1. Spirit Fanfics >
  2. The 00's Love - SeungJin >
  3. Único

História The 00's Love - SeungJin - Capítulo 1


Escrita por: e lademann


Notas do Autor


Oie! Mais um ciclo do Nation! Estou chorosa, esse projeto é tudinho 😭

Eu particularmente AMEI escrever esta história, mesmo que eu tenha demorado mais que o esperado, quando a finalizei me senti muito feliz e orgulhosa do meu trabalho. Juro de dedinho que não teria blowjob, mas minha amiga me incentivou a fazer e cá estou eu 💀

Boa leitura!

Capítulo 1 - Único


Fanfic / Fanfiction The 00's Love - SeungJin - Capítulo 1 - Único

Era primavera quando, no auge da adolescência, Seungmin se viu desesperado à procura de um companheiro para um show. Nenhum de seus amigos haviam demonstrado interesse com a celebração e o Kim havia ficado sem reação. Era simplesmente o show da melhor banda de Rock de todos os tempos!

O que ele ouviu sair da boca de seus colegas o fez ficar desacreditado, tais como: "Rock é só barulho e gritaria", ou até mesmo "Rock é muito ruim!". Sinceramente, Seungmin havia começado a questionar suas amizades.

Claro que cada um pode ter a sua opinião, mas alguém odiar Rock era algo que o Kim achava impossível de se acontecer, no entanto, muitas pessoas não gostavam e criticavam o gênero musical como uma forma de "entretenimento" — Seungmin chamava isso de frescura.

Para o estudante, os shows de Rock eram os mais animados de todos! As bandas tocando com tanta intensidade e a plateia indo a loucura junto com os vocalistas o fazia ficar arrepiado! Queria tanto ir em um e comprovar se o chão tremia igual costumavam dizer na internet…

Porém, Seungmin não queria ir sozinho. Ele nunca ia para algum lugar sem companhia, era algo com que já estava acostumado a fazer desde pequeno. Quando não eram seus pais ou irmã, eram seus amigos — estes que agora deveriam temer pela amizade que tinham com o Kim depois de dizerem que não gostavam do que o outro mais amava. Teve até mesmo uma época em que ele precisava levar um colega junto para o acompanhar até o banheiro do colégio, o que era tão constrangedor que ele fora obrigado a começar a ir sozinho. Era o único lugar em que ele ia sem nenhuma companhia.

Não tinha medo, ele só não gostava.

Voltando ao show, Seungmin havia comprado dois ingressos e desejava levar qualquer pessoa que aceitasse seu convite — seu ego era tão grande que ele achava que a pessoa tinha que o agradecer, porque não era sempre que Kim Seungmin convidava alguém para um show —, mas estava sendo difícil achar alguém naquela escola. Ele estava prestes a desistir e começar a ir convidar qualquer um da rua.

Ouvindo "Slither", do "Velvet Revolver", caminhava pelos corredores de sua escola, planejando passar mais uma tarde nada produtiva e entediante em sua cama confortável, mas foi parado por uma menina do segundo ano. Seus cabelos eram loiros, estatura baixa e o sorriso presente em seu rosto era bastante contagiante. Ela parecia bem animada, dando pulinhos enquanto esperava Seungmin dizer alguma coisa.

— O que foi? — Enfim perguntou após tirar seus fones, agarrando a alça de sua mochila azul ciano.

— Ouvi que está procurando uma companheira para o show do System of a Down! — Respondeu, apertando alguns livros contra o seu peito. 

— Não uma menina exatamente… — Coçou a nuca nervoso. — Por quê? Quer ir comigo?

— Sim! — Exclamou, seu sorriso crescendo mais ainda. — Eu estava querendo te chamar para sair faz um tempo, então quero aproveitar essa chance!

— Se você quer, então vamos. — Respondeu com um sorriso mínimo, recebendo um abraço repentino da garota elétrica e a vendo sair correndo logo depois. — Pois é, Seungmin, você continua arrasando os corações das garotas.

Riu com o que tinha dito, começando a caminhar para a sua sala enquanto balançava a cabeça ao som de "For a Brother" — da mesma banda de antes —, que tocava no volume máximo.

