História The 10 Year Plan - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Glee
Personagens Blaine Anderson, Elliott Gilbert, Finn Hudson, Kurt Hummel, Rachel Berry
Tags Blaine Anderson, Glee, Kurt Hummel, The 10 Year Plan
Visualizações 46
Palavras 2.458
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


I'M BACK BITCHEEEEEEEEESSSSS
AAAAAAAA
Aliás
DESCULPA JOY
DESCULPA POR FAZER TU PIRAR NA BATATINHA
AAAJHAHDJIDKEFHFEHWWR
Espero que gostemmmmmm!!!!!

Capítulo 2 - Capítulo Dois


Fanfic / Fanfiction The 10 Year Plan - Capítulo 2 - Capítulo Dois

Se beijaram, era apenas um leve selinho, mas eles perceberam que estavam se beijando, logo parando e se olhando.

- Temos que ir – falou Kurt, com dificuldade

- É, temos mesmo – respondeu Blaine, se afastando

- Vou pegar minhas chaves- proferiu o castanho

- Vou pegar o meu... – o moreno se enrolou em suas palavras – Estarei esperando no carro.

[...]

- Um gogo bar? – indagou o mais alto

Eles foram conversando enquanto adentravam o lugar e se sentando em bancos perto do bar do estabelecimento.

- Dois Martínis – falou Blaine – tão sujos que a vigilância sanitária vai querer fechá-los por servir o drink.

- Por que gosta tanto de gogo bars? – perguntou o castanho olhando para o amigo

- Tem minhas quatro coisas favoritas aqui! Bebidas, música, homens quase nus.

- São três – o moreno olhou-o sorrindo, referindo-se que ele era a quarta coisa. Kurt deu um sorriso envergonhado após entender, ficando também corado.

Eles conversaram mais um pouco e, o mais baixo proferiu:

- Você está precisando de menos romance e mais sexo!

O castanho não prestava muita atenção no que Blaine falava e nem no que respondia, pois focava mais em ficar olhando para os lábios do melhor amigo, ele não poderia negar, havia gostado do beijo de antes e sentia algo crescer em seu peito. Talvez ele estivesse gostando do seu melhor amigo, mas, seria o certo? Gostar de alguém que rejeita o romance?

Os dois começaram a ter uma conversa mais séria, sobre sexo e querer um cara e, Blaine falou:

- Sexo é apenas sexo!

- Para você! – rebateu Kurt

[...]

O castanho estava no seu escritório de advocacia em Los Angeles, até que sua amiga Rachel Barbra Berry entrou em sua sala.

- Tem um minuto, Kurtsie?

- Não, estou enterrado em trabalhos – respondeu, mas mesmo assim, a garota entrou e se sentou em sua mesa

- Qual é o problema dos homens?

- Não é uma pergunta muito complicada, pelo menos. Só deixe eu terminar de limpar minha agenda pelos próximos dez anos e descobriremos.

- Engraçadinho, eu realmente estou na seca, me ajuda!

- Como? Eu não sei como e nem posso. Se realmente quer alguém, tente algo com a nossa querida colega Quinn Fabray então, vocês teriam uma boa química.

- Idiota! – indagou a garota, soltando uma risada em seguida- Ser gay não te dá uma licença para não lidar com isso.

- Eu tenho certeza que sim! – olhou para a amiga – Além do mais, também sou solteiro agora.

- Logo será a hora de você e Blaine formarem um casal. Que fofo.

- Não! E eu não me lembro de ter lhe contado isso! – a morena o encarou – Tenho certeza que ele já deve ter esquecido disso.

- Lembre-o e filme a reação, será ótima!!! - proferiu Rachel e Kurt deu risada

- Eu estou pensando em não contar do nosso acordo.

- Por que? Ele é bonito e gostoso!

- Mas não serve para relacionamentos!!!!

- E quanto a vocês apenas se pegarem? Ou fazerem sexo? – indagou a judia e o castanho fez uma expressão de assustado – eu não entendo, seu melhor amiga é um policial sexy e vocês não se pegaram!

