História The Alpha (Imagine Park Jimin) - Capítulo 23


Escrita por: e Galcosta

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangatan Boy, Jimin, Park Jimin
Visualizações 292
Palavras 2.072
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu de novo. Olha eu aqui pessoinhas, agora boa leitura.

Beijokas e até as notas finais.

Capítulo 23 - Irei Até o Fim.


Fanfic / Fanfiction The Alpha (Imagine Park Jimin) - Capítulo 23 - Irei Até o Fim.

O dia amanheceu e antes do sol dar sua aparência atrás da colina, lá estava eu começando meus treinos sozinha. O ar gelado batia contra meu rosto e sorrir ao sentir a brisa leve tocando-me, até que dei uma pausa e esperei por Eun, Jungkook e Namjoon que ainda não havia acordado. Desencostei da mesma e seguir ate aquela penhasco observando o mar e suas ondas fortes batendo na rochas, até que escutei passos e um cheiro diferente, mas não desconhecidos por mim. Sair dali e voltei ao meu lugar me mantendo atenta à exatamente tudo.

Pobre da pessoa que tentou me tocar, ela já estava ao chão e comigo por cima de si. Sorrir ao ver quem era e sair de cima do mesmo estendendo à mão para o ajudar a se levantar.

- Sentidos apurados. Gostei. – Sorriu e acompanhei. – Pelo visto o treinamento irá começar.

- O que faz aqui? – Cruzei os bravos e ele sacudiu a roupa.

- Vim ver você. Não é o óbvio? – Neguei sorrindo. – Ta, agora deixe de ser chata.

- Taehyung calado. – Sua expressão foi hilária e acabei sorrindo ainda mais. Fato que me fez sentar de tanto rir. – Senta aqui Tae. – Ele se sentou ao meu lado e ficamos vendo o dia amanhecer, mas uma coisa em mim dizia mais forte e acabei negando e não segurando a minha língua. – Como ele está?

- Louco, e mais louco ainda. Ontem ele e o pai brigaram, e ele acabou ferido.

- O Jimin está bem? Como ele está? – Olhei para o mesmo tão rápido que nem sentir meu corpo com os movimentos. Uma raiva se apossou de mim e respirei fundo sentindo meu sangue borbulhar entre as veias, passando por toda a minha corrente sanguínea.

- Ele está bem, ele tem que está bem. Ele vai casar mesmo.

- O Jimin não vai se casar. – Ditei de uma vez e ele sorriu. – O que foi?

- Vocês dois são dois burros que não são o braço a torcer de uma vez. Cara vocês tem quase uma família e não sabe de nada ainda e ficam nessa viadagem de corno.

- Que família? Maluco aqui é você Taehyung e viado é você.

- Não sou não.

- É sim.

- Não sou nada.

- Você é sim. – Me pus de pé e o mesmo fez o mesmo. Meu olhar caiu sobre o seu, e vir fazer a mesma ação que a minha.

- Eu não sou gay porra.

- É SIM!

Gritei no mesmo segundo, mas no seguinte me arrependi. Já que o mesmo havia me segurando e jogando-me contra uma árvore, seu corpo ficou rente ao meu e fiquei sem saída quando o mesmo havia beijado-me. Assutei com sua ação por alguns segundos, mas acabei que por corresponder ao mesmo. Meus dedos puxaram seus cabelos ralos da nuca e o escutei ofegar. Com toda certeza minha cintura ficaria marcar de suas mãos, quando vir que estava acontecendo afastei do mesmo o olhando assustada e ele com um riso no rosto.

- Você beija bem ___. – Sorriu e vir seus olhos cinzas voltando ao normal. – Muito bem por sinal, mas eu não sou gay docinho.

Ele sumiu da minha frente e fiquei me martelando por longos segundos. Toquei meus lábios com os dedos e quis praguejar baixinho, mas não poderia fazer Isso, por que ele tem uma safadeza que por céus. Vir ao longe Eun surgir acompanhar pelos outros dois, ela me olhou e pareceu entender, ao contrário de mim que ainda não entendo nada.

- ___ tudo bem contigo?

Apenas confirmei e puxei minha amiga que já sabia que era para dar início ao bendito treino. Não sei por quantas horas eu treinei, mas sei que foi o bastante pela quantidade magia, socos e chutes recebido durante o dia. Eu desviava o tanto que podia, mas acabava me desconcertado em algumas coisas, e um dos fatos foi Taehyung e Jimin.

