1. Spirit Fanfics >
  2. That woman >
  3. Primeiro dia de aula

História That woman - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 2 - Primeiro dia de aula


Eu tive uma noite tranquila. Eu pensava que todo aquele pesadelo retornaria após eu voltar a morar nessa casa, mas ocorreu tudo normal.

Hoje é o meu primeiro dia de aula. E eu começaria a estudar de tarde, então eu como rapidamente o meu almoço e saio de casa. Na rua, mesmo eu estando rodeada de outros alunos indo a mesma escola que eu, eu ainda me sentia apreensiva e minhas mãos soavam muito. Isso tudo é pelo meu medo de acabar encontrando aquela mulher novamente. Ao finalmente chegar na escola, eu olho em um pequeno papel de qual sala eu sou e depois de muito procurar, eu finalmente acho a minha sala.

Ao chegar em frente a sala, eu entro um pouco tímida e a professora diz:

_hoje temos uma aluna nova. Se apresente, por favor.

Eu vou até a frente da sala. Eu respiro fundo e digo:

_meu nome é Tayla Mafra, por favor, sejam bons comigo...!

_obrigada, Tayla! Sente ali por favor _a professora diz e aponta para uma mesa.

Eu me sento nela e permaneço calada durante a primeira aula. Após o sinal tocar, alguns alunos vem até a minha mesa. Eles começam a fazer perguntas do tipo: de onde eu vim, quantos anos eu tenho, se meu cabelo ruivo era natural, etc. Eu respondo a todas as perguntas sorridente e logo o professor da próxima aula chega.

Após a chegada do intervalo, eu vou para o pátio da escola e fico sentada em um canto comendo o meu lanche. Até que um menino se senta perto de mim.

_você é a aluna nova, certo? _ele me pergunta.

_sou sim _eu digo.

_podemos ser amigos? _ele diz e sorri para mim.

_podemos sim! _eu respondo.

_eu não sei porque, mas você não me parece estranha... é como se eu já tivesse te conhecido ou algo do tipo. Mas, bom, meu nome é Henry Aubert.

_você provavelmente já sabe meu nome. Eu morava aqui até os meus 10 anos, devemos ter nos conhecido sim.

Uma garota vem até a gente. Ao ver ela, meu coração erra uma batida. Sua pele eram bem pálida e parecia ser muito delicada, seus cabelos eram castanhos escuros e íam até a altura dos ombros como um chanel, seus olhos eram azuis esverdeados e um tanto grandes e seus lábios... pareciam ser naturalmente rosados. Eu sinto minhas bochechas esquentarem e meu coração começa a bater cada vez mais rápido.

_eu sabia que estaria aqui! _ela diz ao Henry.

_você sabe que eu estava um pouco curioso para conhecer a Tayla _o Enry diz para a garota.

_essa é a Sayuri Ullmann, eu e ela moramos no mesmo prédio, então vamos juntos para a escola _Henry diz.

_vocês namoram? _eu pergunto.

_a não, eu sou assexual e a Sayuri é lésbica _o Henry diz.

A Sayuri sorri para mim e eu coro mais ainda. Ela se senta entre a gente e nós três começamos a conversar. Até que o sinal bate e nós voltamos para a sala. Durante a aula, nós três trocamos nossos números de telefone para podermos nos falar a qualquer hora. Quando a aula acaba, eu volto para minha casa um pouco menos assustada por estar pensando em outras coisas. Ao entrar no quintal da minha casa, eu ouço a voz da minha mãe que parecia estar conversando alegremente com alguém. Eu entro em casa, curiosa para saber com quem minha mãe conversava tão feliz. Eu vou andando calmamente até a sala e pergunto um pouco antes de chegar lá:

_com quem está falando, mãe?

Ao chegar na sala, meu corpo se paralisa completamente e tudo aquilo que eu passei na minha infância se passa novamente pela minha cabeça.

_se lembra da Helena Horn, não é? _eu ouço minha mãe me perguntar, mas pelo choque eu não consigo dizer nada.

A Helena sorri para mim e acena.

_Tayla? _minha mãe me chama.

_eu... me lembro sim... _eu digo e me viro para ir para o meu quarto.

_vamos conversar um pouco, nós três! Vocês se davam tão bem! _minha mãe diz.

Eu vou até o sofá e me sento afastada da Helena.

_a Tayla se tornou uma jovem tão bela! _a Helena diz para a minha mãe.

Eu permaneço calada e começo a suar frio.

_agradeça pelo elogio, Tayla _minha mãe me diz.

_o...obrigada... _eu digo sem ao menos olhar para o rosto da Helena.

_mas a Helena também é uma mulher muito bonita, o tempo só não está sendo muito piedoso comigo _minha mãe diz.

Por eu começar a pensar demais, eu deixo de ouvir o que elas diziam. Tudo que eu havia passado volta a tona em minha mente, como se eu estivesse passando por tudo aquilo novamente.

_Tayla, amanhã após a escola, você irá para a casa da Helena, ela me perguntou se você pode ir e eu deixei _minha mãe diz.

Eu volto olho para o lado e não vejo a Helena.

_aonde a Helena foi? _eu pergunto.

_já fazem alguns minutos que ela foi embora, não percebeu? _minha mãe me diz.

_não. E eu não quero ir na casa dela! _eu digo.

_ela quer apenas conversar, matar a saudade e tudo mais. E eu já disse à ela que você irá _minha mãe diz e vai para a cozinha.

Eu subo correndo para o meu quarto e fico chorando. Minha mãe me chama para eu ir jantar e eu passo no banheiro antes de ir para a cozinha. Eu lavo meu rosto e o seco. Eu janto e logo depois vou dormir.

No dia seguinte, eu acordo, me arrumo e vou para a escola um tanto triste. Ao chegar lá, o Henry vem até mim e diz:

_bom dia, Tayla!

_bom dia... _eu digo à ele.

_aconteceu algo? Parece triste _ele diz.

Eu fico por um tempo olhando para ele, pensando se eu deveria dizer sobre o que acontecia comigo na infância. Meus olhos começam a lacrimejar e sem que eu pensasse direito, eu acabo abraçando ele. Ele me abraça de volta e diz:

_vamos para a sala, lá podemos conversar melhor.

Nós então vamos para a sala enquanto ele me abraçava de lado e eu limpava minhas lágrimas. Ao chegar lá, eu olho para a Sayuri, ela me olha de volta e sorri, mas ao ver que eu não estava bem, seu sorriso se desfaz. Eu me sento na minha cadeira e o Henry me pergunta:

_e então?

Eu vejo a Sayuri vir até nós. Meu coração começa a palpitar mais forte e eu sinto meu rosto esquentar novamente.

_está tudo bem? _a Sayuri me pergunta.

Eu olho para ela e digo:

_eu estou bem...

_diga a verdade, você não está nada bem! _o Henry diz.

Eu respiro, inspiro e digo:

_é sério, eu já estou melhor. Aquilo não foi nada.

A Sayuri passa a mão dela pelo meu cabelo e ela vai para a mesa dela.

_depois eu te falo, eu não queria falar isso perto dela _eu digo ao Henry.

_tudo bem _ele diz.

A professora entra na sala e a aula se passa normalmente até o intervalo.

continua...


Notas Finais


Caso se sintam confortáveis, comentem o que estão achando da estória! Obrigada por ter lido!♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...