- Ao contrário que pensa, gays não ficam com todo mundo e além do mais, Blaine é meu melhor amigo, não se transa com melhores amigos.

[...]

O castanho e o moreno ficaram conversando por facetime quase toda a noite e, o mais baixo prometeu encontrar o homem perfeito para o amigo, então, no outro dia, ele conversou com diversos caras, mas, infelizmente, nenhum deu certo, pelo simples motivo de: Kurt era muito compulsivo e obsessivo, isso fazia que eles se sentissem desconfortáveis.

[...]

- Teremos que concordar em terminar a noite com uma bebida bem forte – falou Blaine quando ele e o amigo chegaram em seu apartamento – Uísque?

- Não, tenho reunião amanhã – respondeu o mais alto

- Qual é, relaxe! – falou o moreno enquanto serviu um copo específico da bebida e deu para o amigo e serviu um para ele

- Sabe, posso mandar a minha faxineira vir aqui, se quiser – falou olhando para o copo

- Abri caminho até o sofá, isso não conta?

- Precisa que alguém cuide de você.

- Não, eu preciso de uma empregada!

- Todos precisam de alguém, até você. Do que tem tanto medo?

- De encherem meu saco por ser solteiro – ele se levantou sofá – Aliás, temos que encontrar um cara para você!!  Me dá seu celular – ele pegou e abriu o celular – Tire a sua camisa.

- O quê?

- Tire a sua camisa!

- Você não vai colocar fotos minhas seminu na internet!

- Não é internet! É um aplicativo, todos fazem isso... Olhe, precisa tentar algo diferente, para variar.

- Não! Como você faz?

- Muito bem e, muitas vezes de quatro – murmurou o moreno – Confie em mim! É melhor do que ficar sozinho!

- Eu estou desconfortável com isso...

Kurt acabou deixando o amigo tirar fotos dele, mas com a camisa, depois de tirá-las, os dois começaram a ver as fotos que ele tirou, o castanho achou que todas haviam ficado ruins, mas Blaine discordou, colocando uma no perfil do aplicativo para namoro.

Em casa, o mais alto estava na cama, pensando em deletar a conta do aplicativo, até que alguém chamado Elliott mandou uma mensagem para ele, o chamando para ir a sua casa, mesmo sendo tarde, ele acabou aceitando. Quando cara atendeu a porta, se deparou com um cara alto e bonito, também de olhos claros e tatuagens, que podiam ser percebidas porque estava de regata, o castanho estava nervoso, o homem havia percebido, mas apenas falou

- Bonitinho – Kurt sorriu- Gostei da mistura de Abercrombie com moço de família que você tem.

- Tenho que dizer que nunca fiz isso antes.

- Isso o quê?

- Encontrar um desconhecido no meio da noite?

- E o que está achando?

- Estou nervoso.

- Adorável, quer entrar?

- Não vai me matar, vai?

- Acha mesmo que alguém iria matá-lo irá responder um sim? – falou Elliott em ironia – Correria o risco?

- Não planejei mostrar tanta neurose até mais tarde – respondeu

- Agora já era. A oferta ainda está de pé!

Os dois entraram na casa e foram para a sala, o moreno deu espaço para ele se sentar ao seu lado, mas o mesmo preferiu sentar no outro sofá, Elliott perguntou se ele queria alguma bebida e o outro respondeu que não precisava, também perguntou se queria fumar, mas ele também recusou, o de olhos claros estava à vontade, então ficou sem camisa, enquanto Kurt se sentia mais tímido e nervoso.

- Eu não mordo – falou rindo

- Sério que não quer uma bebida?

- Pode mandar um duplo!

Enquanto o garoto tinha saído, Kurt foi fazer uma chamada de vídeo com Blaine, deixando o amigo preocupado, por não dizer onde estava direito, além de desligar na cara dele.

- Seu plano B?

- Não, meu melhor amigo, ele me liga quando conhece garotos gostosos então... Liguei para ele.

