sussurrou ao que seus pés se moveram na direção de Jesse, parando a poucos passos de distância. — Mas que eu saiba, anjos não costumam correr atrás de demônios.

— Eu não estava correndo atrás de você. Respondeu firme, mantendo uma postura séria, sentindo-se ofendido pelo modo que aquilo soara vindo do japonês.

— Não foi o que me pareceu.

— Não se confunda, darlin' - disse ao demônio que ainda mantinha aquele mesmo sorriso no rosto. — Meu interesse é apenas no humano.

— É uma pena, você é uma gracinha, além de que aquele humano não daria conta. - comentou como quem não queria nada, rindo ao ver as bochechas de Jesse ganharem uma coloração rosada. — Mas se você mudar de ideia, já sabe. Não vai ser difícil pra você me encontrar.

— Nem nos seus sonhos, Shimada. Rosnou tentando não desviar o olhar, sentindo-se desconfortável com Hanzo, que se aproximou ainda mais, colando seu corpo ao dele. — Afaste-se.

— Ei, docinho, não tem porquê me tratar assim. Eu realmente tenho interesse em você, não vou negar isso, então se você parar de agir igual uma garotinha rebelde as coisas entre nós vão ser bem mais fáceis.
Jesse conteve o riso diante daquele absurdo, era quase impossível manter a calma diante de tantos absurdos que ouvia do outro. — Você é surdo? Eu mandei se afastar. respondeu entredentes, mirando Hanzo com um olhar raivoso, ato que fora o suficiente para o demônio se afastar rindo.

— É um comportamento bem peculiar vindo de um anjo. Primeiro corre atrás de mim, depois age com tamanha grosseria, acho que hoje em dia aceitam qualquer um no céu. - McCree o olhava feio, seus punhos estavam cerrados com tamanha força que os nós dos dedos já se tornavam brancos e as curtas unhas machucavam a palma da mão. — Não me surpreende terem aceitado aquele moleque negro no céu se aceitaram alguém tão rude quanto você.

Jesse sentiu-se tencionar ainda mais. Aquele babaca poderia falar dele o quanto quisesse, poderia provocá-lo de todas as formas possíveis, mas se havia algo que McCree jamais iria admitir, era que falassem mal de Lúcio. Sua paciência finalmente havia se esgotado e, por um milagre, Jesse não socara o demônio. Enfurecido, deu-lhe as costas e se pôs a andar sem um rumo definido. Afinal, por que decidira segui-lo? Que tipo de ideia imbecil havia sido aquela? Ele não sabia muito bem. Quando se viu longe o suficiente deixou um suspiro escapar por entre seus lábios e fechou os olhos com uma expressão cansada no rosto, tornando a abri-los em casa. Parou no meio do corredor, olhando para a porta do quarto de Lúcio com uma certa saudade. Ainda se sentia mal por não tê-lo defendido das palavras de Hanzo. Se sentia mal por ver beleza num ser que falou de Lúcio com tanto asco apenas por sua cor. Como pôde ser tão idiota? Quase caíra na provocação de Hanzo e, graças ao seu fraquejo frente ao demônio, agora ele sabia um de seus pontos mais fracos.

Tentou espantar seus pensamentos batendo com ambas as mãos no rosto e entrou em seu próprio quarto, se jogando em sua cama e deixando a mente viajar para lugares desconhecidos. Perturbou-se ao que seus pensamentos se voltaram ao homem de traços asiáticos, tentando não lembrar da expressão de nojo de Hanzo ou mesmo de seu sorriso. Merda, ele estava falhando miseravelmente. "Eu realmente tenho interesse em você" era uma outra frase que ecoava em sua mente. Ele já não ouvia esse tipo de coisa há tanto tempo que ouvir aquilo do Shimada fez borboletas dançarem em seu estômago, quase fazendo-o sentir saudades de contato físico mais íntimo com alguém. Decidiu que precisava conversar com alguém, precisava de um amigo que o fizesse esquecer aquele demônio, então volto para o céu para procurar Ângela e desabafar com a mesma. Procurou-a por todos os lados, perguntou para vários anjos se haviam visto a mesma, mas muitos deles diziam não ver Ângela há alguns dias. Começou a se sentir cada vez mais preocupado, Ângela estava cada vez mais distante.

Encontrou Reinhardt dando ordens à alguns anjos para irem à terra e esperou que estivesse desocupado para se aproximar. Reinhardt uma vez fora um cavalheiro, seu corpo imenso, com quase dois metros de altura, estava coberto por cicatrizes da sua vida passada, inclusive uma no cego olho esquerdo e várias nos musculosos braços. Seus cabelos e barba uma vez loiros estavam ainda mais claros devido aos fios brancos, sua aparência era quase amedrontadora, mas o grandão era dono de um coração mole. O loiro abriu um enorme sorriso ao vê-lo, cumprimentando-o com um leve tapa no ombro. 

— Jesse! Como vai? - ele perguntou-lhe animado, sacudindo-o pelo ombro num abraço desajeitado. — Trouxe notícias da terra?

O cowboy se sentiu sem graça por um momento ao lembrar dos acontecimentos com Hanzo, mas deixou isso de lado. Sorriu amigável para Reinhardt e ajeitou o chapéu. — Nada de novo, sabe que casos como esse correm de forma muito lenta. Eu estava mesmo era preocupado com Ângela, ela está trabalhando com algo?

— Bem, Ângela tem sido um mistério para todos por aqui, eu mesmo não faço a mínima idéia de onde ela pode estar agora. 

O olhar preocupado de Reinhardt fazia com que Jesse se sentisse na mesma situação. Frustrado, McCree saiu dali para voltar a sua casa, se jogando no sofá e se deixando levar pelos sonhos ali mesmo, sentindo-se mais cansado que nunca. 
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...