- Irmã você está bem?

- Estou Jungkook.

- Não parece. – Ficou ao meu lado. – Taehyung esteve aqui, não foi? – Concordei.- Eu sabia, conheço o cheiro daquele safado ao longe.

- Aí Jungkook! Vamos treinar.

- Mas o treino acabou maluca.

- Mas eu vou continuar, não vou deixar nada acabar comigo. Vai me ajudar ou não?

- Estou indo mandona.

- Quem mandou ser meu irmão.

Sorrir me preparando e ele fez o mesmo. Eu tomei um susto quando vir um soco quase acertar o meu nariz. Olhei para ele incrédula e ele deu de ombros, voltando a repetir a sequência de golpes, passei a ficar com raiva e meu corpo tremeu, fechei meus olhos sabendo que estava acontecendo mais uma vez e então olhei para ele que nem psicopata e avancei contudo para cima do mesmo. Jungkook tentava se desviar, mas sentia meus golpes o acertando em cheio.

- PARA ____.

Seu grito soou longe e não conseguir parar, até que sentir meu corpo ir ao chão e respirei fundo vendo meu irmão me segurar com força. Seu olhar caiu sobre mim, mas ele não sabia o que eu tinha visto, meu peito se apertou, queimou e sentir algo sair de dentro de mim inexplicavelmente. Meus pais estavam sorrindo, minha mãe me olhava com amor e meu pai ao seu lado observando tudo, eu via um bebê no pequeno berço e aquele bebê era eu, sou eu ali. Quando de repente outras pessoas entraram estragando tudo, meu pai em sua forma lupina e antes sua voz ditou as palavras que doeram meu coração pelo olhar da minha mãe.

Ela saiu comigo pelos fundos da casa e escutei ao longe aquela briga, um ódio tomou conta de mim quando vir minha família serem aniquilados. Empurrei Jungkook de cima de mim e ele me olhou sem entender, mas logo voltou a me segurar com força.

- Se controlar irmã, por favor.

- Eu vou matar ele Jungkook. Eu vou matar o pai do Jimin. Me solta.

- Eu não vou lhe soltar. – Gritou e me debatir me soltando. Meu corpo se transformou e vir o olhar não só dele mais como o de Eun e Namjoon sobre mim.

Virei as costas e seguir por dentro daquela floresta sem rumo e nem direção, corrir durante o dia todo e então me sentei a espreita observando os passos de cada um ali naquela alcatéia. Eu teria que atravessar a mesma para chegar na antiga casa dos meus pais, a noite mais uma vez caiu e então com cuidado cruzei a mesma, mas parei em frente à casa em que morar o causador de tudo Isso, um fungado saiu da minha garganta e sair dali voltando a correr a onde eu queria chegar e quando cheguei, quando vir aquela casa fechada, as cenas de mais cedo veio a minha mente mais uma vez.

Agora como humana, entro na casa vendo as coisas em seu lugar. O cantinho dos meus pais, do meu irmão e meu quando era apenas um bebê. Tudo se encontra ali e uma lágrima escorreu por meu rosto, seguir por a casa e dos fundos vir a colina, colina a qual apareceu para mim dias atrás e ninguém sabe disso, mas antes de sair da casa procurei pelo quarto dos meus pais e assim que entrei vir uma foto da nossa família, meu irmao idêntico ao meu pai e eu a cópia da minha mãe. Seus olhos, cabelos e até mesmo seu sorriso, e então chorei, chorei deixando andor sair e o ódio me consumir.

- Eu vou me vingar e por mais que seja perigoso eu irei até o fim. Eu vou trazer tudo de volta, eu prometo.

Minha lágrima caiu no quadro de foto e então sair dali indo até aquela colina, qual me dar a visão perfeita da localidade da alcatéia que um dia foi liderada por meus pais, pelo espírito antecedente e alfa. Meus olhos ficaram em algo ao longe e dali eu vir um agomero de pessoas no centro da mesma, com certeza já havia achado um do registro que deixei ali, aquele que cruzou meu caminho pagou com sangue e com sangue eu irei terminar de marcar esse reinado. No fim um morrerá e só aí veremos quem realmente vai ficar de pé.