[...]

Era o dia do tão esperado show e Seungmin se encontrava muito contente, seu coração ia sair pela boca! Ouviria todas as músicas de sua banda de Rock favorita tocadas ao vivo e ele mal podia esperar para pular até não sentir mais seus pés enquanto gritava junto com as outras pessoas. Seria a melhor adrenalina de sua vida e se sentiria mais vivo que nunca, disso tinha absoluta certeza.

Mesmo que fosse um show, não havia se arrumado tanto, preferiu vestir apenas uma camiseta branca e uma calça de couro bem apertada, junto de um tênis de cano alto e uma bandana para impedir que sua franja caísse em sua testa.

Havia combinado com a garota — quem nem sabia o nome — para se encontrarem na fila da entrega dos ingressos, então saiu de sua casa sozinho e pegou um ônibus que ia parar em um ponto próximo à arena onde aconteceria o show. De repente, o medo de não conseguir assistir ao show o atacou e suas mãos começaram a suar e a formigar, ele até tentou se acalmar, entretanto, isso só aconteceu quando ele percebeu que já estava ao ar livre, dentro do enorme estádio.

Mas a ansiedade atacou novamente quando ele notou que havia levado um bolo.

Não a tinha visto na fila e também tentou encontrar a cabeleira loira no meio de toda aquela gente, porém não obteve sucesso algum. Ligou para ela, não foi atendido. Procurou mais uma vez e nada. A única coisa que se passava por sua cabeça era o motivo da menina não ter comparecido, porque alguns dias antes ela aparentava estar bem animada por ter um encontro com Seungmin, e mesmo assim não deu sinal de vida nem para avisar que não ia.

Seungmin ficou boquiaberto por alguns minutos enquanto ainda permanecia desacreditado, até se assustar com um estrondo alto. O show havia começado. Ele se esqueceu de tudo quando seus ídolos apareceram no palco, seus olhos brilharam em fascinação. Não importava se havia levado um bolo grande, era a hora de ele pular, gritar, cantar, vibrar e berrar ao som de um dos melhores gêneros musicais. 

Ao decorrer das músicas, o Kim ficava ainda mais energético e tudo corria bem.

A não ser por um cabeção.

Um rapaz um pouco mais alto que si apareceu em sua frente e atrapalhou sua visão, já não bastava estar longe do palco, agora havia um poste o impedindo de ver algo além de suas costas. Seungmin tentou ir para o lado e esticar o pescoço, mas fora empurrado para o mesmo lugar de antes. Bufou, tocando repetidamente o ombro do outro.

— Sai da frente! — Gritou, mas a algazarra ao seu redor era tanta que ele não fora ouvido. 

Foi preciso empurrar o grandalhão para trás — fazendo-o quase derrubar o copo de bebida que tinha em mãos — e ficar em sua frente para conseguir o que queria.

— Ei! — Reclamou o garoto de cabelos pretos. — Você não devia ter feito isso!

— É proibido agora? Olha, não mudou quase nada pra você, então fique aí e assista ao show. — Virou de costas para ele e trinta segundos depois ouviu a sua voz irritante novamente.

— Você é quase da minha altura e agora quem não consegue ver sou eu! E a propósito, você me fez derrubar a minha cerveja! — Seungmin deu de ombros, tentando prestar atenção no que acontecia no palco. — Quer saber?

O Kim observou o mais alto jogar o copo quase vazio no chão e agarrar dois meninos pelos braços, fazendo-os ficar em sua frente, logo após fora empurrado e agora estava ao lado dele. Pois é, até que tinha dado certo, ambos eram mais altos que os outros dois desconhecidos. Bem, para ele eram desconhecidos.

— Ya! Hyunjin! Isso doeu! — Reclamou o rapaz loiro, se virando para falar cara a cara com o de cabelos pretos.

— Por que fez isso? — Indagou o menor de todos. E uau, sua voz era assustadora. 

— Peço desculpas pelo puxão, mas foi preciso. — Os dois o encararam com olhares de deboche. — Só continuem aproveitando o show, não é sempre que vamos a um.

