1. Spirit Fanfics >
  2. Thanks for all >
  3. Gratidão

História Thanks for all - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olha o gol do Ganso, olha o gol do Zé Eduardo...

Fala aí meus leitores, eu tô na área novamente... trazendo mais um episódio desse história super legal que vocês gostam demais...

E novamente agradecendo aos comentários e favoritos do capítulo passado, muito obrigado mesmo, meus mestres...

Nos comentários do capitulo anterior, eu disponibilizei as datas de aniversário de alguns personagens, então se te ajudar em algo, dá uma conferida lá...

Essa informação não vai agregar em nada, mas essa semana(02/06), foi especial, pois o Ceará completou 106 anos de história, e eu fiquei bem feliz por mais um ano de vida do meu segundo time... Saudades define...

Enfim, fiquem com o episódio de hoje...

Capítulo 3 - Gratidão



Durante esses dias, estou passando muito tempo com o Ash, ele vem me visitar três vezes na semana e venho aproveitando o máximo a sua companhia. Finalmente achei um parceiro de treinamento a minha altura, onde posso colocar as minhas estratégias novas em prática e ver no que estou errando, e inclusive nesses treinos, alguns pokémons do Ash acabaram evoluindo, como no caso do seu Boldore, Buizel e Oshwatt que evoluíram para Gigalith, Floatzel e Dewatt, respectivamente. 


Mas não fazemos apenas treinamentos, tiramos um tempo para conversar sobre quaisquer assuntos e saímos para fazer alguma coisa juntos, o que me deixa bem animada, pois sempre vamos a lugares que ele escolhe, e geralmente são locais onde tanto eu, como ele nos divertimos bastante, como na semana passada onde ele me levou ao cinema para assistirmos um filme onde um Gengar tenta destruir toda a humanidade, Mas um grupo composto por um Wartotle, um Snorlax verde, uma Gardevoir, um Scizor, um Alakazam, um Ariados, um Durant e um Raikkou o impedem de fazer isso - Inclusive, me emocionei bastante com o sacrifício do Scizor -, e faz 2 dias em que o acompanhei para assistirmos a final da liga regional de pokéfut entre os Ekans contra os Rattatas; Enfim, eu gosto demais da companhia dele, deixam os meus dias melhores.

Em um certo dia, estávamos realizando o nosso treinamento que, além de batalhas pokémon, exigia alguns exercícios físicos, pois segundo ele, manter a forma juntamente dos pokémons era essencial também, e nessa parte, eu concordo com ele, já que nos preocupamos tanto com isso e nos esquecemos de dar um bom exemplo disso a eles.

Só um detalhe que me chamou a atenção é que o Ash, em determinados momentos, me olhava de cima a baixo, e eu não precisei utilizar meu poder de telepatia pra saber disso, apenas o flagrei em determinados momentos, mas ele acabou que por não perceber, sem contar que a minha vestimenta de treinamento o davam uma colher de chá, facilitando-o em sua admiração sobre o meu belo corpo. 

Eu posso não ser convencida, todavia se tratando na parte de estética, eu posso falar que sou bem bonita e, falando mais claramente, gostosa, e digo sem nenhum receio; Mas tenho que admitir também, o Ash não fica atrás em relação a esse quesito de aparência.

Durante todo esse tempo em que esteve em suas jornadas, os treinamentos que ele realizou o deixaram com um corpo maior, com mais músculos, fazendo ele se tornar um homem bem atraente e desejável, e bom, quando o vi novamente, o achei mais bonito em relação ao tempo em que o conheci e também quando o via na TV ou por fotos e videos na internet. Isso é otimo, um homem como ele merece ficar com uma mulher linda como eu.

Ash propôs que treinassemos as fraquezas dos meus pokémons, assim eu poderia colocar em prática minhas estratégias novas e fortalecer ainda mais os meus pokémons, e sem pensar duas vezes, topei na hora, e acabou dando certo, pois consegui aumentar a velocidade do Alakazam, a defesa e ataque especial do Metagross, e a resistencia da Mr. Mime e do Hypno; Passamos uma boa parte do dia em treinamento, então resolvemos dar por encerrado o treino daquele dia, pois estávamos bem exaustos, mas orgulhosos dos resultados que obtivemos.

