1. Spirit Fanfics >
  2. Texts Exchanged Between Us. >
  3. Duas Mil Mensagens

História Texts Exchanged Between Us. - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Duas Mil Mensagens


Park Jimin não poderia estar mais feliz. Seu lobo rolava dentro de si todo animado por finalmente ver após tanto tempo seu alfa. Não se viam a quase dois meses, quando o Jeon saiu em uma pequena turnê de shows pelo mundo. O ômega jamais impediria seu marido de viver seu sonho, mas não negava que a saudade crescia mais a cada dia em seu peito.

O pequeno Jeon Teo — lê-se filhotinho mais fofo da história — também estava animado para ver seu appa. Jungkook não era de fafo o pai biológico do menino, mas ajudou a cuidar de Jimin quando este ainda estava grávido de seu melhor amigo. Eu sei o que você está pensando meu caro leitor, isso seria um caso clássico de talaricagem se não fosse pela situação.

Jimin sempre foi apaixonado por Jungkook, mas antes era platônico. Não se conheciam, o ômega era um anônimo e o alfa um famoso, além de ser irmão do escritor Min Yoongi, a qual atualmente estava casado com o irmão do Park. O último citado nunca negou a Jung Hoseok (seu ex namorado, agora falecido) que tinha esses sentimentos, mas deu a chance dele de tentar o fazer cair de amores. O que deu completamente certo.

Todavia, a vida tem a mania de nos dar uma rasteira. Um pouco mais de três meses de gravidez, Jimin descobriu que seu namorado estava com leucemia em um estado avançado. Tudo que poderia fazer era esperar que ele morresse lentamente a sua frente. Foi o que fez. Não saiu do lado de Hoseok nen um segundo sequer. 

Naquela sala de hospital, antes de dar seu último beijo no alfa que tanto amou, Jimin o viu fazer Jungkook prometer que cuidaria bem de si. Hoseok sabia. Ele via a forma como se olhavam. Ele estava agradecido ao universo por dar ao ômega que tanto amava alguém para continuar vivendo.

Muitos não entendeiam quando ambos contavam a história. De fato perderam muitos amigos nessa caminhada, mas hoje estavam juntos e tinham um belo filhotinho de cabelo ruivo para cuidar.

Correndo pela casa como um bom alfinha de apenas cinco aninhos, o menininho soltou uma risada ao ser pego no colo por seu papai ômega. 

— O appa já chegou? — pergunta.

— Ele disse que já saiu do aeroporto, meu amor — mordeu levemente o narizinho de Teo, uma brincadeira que sempre faziam. — Vamos esperar seu papai na escada, tá bom?

Caminharam juntinhos até a entrada e ficaram parados ali sobre os degraus observando o portão. Jimin cantando baixinho para o filhote que brincava com um dos cachorrinhos da casa.

— Como eu estava com saudade de ouvir sua voz, amor — foi a primeira coisa que ouviu sair da boca de Jungkook. O alfa estava a sua frente com uma regata preta e calça da mesma cor. O tênis marrom de cano alto já característico.

O braço direito completamente pintado de tatuagens, um pouco musculosos, mas nada muito grande. Jimin pulou nos braços do outro, o abraçando fortemente, viu Teo agarrar as pernas do alfa mais velho e sorriu leve, o colocando sobre os ombros do marido. Deram um leve selinho e seguiram para dentro se casa.

O dia foi repleto de histórias, contando de coisas que aconteceram por trás dos shows, fãs malucos, comidas novas. Jimin ouvia tudo aquilo com admiração, pois adorava ver os olhos de Jungkook brilhando quando falava de sua música.

No final, foram para quarto do filhote e ficaram junto deste até que dormisse, para enfim terem um tempinho a sós.

Assim que saíram pelo corredor o Jeon pegou seu esposo no colo, o segurando pelas coxas e caminhou com esse até o quarto. Fechou a porta e trancou, logo deitando o corpo menor com delicadeza na cama. Seus lábios se tocaram em um beijo calmo, mas que logo tornou-se intenso, trazendo toda aquela saudade a tona.

— Foram quantas mensagens? — Jimin pergunta baixinho e ofegante após o final do beijo. Ele se refere as mensagens que trocavan todos os dias longe. Gostavam de contá-las, mesmo que não tivessem um significado especial de fato. 

— Duas mil. — Jungkook respondeu igualmente ofegante, sorrindo enquanto acariciava a cintura desnuda por dentro das roupas e traçava beijos pelo queixo e pescoço do Park.

— Certo — sorriu leve para o outro e o puxou para mais um beijo, agora dessa vez realmente calmo. — Temos dois mil segundos, amor. Não desperdice.

— Eu odeio quando isso acontece — riram, para então voltarem a fazer amor. 

Dois mil segundos não foram suficientes para que acabassem com o anseio que suas almas tinham uma da outra, mas Jimin não se importava de quebrar as regras de uma brincadeira boba, pois teria a eternidade para amar Jeon Jungkook.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...