1. Spirit Fanfics >
  2. Thanks for all >
  3. Porto Seguro

História Thanks for all - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


*Um Celta prata, com uma caixa de som tunada, passa*
Sirene: PEEEEEEEEEEEEEENNNN!!!!
Locutor: A Pedro Divulgações, ABALA A CONCORRÊNCIA! MUAHAHAHAHAHA!!

*Musica*
A Concorrência ficou fraca,
O Pedrin chegou na parada
Os clientes satisfeitos,
Viram que foi uma boa jogada

Concorrência toda dominada,
Agora só uma saída

Divulga, Divulga com a Pedro Divulgações
Vai
Divulga, Divulga com a Pedro Divulgações!!!

- Well, essa história está sendo escrita pelo @Kaminari_ , e se chama "Pokémon Sol e Lua: Alolan Chapters", que conta, de forma diferente, A passagem de Ash Ketchum pela região praiana. Eu li e digo que tá bem escrita e muito bacana de se acompanhar. Dá uma passadinha por lá. ( https://www.spiritfanfiction.com/historia/pokemon-sol-e-lua-alolan-chapters-17658368 )

- Já Essa aqui é a do @SkEscritor e se chama "Ash and his adventures in Pokémon world", que fala da saga do Ash Ketgol, após ter sido o campeão de Alola, em busca do seu sonho de ser um mestre Pokémon. Sério, dêem uma lida por lá que tá muito massa, é tanto que por causa dela que o ship Ash x Rosa(DeepVastShipping) virou o meu favorito. Vocês vão gostar muito. ( https://www.spiritfanfiction.com/historia/ash-and-his-adventures-in-the-pokemon-world-18842684 )

- E essa aqui é a do @Rockybalboa1971 e se chama "Last Kiss", que conta um relato real do autor de uma tragédia que aconteceu, e ele retrata isso na pele do Ash. É uma fanfic bem bacana e o autor é gente boa demais. Vão lá dar uma lida que tá massa (
https://www.spiritfanfiction.com/historia/last-kiss-19670018 )

Enfim, dêem uma passada nessas histórias que estão super legais. E caso queira a divulgação, entra em contato comigo.

Locutor: Pedro Divulgações!!! O moral do Spirit!!! MUAHAHAHAHAHAHAHA!!!

Sirene: PEEEEEEEEEEEEEEENNNN!!!
--------------------------------------
Gilbert Clays: PEDRINHOO!

Plateia: Aeeeeeeeeww!

Locutor de fundo: Fanfics, no Spirit, É fanficaço!

Pedrin: Tira o Pé do chão...

Gilbert Clays: AÊÊÊÊÊÊÊ PEDRÃÃÃÃÃO! Thénkis forauuuu!!! Vai Didjjeeeii!!


Como vocês podem ver... O Mito chegou, E o Brasil acordou...

Sempre agradecendo o ótimo feedback que vocês te me dado...

Gilberto Barros: Pedrinho AÊÊÊÊÊÊ...

Então, Era pra ter saído semana passada, mas aí o indivíduo que vos fala, acabou tendo um contratempo e acabou atrasando, então FOI MAL AI GALERA!!!
(- O autor ficou se entretendo com outras coisas, foi isso, esse miserável irresponsável...- Diz Sabrina, com a mão nas têmporas e balançando a cabeça negativamente.)

É, Eu sei que vocês ficaram ansiosos, mas a espera acabou pois cá está o capitulo, e ficou até que bem grande por sinal Kkkkkk
(- Só espero que a qualidade seja boa, ou então... - Diz Sabrina, com um olhar maligno e um sorriso maléfico.

- G-Glup... - Pedro Engole em seco.)

Gilbert Clays: ARREBENTA!!!


Ah, nas notas finais tem um recadinho procêis...

Enfim, sem mais delongas, fiquem com o episódio de hoje...

Gilbert Clays: Destaque Internacional...

Capítulo 5 - Porto Seguro



Ultimamente, eu venho pensando se o meu jeito de ser incomoda o Ash em alguma coisa. Eu sei que ele me ama do jeito que eu sou, e pensando desse jeito como eu sou, é um pouco sem nexo.

Mas por que eu comecei a pensar assim? Bom, isso começou na Pokéstar. Nos primeiros dias em que eu comecei a trabalhar por lá, senti que algumas pessoas não gostaram da minha presença por lá, o que deduzi que poderia ser algum tipo de inveja ou, algo do gênero, mas eu acabei relevando isso.

Pois bem, uma das atrizes resolveu tentar fazer amizade comigo, e de início ela me pareceu bem simpática e receptiva, me apresentando os estúdios e as pessoas que estavam lá, e então, um dia ela resolveu falar sobre o meu jeito de ser, dizendo eu era muito fria, sem ânimo e que eu deveria mudar a minha maneira de ser, pois, segundo ela, o Ash poderia se sentir incomodado com a minha personalidade.

Isso me deixou um tanto quanto pensativa, mesmo sabendo que ele me ama do jeito que eu sou. Eu poderia estar criando paranóias a respeito, mas vez ou outra, eu me analisava enquanto namorada, e via que, precisava ter a certeza daquilo que eu tinha dúvidas.

Então, enquanto eu e ele estávamos voltando da rota 8 até a minha casa, aproveitei o gancho e resolvi questioná-lo a respeito disso.

- Ash... - Eu o chamo.