- O seu Gengar é bem resistente, Sabrina.- Ele fala, enquanto sentávamos na grama, uma vez que realizavamos os treinos em um espaço aberto na rota 8, já que era inviável fazer no ginásio.

- Esses anos todos treinando deram resultado... - Eu o respondo, enquanto fazia um carinho na cabeça de meu pokémon.

- Você treinava com os líderes de ginásio antes de mim, certo?! - Ele me pergunta e eu assinto - Então tá explicado o motivo dele ser tão poderoso assim. Bom, eu te parabenizo por ter cuidado e treinado tão bem ele, hoje vejo que tomei a decisão correta em deixá-lo sob seus cuidados. - Ele me diz e eu abro um sorriso sincero.

- Obrigada Ash, fico feliz em saber que não o decepcionei... - Eu lhe digo, e ele me retribui o sorriso, que por sinal era muito bonito.

Quando o Ash resolveu me entregar o seu Haunter, ele tinha total certeza que o fantasma se sentiria bem, afinal, ele tinha gostado de mim, e eu dele, e sabendo disso, me deu a responsabilidade de ser a treinadora dele e, consegui realizar esse papel com perfeição. 

Apesar de ser muito forte, ele é muito brincalhão e divertido, e mesmo com o passar dos anos, aquele fantasma não perdeu a sua essência, e eu posso falar isso pois ele me diverte sempre que pode. 

Como eu já havia falado, o Gengar só havia sido derrotado por três treinadores, e justo os campeões da liga, que foram o Ritchie, Gary, o atual campeão Trace, e agora com o Ash, esse número aumenta para quatro, e se considerar que ele também é um campeão de liga, o tabu não foi quebrado. Ele realmente é incrível.

- Ash, eu nem te apresentei o ginásio ainda né? Ele mudou algumas coisas durante esse tempo... - Eu falo, enquanto o olhava diretamente.

- Eu já tinha percebido que ele havia ficado diferente, ficou até mais moderno. Vai querer me mostrar? - Ele me indaga.

- Sim...

- Entao vamos lá, porém eu estou cansado para termos que andar até lá. - Ele fala, já sacando sua pokébola.

- Não será preciso usar seu Charizard... ele deve estar descansando... vamos de teletransporte... - Eu falo, deixando -o um tanto quanto pensativo. - O que foi? Não gostou da minha idéia?

- Não é isso, é que estou lembrando das vezes que me locomovi usando esse meio. Já faz um tempão, e seria bacana poder viajar assim de novo. - Ele me responde, o que me alivia um pouco.

- Então... segure as minha mãos... - Eu o peço e ele faz como eu disse, ficando de frente a mim, e assim que as seguro, uso o meu poder e nos teleportamos até a frente do ginásio, e ao chegarmos lá, Ash não se equilibra e aterrissa de forma estranha, caindo no chão, e assim que isso ocorre, dou um passo pra trás e levo as mãos até minha boca, demonstrando uma expressão de surpresa.

- Você está bem? - Eu o pergunto, indo até onde ele estava e o ajudando a se levantar.

- Ai... Eu nunca aprendo como se pousa direito... - Ele fala, colocando a mão no maxilar - Mas eu estou bem, obrigado e pela ajuda.- Ele fica em pé novamente e eu solto uma risadinha - E você ainda ri da minha desgraça, que amiga você é... - Ele fala, rindo juntamente comigo logo em seguida.

- Você e uma figura... tenha mais cuidado da próxima vez... - Eu digo enquanto ria juntamente com ele. - Vem, vou te mostrar as mudanças... - Eu falo e ele me acompanha.