Seu tom de autoridade fez Seungmin pensar que ele era mais velho do que os que estavam em sua frente — e os três obviamente eram amigos —, e o Kim ficou encarando o tal Hyunjin até o final do show, curioso sobre quem ele era, mas não esquecendo de se divertir ao som das músicas do System of a Down. Quando o estádio ficou silencioso, após a banda ter se despedido e os gritos ardentes dos fãs terem preenchido a grande arena, Seungmin percebeu que aquela era a sua única chance de pedir o número do mais alto.

— Então… — Começou a falar, porém nem teve chances de terminar devido a um grito de um dos garotos.

— Isso foi incrível! — Gritava o de bochechas gordinhas ao se virar de frente para seu amigo e o desconhecido. — Meu coração 'tá batendo sem parar, acho que vou ter um infarto! Felix, me socorre!

— Não dá, eu 'tô igual! — Exclamou o de cabelos brancos, com a mão no coração e sorrindo de orelha a orelha. — Agora eu preciso de um 'burgão' para finalizar meu dia!

— A gente vai no primeiro que aparecer, precisamos encher o bucho porque depois desse show nem alma eu tenho mais! Nossa, não consigo tirar da minha cabeça o quanto esses caras me deixam sem palavras! Um dia eu quero tocar em um show igual eles!

— Sim, você vai. — Respondeu o outro sorridente, segurando sua mão e agora encarando Hyunjin e Seungmin. — Vão querer ir comer com a gente? O Jisung paga.

— Quem disse? — Indagou ele incrédulo, recebendo um soquinho no braço. — Ai!

— Desculpa, estão falando comigo? — Questionou Seungmin com um sorriso pequeno no rosto.

— Sim, ué! — Felix respondeu como se fosse uma coisa óbvia. — Você não está com o Hyunjin? 

— Não, ele não está. — Respondeu o sujeito de olhos gatunos. — Mas isso não quer dizer que ele não pode sair para comer com a gente.

— Eu não acho uma má ideia… — Disse o Kim receoso. — Eu posso ir ao banheiro primeiro? Estou apertado.

— Eu vou junto, Felix e Jisung podem ir até a saída procurar alguma lanchonete aberta. Esperem a gente! — Disse Hyunjin, fazendo Seungmin suspirar nervoso.

Foi uma grande luta para irem até o banheiro sem esbarrarem em mais de cinquenta pessoas pelo caminho, quase todas suadas e cheirando a algo que claramente não era perfume. Seungmin foi o caminho inteiro de cabeça baixa, envergonhado. Durante o show percebera o quanto o outro rapaz era bonito, ele simplesmente não parecia real, e mesmo depois de duas horas em pé, ele continuava em perfeito estado, se encontrava pouco suado e seu cheiro agradável continuava o mesmo.

— Pronto, aqui estamos. — Disse ele, se encostando na porta de entrada do banheiro — que incrivelmente estava limpo e sem uma alma viva dentro. 

— Eu não quero usar o banheiro… — Respondeu o Kim deixando perceptível o seu nervosismo. — Foi uma desculpa para tentar escapar de você e seus amigos.

— Ah… — Riu baixinho. — Sei que não é normal três desconhecidos te convidarem para comer sem motivo algum, mas somos boas pessoas e não faríamos nada de mau contigo.

— Foi bem inusitado mesmo. — Também riu, encarando o rosto suavizado de Hyunjin. — Vamos voltar agora que você descobriu a minha tentativa de fuga?

— Podemos ir quando você quiser. — Desencostou da parede e caminhou até o menor, o sorriso travesso permanecia em seu rosto. — Você sabe o meu nome, pode me dizer o seu?

— Kim Seungmin. — O amante de rock percebeu o quanto estava próximo do rosto bonito e seu sorriso aumentou perigosamente. 

— Então… — Lentamente segurou o queixo do outro. — Quer aproveitar que estamos sozinhos?

Seungmin desde o começo havia notado a tensão sexual entre ele e o carinha do rosto angelical, mas pensava que era coisa de sua cabeça, por Hyunjin ser tão atraente quanto um prato de macarronada. Agora, sabendo que ele estava com segundas intenções, não hesitou em ativar seu modo piranha e o puxou pela nuca para um beijo desesperado.