- Fale.

- O meu jeito te incomoda? - Eu o pergunto, o que fez ele ficar incomodado com o que acabara de ouvir.

- Perai, que raio de pergunta é essa? - Ele me questiona, soltando a minha mão e parando de andar.

- Assim... eu gostaria de saber se, por acaso, em algum momento o meu jeito de ser te atrapalha ou te afeta... seja sincero, por favor... - Eu reformulo a minha pergunta, fazendo o soltar uma risada.

- Te disseram isso lá? - Ele me pergunta e eu assinto com a cabeça. - Eu já devia saber mesmo. Mas, é o seguinte, amor, a gente se conhece a uns 7 meses, e tem 3 meses e meio que começamos a namorar, certo?!

- Por aí, eu acho...

- Pois é. Me diga quantas vezes eu, Ash Satoshi Ketchum, pedi pra você mudar o seu comportamento ou, lhe disse que o seu jeito de ser era ruim. - Ele me diz e eu, fico apenas ouvindo. - E então, já fiz isso alguma vez?

- Nunca... no máximo você apenas me perguntou, no início, se eu estava gostando de conversar com você, e entao eu respondi que esse era o meu jeito mesmo... - Eu digo, soltando uma pequena risada.

- Pois então. - Ele me dá um selinho em seguida - Presta atenção, eu não sei o que essa tal pessoa te falou, mas eu, definitivamente, não me importo com isso.

- Você falou igual a mim agora... - Eu reparo, e fez ele sorrir.

- Foi inconsciente, eu nem percebi. - Ele me diz e dou uma risadinha. - Mas, eu vou te falar uma coisa, todos nós temos o nosso próprio jeito, comportamento e personalidade, que nos define quem somos, e assim, se for pra mudar, que seja por nós mesmo, não pelas outras pessoas.

- Faz sentido...

- Eu não quero que você pense que eu fico incomodado ou ache ruim o seu modo de se portar, porque eu te amo do jeito que você é, e mesmo que não seja de um jeito mais "espontâneo" como o meu, tu me ama também, mas do seu jeito, e pode acreditar em mim, isso me deixa muito feliz e satisfeito. - Ele me diz, e logo em seguida eu sou abraçada pelo mesmo. - E eu te amo, do jeitinho que você é.

- Eu também... - Eu o falo, abraçando bem forte, E logo após, ele se solta do abraço e me fala uma última coisa.

- E mais uma coisa, não mude por causa das pessoas, sério, elas querem que você se comporte iguais a elas e, isso é muito chato. E eu não quero que você mude por causa de mim, pelo contrário, mude por causa de você mesmo, não pelos outros. Tá ok? - Ele me questiona e eu, abro um sorriso.

- Ok... Obrigada pelas palavras, e me desculpe por pensar assim de você, eu deveria ter pensado melhor sobre isso... - Eu falo, olhando para o chão e, sinto os seus dedos sobre o meu queixo levantando a minha cabeça, e levando ela até os seus lábios, selando uma bitoca.

- Tudo bem, as vezes a gente pensa essas coisas mesmo, mas eu espero que você não fique pensando essas bobagens mais, isso só vai te afetar, e eu quero que você fique bem. - Ele me diz, e dou um sorriso como retribuição. Já na cidade, ele dá algumas risadas, o que me atiçou a curiosidade.

- Qual é a graça? - Eu o pergunto.

- Imaginei que você perguntaria. - Ele me responde. - É que eu pensei em uma piada, só que você não entendenderia.

Dei uma leve risada com isso, tenho a impressão de já ter ouvido isso em algum lugar, mas isso não importa. Como de costume, chegamos até a minha casa, demos um beijo de despedida e ele partiu até Kanto montado em seu Charizard.

Eu fiquei muito satisfeita e extremamente feliz pelas coisas que ele me falou. Realmente, Eu não deveria pensar essas coisas, só fazem me achar que não sou boa o suficiente pra ele, que me faz tão bem e vice-versa e, não irei mais dar ouvidos a esse tipo de comentário, continuarei sendo quem eu sou, e o amando do meu jeito, coisa que eu faço com muita intensidade.

--------------------------------------------------------------------------------

Já tem 8 meses que eu comecei o novo trabalho de atriz, e nesse meio tempo, ganhei um belo de um destaque pelas minhas atuações, que foram em um curta onde mostrava a história da irmã de Bracey-man e, uma pequena participação em um filme onde um Elgyem vem a terra e faz amizade com um garoto. Pode se dizer que eu conquistei o público e a crítica.

Bom, eu fiquei bastante feliz com o reconhecimento das pessoas, principalmente dos produtores que me elogiaram em todos os aspectos, seja de atuação, a convivência, beleza e por ai vai, e isso era muito gratificante pra mim, e me motivava a continuar no ramo.

Porém, nem tudo são um mar de rosas, certo?! Ao mesmo tempo que consegui essa notoriedade toda, a inveja e a falsidade entraram no meio disso tudo também, e por determinadas vezes, pude ver pessoas tentando me prejudicar e me passar para trás, da forma mais descarada possível, e nem preciso citar das coisas que me chamaram durante esse período, que vai de "Esquisitinha" a outros nomes que eu não citarei aqui por conta da ética, e o pior disso tudo é que isso vem de pessoas que na minha frente aparentavam ser pessoas cordiais, mas que por detrás, se mostravam o que eram realmente. É, o mundo da fama tem dessas coisas mesmo.

