História That friend - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Neymar, Philippe Coutinho
Tags Coutinho, Futebol!, Neymar, Rússia, Selecao
Visualizações 364
Palavras 1.970
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ola pessoal, espero que estejam gostando, e lembrando que o cap agora ja é um hot, vai por mim vai ajudar muito no caminhar da historia, e tambem quem não adora um bom hot né srsrs
Bom é isto
Boa leitura!

Capítulo 4 - Quebrando barreiras.


Philippe me colocou com cuidado sobre a cama, e para a minha surpresa ele não se deitou comigo, ele apenas se levantou foi até a porta e a trancou, pegou os celulares e pelo o que entendi colocou no silencioso.

-Ninguém vai nos atrapalhar agora. Quando foi que a voz dele ficou tão rouca daquele jeito? Ele me olhando daquela forma só me fazia ficar ainda mais com vontade dele. – Você tem creme? Ele perguntou novamente com sua voz rouca.

Eu apontei para a minha penteadeira e vi ele pegando um dos cremes, mas eu não queria aquele cheiro de creme pelo quarto, eu queria o cheiro dele, do perfume dele pelo quarto toda, e em mim.

-Pega aquele outro. Disse apontando para um que não tem cheiro. – Ele não tem cheiro. Respondi para ele que sorriu para mim e trocou o mesmo, se sentando novamente próximo a mim.

-Agora você vai aprender como fazer uma massagem senhorita fisioterapeuta. Ele disse me fazendo sorrir, ele não pararia de sem engraçadinho nem agora?

Pegando uma quantia, ele começou a passar no meu pé, e apertando meu tornozelo com um pouco de preção, eu estava com dor por causa do sapato, e aquilo era bom, na verdade a forma que ele apertava era boa de mais que chegava a ser prazeroso. Olhei para ele que sorria para mim subindo sua mão para minha batata da perna e logo em seguida chegando até minha coxa, e continuando a massagem.

Assim que ele terminou sua massagem prazerosa ele subiu na cama segurando minhas mãos e tirando minha camisa enquanto ele observava cada detalhe do meu corpo.

Me deitando de costas para ele, ele começou a fazer sua massagem, do ombro para a as costas, que causavam arrepios em toda minha espinha, ele apertou meus braços massageando cada canto do corpo meu corpo.

-Posso? Phillipe disse depois de muito tempo sem falar.

-Pode. Disse e senti o fecho do meu sutiã sendo desfeito me liberando, e ele continuou sua massagem subindo sobre minhas costas, onde eu conseguia sentir sua ereção crescente na minha lombar.

As mãos de Phi foi para o lado na minha costela, passando sobre a minha tatuagem e subindo até o inicio do meu peito. Ele voltou com a mão para a parte de trás das minhas costas novamente ainda massageando.

Aquilo era bom, era relaxante, e ao mesmo tempo prazeroso de mais, sentir Philippe sentado nas minhas costas e sentir sua ereção sobre a calça me fazia o querer mais e mais.

-Pronto, pode se virar. Ele disse saindo de cima de mim, e me virando de frente para ele me ajeitei no travesseiro novamente vendo Philippe, e ele é lindo, o topete agora estava caindo, então uma mecha teimava em cair próximo ao seu olho, os olhos castanhos dele me comiam, e parecia registrar qualquer detalhe, ele nunca tinha me olhado assim, era novo, era quente e eu gostava muito.

Philippe finalmente se mexeu novamente descendo para próximo ao meu pescoço e beijando novamente meu pescoço com mais vontade que na primeira vez, assim eu conseguia sentir seu perfume ainda mais perto de mim, e passei minhas unhas em suas costas, enquanto ele enchia meu pescoço de beijos, chupoes e mordidas, mais eu queria outra coisa, eu queria seus lábios, queria poder beijar aquela boca que tanto me fez perder o sono durante noites.

Mais como sempre, as vezes acho que Philippe consegue ler minha mente, pois parou com as investidas no meu pescoço e me olhou no fundo dos olhos, passando o polegar no meu lábio inferior ele se aproximou de mim beijando de leve meu lábio inferior, e me olhando novamente ele finalmente selou nossos lábios, e nossa como eu queria aquilo.