Voltarei por onde cheguei aqui e quando sair da colina voltando por onde eu havia voltado vir a multidão de pessoas cada vez mais perto, ambos notaram a minha presença e ambos se assustaram, até mesmo aquele que se diz ser o líder e ao seu lado seu filho. Uma passagem foi aberta e fiquei frente a frente com o mesmo. Seus olhos saltaram e vir suas presas cresceram, fato que não me assustou nem um pouco e o ar que havia em mim foi soprado contra o rosto do mesmo e vir ali seu ódio.

- Você!

- Eu mesma Park. – Minha voz tão firme que sabia que ali estava minha alfa juntamente comigo.- Esse foi um pequeno aviso de que eu vou voltar e você vai pagar. Eu não estou morta como desejou que eu estivesse, eu estou viva.

- Eu vou lhe matar.

Um riso soprado saiu de mim e assim sair dali, mas não deixei de olhar para Jimin que me olhou assustado da mesma forma. Corrir por entre a mata e fiquei sentada no penhasco vendo a lua cheia no céu. Eu sabia que ele iria vim, eu sabia disso e minha certeza foi concluída quando o vir surgir e se sentar ao meu lado, olhei para o mesmo que acabou cheirando-me e o vir em sua forma humana assim como eu tomei a minha.

- Eu sabia que era você princesa. Eu sabia. – Sua mão enlaçou em minha cintura prendendome junto de si. Não disse nada, apenas observei suas ações para comigo, até que ele me olhou estranho, mas depois ele sorriu parecendo querer saber de algo ou já saber de algo. – Não vai me dizer nada? – Neguei ele sorriu. – Então deixe eu terminar a nossa conversa pendente princesa.

Sua boca tomou a minha em completo êxtase, êxtase que me fez se entregar mais uma vez para ele, eu não me importaria e nem me importo que se por acaso alguém esteja nos vendo assim. Eu estou o amando e ele me amando e isso é o que importa agora, só isso e mais nada. Deitada agora olhando ainda a lua e com ele ao meu lado, me sinto na necessidade de quebrar esse silêncio e conta e o que tanto me incomodar nesse momento.

- O que houve?

- Beijei outra pessoa Jimin. – Seu corpo que estava deitado ao meu lado, teve apoio em seus braços para poder olhar para mim, voltei meu olhar para o céu e ele ficou calado respirando fundo até que ele se levantou e saiu andando feito doido. – JIMIN! – Ele parou e então me levantei seguindo até o mesmo. – Para com isso, tá legal?

- Não, não está legal. Sabe por que? Por que a minha garota beijou outro cara, uma outra pessoa e sabe o que vou fazer quando descobrir quem é? Eu vou matar ele.

- Você não vai fazer nada. Até por que não temos nada concreto, não estamos juntos Jimin.

- Não temos nada? E o que aconteceu minutos atrás?

- Desejo. – Mentir e vir seus olhos se tornarem azuis intensos. Sua mão puxou-me pelo braço e me vir diante do mesmo sem saída.

- Não brinque comigo, por que da mesma forma que você é, também ser pior. Não foi por que matou o melhor amigo do meu pai que eu tenho que ter medo de você ___. – Ele me soltou e saiu andando sem olhar para trás, respirei fundo e puxei meus cabelos voltando ao minha forma lupina e seguir para casa de Jungkook que assim que me viu entrar respirou aliviado, passei por entre os três e voltei ao normal, batendo a porta com força e a trancando-a.

- Você fez errado em mim ameaçar Jimin. Muito errado.

Sussurrei e seguir ao banheiro tomando um banho frio, meu corpo relatou e vir nele algumas marcas de arranhões dos galhos e hematomas do treino, respirei fundo e sair dali enrolada em uma toalha, vestir uma roupa qualquer e me joguei sobre a cama. 

Amanhã eu irei resolver tudo Isso, tenho poucos dias agora para a próxima lua e nada pode me fazer perder o foco, eu disse nada.


Notas Finais


Grupo no wpp: https://chat.whatsapp.com/GfQAShN7DmB5HjRpZ4BzP4

Focando nela agora, agora anda de vez. E até o próximo.
Obrigada pelo carinho e apoio meus amores. Beijos e beijos, abraços e abraços e chamegos e chamegos. 🖤
@Meillee 🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...