Amiga... Espero que um dia possa ser mais do que isso; Tem uma coisa que eu não citei, mas geralmente eu não me divertia tanto assim, ficava mais na minha, até que nós começamos a sair, conversar e treinar juntos. Ele é muito divertido, engraçado e bem agitado, e isso meio que me contagiou também, é impossível não ficar animado perto dele, até mesmo eu que até então era quieta e tímida, fiquei um pouco mais aberta, porém ainda permaneço com a minha personalidade de antes, e isso eu acho que nunca vou mudar.

Apresentei todo o ginásio para ele, e claro, ele se impressionou bastante com isso, e não era pra pouco, já que um local que até então parecia um castelo antigo, se tornou uma espécie de centro tecnológico. 

Para ser mais claro a vocês, meus pais e o prefeito de Saffron haviam investido muito em tecnologia e equipamentos de ponta, visto que a própria cidade poderia se considerar uma metrópole, e além disso, cientistas e professores trabalhavam em análise de desempenho, em testes com os alunos e em habilidades especiais.

Havíamos mudado totalmente o patamar da escola, que era gerida por meus pais, mas eu não pretendia largar o ginásio, e sendo assim, recusei a oferta deles de ser gestora, porém quando eles partirem, terei que assumir essa responsabilidade, e quem sabe, Ao lado de Ash. 

O campo de batalha não havia mudado seu local, bastava apenas seguir pelo corredor que é uma linha reta e adentrar a porta que chegaria lá, e após o local de batalha, havia mais uma passagem, que dava até onde estava instalada a minha casa.

Sim, minha casa e o ginásio eram dentro da escola, e era uma moradia bem bonita e confortável, com uma sala bem espaçosa, uma cozinha da mesma proporção, O quarto dos meus pais, o meu, e, por fim, a porta de saída, que foi feita com o intuito de não ter que passar pela escola ao sair. 

Assim que acabei de mostrar toda a minha residência, Ash ficou admirado com tudo aquilo que vira, desde o início da minha apresentação pelo ginásio.

- Estou perplexo, Sabrina. Essa estrutura é grandiosa demais, realmente mudou bastante desde aquele tempo, e a sua casa é bem bonita e arrumada.

- Obrigada... ela só não é maior pois o dinheiro que meu pai recebe, ele acaba investindo na escola, e acaba que não sobra muito pra casa, mas mesmo assim, ela é boa de se morar, gosto dela... - Eu justifico o motivo dela não ser tão grande e luxuosa, já que pensei na possibilidade dele estranhar esse fato.

- É melhor que a minha. - Ele me diz, olhando em direção a porta de saída, uma vez que já estávamos no lado de fora dela.

- Não sei, nunca fui lá... - Eu pondero.

- Qualquer dia eu te levo lá. - Ele fala e assim que termina, começamos a dar uma volta pela cidade.

Essa última fala dele me deixou esperançosa, conhecer a casa e a mãe dele seria muito importante para mim, assim saberia como a minha futura sogra seria e, teria uma idéia do que fazer caso a gente namorasse e casasse.

- Sabia que amanhã é meu aniversário? - Eu o revelo.

- Não, eu tô sabendo agora.- Ele me diz, não sabendo da data, pois até então eu não tinha lhe falado.

- Pretende me presentear? - Pergunto, curiosa.

- Sim, eu vou pensar numa coisa legal, você vai gostar. - Ele me responde e fico feliz, mas não era preciso presente algum dele, somente o fato dele estar ali comigo já era o bastante.

Durante esse tempo que nós ficamos mais próximos, estava com dúvida em um ponto bem pertinente, pelo menos pra mim: As suas companheiras de viagem. Ele havia me citado algumas coisas sobre elas, mas nunca falou delas de fato, e eu até entendo isso, porém, eu tinha uma enorme curiosidade em saber como elas eram, e porque ele não conseguiu nada com as mesmas, então, resolvi abordá-lo sobre isso em nosso passeio.

- Ash... - Eu chamo a sua atenção.

- Diga.

- Já faz uns 4 meses que nós viramos amigos... e você nunca me falou sobre as suas amigas de jornada... Poderia me falar sobre elas? - Eu o peço e ele para de andar, ficando surpreso com meu pedido.

