História Terra de Homem Nenhum - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Juugo, Kabuto, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Suigetsu Hozuki, TenTen Mitsashi
Tags Naruto, Romance Medieval, Sasuhina
Visualizações 258
Palavras 2.830
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi! Oii! Oiii!

Continuando ^^

Capítulo 4 - Capítulo 3 - Ruínas.


 

Hinata piscou pela milésima vez só aquele minuto, da janela ele podia ver os homens de Sasuke se espalharem pela vila andando para lá e para cá. O bendito falcão do rei. As pessoas viravam a cara com certeza, pois aquelas armaduras representavam Konoha, e o atual rei matou o antigo Lorde que não servia a rei algum, deixando uma filha desprotegida juntamente com aquela gente. E ainda tinha um homem que a vigiava 24 horas por dia, ela não pôde nem dormir em paz nesses últimos dois dias com aquele homem dormindo escorado na porta.

— Senhora - uma serva falou - seu banho está preparado - ela despejou a água morna toda na banheira de madeira.

— Obrigada - Sussurrou, e encarou o seu guarda costas - Presumo eu que você irá se retirar.

— As ordens são para observa-la não importa o que faça - Disse, e Hinata procurou algum tom de escárnio ou malícia, mas o homem estava totalmente sério. - Desculpe-me, eu posso...posso apenas me virar...

— Você é impertinente  - Franziu o cenho ultrajada - Eu sou uma donzela, seu grosso! Se retire daqui agora mesmo!

— Lamento mas as ordens de Sasuke são absolutas, Milady, devo acompanha-la o tempo inteiro. - O homem era insistente, e Hinata lançou um olhar furioso enquanto a serva morria de nervosismo ao lado da banheira.

— Tenho certeza que seu senhor irá compreender - Ela tentou.

— Eu não...ousaria pagar para ver. - O homem soou sincero, se tinha uma coisa que Sasuke odiava era que o contrariassem.

— Espera que eu me banhe com você...- corou só de imaginar, constrangida ela começou a andar de um lado para o outro nervosa, a água iria esfriar oras...- Certo, certo - ela fechou as mãos na cintura e caminhou até ele - você não vai mesmo?

O homem balançou a cabeça sustentando os raios de raiva que as pérolas lançavam. Ela fingiu ceder e balançou a cabeça, pois num piscar de olhos a morena desferiu um tapa no homem e puxou sua espada antes que ele reagisse.

— Atrevido! - empunhou a arma dele e apontou - Fora! Fora! Fora! -  O homem passou a mão pela cara avermelhada e reagiu furioso querendo machuca-la - Se tentar eu o rasgo desde um umbigo até o pescoço!

Oh mas ela mal sabia segurar aquela coisa cortante, era pesada demais, quando o guarda reagiu Hinata tentou acerta-lo, e ele desviou, mas o peso da espada causou desequilíbrio na moça e o homem aproveitou para lhe devolver o tapa. Hinata caiu como um saco de batatas no chão, vendo tudo sacurdir-se e sentindo o impacto do seu corpo no chão, em algum lugar da sua mente bagunçada pôde ver a serva gritar e sair correndo. A deixando sozinha, o homem lhe ergueu e lhe pegou pelo pescoço encarando-a com uma raiva perigosa.

— Nenhuma mulher me acerta, ouviu? Nenhuma! - Ele disse vendo Hinata tremer de medo, onde ela estava com a cabeça? Agora foi empurrada até a banheira e quando sentiu seu corpo molhar e notou que estava submersa, vendo a cara do homem através da água. 

Se engasgou, e se debateu buscando por ar. Mas o homem era uma forte e firme feito o muro da fortaleza. Ela realmente começou a entrar em desespero, seu coração martelou, seu pulmão reclamou quase explodindo. Tentou arrancar a mão do homem que a prendia pelo pescoço mas perdeu as forças. Tudo ficou turvo e, iria morrer ali. A maldita mão a deixou e nessa hora tudo escureceu. Oh Deus ela só queria banhar em paz...Soltou ar preso e a água ardeu em seus pulmões.

Sentiu alguém puxa-la e o ar penetrar seu pulmões novamente, tossiu tentando abrir os olhos, tudo estava confuso barulho agudo de muitas vozes, entre elas sua serva a chamava desesperada, alguém repreendia o homem, sentia-se presa nos braços de alguém . E depois a voz dele, do falcão do rei, parecia chama-la e manda-la respirar...olhou para cima...

