História That Girl - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Gaston, Luna Valente, Matteo, Nico, Nina, Pedro, Ramiro, Simón
Tags Lutteo
Visualizações 354
Palavras 807
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente! Tudo bem?
Obrigada pelos favoritos! Não tenho palavras para descrever o quanto me sinto realizada em escrever pra vocês!
Boa leitura!

Capítulo 10 - Capítulo 10


   Nico liga o motor e vejo Fernanda chegando perto de Matteo. Não me controlo e acabo abrindo o vidro e gritando olhando para ele e ela.


    - Olha só, o casal perfeito. Vocês se merecem. - fecho o vidro e Nico acelera.

        Nico - Oque aconteceu?

         - Matteo e eu brigamos. Nada demais.

      Nico - Tem certeza? Se quiser desabafar, estou aqui.

       - Obrigada Nico, mas estou bem, ou acho que estou.

      Nico - Tudo bem então. Podemos passar em uma lanchonete ou em uma cafeteria. Que tal?

      - Por mim tudo bem.

      Nico - Vou te levar em um lugar que adoro.

      - Onde é?

     Nico - Não é muito longe. É uma cafeteria onde tenho o costume de ir.

     - Adoro cafeterias.

     Nico - Que coincidência, eu também. - ele fala erguendo a sobrancelha e dá uma risadinha adorável depois. Faço o mesmo.

    Depois de alguns minutos, chegamos a uma cafeteria bem bonitinha. Faço um gesto para abrir a porta do carro.


    Nico - Abro pra você. - ele diz com um sorriso lindo e faz a volta no carro, abrindo a porta para mim.

        - Obrigada!

      Nico - Você vai amar os lanches daqui. São deliciosos, e o cappuccino. Meu Deus. - não consigo segurar uma risada e Nico olha para mim e aperta minha bochechas. - Você é fofinha!

         - Obrigada, hein?

          Nico - Vamos entrar?

       - Claro. - ele abre a porta e o cheiro de café fresquinho reverbera no ar. - Hmm, que cheiro bom. - falo depois de um suspiro.

         Nico - É verdade.


    Nos sentamos em uma das mesas e olhamos o cardápio. A garçonete chega com um sorriso no rosto.


    Garçonete - Olá, bem vindos ao Sweet Bakery. Oque vão pedir?

     - Acho que vou querer um croissant de chocolate e um cappuccino.

        Nico - Vou querer o mesmo que o dela.


      Ela sai e um silêncio desconfortável está entre Nico e eu.


       Nico - Então, de onde veio?

       - Janesville.

       Nico - É uma boa cidade.

       -  É mesmo. E você?

       Nico - Sempre morei aqui.


    Alguns minutos depois nossos pedidos chegam e a garçonete sai.


       - Parece estar delicioso!

       Nico - Deve estar. Tudo aqui é delicioso.



     Depois de conversar e comer, Nico me leva para a faculdade.


      Nico - Gostei muito de hoje!

       - Eu também.

    Nico - Podemos sair para jantar ou ir ao cinema um dia desses, se você quiser.

     - Seria ótimo. Tchau! - saio do carro indo em direção ao meu quarto.


       Chego e o abro, dou um suspiro de alívio e escoro na porta até ver Matteo sentado na cama de Ámbar.


       - Já disse que não quero mais te ver.

      Matteo - Luna, preciso que você me ouça.

    - Pela milésima vez? Estou cansada, Matteo. Você falou que queria namorar comigo e na primeira, NA PRIMEIRA CHANCE, me esnobou na frente da Fernanda. - sinto o gosto salgado de minhas lágrimas enquanto falo. Não queria chorar na frente dele de novo, mas não consigo segurar.

        Matteo - Não queria te fazer chorar.

      - Mas fez, e muito. Tem noção do quanto me machucou?

        Matteo - Luna, me perdoa.

     - Te perdoar? Para de fingir Matteo. Você ama Fernanda e ela ama você. Porque está correndo atrás de mim?

     Matteo - Fernanda é minha amiga e faz parte do grupo. Isso nunca vai mudar.

     - Fica com ela então. Fui burra por pensar que você era diferente de todos os caras que conheci e que você me amasse de verdade. Como eu te amo ou te amava, porque agora, nesse exato momento, a única coisa que quero que você faça é... Deixa pra lá.


      Matteo - Oque quer que eu faça, Luna?

      - Quero que você morra. Na verdade, não.

    Matteo - Porque? Ainda sente alguma coisa por mim?

     - Não, porque no momento em que vi você e Fernanda juntos, você morreu pra mim.

      Matteo - Não podemos acabar oque temos, Luna.

    - Oque temos? - solto uma risada nervosa em meio as lágrimas. - Não podemos acabar uma coisa que nunca começou.


    Ouço o barulho da maçaneta e Ámbar entra. Ela olha para mim e para Matteo depois.


        - SAI MATTEO. ME DEIXA EM PAZ.

        Matteo - Luna...

       - Ámbar, tira ele daqui!

      Ámbar - Vamos Matteo, seu tempo aqui acabou.

       Matteo - Não, Ámbar. Eu preciso falar com ela.

      Ámbar - Vamos de uma vez. - ela fala e o puxa pela camiseta até o corredor.


   Não acredito que estou chorando por Matteo, de novo. Eu realmente acreditava que ele poderia ser o namorado que eu sempre sonhei em ter. Ele não precisava ser perfeito. Ele só precisava ser ele. E ver ele com Fernanda foi horrível.

     Nunca me senti tão mal em toda minha vida. Estou com dor de cabeça e, no pior lugar, no coração.



Notas Finais


Gostaram? Espero que sim!
Luna e Matteo estão brigados e embora não pareça, estou com o coração partido por causa disso. Mas o Matteo foi um idiota no capítulo anterior, né?
Beijos e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...