O celular começou a tocar novamente, então ele atendeu e falou rapidamente, logo desligando-o. Elliott havia colocado a mão na coxa do castanho, ele ficou extremamente tímido e recluso, querendo apenas conversar, naquela noite, o outro aceitou, sem nenhum problema, mas depois de uma rápida conversa, ele deixou que o moreno colocasse a mão em sua coxa novamente, em pouco tempo, eles já estavam se beijando, deitados no sofá.

[...]

Rachel percebeu que seu amigo não estava no trabalho, então ligou para o celular de Blaine, pelo telefone da sala dele, que atendeu extremamente preocupado, depois de falar com a judia, foi direto atrás do melhor amigo, indo até sua casa e não achando nada, muito menos o próprio.

Enquanto isso, Kurt chegou correndo em sua sala encontrando sua amiga lá, que logo disse;

- Aqui está você!

- Obrigada pela cobertura. – falou

Ele começou a conversar com ela, mencionando coisas da última noite, antes de chegarem na metade da conversa, ela decidiu ligar para o mais baixo, que chegou ao mesmo tempo que ela havia digitado os números, o moreno estava com uma cara confusa e com raiva ao mesmo tempo.

- Viu? Eu disse que ele estava bem! – comentou Finn

- Ele estava aqui o tempo todo? – perguntou Blaine

- Acabou de chegar!

- Ei!!! Eu estou aqui!

- Rachel me ligou dizendo que não veio trabalhar, nos deixando nervosos – pigarreou o moreno

- Eu só me atrasei, não precisava ligar para ele!

- Não me culpe! São meus instintos! Sou escrava deles! – ela olhou para Finn e deu um sorrisinho – De repente, o dia parece estar melhorando. Olá, meu nome é Rachel – estendeu a mão para o alto.

- Olá, sou o policial Hudson – respondeu dando um beijo em sua mão

Os dois outros garotos ficaram apenas observando-os e rolando os olhos, até que Blaine começou a perguntar coisas para Kurt, sobre onde ele estava, com quem, etc. A morena e o alto saíram, deixando os dois a sós.

- O que estava pensando ao ir à casa de um estranho no meio da noite por sexo? – perguntou o mais baixo

- Foi sua ideia! Experimentar coisas novas, você também faz isso.

- Sim, eu sou diferente de você.

- Como?

- Sou policial, consigo me defender, ao contrário de você!

- Ah, por favor!

- Kurtie, eu conheço homens e alguns são malucos, sei do que as pessoas são capazes.

- Eu agradeço sua preocupação, de verdade, mas eu sei cuidar de mim mesmo, obrigado.

- Sério? Ok, não irei discordar! – eles ficaram um pouco em silêncio – Olha, podemos brigar depois? Eu tenho que trabalhar agora

- Talvez, se eu estiver livre, pai – zombou o mais alto

[...]

O relacionamento de Kurt e Elliott estava indo muito bem, enquanto isso, Blaine esperava que eles iriam terminar, pois já se passava duas semanas que eles estavam juntos. Mais tarde, o moreno foi para a casa do amigo, levando cervejas e comida chinesa, mas se surpreendeu com uma mesa sendo posta e ele de avental, eles ficaram conversando, o mais baio se sentia triste por não ter o momento com o amigo, mas mesmo assim se sentia feliz por ele.

- Estou exagerando, não é? – perguntou o castanho

- O quê? Não! É ridículo e desproporcional, mas é você e é isso que faz ser tão legal – o mais alto deu um sorriso envergonhado- Outros caras podem achar demais e assustador, mas eu acho que é maravilhoso.

- Você gosta disso em mim?

- De quê? Que é pirado? – ele deu uma risada e continuou – Sim, isso me faz sentir mais normal. Termine de arrumar e fazemos algo amanhã.