Uma descarga percorreu todo meu corpo, os lábios de Philippe tinham um gosto de menta, como? Só Deus sabe, mais era refrescante, os lábios que ele tanto mordia era macio, e delicado, sua língua pediu passagem e eu cedi deixando nossas línguas começaram a travar uma batalha, e eu não queria que ela terminasse, porem o ar faltou fazendo nos separar um do outro.

- Isto foi muito melhor do que todas as vezes que eu fui dormir pensando. Philippe disse me olhando com um sorriso bobo.

-Então anda pensando muito em mim? Disse passando minha mão no rosto dele.

- Tirando quando estou no treino e com a Maria, não consigo parar de pensar em você um só minuto. Ele disse se aproximando dos meus lábios novamente.

-Que bom, achei que era a única. Confessei fazendo-o sorrir, e como eu adorava aquele sorriso, como eu o adorava.

Novamente ele desceu seus lábios para beijar meus lábios novamente, enquanto uma de suas mãos desciam até meu peito agora descoberto, senti a pressão do corpo dele ficar menor enquanto seu polegar brincava com meu mamilo, não consegui conter um longo suspiro, sentindo Philippe sorrir e novamente brincar com o meu mamilo, e novamente soltei mais um longo suspiro.

Descendo seus beijos ele alcançou o primeiro mamilo, dando primeiro um beijo, logo em seguida o sugando e passando a língua de vagar ao redor dele, cada movimento de Philippe era preciso, era bem feito, mais ainda assim não conseguia não pensar que ele estava cuidando de mim, e mudando ele começou ataca o segundo mamilo continuando sua tortura prazerosa.

Seus beijos desceram pela minha barriga, beijando cada canto, cada traço da minha tatuagem, cada detalhe da minha pele recém descoberta por ele, chegando próximo ao cós do meu shorts e subindo novamente para minha barriga, para próximo ao meu seio, beijou cada mamilo novamente ,meu pescoço, e descendo com a língua descendo até meu mamilo, que ele sugou e desceu novamente até minha barriga e por cima do meu shorts ele tocou minha intimidade aproveitando que era de legging  vendo eu me retorcer e sorrir.

- O que fazer com você? Philippe disse pegando meu shorts e descendo com cuidado. – Hm...Ele disse afastando o lado o tecido da minha calcinha tocando de leve minha intimidade. – Tão molhada. Ele disse subindo para próximo ao meu ouvido. – Será que consigo te deixar mais molhada? Philippe disse ainda no meu ouvido, eu gostava deste Philippe ele era ousado, e me surpreendia, me deixava com mais vontade dele toda vez que ele falava aquele tipo de besteira para mim.

Seu dedo foi ao encontro ao meu clitóris, o massageando , me fazendo se contorcer em baixo dele, e ele observava toda a cena com um lindo sorriso no rosto, enquanto todo meu corpo era invadido por uma onda de prazer imensa, enquanto ele continuava sua tortura, os lábios de Philippe colaram nos meus, enquanto ele invadia com seu dedo na minha intimidade. O Ar faltou nos pulmões por alguns instantes enquanto ele colocava o segundo dedo.

-Philippe.... Disse gravando minhas unhas nos ombros dele.

- Sempre quis ouvir você me chamar assim, com todo este prazer Mari. Ele disse entre risos sobre meus lábios enquanto continuava suas investidas na minha intimidade. – Diz de novo. Ele disse tão ofegante quanto eu.

-Philippe, Philippe... Disse tentando manter meu auto controle para não gritar e conseguir lembrar o nome dele, por que neste momento não lembrava nem o meu, meu corpo estremeceu, chegando ao meu orgasmo, estava tão perto eu iria atingir aquele fundo do poço de prazer mais para a minha tristeza ele parou o que fazia. – Por favor.... Disse meio ofegante.

-Assim não vai ter graça. Ele disse sorrindo para mim. – Aí minha pequena, como eu te quero, você não tem ideia o quanto me sinto aqui nesta calça.

Eu olhei para ele sorrindo, e usando as forças das minhas pernas eu o joguei na cama e ficando sobre ele.

Beijei seus lábios e desci pelo meu abdômen, passando a minha mão sobre sua intimidade enquanto sentia como ele se sentia ainda mais incomodado.