— Respire moça, respire - Dizia ele com uma preocupação em seus olhos negros, e num impulso estranho buscou o calor dele tentando fazer o que era mandado - Isso, respire.

— Homem de Deus! Você enlouqueceu? - Naruto puxou  homem pela blusa exigindo de novo por uma resposta.

Hinata tossiu mais um pouco encarando as ônix de seu salvador e de repente, desabou a chorar, seu peito ainda pesava pelo susto e seu corpo tremia querendo mais do calor do Falcão do rei. Se agarrou a Sasuke e escondeu a face no peito dele. Ele ficou sem saber reagir, seu coração acelerou de repente, encarou Naruto a serva, e o seu homem que tentou afoga-la.

— O que diabos deu em você?! - Gritou e pegou Hinata no colo tentando acalma-la.

— Essa...- Ele considerou o que iria falar pois Sasuke tinha um olhar demoníaco sobre si - Mulher, me esbofeteou! Assim, de repente! Me ameaçou com minha própria espada...Essa--

— Meça suas palavras! - Naruto o avisou. 

— Saia e espere no salão! Agora! - Sasuke o expulsou fuzilando-o com o olhar, e levou Hinata para perto da cama. - Por que você fez isso? - Indagou para a trêmula dama sentando ela na cama.

— E-eu só que-queria banhar em paz - ela disse pálida e com os cabelos numa bagunça de fios molhados. - e-ele insinuou que ficaria aqui. 

— Então você decidiu bater nele? - Naruto cruzou os braços - Essa é corajosa, ninguém jamais bateu na cara daquele homem. No final você conseguiu um bom banho, Hina.

— Naruto, cala a boca! - Sasuke mandou um olhar descontente, encarou a serva - Você, ajude-a a tirar a roupa molhada e traga secas, antes que ela pegue um resfriado.

A serva correu imediatamente para o baú atras de roupas para sua senhora, Hinata assistiu com os lábios trêmulos Sasuke segura-la pelo queixo e ela se encolheu diante da postura dele. De repente, era aquele mesmo ar de perigo que ele passava, mas mesmo assim ela sentiu vontade de abraça-lo.

—  Nunca mais ameace nenhum de meus homens, ouviu? Nunca mais. - Empurrou ela contra o colchão e seguiu até a porta.

— Ele não vai mais por ninguém para olhar você - Naruto sussurrou sorrindo e piscou.

— Vamos Naruto! Ela precisa de um momento - Sasuke o chamou e lançou um último olhar a Hyuuga - Isso nunca mais vai acontecer. - Bateu a porta e passou a mão pelo rosto.

— Eu jurava que você seria o primeiro a tentar mata-la - Naruto falou.

— Cale-se! - Sasuke rosnou - Mande-o de volta para a corte, não pode mais ficar aqui depois de agredir aquela megera, e por Deus que ele se mantenha longe de minha vista se não eu o matarei!

— Ah, Sasuke certamente ele quase matou Hinata, e nos traria um mal resultado, mas você notou como correu quando a serva disse que iriam mata-la? - O loiro questionou antes de ir - E aposto que ela em seus braços lhe deu a melhor das sensações...

— Pare de falar besteiras e faça o que mandei! - Gritou com ele e saiu decidindo pegar o seu cavalo e cavalgar para longe dali.

A desgraçada se agarrou a ele como se fossem amigos, ele mal tinha trocado outras palavras com ela depois daquele jantar, aquela pose orgulhosa o irritava constantemente, o olhar acusador. Ela nem se juntou novamente as refeições, mandava levarem no quarto.

Mas quando viu ela naquela banheira...Ele sentiu algo que não gostava, se parecia com medo, mas de que?  O olhar dela não cobrava nada, nenhuma punição para o homem, apenas proteção...e ele quis dar...involuntariamente, sentiu o corpinho dela trêmulo, como seria a pele dela por baixo daquele vestido? Como seria...toca-la? Senti-la? Beija-la? Seu coração balançou e ele não soube o porquê.

Não podia ser o desejo masculino, ele não estava a tanto tempo assim sem dormir com uma mulher. Além disso, neste últimos dois dias sempre que pensava nessas coisas o rosto dela surgia em sua mente, tentou se lembrar do calor das coxas de qualquer moça que tenha ido para a cama com ele, mas apenas a aproximação de hoje o deixou puto consigo mesmo.

— Senhor cavaleiro? - Ouviu alguém chamar, olhou para baixo e viu um dos vilões com um saco nas costas - Tem certeza que quer ir naquela direção?

