1. Spirit Fanfics >
  2. That Alley - JJK >
  3. Almost Kiss and Park Jimin

História That Alley - JJK - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Olá! Sou eu novamente depois de muito tempo.

Eu sei que demorei uma cota para atualizar, minhas aulas começaram e eu não tenho mais tempo para nada. Se você é estudante sabe do que eu to falando.

Eu vou tentar postar em todos os domingos no final da tarde pra noite. Mas, pode ter vezes que eu não vou consiguir, então já vou pedindo desculpas antecipadas.

Bem, eu não tenho muitos avisos, então beijo e boa leitura e desculpem pelos erros, eu sou humana e erro as vezes.

( Leiam as notas finais! )

🍊

Capítulo 4 - Almost Kiss and Park Jimin


- Primeiro: Eu trouxe algumas roupas pra você. -coloquei minha mochila na poltrona ao seu lado e tirei as roupas. - Segundo: Tinha três homens te procurando hoje mais cedo. No mesmo beco em que te encontrei. -olho no seu rosto e sua expressão nunca muda, sempre sério.

Uma enfermeira entrou no quarto pegando o prato e checando se estava tudo bem com Jungkook. Não damos uma palavra enquanto a enfermeira estava no quarto, acho que nem eu e nem Jungkook queremos que ela saiba de algo. Mesmo ela parecendo uma pessoa bem amigável e alegre, não podemos confiar em ninguém hoje em dia. Não é mesmo?

Depois que a mulher de cabelos azuis saiu do quarto, Jungkook não deu uma palavra. E ainda me olhava nos olhos, me deixando desconfortável. O mesmo foi um pouco para o lado, deixando um espaço vazio na cama.

- Senta aqui. -bateu no espaço ao seu lado, me dando um sorriso pequeno. O olhei desconfiada, ele nunca teve uma atitude dessa, nunca ficamos tão próximos ao ponto de eu ficar na mesma cama que ele. -Eu não mordo.

Engoli em seco e fui em direção a ele. Tirei meus tênis e subi na cama, sentando ao seu lado. Não falamos nada. Só ficamos olhando para a tv desligada a nossa frente. E é nesses momentos que eu queria poder ler mentes.

- Eu sei muito bem quem eles são. Eles estão me procurando pra acabar um serviço que eu estava fazendo antes de eu levar uma facada. -ele me olha depois de um tempo. Virei o rosto em sua direção esperando sua fala seguinte. -A única coisa que eu quero que você faça e nunca se meter com ele, e nunca se meter nos meus assuntos, ta me ouvindo? -colocou os dedos no meu queixo levantando minha cabeça com delicadeza. -Ele é muito perigoso, então nunca se meta com ele. -larga meu queixo dando um risinho frouxo.

Concordei e não dei uma palavra. Não queria discordar, ele parece estar preocupado comigo, e por incrível que pareça eu fico feliz com sua preocupação. Me sinta um pouco amada.

- Espero que você entenda que eu não quero que você se machuque. Esse tipo de coisa que eu faço e muito perigoso, e eu sei que você não quer e nem deve se envolver nisso. -olhou para frente me deixando estática tentando amenizar essas coisas que ela ta jogando pra mim. -Quando eu sair daqui eu me viro com o Namjoon.

Então esse era o nome do cara de mais cedo, eu sabia que ele era perigoso. Mas eu não to tão assustada com esse tal de Namjoon, na verdade, eu quero muito descobrir um pouco mais dele, ele parece ser um lider de alguma quadrinha de tráfico de pessoas.

Enquanto digeria tudo, e pensava em uma jeito de pedir ao Jimin pra me ajudar nisso, eu nem percebi que Jungkook tinha ligado a tv.

Eu ainda estou com muitas dúvidas, e quero muito perguntar 1 bilhão de coisa a Jeon. Mas sei que isso vai ser muita falta de educação e empatia. Eu sei que ele não quer que eu me meta nisso, e eu respeito sua decisão.

- Você não me disse que tinha uma gato...-me olhou, e deu um riso alto. -Eu quase morri por causa do gato. Por qual motivo não me avisou? -cruzei os braços e o olhei irritada, mas ele não se intimidou, ele continou rindo.

- Eu não te avisei porque sabia que iria se assustar. -parou de rir e encostou sua cabeça na parede fria.

O imitei fazedo nós dois rir.

- Qual é o nome dele?

- Kook. -ri com o nome fofo.

- Achei fofo, mas o que eu coloquei nele é muito melhor. -ele franziu a testa me olhando atento. -O nome dele é ChimChim. -disse confiante. Nós olhamos e rimos.

Ficamos nós olhando, sem tirar os olhos um do outro, sem fazer nenhum movimento, nada que fizesse essa conexão que estava fazendo meu coração bater rápido e forte passar. Por um momento vi ele tirar seus olhos dos meus e irem em direção a minha boca e começar a se aproximar sem presa alguma.

