História The 100 Caso Clexa - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias The 100
Personagens Anya, Bellamy Blake, Clarke Griffin, Costia, Dra. Abigail "Abby" Griffin, Echo, Indra, Jasper Jordan, John Murphy, Lexa, Marcus Kane, Octavia Blake, Raven Reyes, Roan
Tags Clarke, Clexa, Drama, Lexa, Romance, The 100
Visualizações 97
Palavras 1.851
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Tocaia Ou Festa Do Pijama, Lexa Não Olhe Para A Vizinha


Fanfic / Fanfiction The 100 Caso Clexa - Capítulo 6 - Tocaia Ou Festa Do Pijama, Lexa Não Olhe Para A Vizinha

CLARKE POV

Bloqueamos tudo que era de Roan, ele teria problemas para sair da cidade agora com seus recursos bloqueados. Conseguimos uma pista sobre Roa de sua ex-namorada, ele além de ser um incendiário, trafica drogas, conseguimos o principal nome de sua grande lista de vendedores, estávamos a caminho desse contato, mais conhecido por “Titus”. No subúrbio do distrito, na área esquecida e marginalizada. Avistamos o suspeito e nos aproximamos, ele rapidamente saca um revólver, de pequeno calibre, de sua cintura e dispara contra nós, nos abaixamos e trocamos tiros com ele. Percebo que sua munição acabou e corro até ele, ele foge, mas o persigo por um terreno baldio, consigo chegar até ele e joga-lo contra uma parede de concreto, ele se vira e eu o aponto minha 9mm em sua direção, ele ergue os braços para o alto e então começo a falar:

-FBI você está preso.

-Ah é quais as acusações? – Ele respira ofegante e abaixa suas mãos.

-Fugir de um agente da lei, só para começar! – Me aproximo e o prenso contra a parede, colocando as algemas. – Eu peguei o maldito fujão. – Digo quando vejo Kane e Monty se aproximando.

-Vamos leva-lo para a central então. – Monty diz guardando sua arma. – Eu vou pedir para prepararem a sala de interrogatório. – Ele diz se afastando.

-Aproveita e pede para prepararem uma cela confortável para esse lixo!!! – Grita Kane para Monty e assente com a cabeça.

-Certo, vamos indo então. – Digo o entregando para dois policiais. – Boa viagem. Kane. – Chamo a atenção do homem, que logo se aproxima.

-Diga comandante. – Ele para em frente a mim e me olha atentamente esperando ordens.

-Quando o interrogarmos...solte-o nas ruas novamente, mas antes vamos assusta-lo para que não abra o bico. – Ele observa atentamente e responde:

-Sim comandante, mas acha mesmo que ele não vai falar?

-Por esse motivo vamos assusta-lo!

Voltamos para o carro e partimos para a central. Quando chegamos na central logo fomos atualizados sobre o caso, nada mais do que já sabíamos antes. Raven atualizava o software de pesquisa a cada segundo, e nada. Fiquei observando o interrogatório de Titus na sala de observação, Kane fez o que pedi e o assustou, agora era liberar a barata e esperar ele se encontrar com rato. Pelo que Titus nos contou Roan possuía um apartamento na zona comercial do distrito, o imóvel não estava em seu nome, mas sim no nome de uma amiga, que estava na cidade para se vingar de algumas inimigas, tínhamos que lidar com essa desconhecida agora. Na sala de reuniões.

-Sim exatamente. – Respondo a pergunta de Indra e Murphy sobre uma possível emboscada.

-E será? – Perguntou Jasper.

-Vamos montar tocaia em um apartamento, que tem vista para o apartamento de Roan, assim quando ele chegar o pegamos!!! – Minha empolgação era inevitável. – Apenas Raven e eu, para não chamar a atenção, sem viaturas por perto, nada de agentes ou policiais, ele é esperto pode perceber a armadilha. – Todos concordam e volto a falar. – Teremos escutas e câmeras espalhadas pelo prédio e principalmente no apartamento de Roan, nos comunicaremos por áudio com a central. – Respiro fundo e volto a falar. – O caso Ticket Killer é nossa principal preocupação, não podemos perder Lexa de vista, então vou ter de leva-la na tocaia. – Alguns me olham confusos e outros não seguram a risada. – Não estou para piadas, é mais seguro mantê-la comigo.