- Tem certeza que quer saber mesmo? - Ele me pergunta e eu confirmo, assentindo com a cabeça. - Então tá, já que você pediu né... - Ele conclui e nós caminhamos em direção a um banco e, assim que nós sentamos, Ash começou a me falar.

Ele falou muito bem delas, o que me deixou de certa forma um pouco enciúmada, mas precisei controlar isso, afinal, fui eu que pedi para ele me contar sobre elas. 

Ele me falou de 9 meninas que o acompanharam em suas jornadas, e dentre elas, uma é a líder de ginásio, Misty e a outra é a campeã de Unova, Íris; Já as outras, segundo ele, são bem diferentes umas das outras, porém iguais quando se tratam em buscar os seus objetivos. 

Mas de todas as garotas, uma em especial me chamou muito a atenção, especialmente pelo fato dele ter me falado uma situação com ela em específico, e ela se chama Serena. 

Ash me falou dela por último, mas diferente das outras, nessa em específico, o seu tom de voz não estava do jeito habitual, mas um pouco mais triste e decepcionado, e quando ouvi a história, consegui compreender o motivo.

Basicamente, ele me falou que essa garota, demonstrava gostar bastante dele, e isso o deixou bem esperançoso, e não era pra menos, ela passava a impressão de o amar bastante, segundo ele, tanto que em sua partida, ela o deu um beijo de despedida e partiu em direção a Hoenn, com a promessa de o encontrar novamente. 

Ele acabou me confessando que, na época deu um vacilo por não ter tomado uma decisão sobre isso, já que o mesmo havia ficado receoso por não ter conseguido uma outra vez com a sua companheira em Sinnoh, Dawn, porém, ele resolveu deixar do jeito que estava até acabar sua jornada por Kalos, o que foi uma péssima escolha, em minha opinião.

Pois bem, em seu tempo por Alola, eles mantiveram contato e, ela o deixou com alguma esperança, mas, era apenas ilusão. 

Ele me conta que em um determinado dia, acabou recebendo uma ligação por videochamada da Serena - Coisa que os mesmos realizavam semanalmente -, e para sua surpresa, a mesma apareceu com um determinado cara - Cujo nome eu não irei recordar -, dizendo que era o seu mais novo namorado.

Obviamente, o Ash questionou o que estava acontecendo e, a resposta dela foi algo que partiu o seu coração.


Frases como "Eu não gostava de você", "Eu te iludi durante todo aquele tempo", "Eu teria vergonha de ter um fracassado comigo ao meu lado", dentre outras frases que partiram em milhões de pedacinhos o coração do Ash.

E como se não bastasse isso, ainda quase teve que presenciar uma cena inapropriada entre a Serena e esse homem - Não visto, pois ele desligou a chamada no momento em que o homem massageava o seio esquerdo da garota. Sim, ela havia assumido á ele que era uma depravada, desde a época de sua jornada.

Por sorte, os amigos o deram bastante força em relação a isso - Embora tenha demorado um pouco a superar de fato -, e ele acabou seguindo em frente, superando esse fato muito bem.

Eu senti uma grande pitada de raiva e ódio dessa garota, pois além de ter feito isso, a vítima foi o homem que eu amo. Sério, como alguém é tão falsa e cínica a esse ponto? Sendo capaz de machucar alguém por puro ego e interesse, e logo uma pessoa tão incrível e atenciosa como o Ash... Tem coisas que eu não vou entender nunca.


- Que garota maldita... - Eu falo, sentindo um sentimento de raiva e indignação, que acabou sendo percebido por ele, uma vez que presenciou eu levitando um iluminador presente no local. Na hora, tive um leve descontrole, porém, consegui me estabilizar.

- Não se preocupe com isso, eu já consegui superar, com a ajuda dos meus amigos e pokémons, então isso meio que não me afeta mais como antigamente. Estou bem, pode acreditar. - Ele me fala e, senti que havia sinceridade em suas palavras.

