1. Spirit Fanfics >
  2. The alpha and the omega >
  3. Chapter XXXII

História The alpha and the omega - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


U.u voltei com mais uma att delícia para vocês!

O que estão achando da fanfic até agora ??

Boa leitura e nos vemos nas notas finais! 💜

Capítulo 24 - Chapter XXXII




O estalo alto que os lábios fizeram ao serem desgrudados reverberou por todo o cômodo escuro. O vento gélido ainda agitava as cortinas da janela, e poderia até se dizer que a razão pela qual a pele dos dois rapazes se encontrava arrepiada era por causa do frio cortante que entrara, mas os dois ali sabiam que este não era o motivo de fato. 

A razão era a proximidade em que os dois príncipes se encontravam. 

O contato da mão de Jungkook segurando os pulsos de Taehyung não se dissipara. E continuava lá, o segurando quase como se quisesse o tomar como posse. A outra segurava sua bochecha, gostando do calor que se encontrava ali. 

O ômega permanecia totalmente imobilizado. Sem saber o que fazer ou como agir. A ação de Jungkook o deixando totalmente sem fôlego, literalmente. O alfa o pegara desprevenido, de repente. O contato dos lábios quentes ainda reverberando por sua mente como se eles permanecessem lá, juntos e colado naquele gesto macio. 

Taehyung parecia se negar a querer abrir os olhos. A respiração não estava pesada, mas sim calma e leve. Talvez ele achasse que aquilo não podesse ter acontecido, que aquilo não passava de um mero devaneio de sua mente lhe pregando mais uma peça. 


— Tae...me desculpe por isso. 


A voz profunda e rouca lhe despertou de seu estado de sono, e ele finalmente se permitiu abrir os olhos. E é claro que a primeira coisa que viu fora os olhos escuros e atentos de Jeon  a sua frente, o observando cuidadosamente como se esperasse qualquer que fosse a sua reação. 

Talvez ele esperasse por gritos, xingamentos ou até mesmo choro. Mas o ômega estava incapacitado de o fornecer qualquer reação dessas que fosse. Absorto demais em sua própria mente, como se estivesse anestesiado até mesmo para falar. 

O beijo poderia ser considerado algo fácil e profano demais por qualquer ser humano. Mas não para si. Para o príncipe o beijo era algo muito mais íntimo e verdadeiro do que uma relação sexual. Algo que poderia celar a alma de dois seres para sempre. 

E como ele ansiava por esse momento. 

Nunca havia beijando ninguém. Afinal, como poderia ? Vivendo cercado por guardas, e atarefado de deveres para com seu povo, aprendendo a tocar tantos instrumentos que nem ao menos sabia para que isso lhe serviria no futuro, se seu destino era se casar com um nobre e governar um reino. 

Fora que sua paixão por Yoongi — que acreditara por muito tempo ser platônica — nunca passou de abraços ou carinhos. 

Ele nunca tivera um contato tão íntimo com outra pessoa antes. 

É claro, até agora. 

Mas não parecia certo. Beijar Jungkook não parecia ser o certo para si. Ele era casado com o alfa. Mas não o amava, e isso deveria fazer alguma diferença sim ? 

Definitivamente sim. Ele não pediu por aquele contato, não pediu por aquele beijo, ele nem ao menos queria... não é ? 

Não sabia. Na verdade, estava mais confuso do que nunca agora que o torpor em sua mente havia cessado, e finalmente processado que aquilo havia realmente acontecido. 

Ele queria continuar gritando com o Jeon, e agora o bater pela fúria que estava o tomando. Ele também queria dizer que repudiou aquele beijo, e que não havia gostado nenhum pouco, e que ele não tinha esse direito. Mas parte dele, não ligara. Pelo contrário, parecia ter gostado ? E se isso fosse decorrente do seu cio que estava mais próximo do que nunca ? E se ele acabasse cedendo ao Jeon quando seu cio chegasse ? Seu lobo ficava deveras enfurecido e agitado em todos os seus ciclos, não conseguiria resistir a tentação de ter Jungkook ali por perto. E Jungkook ? Conseguiria resistir, e cumprir sua promessa de não o tocar ? 

