História Thank You, Destiny - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Personagens Originais, Taeyeon, Tiffany
Tags Bae Joohyun, Byun Baekhyun, Jungkook, Kim Seolhyun, Kim Taeyeon, Nichkhun, Original Characters, Sungjae, Tiffany, Vernon
Visualizações 5
Palavras 3.771
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 21 - Persistência


Fanfic / Fanfiction Thank You, Destiny - Capítulo 21 - Persistência

Depois da conversa com Seungkyung, eu resolvi seguir o conselho dele e agora, eu trabalhava como assistente na Biblioteca Municipal de Gangnam. Eu ajudava a catalogar livros, arrumá-los nas prateleiras, organizar as mesas que as pessoas usavam, manter o silêncio quando adolescentes começavam a falar muito alto, além de auxiliar outras pessoas na busca por algum livro em específico. Eu gostava de trabalhar lá, porque na maior parte do tempo, era um local silencioso e calmo. Senhora Jong, uma idosa simpática de 60 anos, era a bibliotecária e minha chefe. Nós nos dávamos bem e sempre que tínhamos uma folga sem muitas pessoas na biblioteca, ela me chamava para sentar e tomar chá com ela.

Quando eu não tinha nada para fazer, pegava um dos livros que eu ainda não tinha terminado de ler e me sentava em um dos corredores formados pelas altas estantes de livros. E era exatamente isso, o que eu fazia naquele instante, até chamarem a minha atenção.

"Com licença, você pode me ajudar a encontrar um livro?"

Eu poderia reconhecer aquela voz a quilômetros de distância e quando olhei para cima, eu a vi olhando para mim, um tanto surpresa. "J-Joonhwa?!"

Eu me levantei, marcando com meu marca-páginas, aquela na qual havia parado de ler. Coloquei o livro dentro do bolso do meu avental, antes de me virar para Taeyeon. "Posso ajudar?"

"O-o que você faz aqui?"

"Se me disser qual é o nome do livro, posso pesquisar no terminal de consulta e localizar em qual seção ele se encontra." Eu a informei, ignorando sua pergunta.

"Você trabalha aqui?!?" Ela apontava para mim, segurando um pedaço de papel.

"O nome está nesse papel? Posso?" Eu o retirei de sua mão e o abri. Nele continua o título do livro e o nome do autor.

Fui até um dos computadores, atrás do balcão onde Sra. Jong ficava e pesquisei pela localização do livro. Ela havia saído para almoçar e me deixado no comando das coisas por lá. Depois que achei a estante onde o livro estava, peguei um dos exemplares e entreguei a Taeyeon.

"Se você quiser levá-lo pra casa e ainda não tiver um cadastro no sistema da biblioteca, precisará fazer um, com um documento com foto. Nós fechamos às 22h. Se precisar de mais alguma coisa, é só me procurar. Com licença." Eu disse e me retirei, indo em direção ao carrinho de livros, verificar se havia algum para ser devolvido às estantes.

Enquanto eu passeava pela biblioteca com o carrinho, percebi que Taeyeon havia pego uma das mesas e começado a ler o livro pelo qual estava procurando. Até aquele instante, eu não havia percebido que seu cabelo agora estava preto e não haviam mais franjinhas caindo sobre sua testa, como quando ele estava castanho. Agora haviam longas franjas dividindo seu cabelo ligeiramente para um dos lados. De qualquer forma, ficou bom. Como qualquer outra cor, o tom natural do cabelo dela, ficava bem nela.

Quando terminei de organizar os livros, deixei o carrinho no lugar e fui para atrás do balcão. Comecei a verificar algumas coisas no sistema da biblioteca, quando ouvi alguém limpar a garganta. Ao olhar para cima, vi que Taeyeon segurava o livro contra o peito, olhando para mim.

"E-eu quero levar..." Ela ergueu o livro, terminando não-verbalmente, sua sentença.

"Tem cadastro?" Eu perguntei. Em resposta, Taeyeon apenas sacudiu a cabeça em negação. "Trouxe algum documento com foto?"

Ela assentiu e me entregou sua identidade. Levaram alguns minutos para que eu terminasse o cadastro dela e lhe devolvesse seu documento. Pedi o livro que ela segurava, para registrar o código de barras dele no sistema e classificá-lo como 'empréstimo'.