O de olhos cor-de-mel saiu meio chateado, pois queria estar com seu amigo e, por mais que não quisesse admitir, tinha um pouco de sentimentos por ele. Entrou em seu carro e pegou uma das embalagens de comida, começando a comer, de repente, seu celular apitou, era do seu aplicativo de encontros, um garoto chamado Nicolas, havia mandado uma mensagem para ele, Blaine pensou “Olá, Nicolas. Nos vemos em cinco minutos.”, então deu partida no carro e foi para a casa do garoto.

Depois de alguns minutos, ele havia chegado, bateu na porta e esperou ela abrir, quando foi aberta, um garoto alto, de cabelos morenos e olhos claros saiu e falou:

- Oi, Blaine.

- Nicolas.

- Entre, tome uma bebida.

- Vejo que já fez isso antes.

- Uma ou duas, apenas.

Ambos entraram na casa e o mais alto falou:

- Vamos rápido, eu tenho um jantar em menos de uma hora.

- Fico feliz de ser o aperitivo.

Eles começaram a se beijar, indo até o quarto e se batendo nas paredes, já na cama, o celular de Nicolas começou a vibrar, ele apenas disse “ignore”, mas o celular voltou a tocar.

- Deve ser o meu ficante, ele é obsessivo-compulsivo – falou o de olhos claros

- Que chato!

- Eu sei, não é?

- Desculpe, eu preciso atender.

- Vá logo.

O homem pegou o celular, que na tela estava escrito “Kurt”, seguidamente, o moreno viu e, em impulso, se afastou do cara.

- Por favor, não diga que seu nome é Elliott – falou assustado e entrando em desespero

- Não, claro que não é – falou

- Graças a Deus – falou o mais baixo aliviado

- Elliott é meu nome de pegação, assim como Nicolas.

- PORRA -gritou Blaine, se levantando

- Qual é o problema?

- Cara, eu queria mesmo que fosse uma boa pessoa!

- Eu sou uma boa pessoa, talvez não para casar...

Blaine colocou a camiseta e foi indo até a saída, falando:

- Bom, eu tenho que ir.

- Relaxe! Não é um grande problema!

- Na verdade, é – olhou com raiva para o homem – Kurt é meu melhor amigo e vai enlouquecer quando descobrir que fiquei com o namorado dele.

- Namorado? Não somos namorados.

- Kurt é um cara legal e transa bem, mas só vai até aí, relaxa!

- Não me faça te encher de porrada.

- Hey! Você está na minha casa esquentadinho, lembra?

- Okay, é assim que vai ser, vai jantar com ele e não falar NADA sobre o que aconteceu. Isso nunca aconteceu.

- Sabe, acho melhor você ir embora agora!

- EU NÃO ACABEI!

- Sim! E se não, eu chamo a polícia!

- Eu sou policial – o moreno falou dando uma risada irônica

- Se é assim, irei ligar para Kurt e contar que fiquei com seu amigo, o policial.

- Ok, se acalme, eu já irei, mas prometa-me que não será um babaca com ele, certo? Apenas vá jantar e não diga nada sobre isso.

Blaine saiu da casa dele com raiva e ao mesmo tempo medo, porque temia o que iria acontecer. Enquanto isso, Kurt saía tranquilamente do banho, até que recebeu uma mensagem, então parou e se sentou na cama, apenas de cueca.

“Elliott:

Não irei aparecer esta noite, não estou interessado.”

Já o moreno, abava de chegar em casa, observando o quadro dele e do melhor amigo, se sentou no sofá e pegou uma cerveja, a abriu e começou a tomá-la, o castanho se sentia bobo por pensar que daria certo com Elliott. Ele pegou o celular e ligou para o melhor amigo, o mais baixo se relutou um pouco para atender a chamada, mas acabou atendendo.

- Hey Kurt – falou Blaine

- Elliott terminou comigo – falou Kurt meio triste

- Eu sinto muito, Kurtsie.

- Você poderia vir aqui? – proferiu o castanho desanimado

- Morte por chocolate?

- Morte por Tiramisu feito em casa.

O mais baixo deu uma risadinha

- Já estarei aí.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!!!
Não esqueçam de comentar e até logo!!!!
xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...