1. Spirit Fanfics >
  2. That Boy- Conto Bl Gay >
  3. That Boy- Capítulo 1

História That Boy- Conto Bl Gay - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - That Boy- Capítulo 1


Por Zon

"É como, o amanhecer, você olha para pessoa e fica hipnotizado. Derrepente, não é mais a gravidade que te segura na terra. E você faria qualquer coisa para estar do lado dessa pessoa." 


-Esse é o meu poema preferido da escritora Stephenie Meyer.-Voltei meu olhar para frente e todos estavam olhando para mim, estava com vergonha, obviamente, não era de falar em público ou querer que os outros me notassem. Meus pensamentos são interrompidos com o meu professor se levantando da sua cadeira e pegando toda a atenção dos outros alunos da sala para ele. 


-Muito bom Zon, essa é uma frase verdadeiramente tocante. Você já pode voltar para o seu lugar.-Ele disse apontando o caminho. Fechei o caderno e andei até meu assento que era quase no final da sala.-Bom, como o tempo já está pra acabar vocês já podem guarda suas coisas e esperar o sinal bater. E quem não teve a oportunidade de ler seus poemas hoje não se preocupem por que ainda vai ter amanhã. 


-Você acha que consegue ir comigo até ser biblioteca? Ou vai querer ir denovo para seu dormitório estudar? Como todo dia.-Disse Sarawat roubando toda minha atenção do professor para ele, desviei meu olhar e olhei para ele que estava sentado na cadeira ao meu lado. 


-Você acha que ele vai ir? Poderia chamar ele para ver as líderes de torcida. Talvez isso anime ele.-Day se intrometeu se esticando para frente no seu assento para que pudesse me ver. 


-Eu vou ir pro meu dormitório. Ainda tenho que fazer um relatório para um trabalho extracurricular.-Respondi sem esboçar nenhum tipo de animação a nenhum dos dois convites. 


-Você e seus trabalhos. Você não se cansa?-Comentou Sarawat se sentando direito em sua cadeira.


-Vamos ver as líderes de torcida. Você sabe que elas vão estar treinando no campo de futebol e no campo de futebol também vai estar o Tine.-Olhei para ele sério e os dois sorriram. 


-Você sabe que eu não gosto dele. 


-Mais ele gosta de você. Podia dar uma chance.-Olhei para Sarawat que não estava interessado no assunto e eu sabia o motivo.


-Tudo bem. Eu posso ir na biblioteca com você. Preciso ir pegar um livro que tinha me esquecido.-Disse olhando para Sarawat ele olhou para mim e deu um meio sorriso. O sinal tocou e todos nos levantamos saindo da sala, Day nos seguiu até ver as líderes de torcida perto do campo animando os meninos que estavam jogando futebol no campo. 


-Vocês vão pra biblioteca e eu vou ver as meninas.-Disse Day eufórico. 


-As meninas ou a HawHaw?-Perguntei olhando para ele que desviou seu olhar para HawHaw que estava no meio das outras meninas que gritavam e faziam danças sincronizadas. 


-Você me entendeu.-Ele disse já caminhando em direção das arquibancadas nos deixando sozinho. Tirei meu olhar do Day e olhei para Sarawat, segui seu olhar e vi que ele estava olhando para o Tine. 


-Você podia falar com ele. Escrever uma carta.-Comentei e ele tirou o olhar do Tine e desviou para mim. 


-Você sabe que ele não gosta de mim.-Ele disse e começamos a andar devagar. 


-Você deve tentar. Você sabe que eu não gosto dele. 


-Mais ele de você.-Ele me interrompeu e paramos de andar. 


-Você quer que eu escreva uma carta para ele com seu nome? Se quiser eu posso fazer isso. 


-Você não teria coragem.


-Você pode apostar que eu teria.-Disse e nos olhamos por um segundo até que somos interrompidos com uma bola que bate no meu pé, olhei para baixo e peguei ela nas mãos, logo em seguida um garoto vem correndo em nossa direção, era o Saifha. Ele parou na nossa frente e nos olhou, seu cabelo estava molhado pelo suor assim como todo seu corpo, ele olhou para mim e depois para a bola. 


-Você pode me devolver?-Ele disse e não consegui demonstrar nenhuma reação, tinha várias borboletas no meu estômago, voltei a realidade e olhei para ele.


-O que?-A única coisa que consegui responder. 


-A bola. Ela é minha.-Ele respondeu e olhei para a bola que estava segurando e depois olhei para ele.


-Ah. Claro. Pode pegar.-Respondi esticando os braços em sua direção e entregando a bola para o mesmo. Ele colocou as palmas das suas mãos na bola e seus dedos tocaram o meu, foi como um choque, que passou por todo meu corpo. Ele colocou a bola debaixo do seu braço direito e antes de sair disse. 


-Você é o Zon?-Ele sabia meu nome? Como ele sabia disse? Desde quando? Quem disse pra ele? 


-S-Sim.-Respondi dando uma leve gaguejada. 


-O meu professor disse que você poderia me ajudar com um trabalho de artes poéticas. 