"Você tem uma semana pra devolvê-lo. Se precisar de mais tempo, pode renovar o empréstimo pra mais sete dias. A biblioteca mandará um e-mail pra você, avisando da data de vencimento do seu empréstimo." Eu a informei, entregando o livro de volta.

Senhora Jong acabara de voltar do seu horário de almoço e me dispensou para o meu. Peguei meu casaco, celular e carteira e saí da biblioteca. Do lado de fora, escutei a voz de Taeyeon chamar meu nome.

"Se você precisa de ajuda, fale com a Sra. Jong. Agora é meu horário de almoço." Eu disse, colocando as mãos nos bolsos do casaco, ainda evitando olhar nos olhos dela.

"Na verdade eu queria saber se você não quer almoçar comigo...?" Ela perguntou, brincando com a alça da sua bolsa transversal.

"Você não tem um namorado ou amigos pra fazer isso com você?"

"Na verdade, Baek tá ocupado e a Fany tá com o Seung." Ela respondeu, com um sorriso sem graça.

"E eu sou o quê? Última opção? Olha... Não achei que fosse ser tão pouco assim, pra alguém." Eu disse, rindo sarcasticamente.

"Ne?! A-aniyo! Não foi isso o que eu quis dizer!" Nervosa, ela tentou se justificar.

"Eu sei o que você quis dizer. Se você não entendeu, eu tava sendo sarcástico." Revirei os olhos ao dar as costas à ela e começar a me afastar da biblioteca. Quando não ouvi passos atrás de mim, me virei de volta.

"Você vem ou não?" Perguntei, irritado por estar perdendo meu horário de almoço. Ela logo levantou a cabeça e correu até mim, nos mesmos passos rápidos e curtos de sempre.

Perto da biblioteca havia uma barraca de jjajangmyeon, na qual eu já estava acostumado a ir para almoçar. Quando pegamos uma mesa e fizemos nosso pedido, eu comecei a mexer no celular, enquanto Taeyeon me observava, batendo seus dedos contra a mesa.

"Então..." Ela começou, quebrando o silêncio entre nós. "A quanto tempo você trabalha na biblioteca?"

"Algumas semanas."

"E por quê decidiu começar a trabalhar?"

"Precisava me distrair." Eu continuava encarando a tela do celular.

"E... Como estão as coisas com você?"

"Do mesmo jeito." Dei de ombros.

"Nós nem tivemos tempo de conversar, desde que você voltou. Você estava sempre tão ocupado com os estudos que eu mal via você." Ela deixou uma risada sem graça escapar, enquanto colocava uma mecha de cabelo atrás da orelha.

"Música é a minha prioridade agora. Preciso focar no meu futuro." Eu respondi guardando o celular no bolso, quando trouxeram nossos pedidos à nossa mesa. Sem demorar muito, comecei a comer e Taeyeon apenas continuou me encarando.

"É bom saber que você tá bem... tomando conta de si mesmo." Ela sorriu, antes de baixar a cabeça para seu prato e mexer no seu macarrão.

"Não quero voltar pro hospital, só isso."

"Hospital? Como assim?" Ela parou de comer e me fitou com preocupação e surpresa em seu olhar.

*Então ela não sabia...*

"Não importa." Eu simplesmente respondi, voltando a comer.

Quando terminamos de comer, eu paguei a conta e saímos da barraca.

"Então eu vejo você na universidade...?" Ela perguntou.

"Até mais." Eu disse, ao me virar e voltar para a biblioteca.

O resto da tarde foi normal. Quando já estávamos fechando, Sra. Jong me pediu para terminar de organizar tudo, porque precisava ver seu neto que estava no hospital. Eu lhe assegurei de que cuidaria de tudo e que ela não tinha com o que se preocupar. Quando eu finalmente fechei a biblioteca e saí do prédio, encontrei com Taeyeon na frente da porta da frente.

"Oi!" Ela animadamente disse, ao me ver.

"O que você faz aqui?"

"Eu... Uhh... Q-queria saber se você não querer... Sei lá, comer alguma coisa...?"