- Que bom... Isso realmente é péssimo, mas fico feliz que você tenha ficado bem... - Eu lhe falo, e então resolvemos ir em direção ao centro pokémon.

No caminho, percebi que ele havia ficado um pouco pensativo, e logo conclui do que se tratava, então usei um pouco de telepatia e acabei vendo o que estava sentindo, que era um sentimento de frustração, e fiquei um pouco comovida com ele. 

Mesmo que ele tenha me dito que já superou, tocar nesse assunto novamente o deixou nesse estado, e não era pra menos, uma situação dessas derrubaria qualquer pessoa emocionalmente, e com o Ash não foi diferente, mas mesmo que estivesse assim, Ele não deixou isso o abalar e estava falando sobre outras coisas comigo no caminho, e eu, meio que absorvi um pouco de sua "tristeza"; Eu sei que não era preciso, mas um fato desse onde o prejudicado é a pessoa que você ama é complicado.

Eu não falava nada durante o caminho, apenas concordava com as coisas que ele falava, não por desinteresse nem nada, mas por estar pensando em tudo que tinha acabado de ouvir, tanto que no centro pokémon nós falamos pouco, coisa que até então não era comum, fazendo ele me questionar se eu estava bem. Eu sei, não deveria ter feito isso, mas eu estava pensando em como ajudá-lo a não se sentir mais assim, embora ele tenha dito que já não o afetava mais.

Assim que pegamos os nossos pokémons de volta, voltamos em direção a minha casa, onde lá ele iria sacar seu Charizard e levantar vôo até Pallet, e assim que chegamos lá, ele liberou o seu companheiro de vôo.

- Bom Sabrina, eu já vou indo, amanhã passaremos o dia comemorando o seu aniversário. - Ele me fala enquanto se preparava para me dar um abraço de despedida.

Era comum que déssemos esse cumprimento antes que ele fosse embora, todas as vezes fazíamos isso, mas, naquele momento, especialmente ali, resolvi mostrar a ele, indiretamente ou diretamente, que eu, definivamente, seria a pessoa que ele estava procurando, e que estaria disposta a ser sua companheira.

Tomada pelo impulso, segurei a parte de trás da sua cabeça e o puxei para um beijo, que o pegou de surpresa e não deu tempo do mesmo corresponder, pois foi uma bitoca rápida, porém cheia de sentimentos.

- Até amanhã, Ash... - Eu me disperso dele, se virando logo em seguida e entrando pela porta de minha casa, sem ter ideia de qual era a reação dele.

Me senti satisfeita após fazer isso, aquele beijo pode ter sido curto, mas eu tive a convicção que poderia ter mostrado muitas coisas a ele, e pra mim, me alimentou uma esperança que, um dia, poderíamos ter alguma coisa, e enquanto eu estava deitada na minha cama, fiquei pensando naquilo e, principalmente, nele, e assim, adormeci. 

Você pode até dizer que eu tive a mesma atitude dela, e bom, pode até ser, mas o diferencial é que a Sabrina aqui sempre vai estar com o Ash, sem mentir ou enganá-lo. Eu, definitivamente, não sou igual a ela.

--------------------------------------------------------------------------------

Passamos o meu aniversário se divertindo, com ele estando comigo durante todo o dia. Inicialmente, demos uma volta de Charizard por Kanto, o que foi uma experiência única pra mim, já que nunca tive a oportunidade de ver a região por cima, uma vez que nunca havia andado de avião, e poder presenciar a vista pelo alto, juntamente com o vento batendo em seu rosto é uma sensação indescritível, jamais irei esquecer esse passeio, gostaria de realizar mais vezes.

Depois, fomos até o Shopping de Saffron, onde lá ficamos o restante do dia, a começar que fomos ao cinema assistir A invocação do Mimikyu 2, um filme bem aterrorizante que me agradou muito, pois sou fã do gênero de terror, e após o filme, fomos até a parte dos jogos, onde tanto eu, como ele, nos divertimos bastante, porém nos deixou muito cansados, todavia satisfeitos, e assim que saímos de lá, fomos até o McDucklett e comemos um delicioso Big Duck com batatas e um copo de Beartic-Cola.