Ele dividia entre olhar para minha boca e meus olhos. O mesmo colocou a mão em minha bochecha, fazendo carinho com o polegar. Eu já estava totalmente entregue a aquele momento, eu já estava entregue a ele. Mesmo o conhecendo a pouco tempo, eu queria isso, e eu tenho certeza que ele também.

E finalmente, quando estavamos a poucos centímetros de distância, e nossas bocas estavam quase praticamente coladas...

- Sr Jeon, tenho boas notícias...- o médico entra no quarto com alguns papéis na mão. Ele percebeu tudo que estava acontecendo e ficou paralizado. -Oh! Desculpe. Não queria atrapalhar... -engoliu em seco. Jungkook riu e se afastou.

Fiz o mesmo e me afastei. Coloquei o dedos em meus lábios e percebi o que eu iria fazer. Eu iria o beijar.

Eu estava totalmente embriagada pelo momento, não foi algo que eu tinha pensado bem, e tenho certeza que Jungkook também não pensou. Merda! Eu sempre faço isso. Sempre vou com o calor do momento, e isso sempre termina com um "me liga quando quiser foder denovo" , e isso já tava ficando chato.

Eu nunca consiguia ficar com um relacionamento amoroso por muito tempo. Eles sempre enjoavam de mim antes de completarmos 3 messes de "namoro". E isso sempre acaba comigo, me sinto um lixo e uma pessoa que nunca vai consiguir um relacionamento saudável e duradouro. Me sinto uma merda.

- Não atrapalhou em nada. -disse saindo da cama e colocando meus tênis velhos.

Dei tchau para Jungkook e peguei minha mochila, que agora se encontrar mais leve pelas faltas das roupas, que ja estavam dobradas encima da mesinha perto da porta. Disse para o médico que iria falar com ele mais tarde, e que me encontrase no corredor.

Sai do quarto e me escorei na primeira parede que encontrei. Cobri meu rosto com as mãos e suspirei alto e pessado, eu queria sumir hoje, se puder, agora.

Porque ele teve que aparecer? Minha vida já é confusa o bastante e ele chegou nele para deixá-la ainda mais confusa. Eu estou totalmente desgastada e cansada de tudo isso. Eu queria sumir por alguns dias para esquecer que eu tenho problemas importates para resolver. Esquecer que eu tenho um pai com alzheimer que está quase chegando no estágio terminal que eu preciso cuidar. ( obs: não sou médico e eu posso estar errando veio nisso, mil deculpas. Eu só pesquisei no google e coloquei o que eu entendi. ). Tenho uma amiga com um namorado estranho e com atitudes estranhas, e eu preciso cuidar dela. Tenho um amigo que fica em todas as festas da cidade e quase morreu umas 20 vezes por que dormiu com a esposa de alguém, que por coincidência eu também preciso cuidar. E agora, eu tenho uma cara desconhecido para cuidar também.

Eu sou uma filha que preciso trabalhar todos os dias, e uma amiga para oubir os problemas dos meus amigos. Eu tenho muita responsabilidade por aqui, eu tenho que cuidar de todos e isso me deixa de lado.

E claro que Taehuyng e a Mikely se preocupam comigo e sempre pergunto se eu to bem, se eu to me alimentando e etc... Mas, eu me sinto tão sobrecarregada com tudo que esqueci que eu também preciso ser cuidada.

Balançei a cabeça fortemente -até fazendo eu ter uma pequena dor de cabeça- para afastar os pensamentos que eu tenho todo fez que me deito na cama para dormir. Não quero chorar denovo, não aqui, não na frente de um monte de enfermeiros e pacientes me olhando com uma cara de cu.

A porta do quarto de Jungkook abre e sinto o vento gelado do repentino abrir da porta ao meu lado. O médico que acabara de sair me olha estranho por me ver sentada no chão branco e frio do corredor. Ele estende a mão e eu aceito sua ajuda para me levantar.

- Obrigada. -digo baixo e limpo a sujeira inexistente que abrigava na minha roupa. - Eu não consigui ouvir o que você iria falar. Poderia falar pra mim por favor? -sento na cadeira a sua frente, ele continou em pé com seus papéis na mão. Estranho.

- Avisei ao Sr. Jeon que sua alta sai amanhã. O ferimento que ele teve a semanas atrás não foi tão profundo, subonho que a pessoa que fizera isso com ele não o queria morto. -ele para sua fala para limpar a garganta. - Ele não vai poder se abaixar ou fazer qualquer exercício físico para não abrir os pontos.

Continuamos a conversar um pouco sobre o Jungkook e fui embora. Desidi ir na casa do mesmo para arrumar a bagunça de sua casa e dar comida para o Kook, ele deve estar com fome.