"Por que você tá fazendo isso?"

"Isso o quê?"

"Tentando se aproximar de mim."

"B-bom, eu só--"

"Pára com isso. Já foi duro demais, ter que passar por tudo o que eu passei nesses últimos meses, tentando seguir em frente e eu ainda tô tentando lidar com isso."

"Joon, eu--"

"Pára, por favor. Pára de me chamar assim. Desiste dessa ideia de agir como se fóssemos amigos e não dificulta as coisas pra mim." Eu pedi, antes de ir embora. Mais um segundo lá e todo meu esforço até aquele momento, seria em vão.

Ao chegar em casa, encontrei Seungkyung na cozinha todo sujo de farinha de trigo enquanto coçava a cabeça, lendo um livro de receitas como se estivesse tentando decifrar que raios estava escrito nele.

"Eu vou querer saber o que você tá querendo fazer?" Perguntei erguendo uma das sobrancelhas, ao pegar um pouco de água.

"Hyung! Que bom que chegou! Você precisa me ajudar." Ele soltou o livro em cima do balcão e correu até mim.

"Eu não vou arrumar essa bagunça... Se vira."

"Não é isso. Eu quero fazer um bolo pra Fany."

"Por quê? Você esqueceu do aniversário de vocês e quer compensá-la com doce?"

"É que já faz um tempinho desde a última vez em que eu fiz algo especial pra ela e como eu sei que a Fany gosta quando dessas coisas fofas, como ela gosta de dizer, eu queria tentar algo desse tipo."

"Embora eu queira te ajudar, você sabe que eu não sou bom com doces. Mesmo que eu tentasse ler a receita e fizesse um bolo como se fosse montar algo seguindo um manual de instruções, acho que você precisa do auxílio de alguém com mais experiência em Patisserie."

"Tem alguém em mente?"

"Taeyeon. Ela adora assar bolos, biscoitos, cupcakes, etc." Eu dei de ombros ao responder.

"Hyung..."

"Só tô falando que ela é melhor nisso do que eu. Se você precisar que alguém distraia a Tiffany, posso passar a tarde com ela e ganhar tempo pra vocês dois." Eu expliquei, sem muita empolgação. Era só um favor para o Seungkyung e eu poderia pedir um dia de folga para a Sra. Jong.

"Jinja?!? Uwa~ Joonhwa hyung jjang!" Ele me abraçou, com um grande sorriso no rosto.

"Tá, agora me solta... quero tomar banho." Eu disse, batendo levemente nas costas dele.

"Mas hyung..."

"Hm?"

"Você e ela já se falaram?" Ele parecia meio receoso.

"Ela foi à biblioteca hoje. Nós almoçamos juntos." O olhar desanimado continuava no meu rosto.

"Vocês conversaram?"

"Não. Eu preferi evitar qualquer tipo de aproximação com ela."

"Por quê?"

"Preciso ficar longe dela, se eu quero mesmo seguir em frente."

"E é o que você quer?"

"Que outra escolha eu tenho?"

"Lute por ela."

"Acho que eu tentei mais do que devia. Já acabou o interrogatório?"

