1. Spirit Fanfics >
  2. Terra do Amanhecer: A Batalha da Ordem e o Caos >
  3. O Lar da Magia

História Terra do Amanhecer: A Batalha da Ordem e o Caos - Capítulo 32


Escrita por: e SKULD__


Notas do Autor


Alguém aí já desenvolveu algum tipo de poder nesses dias de quarentena? Kkkk

Pessoal, esse capítulo tem muitas referências à história da minha Fic do Arghus e Rafaela.. porque citamos alguns fatos do passado, e na minha outra Fic mostra como foi esse passado pela visão dos Anjos e deuses.

No mais, curtam o capítulo e lavem às mãos e não saiam de casa❤🍃

Capítulo 32 - O Lar da Magia


Fanfic / Fanfiction Terra do Amanhecer: A Batalha da Ordem e o Caos - Capítulo 32 - O Lar da Magia

Era uma manhã de chuva, Harley acordava com o som infernal de seu despertador, sentindo uma imensa irritação, o ruivo odiava mais do que qualquer outra coisa ter de acordar cedo. Aquele clima chuvoso o deixava ainda mais sonolento, e se hoje não fosse seu primeiro dia na academia ele teria voltado para cama e dormido o resto da manhã.

“droga...porque tudo nessa vida tem que ser tão cedo.” – pensou enquanto coçava a cabeça.

 

O garoto escovou os dentes e caminhou em direção o guarda roupa, e ficou encarando por alguns instantes o uniforme da Academia de Magia. Ele odiava ter que seguir tantas regras, e o fato de ter de seguir uma vestimenta padrão o incomodava bastante. Harley pegou a roupa e a tirou do cabide, e a vestiu...por mais que ele não aprovasse aquele tipo de vestimenta, até que ele se sentiu bem em ver seu reflexo no espelho.

 

- você é lindo cara – fazia um gesto para o espelho esboçando um largo sorriso.

 

Pegando sua mochila que continha seus cadernos, Harley abriu a porta do quarto e saiu trancando à mesma. Seguindo pelos corredores, ele encontrou com Ângela parada em frente a biblioteca da Academia.

 

- o que faz parada aqui? – olhou de cima a baixo para o uniforme que ela vestia.

 

- eu estava esperando por você... – respondeu timidamente colocando uma mecha de seu cabelo atrás da orelha.

 

O ruivo ficou encarando aquelas bochechas rosadas por um tempo, até ter sua atenção roubada pelo sinal da escola anunciando o início das aulas.

 

- venha! vamos.. – a segurou pelo braço, levando-a até a sala de aula.

 

Os dois praticamente correram pelos corredores vazios procurando onde era a sala da professora Eudora, sua primeira aula seria sobre História. E quem melhor do que uma Elfa para conhecer mais de história Não é mesmo?!

De frente para a porta, os dois se entreolham como se dissesse um para o outro “entre primeiro". Ângela se mostrou estar meio acanhada com a situação, aquela seria sua primeira vez entre pessoas das quais ela nunca havia tido contato antes.. já Harley franzia o cenho para ela mostrando estar irritado com a situação.

 

- você é toda fofa, todos gostam de você, certamente não se importariam de chegar atrasada... 

 

No meio de sua fala um perfume lhe chamou atenção, e quando se virou para ver quem havia passado por suas costas, Harley notou a porta da sala aberta e uma garota de cabelo colorido de frente pra Eudora dizendo.

 

- desculpe pelo atraso professora, eu estava apresentando os Novatos algumas salas da Academia. – disse Lylia com um sorriso carismático para Eudora.

 

- parabéns Lylia, bela atitude. – Eudora demonstrava sua satisfação acariciando a cabeça da menor, que seguiu indo para uma mesa no fundo da classe. – vocês dois, venham! Nossa aula já vai começar. – fazia gestos os chamando para dentro.

 

Meio tímidos, ambos entraram, e como esperado, se tornaram o alvo de todos os olhares dos alunos ali presentes. Eudora os apresentou para a classe , dando a eles as boas vindas, em seguida os mandou se assentarem.

 

- professora! – disse um aluno levantando a mão – teremos de revisar toda a matéria?