Logo após, ele me presenteou com um bonito colar de Clamperl, que deve ter custado muitos pokédolares, mas prontamente eu aceitei o seu presente, e fiquei extremamente feliz e não, não fiquei com aqueles clichês maçantes de "É muito caro, não posso aceitar", isso é chato e insuportável, principalmente para o comprador que precisa ficar insistindo pra pessoa aceitar o presente. Eu definitivamente não sou dessas, então eu aceitei mesmo, tanto que usei assim que recebi. 

Em resumo, o dia foi maravilhoso, o melhor aniversário que já tive em todo esse tempo, tanto pelas atividades como pela companhia, estava tudo perfeito e não poderia ficar melhor aquele dia.

Estava um belo final de tarde, precisamente o relógio batia as 17h30, e nesse tempo, eu e o Ash nos encontrávamos em nosso local de treinamento, mas dessa vez, embaixo de uma árvore admirando o lindo pôr-do-sol que enbelezava a paisagem do local. Eu estava sentada, com as pernas cruzadas e, acariciando os esperados e bagunçados cabelos dele, que repousava o crânio sobre elas. 

O momento estava ótimo e bem relaxante, eu diria, com alguns Rattatas e Pidgeys que passavam sobre o local, e em meio a esse clima, Ash resolve tomar a palavra.

- Andei pensando numa coisa. - Ele fala e me atiça a curiosidade.

- Sobre o que? - Eu decidi lhe perguntar.

- Aquela história com a Serena. - Ele me revela e eu fico curiosa em saber onde ele queria chegar.

- Seja mais específico... - Eu lhe peço e ele sai de sua posição e se senta, olhando diretamente para mim.

- Bom, quando eu te falei sobre o fato, fiquei pensativo sobre todo o ocorrido e como isso me afetou bastante na época. - Ele diz, encarando o chão. - Eu até tinha tentado algo com a Dawn, mas não fiquei tão abalado como com a Serena, e confesso que, após isso, não me interessei mais por nenhuma garota, porém, cheguei a uma conclusão. - Ele diz, se levantando e ficando ao meu lado, escorando-se na árvore e eu faço a mesma coisa.

- E qual seria? - Pergunto, curiosa.

- Que não posso tirar parâmetros por conta de uma pessoa em específico. Existem várias que, eu tenho certeza que me apoiariam, me amariam, estariam do meu lado, me ajudariam, e que seriam excelentes companheiras... E eu vejo todas essas características em você. - Ele me revela, olhando diretamente para mim.

- Sério? - Eu o pergunto, devolvendo o olhar a ele, surpresa com o que tinha acabado de ouvir.

- Sim... Já tem um mês que eu venho pensando na possibilidade de nós tentarmos algo, sei lá. Eu te vejo não como uma amiga, mas como uma companheira que, está sempre comigo do meu lado, embora seja apenas pouco tempo de convivência, já foi o bastante para que eu visse o quanto você seria uma ótima mulher ao meu lado, e que eu seria um homem bem feliz, e aquele beijo que recebi ontem me fez ter mais certeza ainda que você sentia a mesma coisa que eu. - Ele fica de frente a mim - Eu gosto de você, Sabrina, não só como amigo, mas como um algo a mais, e não só isso, indiretamente, você me fez acreditar novamente que eu posso achar alguém que me faça feliz, e eu sou muito grato a você por isso. - Ele termina, e a declaração dele me fez soltar algumas lágrimas, percebidas por ele. - Ficou muito clichê o que eu disse? É que...

Eu não deixo ele terminar de falar e me jogo nos braços dele, dando um bitoca bem longa, que foi correspondido por ele logo em seguida, e foi um beijo com todo o meu sentimento e intensidade, tanto que caímos no chão e, com os pokémons selvagens como plateia, ficamos nessa condição, até que o oxigênio nos impediu de continuarmos e, ofegantes, demos uma risada em seguida, e então decidi falar o que eu gostaria tanto durante todo esse tempo.