Sasuke mirou a sua frente e notou que estava nos campos de plantação ainda não semeados, e mais para frente tinha uma floresta.

— E se eu não tiver? Qual o problema de eu ir lá mesmo assim? - Questionou entredentes.

— Lá está as ruínas dos Uchiha's! - O homem disse assombrado - abandonado há muitos anos, ninguém foi lá depois que enterraram os corpos, dizem que lá é cheio de espíritos do Diabo! Se eu fosse o senhor não iria lá.

Sasuke considerou o aviso, sentiu algo diferente, uma vontade acompanhada de uma sensação nostálgica, ignorou o homem e guiou seu cavalo floresta adentro, ele desviava das árvores parecendo já conhecer o caminho. Chegou em uma fortaleza abandonada, sem portões nem muralha, apenas a construção com uma torre, algumas partes estavam caídas e o resto desgastadas pelo tempo. Um aperto surgiu em seu peito, e ele não soube porque estava triste...

Desceu do cavalo e foi té a entrada, subiu os degraus, marcas de sangue há muito tempo secas perto das paredes. Passou a mão pela porta de ferro, " Sasuke, cuidado para não se perder, volte antes do sol se esconder" uma voz feminina surgiu em sua mente, seu peito acelerou, de onde ele conhecia aquela voz?  Olhou para os arredores, e lhe parecia familiar.

O que ele sabia de sua história? Nunca lembrou de nada antes de estar com Orochimaru, e depois treinando como soldado, e logo depois aprendendo a ler e escrever com Kakashi, as caçadas com Naruto, as batalhas do rei e algumas diversões com mulheres, e ali estava ele, na terra das fronteiras. Sempre lhe disseram que ele era um desses plebeus pedintes, e o acharam quase morto de fome, como bons cristãos  acolheram e apostaram no talento dele, a facilidade que tinha de aprender as coisas rápido.

— Sasuke? Oras mas é você meu bom rapaz! - Uma voz conhecida chamou. 

Sasuke sacudiu  a cabeça e procurou o dono da voz, arqueou a sobrancelha.

— Orochimaru?  O que faz por essas bandas?

— Olhe só, como você cresceu - O homem se aproximou de Sasuke e este semicerrou o olhar - Depois que me dispensaram das tropas do rei por ser velho demais eu procurei um lugar para ter paz, e devo confessar que essa terra é abençoada.

—  Tsc - Sasuke olhou para as ruinas - acabei de ouvir o contrário. Eis as ruínas de um clã dessa terra extinto de forma brutal.

— Trágico - Orochimaru concordou - mas faz muito tempo, tanto tempo que quase não é lembrado.

— Faz tempo, mas aconteceu algo parecido com os Hyuuga's - Sasuke se dirigiu ao seu cavalo e montou - A diferença é que lá acharam sobreviventes para limpar as marcas.

—  Permita-me perguntar o que Konoha tem a ver com isso? - Orochimaru se aproximou dele novamente - Kakashi não é homem que faz esse tipo de ação.

— Konoha não tem nada com isso, o povo desse lugar quer culpar alguém, e como Suna não os ameaçou desde de a última batalha que teve conosco, eles resolveram que culpariam a Konoha.

— E mesmo assim você tem coragem de vir aqui enfrenta-los? - Cobrou respostas.

— Meu rei me deu essas terras, e eu irei reivindica-las! - Sasuke declarou.

— Mas se a própria Lady Hinata declara que essas terras não pertencem a homem nenhum, e o povo declara isso para qualquer viajante dos reinos. Eles são livres, não pagam impostos, não vivem regras de nenhum soberano e Deus sabe como conseguiram aderir ao catolicismo no século passado - O homem disse dando certos passos observando o local. - Como fará para ser chamado de Lorde?

— Vejo que sabe bastante do lugar que escolheu para se estabelecer - O moreno segurou a rédea - Tenho um trato com a Hyuuga, e pode apostar que no final, ela baixará a cabeça para Konoha.

— E qual seria esse trato?

— Não é de sua conta - Sasuke o cortou - mas por enquanto eu e ela comandamos esse local, juntos. - sorriu de canto - Nos vemos por ai. - Sasuke saiu daquele lugar deixando o velho para trás.

Estava lhe dando calafrios ficar ali, a surpresa que teve ao vê-lo ali foi grande, mas não o suficiente para os pensamentos sombrios deixar de lhe atormentar, precisava saber mais dos Uchiha's. Iria perguntar a ela...sim, a Lady Hinata. A dama que lhe despertou sensações estranhas.


