História That Wasn't Supposed To Happen. - Youngmin AB6IX - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


BOA LEITURA!♥

Capítulo 1 - Capítulo I


Fanfic / Fanfiction That Wasn't Supposed To Happen. - Youngmin AB6IX - Capítulo 1 - Capítulo I


↪Yoon Sung-Hwa↩


 Está tudo perdido. O exato motivo de eu ainda estar viva, me deixou sem mais nem menos. Estava tudo indo por água à baixo. Eu não tinha mais nenhuma motivação para estar viva. Não tenho mãe, nem pai. Não tenho amigos. Não tenho bons estudos e possivelmente, não terei um bom futuro, então para que viver sem razão? A única coisa que sei fazer bem é magoar às pessoas e acabar com a minha vida.

O Rio Han é tudo o que tenho. Eu não tenho um rio só para mim, mas eu sinto que posso fazer de tudo quando estou à sua beira. Qual seria o melhor lugar que me daria mais forças para partir, à não ser o Rio Han? Eu quero partir em um lugar que  me sinta bem e que eu sinta que posso fazer qualquer coisa naquele lugar. Eu iria pular as grades daquele grande rio e mergulharia naquelas águas, onde eu morreria.

Eu caminhava calmamente pelas beira do rio Han, onde eu partiria. Avistei um pássaro e pensei: "Se eu morrer agora quero me tornar um pássaro, pois além de estar sempre voando por aí conhecendo o mundo, ele me parece bem feliz. Pássaros não levam vida difícil." Paro em frente as grandes grades do Rio e olho em volta, nada de anormal estava acontecendo. Crianças brincando até suas mãos e pés quase saírem de seu corpo. Uma velhinha alimentando pássaros com milho. Pais e mães observando seus filhos brincando. E um menino com fones de ouvidos, cantarolando uma música bem similar à "Me After You" Do Paul Kim. 

Tudo o que eu precisava fazer era pular por aquelas grades e eu já estaria à alguns segundos de minha morte. Eu precisava pular naquele Rio e partir. É o certo à fazer. 

Começo a subir na grade e sento em cima dela. Eu só precisava dar um impulso e tudo estaria acabado. Me preparo para pular e ouço uma voz atrás de mim.

- O que está tentando fazer? -Falava o menino que à alguns segundos/minutos estava escutando algo similar à Paul Kim. Ele era alto, de cabelos pretos, estava com um caderno em suas mãos e seu fone em volta de seu pescoço.

- Para quer que saber? -Pergunto olhando o Rio e a paisagem de Seoul.

- Porque me importo. -Fala óbvio me olhando e eu ainda não dei uma resposta à ele e nem pretendia dar. -Ei! - Ele me toca e grita. Me viro e ò olho nos olhos. - O que você tem na cabeça para fazer isso? Merda? É isso o que predomina em sua cabeça? -Pergunta já muito raivoso.

- Sim! É isso mesmo. -Digo em um tom claro e alto, mas não muito alto. -Eu sou uma inútil, imprestável, horrível, estranha e lixo. O que esperava que tivesse na cabeça de uma pessoa que nem eu? Esperava que tivesse esperança e fé. Se foi isso o que pensou... -Dou uma pausa ainda o olhando um pouco raivosa. - Você. Estava. Completamente. Errado! - Falo todas as palavras calma, mas grito quando e palavra "Errado" sai de minha boca, dando ênfase à ela.

- Você não pensa no outros, não? - Pergunta com suas mãos na cintura e ainda irritado ou chateado. - Você já parou para pensar na sua mãe, e como é que ela vai seguir a vida sem a própria filha? E o seu pai? Já pelo menos pensou em como ele iria se culpar por tudo isso? E seus amigos, garota? - Ele diz mais calmo que antes, mas o tom dele ainda era alto. - Isso não é humano. Seria muito egoísmo de sua parte. - Fala me olhando nos olhos, e eu ainda me encontrava naquela grade, sentada, mas até aquele momento, já estava chorando mesmo não querendo.

- Eu estou aqui exatamente, porque não tenho nada dessas coisas para me preocupar. Você acha que quem tem amigos e família seria triste? -Pergunto irônica, e ele estava sem reações, paralisado e eu RI. - é claro que não! Eu não tenho mais o que fazer por aqui. O que eu tinha que fazer eu já fiz. Mas o que eu realmente tive vontade de fazer durante esses 10 anos de que eu moro aqui, eu não fiz, então, vou fazer agora e nada que fizer vai me fazer mudar de ideia. -Falo me virando em direção ao rio e fico em posição para pegar o impulso e partir.

- Não vai, por favor! -Diz o menino. Ele tinha uma voz de choro. Me virei para trás e ò vi chorando. - Não cometa esse erro. Se você diz que já está cansada de errar, não coloque mais esse erro em sua lista. Você vai conseguir superar isso tudo. Não cometa o mesmo erro que eu, por favor. -Ele me olha nos olhos ainda chorando, mas ele já estava mais próximo Da grade onde eu estava.

- Como assim? O mesmo erro que você? -Pergunto com olhos marejando.

- Eu já fui como você. -Ele olha para seus pés e fica mexendo com seus dedos.

- Eu não acredito nisso. Você só diz isso para eu não fazer isso. Afinal, como uma pessoa que nem você, que me parece extremamente feliz e legal, seria um lixo de entulho que nem eu? - Acabo me virando para o rio novamente.

- Você está certa. -Rio irônica após sua fala. - Mas só em alguns detalhesbem é Fala calmo e simplista.- Eu já fui sim, que nem você, mas mudei. Eu estava nesse mesmo lugar que você já decidido à pular, e ao contrário de você, eu não tinha alguém para me falar tudo o que eu estou falando para você e pulei. 

- Mas você ainda está aqui. Vivo. - Digo curiosa.

- Eu felismente, lembrei de todos os meus amigos, que no caso, eram só 3, e consegui à tempo nadar para à beira, mas quando cheguei na beira, eu já estava à beira da morte, pois estava sem ar e tinha problemas cardíacos. Passei tempos no hospital e decidi mudar e não mais ficar me afogando na solidão e depressão. -Falou simples e eu estava realmente sem reações.

- Porque tá me falando isso? - Pergunto.

- Porquê não quero isso para você. Eu não te conheço muito bem, mas você deve ser uma boa menina e verdadeira, basta somente decidir entre ficar assim, depressiva pra sempre, morrer nesse momento e a minha opção preferida, dar à volta por cima e mostrar para todos que você pode sim ser feliz, mesmo com dificuldades em sua vida. -Sorri para mim e uma lágrima sai de meu olho. - 

- Eu não vou cometer mais um erro e vou escolher a última opção, a sua preferida. - Rio e ele também. - Obrigada! - Desço da grade e dou-lhe um abraço.- Eu vou mudar. - Falo animada.

- De nada e eu espero vê-lá novamente em situações melhores. -Sorri e que sorriso lindo. - Bom, eu preciso ir. 

- Vai lá! Tchau e obrigada, garoto. - Falo ascenando já vendo ele já se afastar.

- Tchau! - Fala ele correndo de costas e partindo para o lado norte do parque em que se situava aquela margem do Rio.


...


~`•|°↪ CONTINUA↩°|•`~


Notas Finais


Gente, eu não iria fazer fanfic nenhuma para esses dias, pois eu ainda não consegui superar que o X1 deu disband e eu estou realmente triste.
Eu ainda não superei, e não acho que vou conseguir superar assim tão cedo.
Espero que gostem e desculpe qualquer erro, pois escrevi correndo, pois a minha internet tá no auge!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...