Hyunjin aceitou de bom grado, agarrando fortemente a cintura de Seungmin, fazendo seus corpos se chocarem, aumentando a onda de prazer. O Kim estava dando tudo de si naquele beijo, porque além de estar beijando alguém depois de tanto tempo, era alguém que tinha pegada — havia acabado de confirmar — e beijava bem pra caralho.

Suas cabeças revezavam indo de um lado para o outro, as línguas estavam conectadas pela saliva e as mãos percorriam por ambos os corpos, buscando por mais contato. Ouviram passos próximos do banheiro e Hyunjin rapidamente segurou o quadril do mais novo, puxando-o para a última cabine. A boca do Hwang desceu para o pescoço branquinho e largo de Seungmin, passando a língua e chupando, mordiscando e beijando, enquanto seu joelho direito era pressionado contra o membro já animadinho do castanho.

Seungmin adorava ser passivo, as múltiplas sensações de prazer percorrendo pelo seu corpo de uma só vez o excitavam mais ainda, ao ponto de quase sempre não conseguir se segurar, pulando para a próxima fase. Mas ele estava no banheiro de uma arena, não daria para fazer muita coisa ali. Até daria, mas Felix e Jisung os esperavam já do lado de fora.

— Hyunjin… — O chamou baixinho, mas foi ignorado quando o citado estava ocupado demais chupando toda a área da clavícula de Seungmin. — Seus amigos…

— Eles podem esperar, aliás, não duvido que eles estejam fazendo algo parecido. — Respondeu, colando seus lábios em selinhos carinhosos.

— Está tentando me conquistar? — Brincou, recebendo uma risada dele e mais beijos.

— Só deixe comigo. 

Mais um olhar cúmplice foi trocado, procedendo a Hyunjin se ajoelhando e começando a abrir os botões da calça justa que Seungmin vestia. O Kim se arrepiou inteiro quando sentiu as mãos do Hwang abaixarem sua cueca, em seguida acariciando suas bolas e logo mais o seu pau ereto. O mais novo agarrou os fios negros e gemeu quando Hyunjin aproximou seus lábios de sua glande melada, abrindo a boca e abocanhando apenas a cabecinha. Em poucos segundos ele já socava o caralho de Seungmin em sua garganta, quase engasgando e sentindo seus olhos lacrimejando, mas ele adorava aquilo, não negava de jeito nenhum.

Definitivamente, aquela era uma das melhores mamadas que já havia levado em toda sua vida de adolescente punheteiro. E com certeza a melhor gozada também, Hyunjin era muito bom naquilo e mesmo no momento nada fofo, se ergueu para deixar um singelo beijo nos lábios — vermelhos devido às mordidas de instantes antes — de Seungmin.

O celular de Hyunjin começou a tocar logo depois, era Felix ligando querendo saber o porquê da demora de ambos. Sorriram um para o outro e após Seungmin se vestir novamente, saíram da cabine — se assustaram um pouco por um menino estar lavando as mãos e se curvaram, rindo nervosos pela vergonha — e caminharam até longe do estádio, indo de encontro com Jisung e Felix. No final da noite, Seungmin conseguiu o número de Hyunjin e mais uns beijinhos de brinde.

[...]

Se dissessem a Seungmin que aqueles três desconhecidos do show do System of a Down iriam se tornar seus melhores amigos, ele não acreditaria de primeira. Mas quando percebeu que Felix ia dormir quase toda semana em sua casa, que ele cantava junto com Jisung pelos cantos da casa do Han e que estava aguentando um Hyunjin choroso todo dia, já era tarde demais. Não se arrependia, eram ótimas amizades e ele amava todos os momentos que eles passavam juntos, mas havia começado a se preocupar quando seu coração acelerava na presença de Hyunjin.

Haviam mantido uma amizade colorida no meio disso tudo, ambos haviam confessado que não consegueriam se controlar depois do acontecimento no banheiro da arena, eles queriam o toque um do outro para sempre e não tiveram vergonha de deixar isso claro. Porém, tudo se complica quando sentimentos aparecem, principalmente quando não podem ser correspondidos.