-Claro. Eu poso te ajudar.-A resposta sai rasgando minha garganta de dentro pra fora, como eu iria conseguir me concentrar em ajudar ele todo nervoso como estava. 


-Tudo bem. Você está livre hoje mais tarde depois que termina o treino.-Não pude responder nada por que os amigos dele começaram a gritar do campo o chamando e pedindo a bola.-Me espera na arquibancada. A gente pode ir até meu dormitório pra você me ajudar.-Também não pude falar nada por que ele saiu correndo para o campo chutando a bola. 


-Você tem um encontro.-Minha atenção foi tirada de Saifha e posta em Sarawat. 


-Que? Nada haver. Ele só quer ajuda em uma atividade.


-Claro, ele só quer ajuda e nem se quer disse oi para mim.


-Oque? Você tá com ciúmes.-Disse bagunçando seu cabelo sorrindo e começamos a andar devagar novamente. 


-Mais é claro que não.-Ele respondeu arrumando seu cabelo sério.-Eu só estou falando, que se ele quisesse só ajuda, não teria ficado nervoso em te pedir ou em ter focado toda a atenção só em você. 


-Você acha que ele ficou nervoso?


-Claro. Vi a mão dele tremendo um pouco.-Podia ser verdade, Sarawat era muito observado nos mínimos detalhes.-Só não transa com ele ainda.-Olhei rapidamente para Sarawat que ainda me olhava sério todo se achando, o empurrei e ele deu um meio sorriso. 


-Cala essa boca. E não se esquece que eu vou escrever a carta para o Tine. 


-Eu disse para não fazer isso.-Ele respondeu olhando para mim. 


-Considere isso como um agradecimento. Por ter prestado atenção que Saifha estava nervoso.


-O que você vai dizer? 


-Não se preocupa, não vou dizer muita coisa.-Continuamos conversando até a biblioteca, quando chegamos lá Sarawat tocou na maçaneta e abriu a porta entramos e fomos procurar os livros que estávamos precisando aproveitei e peguei um livro que iria ajudar o Saifha. Saímos da biblioteca com os nossos livros e Sarawat me acompanhou até as arquibancadas. Já era umas 6hrs da tarde e já não tinha mais ninguém no campo, os jogadores estavam todos no vestiário tomando banho. 


-Você não precisa ficar me esperando.-Comentei olhando para Sarawat do meu lado. 


-Eu não vou te deixar sozinho aqui.-Ele me respondeu sem esboçar reação. 


-Isso não vai demorar.-Retruquei.


-Eu não tenho mais nada de importante para fazer.


-Tudo bem. Você ganhou.-Peguei meu caderno e um lápis e comecei a escrever. Não demora muito e Sarawat me interrompe.


-O que você está fazendo?-Ele pergunta esticando seu pescoço para ver o que eu estava escrevendo. 


-Não olha agora. E a carta que eu vou falar para o Saifha entregar para o Tine.-Mal termino de falar o nome dele e Sarawat pula em cima de mim e pega a carta começando a ler. 


-Isso tá horrível.-Ele comentou e eu puxei a carta da sua mão. 


-Só por que você nunca diria isso não quer dizer que esta horrível.


-Claro que sim.-Ele retruca tomando a carta da minha mão novamente. 


-Então o que você quer que eu escreva? Ou você mesmo quer escrever a carta?-Olhei para ele com um sorisso de convencido. 


-Você sabe que eu não sou bom com palavras. 


-Então é isso ou é isso.-Disse e escutei a voz de Saifha no fundo. Peguei a carta rapidamente das mãos de Sarawat e coloquei na minha bolsa junto com o lápis. 


-Sobre o que estavam falando? Ficaram calados quando eu cheguei.-Ele comentou segurando sua bolsa só com uma alça. Fiquei imóvel e não consegui responder nada. Sarawat deve ter notado e respondeu no meu lugar. 


-Nada demais. Só estava me despedindo de Zon. Até amanhã. Boa noite pra vocês dois.-Ele disse saindo do local me deixando sozinho com o Saifha. 


-Vamos?-Saifha disse e eu voltei a realidade, parei de olhar para Sarawat indo embora e olhei para ele.


-O que?-Olhei para ele confuso.


-Vamos. Pro meu dormitório.


-Ah, tá. Antes, eu peguei esse livro pra te ajudar.-Falei tirando o livro que tinha pego na biblioteca e entregando para ele.-É sobre poesia então vai fazer a maior parte do meu trabalho. 


-“Eu tenho sérios poemas mentais”?-Ele disse me olhando em seguida sorrindo com os lábios e com os olhos.-Gostei do nome. Mais ainda quero sua ajuda.-Ele disse segurando minha mão e começando a me puxar.


-Ei! Tudo bem. Eu vou, mais eu sei andar.-Disse e ele soltou minha mão. 


-Ah. Me desculpa.-Ele disse mais não consegui comentar nada, me perdi no jeito que ele olhava.-Vamos então.-Ele começou a andar e depois comecei a andar também do seu lado. Não sei por que ele fez aquilo e não consegui achar um motivo, mais no fundo eu tinha gostado, ele tinha tocado em mim e a gente nunca tinha se falado tanto assim. 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...