Ele suspirou e apenas assentiu. Eu me retirei da cozinha e segui para o banheiro. Quando me deitei, não demorou muito para que eu dormisse, devido ao cansaço.

~~~

Mesmo depois de tanto tempo, eu continuava tendo pesadelos. Sempre acordava no meio da noite, suado, ofegante e assustado. Meus pais queria me levar ao terapeuta e me fazer falar sobre esses sonhos, mas eu me recusava a ir. Se eu não conseguia me livrar deles, como é que outra pessoa pode fazer isso por mim?

Voltei a dormir, apenas para ser acordado pelo Butter às 6h da manhã. Depois de me lavar, eu tomei meu café e saí para caminhar. O clima da manhã me recebia com uma brisa gelada, juntamente com o canto de pássaros no topo das árvores. O sol ainda não havia presenteado a cidade de Seoul com toda a intensidade de sua luz. Assim como parte da população, ele ainda acordava. O céu era uma mistura de azul, amarelo, laranja e um toque de vermelho. Se eu pudesse, ficaria admirando aquela paisagem eternamente. Mas coisas boas duram pouco tempo e eu estava certo disso por experiência própria.

Quando terminei de me exercitar, voltei para casa e tomei um banho, antes de me arrumar para a faculdade. Ao sairmos de casa, Seungkyung disse que buscaria a namorada na casa dela e eu me despedi dele, o informando que iria à biblioteca do campus.

Ao chegar ao meu destino, peguei uma das mesas disponíveis por lá e comecei a estudar. Não haviam tantos alunos naquele horário, o que me agradou bastante.

"Bom dia." Disseram, ao sentar-se na minha frente.

Quando desviei os olhos da página que eu lia, para a pessoa, vi que era ela sorrindo abertamente a mim.

"Bom dia." Eu respondi indiferentemente, voltando o foco à minha leitura.

"O que está lendo?"

"Um livro."

"Sobre o quê?"

"Coisas."

"Dormiu bem?" Taeyeon continuava sorrindo.

*Não.*

"Sim."

"Comeu?"

"Você não deveria fazer essas perguntas ao seu namorado?"

Ela aparentou ficar retraída por alguns segundos, mas logo se recompôs. "Não posso saber como um amigo está?"

"Eu já falei pra você parar com isso. Não somos amigos e ficar perto de você, só vai piorar tudo pra mim." Fechei o livro, peguei minha mochila do pé da mesa e saí da biblioteca.

Quando eu andava de volta para a sala, puxaram meu braço, me fazendo virar. Ela com certeza, era insistente.

"Por quê não pára de querer me afastar de você e me diz logo porquê tá me evitando tanto?!"

"Eu quero esquecer de você! Eu quero seguir com a minha vida e fazer o que eu vim fazer aqui." Eu explodi. Se ela queria tanto a verdade, então que assim fosse. "Pára de querer se importar comigo! Você já deixou as coisas bem claras pra mim, assim como o meu lugar na sua vida." Mais uma vez, eu a deixei com seus próprios pensamentos.

O dia não poderia passar mais devagar. A aula parecia durar uma eternidade antes de finalmente sermos liberados para o intervalo. Eu comia em paz na minha mesa com meu livro na mão esquerda, quando Seungkyung e Tiffany foram sentar-se comigo.

"Hyung, você não anda estudando um pouco além da conta?" Ele perguntou, preocupado.

"Perdi muita aula. Preciso do dobro de esforço pra manter minhas notas nesse semestre."

"Não se esforce demais." Seungkyung disse, chutando levemente, meu pé por baixo da mesa. Eu olhei para a frente e o vi apontando com a cabeça para a Tiffany. "A-ahh, Tiffany..."

"Ne, oppa?"

"Hoje eu queria comprar algumas... camisas novas e precisava de uma opinião feminina sobre o assunto. Se importa de ir comigo?"

"Claro que não. Além do mais, eu e o Seunggie não temos nada planejado mesmo." Ela sorriu antes de virar-se para ele, suas apertando as bochechas. "Tudo bem pra você?"

"Claro! Divirtam-se." Seungkyung respondeu, implantando um beijo na bochecha da namorada.

Logo, alguém mais juntou-se a nós.

"Uwa~ tô morrendo de fome."

Suspirei, irritado com a persistência dela. "O que você quer aqui?"

"O que parece? Eu vim almoçar." Sorrindo, ela deu de ombros, enquanto olhava para sua bandeja.

"Com 'aqui', eu quis dizer 'nessa mesa' dentre tantas outras disponíveis...?"