Eu ia ganhar o meu primeiro papel em uma pokéserie que se chamaria "Rota 117", que falava sobre a história de uma mulher que busca vingança após a vilã ter a abandonado em uma floresta repleta de pokémons venenosos; A pokéstar entrou em parceria com a Rede Hoenn e, forneceu alguns atores para lá, e eu, fui uma das deslocadas.

Ia fazer o papel da vilã que se chamaria Karumemu Suzuko, e particularmente, era a personagem que eu gostaria de pegar, e como era o meu primeiro trabalho principal, senti que a responsabilidade seria muito maior, porém eu fiz igual o Ash: Cerrei os punhos, estendi eles a frente e, disse que nada ia me parar - Eu fiz isso no sentido literal, não achem que eu seja louca.

Estava tudo indo conforme o planejado, numa boa, até o momento em que o diretor anunciar quem pegaria quais personagens. Todos gostaram dos papéis que pegaram, e como eu já sabia por antecipação por conta de um dos protagonismos, Não fiquei surpresa, a não ser uma das atrizes que, se enfureceu com o fato de eu ter sido escolhida para o papel da vilã. E só a título de curiosidade, a moça que fez o protesto foi a mesma que me falou pra mudar meu jeito.

E como eu sei disso? Bom, da pior maneira possível. Eu estava indo em direção ao meu camarim quando, de repente, senti uma força maligna, porém achei que fosse apenas uma intuição passageira, porém, logo senti uma mão puxando meu braço com violência.

- Você acha mesmo que vai tomar o lugar que é meu aqui? - Ela me pergunta, num tom ameaçador.

- Solte-me... Eu não quero tomar nada... - Eu digo, me soltando dela.

- Escute aqui, sua Carvanha, eu não vou deixar que você tire o meu espaço aqui. Você não passa de uma esquisitinha aproveitadora. - Ela me diz, o que me faz ter um pouco de raiva. - E não é uma atuaçãozinha mixuruca que vai mudar isso. Eu não sei como o Ash, que é um rapaz tão bonito, consegue namorar uma moça esquisita e sem um pingo de charme como você é. Sabe, ele merece coisa melhor do que uma estranha.

Escutar aquilo foi a gota d'água pra mim. Até então ela, havia tentado me prejudicar, sabotar a minha imagem e, uma vez ela quase me dava uma surra, não fosse os meus poderes telecinéticos. Eu até então preferia não a responder ou, pedia para ela parar com os ataques, mas era a mesma coisa que ensinar um Water Gun a um Magmar, e quando ela envolveu o nome do Ash, eu não pude mais me conter. Você pode me chamar do que quiser, agora envolver nisso as pessoas que eu amo, é apelação demais.


- NÃO CITE O NOME DELE! ELE NÃO TEM NADA A VER COM ISSO! - Eu exclamo, furiosa, o que faz ela levitar um pouco. - Já aguentei muita coisa de você, Yuuna, mas não vou permitir o envolva nisso...

- Ui, a esquisita tá usando o poderzinho dela... - Ela zomba, e eu a jogo no chão, sem usar a violência. Estava me controlando demais.

- Por favor, pare com isso. Eu não sei porque você me trata assim, desde que eu cheguei, você me mostrou ser uma pessoa falsa e dissimulada para comigo, sempre querendo me colocar pra baixo... Porque sempre está fazendo isso comigo? - Eu a indago,

- Simples... Porque eu te odeio! Desde que chegou aqui, você tem sido a queridinha de todos. Sempre sendo elogiada, bem falada, com as pessoas te enaltecendo... e eu, estou à 3 anos tentando ganhar algum reconhecimento e, quando finalmente estava conseguindo, você me aparece e rouba tudo de mim. - Ela desabafa, com os punhos cerrados.

- Eu não quero tomar o seu lugar... eu apenas estou fazendo o meu trabalho... - Eu falo, o que a faz dar uma risada irônica.

- Ah, agora você vem com essa né?! Pois saiba que você não é isso tudo que dizem... - Ela diz, com um claro deboche. - Só porque tem um ginasiozinho de pokémons estranhos igual a você não quer dizer nada pra mim. Aliás, porque não volta pra lá? Ah, já sei, deve ser porque você é uma líder tão patética, que resolveu largar o ginásio pra tentar outra coisa né? - Yuuna diz, dando uma bela risada irônica.

- É melhor que ser uma atriz fracassada... - Eu a Rebato, o que fez ela se endurecer de fato. Eu não queria ter dito isso, porém, a circunstância me obrigou. - A verdade dói, né...

- Cale a Boca! Você não sabe de nada! Quem é você pra falar alguma coisa? Você não é nada, é apenas uma mulher intrometida que os produtores elogiam por pura babação, e eu nem sei o que o Luke viu em você, deve ter sido pena, como todas as pessoas enxergam em você... Pena, porque você é esquisita, uma vadia imprestável que todo mundo apenas atura. - Ela me diz e eu me seguro para não fazê-la voar dali, porém ela nota. - Que é? Vai me atacar? Ataque.

Eu, que até então estava tentando ao máximo não me descontrolar em relação aos meus poderes, agora me encontrava parada, ouvindo tudo o que aquela cidadã me proferira.