Seungmin ficou atordoado por quatros semanas, pensando que Hyunjin não sentia o mesmo que si e que aquilo estragaria tudo, porque ele não conseguia ficar perto do Hwang sem querer abraçá-lo, beijá-lo, tocá-lo, amá-lo.

E só ia ladeira abaixo, porque Jisung e Felix haviam convencido os dois a formarem uma banda, daquelas que tocam em festas e lanchonetes. Entretanto, um vídeo na internet havia mudado tudo, o simples clipe musical postado no canal deles repercutiu de uma maneira impressionante e uma gravadora havia entrado em contato com a tão querida The 00's Love, querendo assinar um contrato. Então, a mais nova banda de Rock se tornou famosa mundialmente, até porque quatros jovens com rostinhos bonitos e talentosos não apareciam todo dia.

Era difícil para Seungmin permanecer nos ensaios, ainda mais quando Hyunjin costumava agarrá-lo e beijá-lo após a guarda dos instrumentos. O sentimento havia se tornado tão forte e tão difícil de continuar sendo um segredo apenas dele, que resolveu dizer a Jisung e Felix. O casal desastrado havia ficado em choque, mas o que Seungmin não havia entendido era porquê eles estavam olhando para a porta da sala de ensaios. Hyunjin estava ali e havia ouvido tudo em alto e bom som.

Os quatros se lembravam do desespero de Seungmin, a única coisa que ele não queria era que o Hwang acabasse sabendo, e aquilo havia acontecido de uma forma bem inusitada. O Kim acabou se acalmando apenas quando fora abraçado pelo culpado de seu nervosismo após ter ouvido "Este não é o fim, Minnie. Agora que eu sei, é um novo começo. Porque eu te amo e essa foi a melhor coisa que ouvi nesses últimos meses.". Naquela noite, eles aprofundaram os toques mais uma vez e se amaram como nunca antes, estava tudo perfeito.

[...]

Era começo de janeiro do ano seguinte quando a gravadora chamou a banda cedo da matina para avisar que eles foram convidados para tocar em um festival. Let It Roll Winter era um espetáculo que acontecia todos os anos, e sabendo que eles tocariam na edição daquele ano, os quatro começaram os ensaios o mais rápido que puderam. Let It Roll costumava tocar músicas do gênero eletrônico, adicionando alguns remixes de músicas Pop e até Rock. Por esse motivo, a The 00's Love fora convidada para abrir o festival de uma maneira diferente.

A galera eclética ia amar a nova abertura do evento.

Eles ensaiaram por um pouco mais de um mês, o festival aconteceria nos dois últimos dias de fevereiro e a gravadora pôs pressão demais nos quatros. Jisung e Seungmin feriram os dedos mesmo usando as palhetas, uma corda do contrabaixo do Kim chegou a quebrar e ele teve que comprar outra. Hyunjin também não conseguia sentir seus dedos, fora obrigado a abandonar sua guitarra por um curto período de tempo, caso contrário, sua situação pioraria. Felix até quebrou suas duas baquetas e nos últimos ensaios confundia constantemente os tambores com os pratos da bateria.

Seungmin já havia se acostumado a cuidar dos dedos machucados de Hyunjin, mas nesse tempo ele também precisou de cuidados do namorado — que reclamava de dores nos dedos ao cuidar dos dedos do Kim. Eles e Jisung eram o "trio dos dedos machucados". Felix também sentia dores nas duas mãos, mas nada grave além das bolhas que apareciam de vez em quando. Uma semana antes do grande dia, eles pararam e cuidaram de si mesmos. Consertaram os instrumentos danificados, trocaram as palhetas desgastadas e quebradas por novas e o mais importante: passaram um tempo juntos sem ser dentro da sala de ensaio.

Haviam se tornado uma família unida e protetora.

Os espetáculos do Let It Roll Winter lotavam com mais de 25 mil pessoas, dependendo do lugar onde acontecia. E aquela edição seria na mesma arena do show do System of a Down, um ano antes. Hyunjin, Jisung, Felix e Seungmin ficaram felizes em voltar para lá, principalmente pelo fato de que eles tocariam ali, para milhares de pessoas. Eles ensaiaram um dia antes, quando já estavam melhores e prontos para o evento. No camarim, eles não paravam quietos.

