História Terror na Casa 4 - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 35
Palavras 841
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Harem, Hentai, Romance e Novela, Terror e Horror
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - "Será minha, apenas Minha" - Jeon Jung kook



2018- S/n


Eu estava exausta e tudo porque, estava disposta a trabalhar no meu novo emprego.


Recepcionista de Hotel


Sei não é grande coisa, más é um hotel luxuoso, pagam super bem e ainda mais nos dao uma casa de graça! O que mais eu queria?


Meus pais queriam muito que eu trabalhasse nesse emprego, pois eles queriamcque eu conhecesse outros países, me apaixonasse, etc. Típico dos pais.


Eu gostaria de poder viver histórias romanticas também, sei lá encontrar meu principe encantado. Como toda garota de 17 anos. Porém tenho que manter meus pés no chão, afinal minha vida nao é lá essas coisas.


Fiquei tão submersa aos meus pensamentos que acabei pegando no sono.


{...} ••• {...}


Depois que desenbarquei do avião, fui correndo pegar um táxi, e meu Deus do céu! Busan era o New York coreano. Foi uma luta conseguir um táxi, depois de meia hora eu havia conseguido (brigando com um homen de terno).


- entao senhorita qual será o seu fim? - eu estranhei a pergunta más deixa quieto.


- rua App casa n° 4 - eu disse e ele arregalou os olhos - o que foi? - ele vai dirigindo até o nosso destino

 

- você tem quantos anos? - ele diz olhando para o retrovisor me encarando sério


- 17... más em breve farei 18 - ele me olha apavorado - por que?


- 18... se as coisas ficarem pesadas procure o senhor Ching na farmacia - ele para na casa que por sinal estava bem cuidada e eu saio más antes - se algo, qualquer coisa acontecer, fuja! Essas coisas tem um grande apetit por pessoas estrangeiras nao-asiaticas.


E depois ele tirou as minhas malas, entrou no carro e foi embora.


O que ele disse me deixou de cabelo em pé. Como assim "se as coisas ficarem pesadas?" Do nada senti como se na janela daquela casa estivessem me vigiando. Talvez seja algun dono.


Puxei minhas malas para dentro da casa e senti um calafrio ao passar pela porta e aqueles móveis antigos más bem cuidados, davam um ar luxuoso a casa.


No teto havia um candelabro lindo más antigo, no chao havia um carpete de veludo cor vermelho. Fui subindo as escadas tentando achar um quarto para mim. O corredor diferente da sala era escuro e assustador, tinha um som estranho como um rangido, eu ia abrindo as portas vendo qual delas era meu quarto.


Entrei um que eu achei aconchegante e tinha uma varanda, eu abri a porta e pude ver o céu cinzento.


- é. Pela primeira vez na eternidade a previsao do tempo acerto! - eu fecho a porta da varanda e saí do quarto.


Quando saí eu vi um vulto no corredor do lado esquerdo da casa que dava a outro corredor mais escuro. 


- olha se for um fantasma... vou chamar a policia dos fantasma por invasao fantasmagórica na casa!! - eu vi um vaso caro cair no chao, fiquei assustada? Nao. O que me deixou realmente assustada foi saber que ele era caro - cara tu nao podia quebrar outra coisa?! Meu chefe vai me matar depois disso caralho!!! - eu choro um pouco porque sou dramatica (tipo eu sendo eu) - só tenho 17 anos, sou nova para morrer


Senti algo agarrando minha sintura com força e quando virei vi um cara estremamente sexy e fofo.


- voce só tem 17? - ele diz com um sorriso malicioso na cara - que ótimo.


- sim. E voce? E o dono da casa? 


- sim... nós somos. E você é a nossa hóspede! - diz um garoto de cabelo branco 


Lógicamente eu já estava animada, moraria com caras tao lindos. Más o único dono que era vivo era o dono do hotel. Ok... agora a coisa tâ ficando estranha, quem eram eles?


- ótimo, só que acho que errei de numero entao com liçenca - eu saio correndo más a casa inteira se fecha me impedindo de sair - me deixem sair!!! - bato na porta bruscamente já com lagrima nos olhos


Eu ouvia risadas no ultimo andar, e, quando me virei, havia avistado 7 garotos contando com os dois de antes. O mesmo que eu tinha visto vai descendo as escadas bem lentamente.


- meu nome é Jungkook e apropósito, nao irá sair daqui tão cedo, afinal você é o nosso sacrificio - ele chega bem perto de mim, e vai até meu ouvido - será a nossa cachorrinha, e será minha, apenas minha - e depois me beija ferozmente me prensando na porta


Mesmo tentando me esquivar, eu cedo e ele passa a lingua por todo o milimetro de minha boca.


- nao se preoucupe S/n, nós dois iremos se divertir muito - diz ele se afastando de mim e indo até os outros - mais uma coisa nem pense em fugir, se não iremos lhe dar uma poniçao.


{...} ••• {...}


Eu simplesmente não conseguia dormir. Eu nao estava sendo preferivel pelo meu trabalho e sim pois era o sacrificio.


Eu não posso fugir, pois não sei o que eles iriam fazer. Más nao importa as ameaças, o que me deixou assustada foi o final da frase de Jung Kook.


"Será minha, apenas minha"


Notas Finais


Comentem para me dar sujestões amo cês unicornios!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...