- Deixa eu te dizer uma coisa: Vá embora daqui, ninguém gosta de você, ninguém te ama, quem ia amar uma menina tão esquisita e estranha que nem você? O Ash? - Ela dá mais uma risada irônica. - Ele não te ama... Ele só está com você por pura pena de ti, e os seus amigos da mesma forma. - Ela me diz, e, anda até ficar do meu lado. - Ah, mais uma coisinha... O Ash nunca será feliz ao seu lado... Você não tem a capacidade de faze-lo feliz. Se quer um conselho, deixe-o de vez, pois um homem como aquele não merece estar ao lado de uma mulher tão feia e esquisita ao seu lado. Ele seria extremamente infeliz. - Ao dizer isso, ela caminha de volta ao set de gravação, me deixando ali.

Eu vou até o camarim, tranco a porta e, me escoro na parede, deslizando as minhas costas até sentar no chão, e lá, começo a pensar nas coisas que ouvi, e enquanto isso, apoio os meus braços sobre as minhas pernas e, começo a chorar.

O que ela me disse foi muito profundo, e de certa forma me afetou um pouco. Eu sei que não deveria levar em consideração o que ela falou, mas, eu nunca havia ouvido ofensas nessa categoria, principalmente citando o nome de alguma pessoa que amo, e isso foi o que me afetou mais, pois nunca tinha parado pra ver dessa maneira e, logo perguntas vieram a minha cabeça: Será que ela tem razão? Será que meus pais apenas me aturam?... Será que o Ash me ama de verdade ou sente pena? Era o que eu me questionava.


Porém, Enquanto eu estava nesse triste momento, senti alguém me abraçando e, quando levantei a cabeça, vi que o autor dessa ação era ele. Não perguntei nada, apenas retribui o seu abraço, afogando minhas lágrimas em seu peito, enquanto afagava a cabeça do Pikachu.


- Eu ouvi tudo o que ela te falou. - Ele me diz, enquanto acariciava minha cabeça. - Agora você vai ouvir o que tenho a dizer, tá ok? - Ele me pergunta e, confirmo com a cabeça. - Então, eu nunca vi alguém mentir tanto na minha vida como aquela moça ali. Sério, jamais pensei que acharia uma pessoa tão mentirosa desse jeito.

- Você...acha...? - Eu o pergunto, em meio a lágrimas.

- Com certeza, e eu vou te falar porque. Ela disse que você queria tomar o lugar dela, mas a pergunta é: Que lugar? O ostracismo? Acho que deve ser esse, porque eu realmente não lembro de tê-la visto em nenhum lugar, nem no show da Cresselia, sendo uma Cresselita, ela teve participação. - Ele diz, e eu dou uma risadinha fraca. - Inclusive, você se vestia igual a uma.

- Eu era... fã... da Cresselia...- Eu o revelo, ainda soltando algumas lágrimas.

- Dessa eu não sabia, Mas isso não vem ao caso agora. Enfim, ela disse também que a sua atuação foi mixuruca né?! Ah claro, tão fraquinha que te rendeu apenas uns fãs, elogios dos maiores críticos e apenas um papel de antagonista principal na primeira pokéserie feita só pela pokéstar e pela rede Hoenn, que é a maior emissora do país inteiro; Já ela, é tão reconhecida que precisou de 3 anos pra ter alguma coisa de relevância na carreira né... - Ele diz, com uma clara ironia em sua fala - Realmente, ela tem muita moral pra falar isso.

Eu confesso que ri um pouco após ter ouvido aquilo, mas ao mesmo tempo, senti que ele estava com uma pitada de raiva da Yuuna, mas, ele estava tentando me passar uma imagem de tranquilidade, e isso me deixou um tanto quanto feliz, embora eu ainda estivesse triste pela situação.

- Outra coisa que ela fez foi ter desmerecido o ginásio de Saffron, e eu acho que alguém tem que ser muito maluco pra falar uma coisa dessas, porque se ela soubesse o quão dificil é encarar aquele Gengar e Alakazam, principalmente quando tu usa a mega evolução, eu acho que ela nem pensaria em falar isso. Por acaso, a senhorita usa GameSharpedo com aqueles pokémons? - Ele me pergunta e eu, começo a rir. - Não é porque eu seja o seu namorado nem nada, mas você é uma das líderes mais fortes que eu já enfrentei, facilmente entra no meu top 5, e pode acreditar em mim que eu estou falando a verdade, sem querer te iludir nem nada.

Eu parei de chorar. Estava apenas aproveitando o momento, em que ele me falava aquelas coisas. Ele sabe mesmo como motivar uma pessoa.

- Mas, agora falando sério, eu queria te falar que, você não é nada daquilo que ela te disse. Eu aqui, te acho uma pessoa muito forte, uma treinadora muito poderosa, uma companheira incrível e, uma namorada linda e maravilhosa. - Ele me diz e eu direciono os meus olhos aos dele. - Não fica assim por um Trubbish daquele, você é única, e isso faz com que ela tenha inveja de ti, pois além de tu ser muito linda, é uma pessoa extremamente competente, legal e super charmosa. Eu digo sempre que ganhei na loteria em ter te achado novamente, sério, pois se eu nunca tivesse tido aquela ideia genial de sair desafiando os líderes novamente, Eu jamais estaria ao lado de uma mulher tão sensacional como você e, sou grato a Arceus por ter me dado esse presente a mim. E mesmo que "ninguém te ame", como ela disse, eu fico super honrado em ser esse nada que ela falou. E mais uma outra coisa, eu não vou ser feliz ao seu lado... Eu já sou, e se eu tenho "pena", vou fazer esse papel de Combusken com o maior prazer. - Eu comecei a chorar novamente. - Foi ruim o que eu falei? É que...