- Você não sabe o quanto eu esperei por esse momento... Eu passei 4 anos da minha vida pensando em você, e desde aquele tempo, tive a esperança que eu o encontraria novamente... - Eu falo a ele, enquanto algumas lágrimas rolavam em meu rosto, prontamente limpas por ele. - Eu que sou grata a você por tudo, desde aquele dia em que você apareceu, até os dias de hoje... Eu jamais vou esquecer os momentos em que passamos juntos, são muito especiais para mim, e eu os guardarei eternamente comigo... Eu te amo, Ash... - Termino de falar e demos mais um beijo demorado, e dessa vez, tanto eu, como ele, estávamos realizados em termos encontrado alguém que nos completasse.

Ao terminarmos o nosso beijo, ficamos abraços ali no chão mesmo, e como eu estava em cima dele, pude desfrutar de carícias em meu cabelo, e nesse cenário, Ash resolve tomar a palavra.

- Então, o as minhas palavras não foi nenhum clichê? Que susto. - Ele me revela, surpreso, o que me faz soltar uma risada.

- Não... Se tivesse sido eu teria lhe dado um tapa por ter sido assim... - Eu o respondo, e logo me vem uma dúvida - E eu, fui?

- Definitivamente, não. - Ele me responde, me deixando aliviada. - Ahn, quer namorar comigo?

- Achei que não era preciso perguntar... Mas, respondendo a sua pergunta, é claro que sim... - Eu o respondo e, após isso, demos mais um beijo.

Já estava escurecendo, então nos levantamos e nos dirigimos até a cidade, de mãos dadas, e no caminho uma cena me deixou curiosa: Um bando de Rattatas nos acompanhavam até a entrada da cidade, felizes, provavelmente eles tiveram ciência do que aconteceu, já que eles conseguem compreender a linguagem humana.

Assim que chegamos ao destino, ele se despediu com um beijo e montou em seu Charizard, na direção de Pallet e eu, contente, adentrei a minha casa e lá, contei a novidade para os meus pais e eles me parabenizaram, ficando até mesmo emocionados por mim. Esse, definitivamente, foi o melhor aniversário que eu já tive em toda a minha vida, jamais irei esquecer esse dia.

--------------------------------------------------------------------------------

Eu estava deitada na minha cama, ouvindo uma música do Zigiss em meu Rotom fone - Sim, eu curto bastante rock - e, ao mesmo tempo, estava pensando em todas as coisas que haviam acontecido até agora.


Eu quase não consegui assimilar as coisas direito, foi tudo tão rápido... Pensar que há uns 6 meses atrás eu estava aqui, pensando nele, como ele poderia estar, o que estaria fazendo, com quem estava principalmente, se algum dia ia vê-lo novamente... e hoje, eu estou aqui, podendo abraçá-lo, beijá-lo, estar com ele em todos os momentos, e principalmente, cuidar dele, e me sinto feliz e realizada, pois aquilo que sempre desejei, finalmente se tornou realidade.

Jirachi, muito obrigada por ter feito realidade o meu sonho, sou eternamente grata a você.. e Arceus, você, sem dúvidas, é o maior, não tenho palavras para expressar a minha gratidão.


Notas Finais


That's All folks!!!

Espero de verdade que vocês tenham curtido esse capítulo...

O final tinha ficado melhor que esse, só que eu tive um problema e aí acabou não salvando, daí eu tive que refazer kkkk(Essé autor é burro demais, seloko...)

E eu espero ter acertado nas referências também kkkk...

O Feedback de vocês é muito importante pra mim, então desde já, sou "gardecido" por cada comentário, favoritos e follow que vocês me dão...

Ah, e se você tem alguma história que quer ter uma divulgação minha, me manda uma mensagem no DM que eu coloco no capítulo que vem...

Enfim, a gente se vê na próxima meus caros leitores...

E #vaicorinthians


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...