 

- não meu querido, nós iremos dar seguimento de onde paramos. Mas como hoje é um dia especial para mim, a aula será sobre a história da magia. Algum de vocês sabe me dizer quem foi o primeiro mago da academia de magia?

 

Um pequeno silêncio pairou pela sala de aula enquanto todos se entreolhavam esperando que alguém dissesse a resposta.

 

- ninguém? – levantou um de suas sobrancelhas encarando a cara de seus alunos.

 

- Leoric.. – responde Lylia enquanto desenha na mesa.

 

- está certa. Lylia, quantas vezes vou ter que pedir para não desenhar na mesa? – fitou seus olhos na garota.

 

- me desculpe professora, é apenas força do hábito. – demonstrou um sorriso sem jeito para a Elfa.

 

Lylia era um dos magos mais promissores da Academia, muitos invejam suas habilidades, já outros viam um grande potencial naquela criança de rostinho fofo e personalidade travessa.

 

“tinha que ser a senhorita perfeita"

“graças a magia negra ela sabe de tudo isso"

“ela se acha a melhor maga da academia"

 

Os cochichos entre os alunos era notório para a menor, que respirou fundo e focou seus olhos em seu caderno. Harley e Ângela apenas observaram tudo aquilo sem entender o porquê de tamanho descontentamento de alguns para com Lylia.

 

- continuando com nossa história, Leoric era um Caçador de Demônios do Templo da Luz, e por coincidência em uma de suas missões, ele encontrou com uma jovem Elfa na floresta escura, chamada Celeste. Dizem que um demônio estava atormentando a região com alguns ataques noturnos. Relatos sobre a história diz que Celeste cuidava das árvores e plantas do lugar, preparando a floresta para a nova estação que viria. Leoric caminhava bastante ferido pela floresta após ter vencido o demônio, até que encontrou com Celeste, que o levou para um abrigo e cuidou do tal. Por cerca de alguns dias, Celeste cuidou dele, e o curou graças à um feitiço conhecido por “Revitalizar.” Encantado com os conhecimentos da nobre Elfa, Leoric a pediu para ensina-lo a arte da magia. De início ela jugou errado conceder tal pedido, mas o rapaz foi bem persuasivo ao dizer que seu objetivo era o de levar o conhecimento da magia para o Império, e lá fundar uma escola onde outras pessoas seriam treinadas para aprenderem o dom da magia para proteger e fazer o bem sobre o mundo. Sobe essas condições, Celeste concedeu seu pedido, e o treinou por anos ensinando a dominar cada aspecto da natureza. Após isso, nossa preciosa escola foi fundada pelo Leoric, que era aclamado como o primeiro mago da Terra do Amanhecer. – explicou Eudora.

 

A História contada por Eudora deixou o coração de Ângela em euforia, por conhecer qual o objetivo da criação da Academia de Magia e a função dos magos que se formam naquele lugar. Harley por outro lado, encarava a garota de cabelo preto com lilás, analisando sua face de descontento com a história.

 

- professora! – gritou Guilfred erguendo sua mão. – dizem que somente os seres do abismo podem praticar magia negra, não é mesmo? – o garoto usava de sua pergunta para alfinetar Lylia.

 

No mesmo instante em que ouviu aquelas palavras, Lylia olhou para o lado bem na direção do garoto, o encarando com um riso diabólico.

 

- depende de qual tipo de magia meu querido. – Eudora pegou uma régua e foi caminhando até a mesa do garoto. – Guilfred, o que você classificaria como magia negra?

 

- tudo aquilo que gera morte, e não vida. – responde o garoto.

 

Eudora sorri da resposta do tal, colocando a ponta da régua no queixo dele, ela força o olhar de Guilfred a fixar nos seus.

 

- minha magia não gera cura e nem vida para ninguém.. pelo contrário, ela pode ser bem destrutiva para a natureza ou mortal para as pessoas. Isso me classificaria como um ser Abissal? – o olhar serio da Elfa disparou o coração do garoto, que apenas fez gestos dizendo que não. – fico feliz que tenha entendido. – retirou a régua e retornou para sua mesa.