Eu o beijei, e isso interrompeu a fala dele. Chorei novamente, mas dessa vez foi de alegria e felicidade, por ter uma pessoa que me ame de verdade e, que seja o meu apoio, sempre. Eu, definitivamente, não tenho do que reclamar.

- Obrigada... por ser o meu porto seguro... - Eu falo, o abraçando novamente.

- Por nada, você sabe que sempre poderá contar comigo. - Ele diz, retribuindo o abraço.

- Não vai embora... fica um pouco mais... - Eu sinto ele assentindo com a cabeça e, depois, coloquei minha cabeça novamente em seu peito, onde pude desfrutar de um carinho bem reconfortante.

[...]

- Eu não te perguntei, mas o que você veio fazer aqui? - Eu o questiono, já na saída do set de gravação.

- Bom, eu estou aqui com o Goh para fazer uma pesquisa pro Professor Sakuragi, e como ele me deixou sozinho pra ir capturar pokémons, aproveitei a deixa, já que era perto, e vim te fazer uma visita. Fico feliz de não ter incomodado.

- De maneira alguma... Se possível, venha mais vezes... - Assim que falo, vejo o seu amigo chegando com 5 pokébolas nas mãos - Acho que é a hora de você ir...

- Ash mano! Tu não vai acreditar no que eu vi ali na... Ah, você deve ser a Sabrina né?! - Eu assinto com a cabeça - Prazer em conhecer a namorada do meu amigo, eu sou o Go. O Ash me disse que você é muito bonita, e ele nao tava mentindo não. - Ele, após me elogiar, se vira em direção ao Ash. - Você tem muita sorte em ter uma mulher dessas, queria eu ter... AH! UM TAILLOW SELVAGEM! Vem Scorbunny, ele não foi muito longe! - Ele sai correndo com o seu coelho, deixando tanto eu, como Ash, com uma gota na cabeça.

- Ele é assim mesmo, tu se acostuma. - Eu dou uma risada e, damos um beijo. - Vou indo atrás dele, tchau amor, e fique bem.

- Tchau amor... vou ficar sim, fique tranquilo... - Então ele se vira e corre em direção ao amigo, o que me faz dar uma risada e voltar ao set de gravação.

A cada dia, tenho a certeza que sou a mulher mais sortuda desse mundo, tendo um homem que nem ele ao meu lado. Eu, realmente, não tenho do que reclamar, só agradecer por ser o meu companheiro.

--------------------------------------------------------------------------------

Eu e o Ash estávamos em um avião, partindo em direção a Alola. O motivo? Ele estava indo defender o seu título de campeão, uma vez que uma treinadora chamada Sasuka Kinomiya havia vencido a liga e feito o tal desafio das ilhas.

Eu estava curtindo demais a viagem, era a minha primeira vez dentro de um avião e, posso dizer que foi uma das melhores sensações da minha vida, pois apreciar a vista das regiões do alto delas é algo, simplesmente, sensacional, e o melhor disso tudo é fazer isso com alguém amado ao seu lado.

- Tá curtindo a viagem? - Ele me pergunta, segurando a minha mão.

- Muito... - Eu o respondo, ainda olhando para a janela. - Ainda bem que fui a Hoenn pela primeira vez de navio, assim não poderia ter essa experiência com você...

- Eu também queria estar junto de você, no seu primeiro vôo. Mas me diga, É melhor do que voar em um Charizard? - Eu nego com a cabeça. - Sabia que você ia me dar essa resposta, e eu concordo com você.

Eu dei um selinho nele e, voltei a apreciar a vista, e ele, acabou acontecendo em meu ombro. Estava um clima muito bom.

[...]

O Avião pousou em Hau'oli, e assim que descemos, fomos conduzidos até a saída, em sigilo, onde lá havia um carro já nos esperando para nos conduzir ao hotel em que se hospedaríamos. Ash já havia me explicado como seria a logística, já que tudo isso havia sido armado pelo professor Kukui para que não fossemos vistos, por uma razão lógica.

Quando chegamos ao hotel, fizemos o nosso check-in e fomos em direção a nossa suíte e, assim que entrei, fiquei maravilhada com todo aquele luxo que eu jamais pensaria na minha vida inteira que iria desfrutar, e pra minha surpresa, Ash teve a mesma reação.

- Eu tô no paraíso! - Disse Ash, enquanto se admirava com a luxuosidade do quarto. - Quando que eu imaginaria estar em um local assim na minha vida inteira?!

- Também não pensava que algum dia poderia usufruir de uma suíte... Eu estou impressionada com isso... - Eu falo, e começo a olhar o quarto com brilho nos olhos.

- ESSA CAMA É DE ARCEUS!!! - Escuto o Ash gritando, e vejo ele, com o Pikachu, deitados, aproveitando a maciez do colchão.

Eu, tomada pela impulsão, pulo em cima dele, e começo a enchê-lo de beijos, o que é, logo em seguida, correspondido pelo mesmo.

- Tem... uma... sema... para... a bata... então... podem... aprov... a... viagem... - Ele tentava falar, mas era impedido pelos meus beijos.