"Eu só queria almoçar com os meus amigos."

"Bom apetite, então." Peguei meu livro, minha bandeja e deixei a mesa.

Eu não queria voltar à biblioteca nem à sala, então visitei um lugar no qual fazia tempo que eu não ia. Ainda parecia tudo igual por lá. A diversidade de cores das flores. A grande árvore. O banco de madeira logo abaixo dela.

Peguei meu caderno de composições e um lápis de dentro da mochila e comecei a escrever...


{Amor, é tão difícil

Eu acho que não dá para evitar

Por que eu ainda, porque ainda estou sofrendo?

Não é possível esquecer apenas uma pessoa, você

A palavra 'desculpe' que você disse

'Estou tão exausta' que você disse

Ainda está tocando nos meus ouvidos

Acho que não posso esquecer

O que eu deveria fazer?

As lágrimas caem novamente, eu estou tão machucado

Eu sou o único? Eu acho que você não está

As lágrimas caem novamente, o que eu deveria fazer?

Sinto muito sua falta, mas você está se afastando de mim

O que eu vou fazer?...}


"O que eu vou fazer?" Eu repetia o último verso da folha em voz baixa, enquanto encarava o vazio à minha frente.

"Fiquei me perguntando quanto tempo levaria pra você voltar aqui."

Fiquei calado. Eu começava a acreditar que não adiantava teimar com ela. Eu nem sabia mais o que dizer ou fazer para deixá-la longe de mim. Talvez tratamento silencioso, fosse a melhor alternativa.

"Não adianta me tratar com desprezo. Pode tentar evitar falar comigo e me afastar, mas eu não vou sair de perto de você. Vou grudar em você como cola."

Dei uma olhada nela, não acreditando no que eu escutava. "Escuta, qual é o seu problema?! Por quê não me deixa em paz e sozinho?!"

"Porque você é importante pra mim."

"Quantas vezes eu vou ter que falar pra você parar?!? Eu tava ótimo quando voltei e não precisava e continuo não precisando da sua ajuda. Esquece que eu existo, Taeyeon." Com raiva, eu saí do jardim até esquecendo meu caderno no banco.

Eu não estava com cabeça para passar mais algumas horas, dentro de uma sala de aula então simplesmente fui embora mais cedo. Falei com Sra. Jong e ela me liberou sem problemas. Perto do fim da aula, mandei mensagem para Tiffany, avisando-a que eu esperava no portão principal do campus. Quando ela apareceu, nós nos despedimos de Seungkyung e seguimos para o shopping.

Decidimos comer alguma coisa antes de procurar pelas camisas que eu 'pretendia' comprar. Nós conversávamos um pouco sobre o que aconteceu nos últimos meses, enquanto comíamos.

"Então vocês pararam de trabalhar na cafeteira?" Eu perguntei.

"Mhm. Eu e a Taetae ainda estamos procurando por um novo emprego, mas foi bom parar de ouvir a gritaria daquele louco estressado." Ela riu mas eu, ainda no Estágio 3, apenas devolvi um mero sorriso falso sem mostrar os dentes. Ela percebeu que ele não era genuíno e suspirou. "Momento difícil?"

"Até demais. Tentando seguir em frente, eu acho." Dei de ombros, antes de comer mais um pouco.

"Ela tá dando trabalho pra você, não tá?"

"Eu só quero que ela pare. O melhor é cada um seguir pro seu lado. Não quero Taeyeon como minha amiga, porque eu nunca vou conseguir olhar pra ela desse jeito. Ela tem o namorado e eu tenho minha música."

"Então vai continuar tratando-a com insensibilidade e frieza até que ela desista?"

"É quem eu sou agora, Tiffany."

"Aniyo. O Joonhwa oppa nunca faria algo assim."

Passamos um bom tempo, indo de loja em loja, procurando pelas camisas que eu 'queria'. Eu fazia questão de experimentar toda e qualquer peça que a funcionária da loja me mostrava, mesmo que a sugestão não agradasse os olhos de Tiffany.

Enquanto isso, Seungkyung e Taeyeon estavam no preparo do bolo, quando ele quebrou o silêncio, depois de um tempo em que eles ficaram quietos.

"O hyung tinha razão... Você é mesmo boa com doces." Seungkyung riu.

"Joonhwa?"

"Sim. Foi ele quem recomendou que eu pedisse ajuda a você com isso." Ele respondeu, apontando para a tigela onde ele batia os ingredientes da massa.