 

O sinal da Academia tocou anunciando o término da aula, Harley pegou rapidamente seus materiais e se levantou da mesa, mantendo sua atenção em Lylia, que saía apressada passando por Guilfred e indo para fora da sala.

Colocando apenas uma alça da mochila em seu ombro, Harley deixou a mesa e saiu pelo corredor, que estava bastante agitado com a muvuca que os alunos faziam na troca de aula.

 

《Puuuff》

 

“aaaahhhhh!!!”

 

O som de algo explodindo e os gritos dos alunos atraiu o olhar do ruivo para trás, ao lado de um dos armários do colégio estava Guilfred com sua mochila toda estourada e folhas de seus cadernos voando por todo lugar.

 

- foi ela!! – gritou apontando para o meio da multidão, buscando ver Lylia que já havia desaparecido em meio a todos os alunos. – aquela maldita maga sombria!

 

- mas ela nem tocou em você.. – disse Ângela ajudando o garoto a recolher as folhas.

 

Harley por outro lado sorriu de canto e logo saiu correndo por entre a multidão buscando encontrar a garota em algum canto, mas nada encontrou.. com um suspiro de desânimo, se virou de costas resmungando algumas palavras voltando para onde Ângela estava, mas um esbarrão o fez parar e olhar para cima.

 

- tem olho na cara não moleque? – disse um rapaz de pele pálida e cabelos loiro.

 

O calor corporal emitido do cara alto era algo jamais visto por Harley...o ruivo apenas acenou com a cabeça para o tal e voltou a caminhar em direção a Ângela.

 

- ei! vamos! – Ângela o olhou e logo correu em sua direção. – não podemos nos atrasar pra outra aula.

 

Os dois entraram na sala junto dos outros alunos e se assentaram. A aula naquele momento era sobre cura, e quem seria o professor era Hart, um dos professores da Academia. O jovem professor se apresentou para a turma, e em seguida pegou um de seus livros e o abriu.

 

- olá meus alunos, tudo bom com vocês? Eu me chamo Hart e hoje vocês aprenderão um dos feitiços mais simples da academia. O feitiço de cura chamado Revitalizar. – estendeu à mão para uma flor murcha e liberou uma pequena luz sobre a mesma, revitalizando a flor e restaurando sua beleza novamente. – tcharan! O que acharam?

 

Com uma cara de desprezo Harley passou a mão no rosto meio entediado por estar ali, seu desejo naquele momento era o de estar praticando magias ofensivas, e não passivas.

 

- eu acredito que esse feitiço não sirva para um mago como eu. – resmungou o ruivo em um tom de desdém.

 

As palavras do garoto atraiu todos olhares para si, mas ele não pareceu se importar com aquilo.

 

- um grande mago de verdade sabe utilizar todo o tipo de magia.. até mesmo os mais simples. – ressoou a voz de Lylia do funda da sala.

 

Harley virou a cadeira de lado e olhou para trás, encarando o livro aberto que Lylia havia posto sobre a mesa, deixando apenas seu cabelo avista.

 

- exatamente Lylia. – Hart aplaudiu a resposta da garota enquanto concluía. – não é atoa que Lylia é uma das melhores magas da Academia. Agora se levantem, nossa aula será prática hoje, então me sigam até a estufa. – caminhou até a porta, abriu e saiu por ela sendo seguido por seus alunos.

 

Com menos de cinco minutos eles chegaram no lugar que era amplo e todo fechado com paredes de vidro e o teto possuía algumas aberturas para que o ar pudesse fluir pelo local.

 

- veja quantas plantas e flores!! – Ângela não escondia sua alegria de estar naquele lugar, cercada pelas diversas variedades de flores e plantas de diversos tipos e de diferentes lugares do mundo.

 

- me escutem com atenção, irei explicar como vão executar o feitiço. Façam duplas, mas vocês dois juntos não. – disse apontando para Ângela e Harley. – Venha, faça dupla com ele. – disse Hart chamando uma garota pra fazer dupla com o ruivo. – Ângela, você fará dupla com Lylia.

 

Todos se posicionaram em seus lugares de frente para algumas plantas, Hart então iniciou a explicação.