- Eu... vou... aprov... basta... com... voc... - Eu também não conseguia falar por conta das bitocas dele.

[...]

Aproveitamos bem os dias da viagem, e posso dizer que eles foram muito especiais.

Pra começar, ele me apresentou os seus amigos, Mallow e Kiawe, que também são um casal, e eles foram super legais e gentis comigo, e inclusive, a garota quando me viu, não acreditou que eu estivesse lá, já que ela me disse que era uma grande fã minha por conta da Pokéserie que, fez um sucesso absurdo por todo o país, e sem contar que ela cozinha muito bem, e com isso, acabei ganhando dois bons amigos.

Conheci também os "pais" do Ash, que assim como os seus amigos, nos recepcionou super bem, e me tratou da mesma forma, e como a Mallow, a professora Burnet também ficou muito animada em me conhecer. Eles tem um bebêzinho - Cujo nome se chama Lei - e tem pouco menos de 1 ano. Vi lá que, ambos têm o Ash como filho e, pude ver que, ali, o Ash se sentia como se estivesse junto de sua família.

Pude conhecer os kahunas de cada ilha, que, como eu já havia falado, funcionava como se fosse uma espécie de liga dos quatro de Alola, uma vez que na região não possuía ginasios. 

Além disso, conheci outra amiga dele, uma pecadora chamada Lana que, assim como todos, me tratou super bem e virou uma amiga, e, aproveitei as belíssimas praias de lá, juntamente com ele, porém, em um local isolado, pois eu acho que, além das pessoas não nos deixarem curtir a praia, queria poupar o Ash eventuais ciúmes, o que seria uma coisa inevitável.


Mas, ele também treinou bastante o seu time, e com a minha ajuda, ficamos treinando muito duro durante esses dias que antecederam ao duelo e, posso dizer que, de todo esse tempo de treinos que tenho com ele, esses, em especial, foram os mais pesados e os mais fortes que tivemos. Mas não era pra pouco né, afinal, era um título de região que estava em jogo.

[...]

O dia da batalha havia chegado, e eu estava ali, confiante na vitória dele, porém, apreensiva, tanto pela luta, como pelo seu estado emocional que, estranhamente, havia mudado desde ontem a noite.

Sobre a treinadora, ela era muito bonita, e creio que ela poderia ser irmã daquele treinador que derrotou o Ash na final da liga Kalos, pela sua semelhança com o mesmo. Mas o que me chamou a atenção nela, foi o olhar para com ele, e eu posso dizer a vocês que era um além de ser desafiador, nisso eu tenho certeza.

Ia ser uma full match, com o Kukui de juiz, e pra não ficar tão maçante, vou apenas falar os resultados das batalhas. Na primeira ela havia usado um Luxray, que enfrentaria o Lycanrock, que acabou saindo vitorioso.

Logo, foi a campo um Pyroar que era bem rápido, só que não conseguiu ser páreo para as estratégias surpreendentes do Ash, que acabou levando esse round.

Então, um Zoroark acabou indo pra luta, e finalmente, por conta da exaustão, o Lycanrock foi a lona, sendo derrotado com dois Night Slash's.

Ash, então, mandou o seu Hawlucha, e, achei que o tipo fosse contar nesse duelo, mas no fim, acabei vendo dois pokémons nocauteados.

Sasuka sacou o seu Torracat, que batalharia contra o Straraptor dele, que até resistiu bem, mas acabou sendo levado a nocaute.

Foi a campo o Floatzel, e, fiquei pasmada com o fato dele, em apenas uma combinação, ter acabado com o oponente, que foram Water Pulse com Aqua Jet. E não estou exagerando.

Um Alola Raichu foi trazido ao campo, e para a surpresa de muitos, ele conseguiu resistir durante a luta, tendo saído vitorioso.

O Pikachu foi o próximo a ir, e eu vou dizer uma coisa a vocês, eu nunca havia visto um pokémon tão resistente como esse Alola Raichu. Dentre vários ataques de ambos os lados, os dois acabaram caindo, de exaustão, uma vez que a batalha havia sido longa e com várias reviravoltas.

Para o duelo final, Sasuka havia lançado um Flareon, enquanto o Ash pôs em campo o seu Melmetal. Na hora, eu achei muito arriscado, mas se tratando do Ash, me aquietei. Fire Blast e Flamethrower não foram suficientes para derrubá-lo, que se esquivava e atacava, deixando a Eeveelution bem debilitada. No final de tudo, um Double Iron Bash levou o Flareon a nocaute.

Lembra do que eu havia falado sobre o humor do Ash estar diferente? Pois é, mesmo com a Vitória e o público gritando o seu nome, ele permanecia sério, e usando telepatia, percebi um pouco de tristeza. Ele, assim que recebeu o troféu e fazer algumas entrevistas, seguiu até o carro, ignorando tudo e a todos.

Eu não o pude acompanhar no primeiro momento, pois parei para tirar umas fotos com algumas pessoas, mas logo depois, consegui chegar até o carro, e no meio do caminho, notei que não falávamos nada, e que ele olhava constantemente para a paisagem, com um olhar meio abatido. Não entendia o porquê de tanta tristeza.

Chegamos no hotel, e assim que entramos no quarto, eu resolvi perguntar de vez o porque desse estado que o dominava.