"Então esse é o Estágio 3?" Ela perguntou, franzindo a testa. Seungkyung apenas assentiu, igualmente desapontado. "Ele tá tão diferente... Como se toda a felicidade dele tivesse desaparecido."

"Foi exatamente isso o que ele disse, ao entrar no táxi com nossos pais, antes de ir pra Busan."

"E por que ele foi pra lá?"

"Acho que o único que tem o direito de falar sobre isso, é ele. Mianhae, noona."

"Ani, gwaenchanha. É só que... É estranho olhar nos olhos dele e não conseguir enxergar nada, quando eles eram sempre cheios de alegria, preocupação e ternura."

"É por isso que você não sai da cola dele?"

Ela assentiu. "Tenho que fazer de tudo pra trazê-lo de volta. Afinal, a culpa foi minha."

"A-aniyo! Você não pode se culpar por--"

"Não, Seung. Fui eu quem partiu o coração dele e agora eu tenho que consertar."

"Mas e se ele já desistiu de você?"

Algo dentro de Taeyeon não gostou de como aquela pergunta soou. Lá no fundo, ela sabia que alguns sentimentos ainda restavam. A dúvida persistente era sobre continuar acreditando que eles faziam parte apenas do instinto de preocupação com um amigo ou um sentimento mais forte que nunca morreu dentro dela.

De volta ao shopping, algumas horas haviam se passado quando nós finalmente decidimos quais camisas eu levaria e ao sairmos da loja, passamos no Starbucks mais próximo e pegamos algo para beber. Eu pedi à Tiffany que sentássemos um pouco para descansar e propositalmente, tomei meu frappuccino o mais devagar possível. Quando terminei, Seungkyung me mandou mensagem, dando sinal verde para voltarmos para casa.

Antes de sairmos do shopping, Tiffany disse que precisava ir ao toilette e eu fiquei esperando ela voltar, até que uma cena um tanto quanto intrigante havia me chamado a atenção.

Baekhyun saía do cinema perto de onde eu e Tiffany estávamos. O interessante era que ele andava com uma outra garota... de mãos dadas. Eles não paravam de sorrir um para o outro, como o casal mais feliz de todo o planeta.

Quando ele me avistou, seu rosto ficou pálido e ele congelou, tirando um sorriso sarcástico do meu rosto. Ele disse algo no ouvido da garota e ela saiu de perto dele.

"Ora ora ora, que encontro... conveniente." Eu disse, ao me aproximar dele.

"Dá o fora, imbecil." Ele retrucou, já irritado.

"Uh uh uh, eu não acho que vou ser eu a dar o fora em alguém, aqui."

Ele riu cinicamente. "Ah é? E quem vai fazer isso? Ela? Mesmo se você contar, em quem você acha que ela vai acreditar? No idiota patético que nunca teve a chance de chamá-la de namorada ou no namorado a quem ela deu uma segunda chance, porque ainda o amava?" Baekhyun sorria com confiança.

"Sabe, eu acredito mesmo em karma. Toda essa conversa de 'colher o que você planta' ou 'o que vai, volta'... parece fazer bastante sentido, você não acha? Agora vamos analisar sua situação até agora: Você me fez quebrar o braço e tá traindo sua namorada. Não parece ser um caminho muito bonito, hein amigão? Você deveria tomar mais cuidado com as escolhas que faz." Eu bati de leve em sua bochecha, antes de dar as costas a ele e encontrar com Tiffany na entrada dos toilettes.

Eu a acompanhei até o portão e me despedi agradecendo pela ajuda, antes de ir embora.

Mesmo que eu não mostrasse muito ânimo, Seungkyung me contaria tudo depois, do mesmo jeito então apenas tomei meu banho e fui me deitar, quando cheguei em casa.

~~~

Mais uma manhã normal. Caminhada normal. Aula normal. Taeyeon ainda na tentativa de voltar a se aproximar de mim, Baekhyun irritado com a atenção que a namorada dava a mim, eu ignorando ambos... Bla bla bla.

Agora, eu organizava nas estantes, alguns livros que a Sra. Jong havia acabado de catalogar, até que ela me chamou. Fui até o balcão onde ela estava e estranhei quando ela gesticulou para Taeyeon, que estava logo ao meu lado.

"Joonhwa-ya, você poderia explicar como tudo aqui funciona para Kim Taeyeon-ssi?"

"Ne?" Eu a indaguei, ligeiramente confuso.

"Ela estará começando hoje como assistente."


Notas Finais


Música mencionada no capítulo:

Tears Fall Again - Park Sang Jun


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...