__x__

 

Quando passou pela vila, viu Naruto e outros quatro homens circulando por ela, Shino, o confiante servo de Hinata estava com o loiro. Ele falava com uma rosada que carregava uma cesta de uvas. Se aproximou mais deles e presenciou a conversa.

— Soldados de Konoha, é o que vocês são, nada podemos oferecer a homens ingratos! - Disse ela e tentou passar, mas Naruto insistiu seguindo-a. - Milady não gosta deles, nem nós.

— Moça! Posso garantir que Hinata gosta de mim - Ele disse sorridente para a camponesa. - Ouvi dizer que seu pai fabrica o melhor vinho da região.

— Pois só acredito vendo, até lá fiquem longe de mim - Ela encarou Naruto e empinou o nariz antes de passar por eles. 

— Diabos! - Naruto praguejou e seguiu até  - Essa região é cheia de camponesas lindas.

— Não somos bem vindos, mesmo com a Lady nos abrigando - Sasuke ressaltou antes de guiar seu cavalo para a fortaleza - não arrume brigas.

— Eu sou uma pessoa totalmente sensata, sem vinho, é claro. - Naruto cruzou os braços e os outros gargalharam

— Sei - Sasuke revirou os olhos e seguiu seu caminho ganhando olhares hostis dos moradores do local.

 

— Diga...- Naruto olhou para Shino - Onde um homem pode ficar devidamente embriagado com uma moderada bebida por aqui?

— O senhor já ouviu falar em hidromel? - Shino respondeu e Naruto abriu o maior sorriso de todos.

 

Sasuke notou os portões abertos, homens e mulheres em seus serviços para lá e para cá, mas nada comentou, entrou pela frente e lá estava ela para lá e para cá no salão ajudando a servas a carregar cestas com roupas. Bem penteada e um novo vestido.

— Lavem todas, eles são uns imundos! - Dizia ela  entragando a cesta a uma serva disponível - Passem bastante água, e façam novas.  Oh! - Ela se assutou quando viu ele na porta e explicou desconcertada - Você e seus homens precisam.

Ele desacreditou que ela tivesse tamanha preocupação com seus convidados indesejados. Mas era uma mulher bem criada, notava-se. Ela totalmente corada esperava por algo...Agradecimento? 

— Falarei com eles - Assentiu minimante.

— Hum, mandarei comprarem tecidos - Endireitou os ombros e foi direto para a escada. - Não temos alfaiate mas temos mulheres muito boas em costura.

— Mulher, espere! - Ele ordenou e ela parou nos degrau das escadas - É muita gentileza sua, mas eu gostaria de saber sobre uma coisa. -

— Milorde? - Ela curiosamente virou-se.

E mais uma olhada em seu lindo rosto e Sasuke notou a face avermelhada. Canalha! Canalha! Quis dizimar o homem! Faze-lo em pedacinhos, sorte dele está num cavalo a uma longa distância ali neste exato momento. Mas ele começou embora relutante, aquele assunto lhe dava um certo frio na espinha...

— Há boatos...sobre os Uchiha's, o clã dos olhos escuros - Começou e a face da moça ficou branca como nunca antes - Estive nas ruínas, você pode me contar o que sabe?

— P-por que quer saber disso?

— Porque aconteceu o mesmo com o seu, e a culpa recai sobre Konoha, meu dever com um homem do rei e investigar isso mais de perto.

— Se não foi Konoha, foi Suna, mas não muda nada a insatisfação de termos vocês aqui - Foi direta e Sasuke trincou os dentes.

— Não dá para conversar com você! - ele bradou e subiu as escadas quase empurrando ela.

Mas que mulher megera! Com aquela língua afiada, ele estava começando a crer que ela merecia ser afogada mesmo! Não deviria tê-la salvado, era isso, evitaria a irritação que assolava suas veias no momento! Maldita! Ele trancou no quarto e passou a mão pelos cabelos tentando arrancar as sensações que ela causava em seu coração para lembrar-se dos sentimentos que lhe atingiu em cheio quando ele pisou nas ruínas. O que estava acontecendo consigo? E aquela voz? O que houve com aquele lugar? Quem foi o desgraçado covarde que fez aquilo que os boatos diziam? 
 


Notas Finais


E ai o que acharam ?
A Hinata quase morreu.
E o Sasuke nem faz ideia de quem Orochimaru é de verdade.


Até o próximo sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...