- Ash... me diga porque está assim... Eu não entendo... - Eu o abraço por trás, já que o mesmo estava de costas. - Sabe que pode confiar em mim...

- Eu esbarrei com a Serena ontem, no fim da tarde, e ela acabou me vendo. - Ele me revela, com um tom triste. - Eu não queria ter falado isso para não te preocupar, mas o que eu ouvi dela, me deixou assim. Desculpa não ter te dito antes.

- Bom, e o que ela lhe falou? - Eu resolvo perguntar, já com uma pitada de raiva dela.

- Tudo aquilo que ela havia me dito na chamada, naquele dia, mas dessa vez, com mais sinceridade e profundidade. - Ele diz, enquanto se solta de mim. - Sabe, eu fiquei pensando nisso e, ela tem razão.


- Não é verdade Ash, você é incrível como...

- AI, QUER PARAR DE FALAR ISSO? - Ele fala, levantando a voz, empurrando-me. - Todo mundo fala a mesma coisa sempre pra mim, e quer saber? Eu já estou de saco cheio das pessoas falarem isso, parece um discurso decorado.

- Olha, eu...

- 6 ligas seguidas que eu não venci, sempre tentando, tentando e tentando, pra no final, ser eliminado por motivos ridículos. As ligas que venci, são todas amadoras, e quanto às profissionais, eu só fracassei nelas. Isso é ser forte? - Ele me diz, olhando seriamente.

- Mas Ash...

- Eu não consigo nem comer de forma decente, quanto mais ser um treinador incrível como dizem. Eu sou fraco, Sabrina, não adianta falar isso pra tentar me fazer pensar o contrário, já botei isso na cabeça. Eu realmente não sei como você me escolheu, acho que você merecia um cara melhor, que não fosse tão fracassado e idiota que nem eu. Merece uma pessoa forte que nem você, já eu... Me desculpe por ser assim, eu não te mereço, de verdade.

Ouvir aquilo ali me deixou irritada de vez. Eu estava tentando ficar calma com o fato dele ter levantado a voz para mim e ter me empurrado, coisa que ele não havia feito ainda, seguido das interrupções, mas, depois dessa frase, eu não pude mais segurar. Usando de Telecinese, o levitei.

- CALE-SE! - Eu ordeno, enquanto ele se debatia no ar, e eu aproveito para jogá-lo contra a parede. - Você está me ofendendo, falando essas coisas, não tem vergonha de fazer isso comigo?! HEIN?! - Me enfureci, enquanto, ainda por meio da Telecinese, fazia com que alguns objetos fossem arremessados contra ele. - Você acha mesmo que é tudo isso que está dizendo? Acha que é fraco? Pois, você está sendo se continuar agindo assim!

Estava indignada, enfurecida e, triste por aquilo. Nunca pensei que, em um momento tão legal e maravilhoso como esse, poderia trazer essa situação, o que até então não havia acontecido, em nenhum momento. Passamos alguns segundos em silêncio - Para que eu pudesse me acalmar um pouco - até que resolvi falar.

- Você não é o Ash que eu conheço... seja você quem for, traga ele de volta... - Eu falo, cruzando os braços.

- Sou eu sim, apenas abri os olhos para a realidade. - Ele diz, massageando a parte detrás da cabeça.

- Não é... você está longe de ser ele...

- Então, como é ele? - Ele me pergunta, então me sento ao seu lado.

- O Ash que eu conheço, ele é um cara legal, engraçado, elétrico, muito espontâneo, divertido e um belo de um Machoke... - Eu digo, o que deixa ele um pouco constrangido. - Sem contar que ele é um treinador extremamente forte e talentoso. Acredita que ele já me derrotou? - Isso fez ele rir um pouco. - Não é querendo ser convencida, mas se alguém consegue me derrotar, é porque essa pessoa é forte demais...

- Nadinha convencida. - Ele diz, em tom de brincadeira. - Mas, é só isso que esse cara é?

- Não, tem mais... - Eu repouso minha cabeça sobre o seu ombro. - Ele é um ótimo amigo, um excelente companheiro, está sempre do meu lado na hora em que eu mais preciso, me alegra todos os dias, e eu sou muito feliz ao lado dele, e quer saber? Sou eternamente grata por ter ele na minha vida, Se não fosse por ele, não sei como eu estaria hoje... E além disso, ele fez algo que ninguém até agora conseguiu fazer, e eu te digo que isso, faz dele uma pessoa muito especial. Sabe o que é? - Eu pergunto, e ele nega com a cabeça. - Me conquistar...

A minha resposta o fez escorar a cabeça na parede, com um grande sorriso, o que me fez levar as mãos até a sua face e, levá-las em direção a olhar diretamente para mim.

- A melhor coisa que já me aconteceu foi ter começado a namorar contigo, porque a minha vida ficou cada vez melhor. Você é tudo pra mim, e acredite, tu não é fraco, nem fracassado. Sabe o que você é? O meu amor. Eu te amo, Ash, e vou estar aqui, sempre, ao seu lado, não importa o que aconteça, ou o que falem, pra mim, estando com você, é o que basta. - Assim que término de falar, dou um longo beijo nele, o que é correspondido pelo mesmo, e ficamos assim até o oxigênio se intrometer no meio.

- Esse cara é um sortudo, ter uma mulher como você ao lado dele não é pra muitos. - Ele fala e eu dou uma risadinha. - Desculpa por ter gritado e te empurrado daquele jeito, eu sou um bobão e vacilão.