-Clarke está certa, isso é perigoso demais, o caso das mulheres é prioridade e temos que manter a provável próxima vítima ou assassina por perto, Clarke possui a confiança da Woods é mais fácil para ela ficar de olho, como está fazendo até agora. – Kane se levanta e engrossa o tom de voz. – Agora vamos voltar ao trabalho. – Dito isso todos saem da sala, permanecendo apenas eu e Kane. Ele se aproxima e sussurra perto de mim.

-Espero que saiba o que está fazendo chefe!!! – Balanço a cabeça em sinal de confirmação, ele sorri e se retira.

Agora tenho que buscar Lexa na Woods e me preparar para a tocaia. Assim é muito mais fácil para mantê-la segura, perto de mim o tempo todo, segura.

LEXA POV

-Mrs. Woods. – Kayla se aproxima com um enorme sorriso no rosto, eu percebi nesse curto tempo que passamos juntas que Kayla sempre está sorrindo, é motivante.

-Kayla! Me chame apenas de Lexa tudo bem!!! – Sorrio e ela confirma com a cabeça. – Então diga o que quer.

-Eu vim entregar os relatórios feitos pela equipe de marketing. – Ela coloca as pastas em minha e mesa e se afasta. – A senhora quer um café? – Ela pergunta antes de sair e eu confirmo que sim.

Ando muito ocupada nesses últimos dias, não tenho tempo nem para sair de minha sala e pegar um café? Quero chegar em casa tomar um banho e....Clarke sim, eu quero Clarke. Meu Deus!! Clarke invade meus pensamentos de repente, como se nada mais importasse, ela apenas os invade. Aqueles olhos azuis hipnotizantes, aquele cabelo jogado para os lados a deixa ainda mais atraente, aquela língua quente...ah meu Deus!!! E aqueles enormes pares de seios, uma imagem divina.

-Aqui está. – Sou desvinculada de meus devaneios após Kayla me entregar o café.

-Obrigada! – Ela sorri e se retira.

Horas se passam e finalmente termino meu trabalho do dia, e bem na hora, pois vejo uma linda loira se aproximar.

-Oi amor. – Digo me levantando e a abraço fortemente.

-Lexa temos que ir. – A olho confusa, mas logo ela me responde explicando que ainda iria explicar no carro. Descemos até a garagem e entramos em seu carro, ela me traz e me leva, nem uso mais meu lindo carro. Ao entrar percebo uma presença amais no banco de traz. Ela explica que é uma colega de trabalho.

-Eu espero que seja. – Ela me olha com um sorriso no rosto.

-Ciúmes? – Eu fico vermelha e ela começa a rir. – Tudo bem Lexa. – Ela segura em minha mão enquanto dirige. – Amor? – A olho confusa.

-Sim?

-Lexa já chegamos a esse ponto. – Fico novamente vermelha. – Fica tranquila “amor” eu gostei. – Sorrio e ouço sua “colega” se pronunciar.

-Ah que fofo chefe e a suspeita, isso obviamente vai dar mito certo. – Ela fala ironicamente e recebe um olhar mortal de Clarke. Sabe aqueles olhares de raiva e repreensão, olhares mortais.

Ela me explica da emboscada e que teria que ir com ela, o que me deixou mais alegre foi o fato de que Clarke me queria segura, ela me queria segura e isso só seria possível ao seu lado. Chegamos no apartamento e logo nos direcionamos ao nosso quarto. Era um pequeno imóvel alugado para dois dias. Ele nos dava a ótima visão do apartamento de Roan. Clarke e sua “colega” preparam o local enquanto observo o imóvel a frente. Era legal namorar uma agente do FBI e ainda mais uma agente que é chefe de sua própria equipe, parece que ela ainda tinha recebido o titulo de comandante da morte, pelo fato de que em seus casos, quase todos os casos, o culpado acabava morto. Minha comandante. Me sento no sofá que ficava de frente para a janela e logo sou seguida por Clarke e Raven acho que esse é seu nome.