Me Sentei de costa para ele, o deixando ver meu traseiro, enquanto desabotoava o botão da calça e descia a mesma, e com a ajuda dele terminei de tirar a calça vendo a box preta e não querendo demorar muito ajudei a descer a box, e me esticando o máximo que conseguia empinando meu traseiro o máximo que conseguia para ele.

- A visão daqui é incrível. Ele disse apertando minha bunda enquanto minha mão começava a massagear seu membro, e Philippe era pequeno apenas de altura por que o que era aquilo?

Enquanto eu continuava minha tortura ele para a minha surpresa me jogou contra a cama, me fazendo parar o que estava fazendo.

-Mesmo que eu quisesse muito que você fizesse isto, acho que sou eu que estou cuidando de você, vamos deixar isto para uma próxima vez quem sabe. Ele disse sorrindo para mim.

-E vai ter próxima vez?

-Vamos torcer que sim. Ele disse sorrindo me beijando novamente, e pegando na carteira ele tirou um preservativo o colocando e vindo sobre mim novamente. – Mari, Mari, deixa eu cuidar de você um pouco, você precisa relaxar, e eu sei como. Ele disse no meu ouvido beijando meu pescoço –Feche os olhos.

Fiz o que ele mandou e logo em seguida senti seus lábios contra o meu e senti ele me invadir, um prazer maior que quando ele estava apenas com seu dedo me atingiu ainda mais.

- Você está bem? A voz dele me fez acordar dos pensamentos.

-Estou ótima. Disse sorrindo, abraçando o pescoço dele e sentindo aquele perfume enquanto ele beijava meu pescoço se movendo de vagar, enquanto a mistura do perfume dele com suas investidas me faziam perder a linha, aquele perfume nunca me fez tão bem e nunca mais eu conseguiria sentir aquele perfume sem me perturbar ainda mais.

Philippe foi mais fundo e mais forte, me fazendo gemer mais alto, eu tentava regular o máximo do meu volume, mais quando finalmente Philippe finalmente aumentou a velocidade eu consegui me entregando totalmente ao foda-se.

- Mari... Há minha Mari...A voz, o perfume de Philippe aquele dia só me ajudava a me afundar ainda mais naquela sensação. -Olha para mim por favor. Ele disse já ofegante, e segurando suas mãos nos entregamos um para outro.

-Philippe.... Disse atingindo meu clímax, enquanto ele soltava um gemido primitivo caindo sobre mim no meu ombro, ofegante, achei q ele tinha dormido mais ele se mexeu deitando do meu lado.

-Isto foi incrível, como você está? Ele disse depois de uma longa pausa.

-Estou incrivelmente ótima, obrigada por cuidar de mim. Disse me apoiando nos cotovelos.

- De nada. Ele disse sorrindo para mim, eu toquei seu rosto com carrinho.

-Adoro seu sorriso. Disse encantada enquanto ele continuava me sorrindo. – Adoro seus olhos. Disse recebendo em troca um novo sorriso.

Ele ia me disser algo quando alguém bateu na porta, eu olhei para ele que sorria nervoso.

-Fica aí. Disse me levantando e pegando um roupão.

-Não vou a lugar nenhum. Philippe disse com a mão atrás da cabeça.

Amarrei o cabelo em um coque, mal feito e abri a porta vendo Allisson parado na porta

-Oi muralha. Disse olhando para ele curiosa.

-Você ouviu uns gritos? Ele disse me fazendo corar violentamente.

-Gritos? Eu... não..., deve ter sido os vizinhos. Disse fingindo demência enquanto Philippe riu auto.

-O que foi isto?? Allisson disse tentando olhar dentro do quarto.

-É a televisão. Eu disse indo para o lado. – Bom eu vou ir tomar um banho, adeus muralha. Disse fechando a porta.

- Então vamos tomar banho? Philippe disse se levantando ainda pelado, corri meus olhos por todo seu corpo.

-Eu vou tomar banho você fica aí. Disse correndo para o banheiro.

O dia era de descanso, amanha eles começavam os treinos então seria muito corrido, o jogo contra a Suiça iria chegar e precisava mesmo me concentrar, talvez passa o dia com Philippe me ajudasse não sei.


Notas Finais


é isto pessoal
Um beiijo e um queijo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...