- Tudo bem, acontece com os melhores casais, certo?! - Eu digo e ele assente com a cabeça, e logo após isso, eu lhe dou um abraço.

- Obrigado, Sabrina. Eu também te amo demais. Você é o meu porto seguro. - Ele me diz, e eu o agradeço com um selinho e logo após, eu o deito no chão e fico por cima dele. 

- Agora, eu gostaria de... come...ar... su... vit...

- Vam... si... da me... for... poss...

Nos levantamos e fomos em direção a cama, onde lá continuamos as sessões de beijos e, eu não vou falar o que aconteceu depois, mas para não ficar tão vago, digamos que rolou ali uma batalha entre um Mega Rayquaza contra um Cloyster.

--------------------------------------------------------------------------------

Sabe a pokesérie "Rota 117"? Pois é, ela fez um sucesso estrondoso por todo o país. De Kanto a Galar, todo mundo assistia, e dava o que falar nos programas de TV. Chegava a ser assustador a proporção que aquela pokesérie havia tomado, se tornando a maior produção já feita na história da pokédramaturgia - Ela tinha algumas coisas bem peculiares, como um personagem que se chamava Whrilwind e a música de abertura na qual o cantor cantava vários "ois" no início dela.

No capítulo final, literalmente todo o país parou em frente à TV para poder assistir, inclusive eu e a equipe de produção, e o resultado foi extremamente satisfatório, me rendendo prêmios, elogios e uma leva de fãs. Superar a protagonista sendo uma antagonista é algo a se destacar, realmente.

A pergunta que vocês devem estar fazendo agora é " Ah Sabrina, mas como você interpretou uma personagem, teoricamente, mais velha?" E a resposta é simples: Transmutação. Ela me permite que eu me transforme em uma pessoa mais velha, portanto, isso não foi problema para mim, embora eu não goste de fazer essas transformações.

[...]

Eu e o Ash fomos ao show de encerramento da pokéserie, que aconteceu em Sinnoh, onde a audiencia foi a maior de todas entre os continentes, e lá, além dos cantores que animavam o público, houve o momento no qual as apresentadoras do evento, DJ Mary e a Vivian, atendendo a pedidos do público, me convidaram a falar.

No primeiro momento eu balbuciei, mas logo depois atendi aos desejos deles e resolvi tomar a palavra. Sério, acho que a minha timidez já está no espaço, juntamente com Rayquaza.

Assim que falei, recebi uma salva de palmas, assobios, gritos, pessoas chamando pelo nome Karumīnya, - que era o apelido da personagem - e até um leve Sweet Scent por parte de um Oddish. Estava me sentindo muito realizada, e assim que sai do palco, me dirigi até onde o Ash estava, e assim que cheguei, o abracei bem apertado, o que foi correspondido pelo mesmo.

- Obrigada... Eu só tenho a te agradecer por ter estado comigo até agora... se não fosse por você, eu não estaria aqui hoje... Eu te amo... - Eu falo em seu ouvido, e logo após, ele me dá um beijo.

- Eu também te amo, E vou estar sempre ao seu lado, pode apostar. - Ele diz, e depois, sinto o Pikachu subindo até o meu ombro, fazendo um carinho na minha face, o que me deixa bem feliz.

Meu maior desejo, agora, é viver com ele, pra sempre.


Notas Finais


É isso aí moçada! Chegamos aos créditos finais...

Eu espero, realmente, que vocês tenham gostado, de verdade...

Se estiver ruim, pode comentar, sem medo de ser feliz... me Escurraçem nos comentários...

Essa Sasuka Kinomiya não é criada por mim, ela foi feita por alguns fãs para fazer par com o Ash, e os pokemons que ela usou, são os dela mesmo(eu que dei uma evoluída neles também). Se vocês quiserem ver outras fanarts dela, só buscar o nome dela no Google que vai aparecer, e fica aí pra galera que quiser fazer uma história, uma boa sugestão de garota pra o Ketchum aí kkkk eu achei ela bem legal e, se pá, Eu faço uma história dela...

Segue uma foto dela ai:( https://www.deviantart.com/skydrew/art/Pokemon-XY-Sasuka-Sarha-Kinomiya-443354189 )

Queria aqui deixar a minha solidariedade pro @EscRJ , que teve a fanfic deletada do pela quarta vez(O novo FelinoBaka?), e logo quando a história tava muito legal, o site vai lá e dá um delete na história, e o pior que ele havia passado o dia inteiro pra escrever o capítulo 27, o último antes da história ser excluida, coitado. #EscRJVive #ForçaEscRJ






Então, o aviso é esse:


Eu sou lindo...

Kkkk É não, é que o próximo capítulo será o Final.

"Ei Pedrin, pera aí pô. Quer frescar, fresque, mas num fique frescando não."

Pois é gente, é verdade. Não é pegadinha do zóio.

"Ah, mais por que Pedrin?"

Simples, Quando eu aqui idealizei essa história, eu só consegui encaixar 5 episódios, tendo o 6° como o desfecho dela, então pode se dizer que o "Roteiro" dela é apenas isso mesmo...

Mas, Eu vou escrever outras sim, de ships alternativos e, já tenho uma aqui pra escrever. Qual? Segredo de estado hehehe...

É isso meus pupilos, até a próxima...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...