Eram muitas perguntas, e Taehyung tinha medo das respostas para cada uma delas. 

Era muita coisa para ele. Era um peso muito grande para ele ter de carregar sozinho, só queria correr dali, e pensar. 

Ele se afastou do toque de Jungkook, que deu passos para trás rapidamente ainda o olhando, o coração tão acelerado quanto o do outro. Pelos deuses, o que dera em si para tocar Taehyung daquela forma ? Para beijá-lo ?! 

— Por favor Taehyung, me perdoe por isso. Eu não sei o que deu em mim para—

— Jeon..— O ômega disse, e a maneira como sua voz saira de forma fria, evidênciava o tom de aviso. — Você prometeu que não me tocaria. 

Jungkook suspirou nervoso, abaixando a cabeça para fitar o chão polido. 

— Eu prometi, Taehyung. — Disse, e voltou a olhá-lo a postura voltando a firmeza de antes. — E eu prometo, que isso não voltará a se repetir. 

O menor assentiu, encarando o nada, incerto do que dizer ou fazer. 

Taehyung se dirigiu até a porta, passos leves e calmos que discordavam de como seu próprio coração estava. 

Ao abrir a porta ele se virou para Jungkook que ainda o observava. 

— Você disse que eu nunca poderia odiá-lo... — Relembrou a fala do alfa minutos atrás, e deu um passo para fora. — E isso pode até ser verdade. Eu não conseguiria odiar ninguém, de fato. Mas de uma coisa eu tenho certeza. Eu nunca poderia amá-lo Jungkook.

_____________🌹____________


Do lado de fora do castelo, o frio parecia se multiplicar para mais de mil vezes. 

Taehyung abraçava o próprio corpo, na esperança de si próprio aquecer. O vento chicoteava seus cabelos castanhos, enquanto a passos lentos ele rodeava o jardim da senhora Jeon. 

Mas talvez, o vento não fosse capaz de corroer tanto quanto a semente da dúvida plantada em seu subconsciente, afinal, gostara ou não gostara do beijo de Jungkook ? Ele não sabia nem ao menos definir o que havia de fato sentido. Nojo, com certeza não era. Mas talvez medo. Sim medo era a definição perfeita. O que poderia acontecer a partir dali ? 

Ele parou de frente para um dos canteiros, encarando as flores brancas. Uma mão se fez presente, se esticando até o canteiro, retirando uma das rosas, e logo em seguida sendo levada em sua direção. 

Yoongi. 

E Taehyung não precisava nem olhá-lo para ter certeza de que era ele ali. 

— Você sumiu. — Disse ao pegar a flor, esbarrando nos dedos do outro notando como estavam frios. Ainda não o olhava. 

— Eu precisei, Tae. Tive que resolver assuntos pendentes para seus pais, o senhor e a senhora Kim me pediram para arrumar tudo para a sua chegada no Norte. 

Taehyung arregalou os olhos, fixando-os nos de Yoongi. O contato fez seu corpo arrepiar, mas a dúvida em seu semblante ainda estava lá. 

Os olhos do escudeiro pareceram brilhar quando ele disse :


— Amanhã bem cedo, estaremos partindo, Tae. — Sorriu. — Iremos fazer uma breve visita ao Norte. 




Notas Finais


____________________

Desculpem a demoraaaaa, eu sou uma péssima autora né ? :((((

Pois é gente, depois do selinho cute cute de taekook parece que tudo só piorou K

MAS NÃO SE PREOCUPEM, OK ?!

Confiem em mim, que dá tudo certo no final.

E pera kkkkk, não se preocupem também com esse último trecho, senhor Jeon Jungkook também irá nessa viagem ao reino do Tae. Juntinho dele. Quais aventuras essa visitinha trará, hein ? Aaaa tô anciosa!

Me sigam no twitter @dune_tk, e até a próxima! 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...