História Terra Morta - interativa - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Apocalipse, Drama, Ficção Cientifica, Hot, Maior De Dezoito, Masoquismo, Romance, Sadomasoquismo, Sangue, Sobrevivencia, Tortura, Zumbi
Visualizações 40
Palavras 1.992
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, LGBT, Luta, Mistério, Orange, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiii meus zumbizinhos, bom queria pedir desculpas pela demora, como eu disse, semana de provas e conteúdo novo, mas enfim, espero que gostem!

Boa leitura!

Capítulo 6 - Pequenos conflitos - Parte 4


Fanfic / Fanfiction Terra Morta - interativa - Capítulo 6 - Pequenos conflitos - Parte 4

00:15 AM:

Carine pov's on:

Minha cabeça ainda latejava, mas já estava conseguindo me mexer, ainda estando um pouco tonta, abri os olhos e notei que minhas mãos estavam amarradas para trás das minhas costas e eu estaba em um tipo de banheiro

O piso era em um tom branco amarelado pela sujeira do local, o ralo enferrujado, junto a ferrugem de um chuveiro que parecia não ser ligado a anos onde o azulejo tinha manchas de sangue junto a sujeira

Caren- Aaah! - Dou um grito ao sentir água fria esguichar contra o meu corpo seminu

Olhei de onde veio a água e era a mesma velha de antes, ela segurava uma mangueira a qual apontava pra mim

Caren- Oque pensa que vai... - sou interrompida com aquela água fria batendo fortemente contra o meu corpo o qual bateu contra o azulejo, fazendo sentir uma forte dor em minhas costas

??- Logo logo toda essa sujeira sairá do seu corpo, que ficará sujo da "porra" daqueles homens que lhe aguardam hahaha! - ela ria de mim enquanto eu tentava inutilmente me encolher contra a parede

Carine pov's off.

A garota se debatia tentando soltar as amarras, e choramingava, pela dor do frio que sentia, suas extremidades já se encontravam quase que congelando, a água passava por sua pele como gelo tentando rasga-la, logo suas tremuras começaram e ela cairá de joelhos no chão, a velha apenas sorria, não sabia a hora de parar, sentia prazer com aquilo, e cada vez mais aumentava a pressão da mangueira...

Caren- por... Favor... - nessas suas últimas palavras entre suas tremedeiras ela caiu no chão encolhida

??- Me chame de Senhora Georgia! - Caren escutava, mas já era em som abafado, seus dedos das mãos pareciam queimar, pelo frio que sentia

Não era atoa, arrecem entrada da primavera em plena madrugada, o frio costumava ser um tanto intenso, e a água ao normal já baixa a temperatura de uma pessoa, quem dirá a gelada... Era visível que a garota estava entrando em fase de uma possível hipotermia e morte...

Georgia- Quer que eu pare gracinha? - disse a mulher se aproximando de Caren e acariciando o braço frio e molhado da mesma

Caren assentiu consecutivamente, enquanto tremia, batendo os dentes pelo frio, Georgia por outro lado começou a por a água fria no peito da garota fazendo ela rangir os dentes

Georgia- Agora... Implore! - disse ela com um sorriso estampado

Caren- eu... Eu... Imploro! - Carine já não conseguia falar direito, e acabou mordendo sua língua fortemente, logo sentindo o sangue adocicado escorrer por sua garganta

Georgia- Não... Assim não! Implore direito, ou eu aumento a pressão vadia! - gritou a velha enquanto passava suas mãos no corpo da garota, logo indo até os seios dela e os acariciando, aumentando o desconforto da nossa menina

Caren nesse momento sentiu seu orgulho ferido, como se tudo oque ela tivesse que fazer, é ser um cãozinho obediente, e foi nesse momento que Senkai lhe veio a sua mente... Oque poderiam estar fazendo com ele? Ela precisava o salvar, ela prometeu a ele que nunca o abandonaria, e com esse pensamento Carine levantou o olhar ferido para a velha a olhando no fundo de seus olhos

Caren- Por favor minha Senhora, eu lhe imploro... Por minha vida... - nesse momento Georgia desligou a mangueira e olhou para a garota dos cabelos selvagens, agora molhados e pouco volumosos

Georgia- Não demorou muito para que eu domesticasse uma cadelinha como você até! Haha - Ela riu em tom debochado e se levantou do chão olhando para Caren - pobre coitada! Não consegue nem se mexer haha

Caren nesse momento tremia de frio, mas já havia aliviado muito a água parar de esguichar contra seu corpo fraco

00:47 AM:

Enquanto isso, em um galpão envelhecido, próximo ao local em que Kellen se escondia com Senkai, um homem com uma estatura alta aparentemente 1,87, com uma pele branca um pouco envelhecida, barba  com alguns fios brancos, cabelos escuros, olhos negros, e um corpo com boa forma, aparentemente tinha uns 45 anos, adentra o local, onde se encontrava Fabrício, Taylor e dois outros homens loiros, todos de pé ao redor de uma mesa redonda de madeira, onde havia um mapa estendido sobre ela.