 

- o feitiço  de cura é uma magia totalmente ligada com a natureza, e suas propriedades vem apenas de uma mente calma e tranquila. Neste momento peço que esvaziem suas mente, esqueçam toda ansiedade do dia a dia, sentimentos negativos, e os lance fora...imaginem que estão caminhando pelos jardins celestiais.. onde os pássaros cantam, e as borboletas voam livremente sobre as flores. Assim como as plantas precisam ser podadas para arrancar tudo o que as impedem de crescer e florescer, vocês precisam podar de seus corações todo o sentimento negativo que impede a magia de cura fluir de dentro do seu ser. – estalando o dedo, Hart fez a planta a sua frente crescer e florescer. – agora é a vez de vocês.

 

Com as mãozinhas tremendo, Ângela tocou a planta tentando cura-la, mas acabou ferindo a planta ao invés de curar.

 

- ei, concentre-se no que está aqui. – tocou no peito da Android com sua mão esquerda. – e não aqui. – com a mão direita Lylia tocou na cabeça de Ângela. – do coração é que vem as coisas boas da vida.. mas da mente somente distrações.

 

Ângela sorriu para a garota que se mostrava bem prestativa, e começou a executar novamente o feitiço. Uma luz de tom rosado começou a fluir das mãos de Ângela, gerando um crescimento para a planta. Vendo a cor da magia que emanava da Android, Lylia pousou a palma da mão sobre a testa de Ângela dizendo:

 

- o feitiço deve fluir de seu coração, e não de suas habilidades. Esqueça seu poderes naturais e foque no feitiço. – observou os olhos da Android se fecharem. – a magia não pode vir da mente, mas sim do coração. A magia não pode vir da mente, mas sim do coração. – repetia Lylia enquanto observava a energia das mãos de Ângela assumir um tom esverdeado, fazendo a planta não só crescer, mas florescer ao mesmo tempo. – excelente zoiudinha. – disse Lylia com um sorriso largo no rosto.

 

Abrindo seus olhos, Ângela apreciou a beleza que sua magia havia criado...sem perceber, ela havia espalhado seu feitiço de Revitalizar por uma ampla área, tornando 90% das plantas daquele lugar grandes e floridas. Hart e toda a classe ficaram olhando para Ângela, que havia revitalizado as plantas de todo o lugar.

 

- é...acredito que nossa aula prática se encerra aqui. – disse Hart com um sorriso frouxo.

 

Os alunos sorriram e logo começaram a elogiar Ângela pelo seu feito. Lylia apenas sorriu para ela e se afastou da multidão que se formava em cima da Ângela dizendo:

 

“quando nos formamos você será a minha suporte.”

“não, ela será minha, eu convidei primeiro.”

 

Ao lado de Harley, Chang'e se despede do garoto e corre até Ângela, que havia se tornado sua amiga nos dias que passou no Palácio.

 

- tirem as patas de cima da minha amiga, seus abusados! – empurrou todo mundo e abraçou Ângela. – você é minha bonequinha. – apertou forte o corpinho de Ângela, e saíram juntas conversando bem animadas.

...

 

“Agora é o momento de ir falar com ela" – dizia Harley em sua mente, buscando tomar coragem para ir conversar com Lylia.

 

Enchendo o pulmão de ar e expirando para fora, Harley foi até à menor que se mostrava ser um pouco solitária.

 

- oi – disse de forma tímida. – prazer, eu sou..

 

- você é o mago que não precisa aprender feitiços passivos. – arqueou um sorriso irônico para o garoto.

 

- foi bastante arrogante aquilo que eu disse, não foi? – caçava a cabeça desviando o olhar.

 

- digamos que eu já estou acostumada a ver garotos dizerem aquilo. Parece que eles se sentem ofendidos em ter de aprender feitiços passivos por assim dizer. – tocou no ombro do garoto. – veja o sinal, esse é o aviso de que está na hora do recreio. Venha, lanche comigo. – o segurou pelo braço o levando para fora da estufa. Harley achava engraçado toda aquela inteligência de Lylia, movido pelo interesse de saber mais sobre ela, ele seguiu junto dela indo direto para o pátio da Academia.