— Eu preciso de água! — Exclamou Jisung, correndo até o frigobar e abrindo uma garrafa d'água. Ele havia engolido tudo em segundos.

— Cuidado, Sung, pra não ter vontade de ir ao banheiro no meio da abertura. — Alertou Seungmin, atentado demais com o seu cabelo.

— Amor, 'tá perfeito assim. — Disse Hyunjin, parando em sua frente e agarrando suas duas mãos, impedindo-o de continuar mexendo no próprio cabelo. — Se continuar tentando mudar, vai piorar mais ainda.

— Então quer dizer que já está ruim?! — Perguntou o Kim desesperado.

— Não, calma. — Riu e o puxou para olhar em um dos espelhos dali. — Viu? Tá lindo. Você é lindo. — Largou suas mãos e o abraçou pela cintura.

— Felix, por que você não é assim comigo? — Indagou Jisung, fingindo chorar.

— Eu te abraço assim depois que você toma banho e ainda beijo suas costas, aquieta o rabo aí. — Reclamou, se sentando no sofá.

Cinco minutos depois eles foram chamados. Estavam tão nervosos que quase não conseguiram sair do camarim, temendo por errar alguma nota — ou tambor — no meio de toda aquela gente, Jisung até tropeçou no corredor e Felix fora obrigado a andar ao lado dele para evitar que ele caísse e quebrasse algum osso. Se ajeitaram no palco — lá estava tão escuro que ninguém os veria —, Seungmin pegou seu contrabaixo, Hyunjin a sua tão amada guitarra, Jisung o seu baixo e Felix se sentou no banquinho preto, segurando suas baquetas. 

O lugar se iluminou.

Eles começaram a tocar.

A platéia foi à loucura.

Seungmin e Jisung eram os responsáveis pelos microfones e naquele momento estavam fazendo um cover de In The End, do Linkin Park. Preferiram escolher um clássico que provavelmente todo mundo conheceria e se divertiria ouvindo. Logo após, começaram uma música autoral, a mais famosa da The 00's Love. Estavam tão eufóricos que Seungmin largou o microfone e se juntou a Hyunjin, beijando seus lábios rapidamente antes de voltar a tocar e a cantar. Jisung era o mais animado, havia realizado o seu maior sonho e estava junto das pessoas que amava, era o melhor dia de sua vida!

A algazarra tomou conta do lugar quando Hyunjin tocou a última nota da música e as luzes se apagaram de imediato. A plateia gritava em uníssono o nome da banda e pulavam sem parar. Estavam tão felizes, a sensação era indescritível e eles com certeza nunca esqueceriam dela.

— Caralho, tive um dejavu! — Exclamou Jisung após recuperar o fôlego.

Os quatros riram e trataram de sair dali, porque mais artistas e DJs apareceriam no palco e eles não podiam atrapalhar. Se abraçaram e pularam de alegria; se entupiram de água e surtaram mais um pouco. Aproveitaram o resto do Let It Roll Winter e depois saíram para comer um 'burgão' em qualquer lanchonete, como da primeira vez que se viram naquele mesmo lugar um ano antes, e Seungmin agradecia por ter levado um bolo daquela menina, porque talvez, não estaria onde estava agora, com uma banda formada e namorando um cabeção.


Notas Finais


Acabou de vazar Lade roqueira 👻

Quero agradecer pela betagem, a capa e mais uma vez a oportunidade de estar dentro do projeto! Todos do Nation fazem um trabalho incrível e eu me emociono só de lembrar 😔✊

Agradeço também a você, meu caro leitor, por ter lido até aqui! 

Ps: Na história, a banda System of a Down está em sua última turnê mundial;

Links das músicas mencionadas:
For a Brother - https://youtu.be/oZPwYK3L1SU
Slither - https://youtu.be/BKz2U4fvA4U
In the End - https://youtu.be/eVTXPUF4Oz4

Writer 🎡 — @lademann
Beta 🎢 — @OhHannie
Capista 🎠 — @Starxly


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...