Taylor- Tenente Lancaster! Que bom revê-lo! - disse a mulher se direcionando ao homem que adentra o local da reunião

Lancaster- Porque atrapalharam o meu descanso? - sua forma fria e grossa de falar surpreendeu os dois homens que estavam ali, porém Taylor apenas sorriu, enquanto Fabrício não desviava seu olhar do mapa

Taylor- Tememos que sejamos atacados! - por sua expressão parecia estar calma, mas sua voz mostrou o contrário, Taylor estava nervosa, e incomodada com algo

Lancaster- Temos guardas por toda a parte, eles teriam avisado caso algo de estranho se movimentasse! - falou se escorando na parede atrás de si, ficando de frente para a mesa

00:49 AM:

Um barulho de algo dando impacto contra o chão em uma pilha de outras coisas, se é ouvido, logo ecoando por aquele lugar

Peter- Esse foi o último! - disse o garoto limpando suas mãos sujas de sangue em sua camisa

Era uma pequena casinha, antes, de um senhor de idade, porém agora seu corpo se encontrava sem vida em meio a outros cinco corpos amontoados ali em frente aos dois

Kellen- Ótimo! - disse ela em um tom satisfeito

Peter- precisamos sair daqui... - Peter olhava os corpos dos guardas que ficavam nas torres de vigilância e do senhor de idade, em que mataram, com certo nojo daquilo

Kellen- vamos!

Kellen se direcionou a porta de saída, e Peter foi atrás da mesma, ambos cuidadosamente saíram dali, e entraram na porta ao lado, naquele depósito onde Senkai os esperava sentado, com sorte nenhum dos zumbis que vagavam pelas ruas os viram.

Kellen não parou um segundo sequer de pensar em seu grupo que estava nesse lugar, provavelmente passando por coisas horríveis, mas seus pensamentos foram interrompidos por Peter que sentou no chão ao lado dela e a olhou logo iniciando uma futura briga talvez

Peter- Porque veio até aqui? - Peter tinha uma expressão séria, sua voz não era doce e muito menos gentil igual de antes.

Kellen o lança um olhar de repreensão e volta a acariciar os pelos de Senkai que dormia em seus pés

Peter- Porque? Porque veio me buscar Kellen? - Nesse momento sua voz sairá alterada e um tanto grossa, a qual Kellen não gostou nem um pouco

1:00 AM:

Hyung cuspiu sangue no chão enquanto estava de joelhos, Isabella via aquilo tudo com um homem a segurando contra o corpo dele, enquanto sua boca estava sendo tapada com a mão dele

Taylor- Isso foi por se negar a contar oque está acontecendo aqui! - disse a mulher aparentemente irritada

Hyung- Eu já disse que não sei nem quem é esse Peter, como vou saber o motivo dele ter sumido?! - Dessa vez o homem leva um forte soco em seu maxilar o qual ficará roxo em pouco tempo

Taylor- Fale a verdade! - alterando seu tom de voz com Hyung, o mesmo a olha nos olhos com raiva

Hyung- Nem que isso custe a minha vida! - retrucou o mesmo

Taylor olhou para Fabrício que estava ali ao lado, o mesmo negou com a cabeça, então a mulher respirou fundo e olhou para Hyung, dessa vez mais calma, colocou um sorriso nos lábios e começou o seu breve discurso

Taylor- Senhor Lee, é um homem bastante resistente sabia? Seria de grande utilidade tê-lo aqui para ajudar na proteção da cidade! Você pode ter uma vida aqui! Família, filhos... - Hyung dá um sorriso irônico ainda a observando - Tenho planos para você! Você não tem planos de vida durante tudo isso, e Isabella não parece ser tão forte para sobreviver em meio a esse caos! Podemos lhe dar uma vida Hyung! Não aceita?