 

O tempo se mantinha nublado, mas a chuva já havia se apaziguado. Na cantina Lylia pegava sua bandeja de comida e caminhou até a área coberta do refeitório, e ali aguardou até que Harley colocou sua bandeja sobre a mesa e se assentou ao lado da garota.

 

- posso te fazer uma pergunta?

 

O olhou enquanto levava uma colher de purê de batata a boca, acenou para ele com a cabeça e continuou comendo.

 

- eu notei sua expressão de discordância durante a história da professora Eudora, o que foi aquilo?

 

A garota começou a devorar toda a comida buscando ignorar aquela pergunta...

Mas a sensação de que Harley a encarava incomodava bastante, era como se seu corpo e mente tivessem criado um sistema de defesa que detectada os olhares que se direcionavam para ela, o que era bem constante na academia, já que poucos gostavam dela naquele lugar. Terminando de comer a coxa de franco Lylia pegou um guardanapo e limpou sua boca.

 

- digamos que a história contada mostrou apenas meias verdades. – amassou o guardanapo e o colocou dentro da bandeja.

 

- como assim, meias verdades? – a curiosidade de Harley era tanta que o garoto nem mesmo tocou em sua comida.

 

- eu não poderia estar falando sobre isto aqui, pois é considerado como heresia pelo grande conselho da alta cúpula. – olhou para séria ele e empurrou a bandeja para o tal. – mas contarei, e como forma de pagamento, você irá levar minha bandeja.

 

- claro, eu levo. Agora conta.

 

- olha.. quase toda a história contada pela Eudora foi verdade, menos o fato de Celeste ser um Elfo..

 

- o quê ela era?

 

- se calar a boca eu falo. – respondeu Lylia meio irritada. Ela odiava ser interrompida por alguém. – como eu estava falando, eu li em um livro antigo que roubei da biblioteca que revela que Celeste era um dos nove Arcanjos enviados para terra a mil anos atrás. Você não achou simples demais alguém aceitar ensinar magia para um desconhecido só porquê ele disse que seria para proteger a vida no mundo?

 

As palavras de Lylia gerou grande dúvida no coração do garoto, o deixando em um grande dilema.

 

- meu querido.. a resposta para a grande verdade é simples, Celeste se apaixonou por um humano. Um ser divino teve relações sentimentais com um mortal, e através dessa relação é que houve o consentimento de ensinar a magia para os seres humanos. Diz as escrituras que foi através dessa união entre o Arcanjo da Tempestade e um Humano que surgiu a tribo dos Elemental do ar.

 

- eu nem sabia que essa tribo existia. – baixou a cabeça confuso com tudo aquilo.

 

- Harley.. a magia que ensinam aqui na academia é apenas uma pequena fração do poder real que eles escondem. Você já se perguntou o que é magia arcana? – o ruivo apenas olhou para ela sem nada dizer. – magia arcana é apenas uma magia bruta que poucos seres mortais são capazes de dominar, pois o poder é capaz de consumir seu portador se o corpo do tal não for compatível com a energia pura dessa magia. Esse poder é tão puro que ele é capaz de fluir de dentro de seu portador.. como ninguém sabe dizer a procedência dessa magia, ela acaba recebendo o nome de arcana. Mas a verdade é que a magia nada mais é do que um poder divino, entregue especialmente para um Arcanjo, mas o tal perdeu o livro que continha toda essa magia antiga, e Elward o encontrou, e foi dessa forma que ele se tornou o mago mais poderoso da Academia, assumindo o posto de Grão-mestre. Logo depois dele esta Gord, o grande guardião e mestre da academia de magia. – ouviu o sinal tocar. – meu amigo, existe tanta coisa por debaixo dos pano neste lugar...mas isso não é algo relevante para um garotinho bobo igual você ficar pensando. – se levantou da mesa e sorriu para ele. – não se atrase, a próxima aula é com o professor Gord, e ele não é nada paciente. – deu as costas e seguiu em direção aos corredores.

 

Largando os pensamentos de lado, Harley levou as bandejas até a cantina e saiu correndo em direção a sala, para ter sua primeira aula prática com magia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...