Passei em um mercado comprando tudo que eu preciso para encher a geladeira de Jeon, e comprei também comida de gato e uma roupinha para ele. Eu ainda vou mimar muito aquele gato.

Segui para a casa dele e por coincidência encontrei Hoseok no elevador. Conversamos um pouco e ele disse que até foi ver Jungkook no hospital, e ficaram conversando sobre tudo.

- Então, eu nem sei muitas coisas de você. Trabalha? -me pergunta enquanto estavamos indo em direção a nossos destinos.

- Sim, em uma lanchonete aqui perto. -parei quando cheguei em frete ao apartamento de Jeon.

- Hum...-se escorou na sua porta me olhando fixo. - Oque faz na casa do Jungkook? -me pergunta.

- Ele chega amanhã do hospital então vou arrumar tudo e cuidar do felino que está lá dentro. -aponto para a porta atrás de mim. Ele riu me fazendo repetir seu ato.

Ficamos conversando um pouco mais até ele receber uma ligação do trabalho e sair correndo sem nem consiguir me dar tchau. Suspirei e me virei, destrancando a porta e entrando, sendo recebida pelo Kook que esfrega seu pelo negro em minha pernas.

- Olá! -dou um sorriso grande e o pego no colo. -Você ta com fome?

(...)

- Pronto, ta tudo bonitinho e arrumado. Seu papai vai ficar orgulhoso com a gente. -olhei para o gato que estava deitado no sofá enquanto me olhava com uma cara, que suponho, ser de debochada.

Está tudo arrumado, não tinha mais nenhuma sujeirinha, e eu estou totalmente orgulhosa do meu trabalho duro de 2 horas. Me joguei no sofá branco fazedo o felino dar um pulo pelo susto.

- Que tal uma pizza? -pergunto para o gato a minha frente, sabendo que ele nem sabe oque eu falo.

Peguei meu celular pedindo uma pizza. E depois mandei uma mensagem para Taehuyng pedindo para ele ir na minha casa para dar comida ao meu pai. Pois ey não iria dormir em casa hoje. Taehuyng estava em uma festa perto da minha casa, então usei isso ao meu favor.

Ele concordou fazendo eu suspirar aliviada pelo enorme favor que me fez. Eu estou super preocupada com meu pai. Um dia desses ele ligou todas as bocas do fogão, por sorte eu cheguei em casa a tempo. Eu já estou cogitando a ideia de o colocar em um asilo, e isso está começando a me agradar.

Liguei a tv e foquei no conteúdo que estava me entretendo no momento que nem percebi o telefone grudado na parede perto da porta tocar. Corri em direção ao telefone atendendo, ouvindo a voz do porteiro avisando sobre o entregador da pizza subir. Pedi pra subir e em menos de 5 minutos o entregador estava na porta.

Entreguei o dinheiro e ouvi uma cantada barata sua, me fazendo rir alto e fechar a porta na sua cara sem nem pegar o troco. Me sentei no sofá e me distrai com o dorama que estava passando.

Depois de terminar toda a pizza fui tomar banho. Eu ainda não sei se vou dormir na cama de Jeon, mas ele não vai se importar, nós quase nos beijamos e ele nem ligou pra isso, com toda a certeza ele não vai se importar.

Sai do banho pegando minha mochila. Sorte que eu sempre levo roupas extras para casos como assim acontecer, eu não queria ir embora tão tarde assim, são 00hr. Não quero morrer e nem ser estrupada na rua, essa rua e ainda mais perigosa que a minha, e isso me assusta.

Me vesti e escovei os dentes e fui deitar. O felino subiu na cama comigo e entrou no edredom preto que me cobria, o mesmo deitou no meio da minhas pernas me fazendo dar um riso.

Fiquei por alguns minutos vendo série até me assustar com uma ligação de uma pessoa que eu conheço muito bem.

- Você? Me ligando? O mundo deve estar acabando. -ouço sua risada entrar como música nos meus ouvidos. Mas ela não fica tão bonita como pessoalmente. - O que quer?

- Nem deu um tudo bem. Até parece que não sou mais seu gangster fovorito. -dou um gargalhada.

- Você sempre vai ser o favorito Jimin.


Notas Finais


Bem, não ficou tão longo como eu pensava que iria ficar, mas ficou legal.

Eu foquei um pouquinho nós problemas que ela tem. E sobre esse negócio de colocar o pai dela em um asilo, e eu to montando um pouco sobre os próximos capítulos sobre isso.

O Jimin vai muito importante para a história e o Namjoon também, não vou dar spoiler sobre os dois, pois eu vou fazer um pov dos dois e vocês vão entender melhor.

Se vocês puderem, deixem comentários possitivos e construtivos sobre a fic, isso me deixa mais motivada e confiante para escrever.

Obrigada por tudo e até a próxima.

Beijo na bochecha.

🍊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...