Hyung- Fumar maconha, comer salgadinho e se masturbar não são ‘planos’ para mim senhorita! - Disse o mesmo e foi nesse instante de tempo em que Fabrício deu um chute no estômago de Lee o fazendo cair no chão com um corte em sua maçã do rosto

Isabella se debatia nos braços daquele homem, muito forte aparentemente

Taylor- Joguem-o para os infectados! - Fabrício assentiu e foi até Lee, o levantando do chão

Isabella- Não façam isso! Podemos negociar! - gritou a jovem assim que mordeu a mão do homem

Taylor olhou para Fabrício que ia em direção a porta empurrando Hyung

Taylor- Fabrício! Vem até aqui! - o mesmo assentiu ainda segurando Hyung - qual sua ideia vadiazinha?

Isabella- Tenho informações sobre Kellen e Peter!

1:28 AM:

Era uma casa de madeira, e em um dos quartos daquela casa, havia uma cama bem no lado direito no fundo da peça, com lençol branco, e sem travesseiros ou sequer cobertas, o chão rangia a cada passo dado, o vento frio daquela noite de primavera entrava pelas frestas da casa mau feita

Ali, naquele quarto, naquela cama, estava Caren, que usava uma camisola branca de cetim, a mesma estava perdida em seu próprio sono, mas a realidade logo a traria de volta, ela esta fraca, e ferida, não conseguia nem sequer se mexer, o frio estava passando, mas não podia se cobrir, oque não ajudava muito, desde que desmaiou e a velha a trouxe pra cá, um homem ficava ali naquele quarto a observando, alto, loiro, cabelos levemente bagunçados, possuindo grandes olhos cores esmeraldas, (conseguindo produzir um olhar encantador e sedutor), pode parecer ironia, mas a cor verde simboliza equilíbrio e calma, o total oposto de Liam, ele é a pessoa mais  desequilibrada e inquieta, não é muito alto, tendo 1,73 metros de altura, tem 65 kg, o que o deixa no peso ideal para sua idade e altura...

Em suas mãos, ele segurava firmemente uma escopeta, a qual ele volta e meia dava uma olhada, caminhando de um lado para o outro, o homem resolveu sentar em uma cadeira ao lado de Caren, ainda adormecida, mas foi apenas se encostar em uma mesa escura de madeira, que ele derrubou o copo de vidro, fazendo um barulho quando tem o impacto contra o chão

Caren- Oque tá acontecendo? - diz a mesma se sentando assustada na cama e olhando para o homem - quem é você?

Ela respirava ofegante o encarando firmemente, talvez a determinação dela a faria pegar aqueles cacos de vidro e enfiar no pescoço de Liam, mas como ela salvaria seus amigos depois?!

Liam correu rapidamente até a porta e olhou para o corredor, tentando avistar se alguém ouviu o barulho, com sorte, aparentemente todos estavam ocupados com seus afazeres, ele fechou a porta e foi até Caren que ainda o encarava com um olhar de raiva

Liam- Olha eu vi oque aquela velha fez com você... Eu só... - ele é interrompido com Caren saindo da cama e pegando um dos cacos de vidro

Caren- Onde estão os meus amigos? - disse enquanto apontava pra ele com o caco, cada vez se aproximando mais dele

Por algum motivo idiota, Liam não apontou sua arma pra ela, e a soltou no chão, a chutando pra longe dele, Caren da um sorriso irônico e vai até o mesmo o prensando contra a parede tocando o caco no pescoço de Liam

Liam- Eu só... Queria te ajudar garota burra! - retrucou ele ainda a olhando

Caren- eu vou te matar! Me diz onde estão meus amigos! - nisso ela apertou o vidro um pouco mais contra o pescoço dele, fazendo sair um pouco de sangue

Liam- Não pode me matar! Podemos ter que repovoar o mundo! - ele da um sorriso sarcástico, olhando para cada detalhe de caren

Caren-imbecil! - Caren o soltou saindo de perto dele e pegando a escopeta do chão

Liam- prefiro que me chame pelo meu nome! E a propósito, Muito prazer eu sou Liam Brain Wright e faço piadas quando me sinto desconfortável! - Sorriu enquanto secava o pouco de sangue que escorreu de seu pescoço com a manga de sua camiseta

Caren-Me chamo Caren! Agora vamos! - ela vai até a porta abrindo a mesma e notando que não estava mais naquela casa noturna, então onde ela estava?!


Notas Finais


Espero que tenham gostado, o próximo capítulo está em produção já!!

Kisses


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...