-Isso vai ser como uma festa do pijama? – As duas me olham sérias e logo Clarke me lança um sorrio e revira os olhos.

-Isso é uma tocaia Woods. – Responde Raven seriamente, mas logo a vejo sorrir.

-Central para Corvo e Comandante da Morte. – Incrível eles usavam codnomes, corvo era obviamente Raven.

-Estamos aqui, Corvo para central. – Raven responde o chamado. – Por enquanto nenhum movimento, quando ocorrer algo nós notificamos. Ela responde e devolve o equipamento a mesinha a frente do sofá. Pego um dos quatro binóculos que elas haviam trazido perto da janela e observo os outros apartamentos que tinham vista para nós. Ao lado do apartamento de Roan uma mulher assistia Netflix, The Hundred minha série, droga queria assistir, ao lado de seu apartamento um homem lia para uma criança.

-O que está fazendo? – Pergunta Clarke ao meu lado.

-Observando os vizinhos. – Clarke e Raven riem e voltam a se concentrar na rua.

Os apartamentos do lado esquerdo do apartamento de Roan estavam ocorrendo situações chatas, até meigas como o pai lendo para a filha, mas não era o que eu queria, agora veria o que ocorria no lado direito. No primeiro uma mulher estava usando drogas, pó eu acho, se Clarke visse isso, ao lado desse uma coisa melhor que todas as outras, uma mulher nua, ela retirando suas roupas para se trocar. Clarke rapidamente toma o objeto de minhas mãos e olha para a mesma direção que eu estava olhando.

-Lexa sua pervertida. – Ela grita e me acerta um tapa no braço. Raven pega outro binoculo e também observa a mulher, ela começa a rir e Clarke lhe acerta também. – Lexa não olhe para a vizinha. – Ela gritou e eu apenas sorri.

Mais tarde a fome bateu.

-Você decide Lexa o que quer? – Clarke perguntou.

-Que tal indiana? – Respondo e ela faz bico. – Chinesa?

-Pizza. – Ela grita e começa a discar. Logo depois, um tempo depois, o entregador chega e sentamos no sofá para comer. Estava comendo a pizza quieta e Clarke me cutuca, não costumo comer quieta.

-Não gostou da pizza?

-Não, ela está ótima! – Respondo baixando a cabeça.

-Então o que foi? – Ela insiste.

-É que você disse para eu escolher, mas negou todas as minhas opiniões. – Faço uma cara triste e ela cai na gargalhada. – Não tem graça Griffin.

-Desculpa amor, vem cá. – Ela responde me beijando.

-Opa!!! – Grita Raven. – Movimentos no local. – Ela avisa a central.

-Roan e o Titus estão discutindo, mas tem mias uma mulher com eles. – Diz Clarke.

-Deve ser a tal amiga que quer vingança na cidade. – Completa um homem no rádio.

-Droga. – Grita Clarke após Roan matar Titus e fugir do local com a garota.

CLARKE POV

Corremos até o outro lado, mas é tarde demais ele já estava morto. Perseguimos Roan e a garota, trocamos tiros em um beco e Raven é atingida, peço reforços, mas os dois fogem.

-Droga. – Ela foi atingida no abdômen. – Você é forte vai ficar bem.

-Nã....não vou. – Ela diz soluçando. Finalmente o reforço chega com a ambulância e a levam para o hospital. Droga Lexa. Corro para o apartamento.

-Você está bem? – Pergunta ela me abraçando. – Espera isso é sangue? Está sangrando Clarke, amor vo....

-Calma Lexa o sangue não é meu. – Ela já enchia os olhos de lagrimas ao ver o sangue, mas a controlei. – Raven foi para o hospital, tenho que ir para a central e você vem comigo!!!

-Por que?

-Você só vai ficar segura perto de mim. – A beijo desesperadamente e nos dirigimos ao carro.

Raven é forte e vai ficar bem, Roan fugiu e agora tem ajuda. A noite não foi boa. Tenho que voltar para a central e investigar, rever o caso e amanhã visito Raven no hospital. Lexa tem que ficar perto de mim, ela não está segura, preciso mantê-la a salvo comigo, eu preciso dela, eu acho que a amo. Eu amo Lexa Woods.

 

  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...