História The Angel. (Imagine Taehyung - BTS) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Taehyung (V)
Visualizações 42
Palavras 1.521
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Éh, último capítulo, prometo que vou me esforçar pra postar mais coisas pra vocês, ok?!

Boa Leitura •S2•

Capítulo 6 - Please, Daddy!


— Ele é legal?–pergunta Lia enquanto andamos pelo corredor em direção da saída.

— Você vai precisar conhecer ele pra tirar suas próprias conclusões. –continuamos andando, até que em fim saímos da escola. Passo o olhar por toda área que está cheia pela multidão de alunos, até em fim encontrar suas lindas orbes negras. Tudo ao meu redor parece mudo e em câmera lenta, corro ao seu alcance com um sorriso no rosto, logo o abraçando.

— Sentiu minha falta?

— Você não sabe o quanto, ficar aqui sem fazer nada é um saco!

— Você está aqui desde quando chegamos?

— Eu disse que iria ser pontual! –nego abobada, ele então inicia um beijo tão reconfortante.

— Cof, cof.–quebro o ósculo me virando e dando de cara com Lia.

— Ah, oi.

— Você me deixou falando sozinha!

— Desculpa, olha esse aqui é o Taehyung, Taehyung essa é a Lia, minha melhor amiga.

— Olá.–ela diz e ambos se reverênciam.

— Prazer em conhece-la.–reviro os olhos.

— Aaaah, que saco! Pra que vocês estão sendo tão formais? Eu já contei os podres de cada um, não adianta pagar um de bom moço.

— Como é que é?–ambos perguntam em uníssono exasperados.

— Eu tô brincando. –digo recebendo um suspiro de alívio dos dois. Começo a rir.

— Você não presta.– Lia fala.

— Não mesmo.–Taehyung diz,ambos entram no embalo e começam a rir também.

     Passamos em torno de uns 15 minutos conversando, os dois se deram super bem, era o que eu queria. Pra quê formalidade quando se tem a informalidade, gente?

— Lua?–meu sorriso se desmancha assim que escuto a voz de meu pai atrás de mim. Me viro, dando de cara com seus olhos lacrimejados.—Filha!–ele me abraça, já não conseguindo guardar as lágrimas deixo-as escapar.

— Pai.–nesse momento já não se é escutado nem a voz de Lia nem a de Taehyung.

— Você está bem? –assinto enquanto papai se afasta acariciando minha bochecha.

— Agora eu estou.–fito cada detalhisinho de seu rosto… Pô como eu amo esse corôa!

— Ah, oi senhor Heitor!–cumprimenta Lia.

— Oi, Lily. –ele a responde com seu tão carinhoso apelido.

— Eu já vou indo amiga, qualquer coisa me liga. –ela cochicha em meu ouvido. Assinto.— Tchau gente! –todos a respondem.

— Pai, esse é o Taehyung. –o apresento assim que Lia vai embora.

— Prazer em lhe conhecer, meu rapaz.–eles dão um breve aperto de mão, enquanto papai engole o choro.

— O prazer é todo meu.

— Foi na casa dele que eu passei a noite.

— Ah ta, ele é o tal amigo que você me avisou na mensagem!

— Na verade, agora ele é… –coço a garganta em uma toce fraca olhando para Taehyung, ele assente então fito meu pai novamente.— Meu namorado.– o silêncio se faz presente com a companhia da palidez de meu pai.

— Namorado?

— É.

— E você disse que passou a noite na casa do-d-do… do…

— Meu namorado!

— Isso!– ele suspira.— Vamos pra casa Lua, ainda temos muito o que conversar.

— Ok… Mas ele vai junto.–ele encara Taehyung.

— Tudo bem… –ele ainda parece meio aéreo. — Vamos.

     E assim seguirmos caminho, meu pai na frente enquanto eu e Taehyung caminhamos um pouco mais atrás de mãos entrelaçadas.

— Pai eu preciso contar mais uma coisa.—digo já dentro de casa. Ele suspira parecendo nervoso enquanto desliza até se sentar no sofá.

— O quê Lua? Pelo amor de Deus, preste bastante atenção nas suas palavras.–suspiro criando coragem.

— Eu contei tudo à Taehyung.–ele me olha e levanta rapidamente.

— E o quê seria exatamente “tudo”?–ele cerra os olhos em minha direção.

— Que a Lua é meio Anjo, meu senhor.–Taehyung é mais rápido que eu em dizer, chamando sua atenção para ele, mas quando percebo que o olhar de meu pai está voltado para mim novamente, percebo um tom de… Desespero?

— Lua...–sua voz sai cerrada.— Como pôde? Depois de anos querendo te proteger do mundo você faz isso?!

— Pai eu não aguentava mais, eu precisava me desabafar com alguém! O senhor sabe o quanto difícil para mim foi ter minhas assas cortadas à cada estação? Não era só dor física, nunca só foi isso.

— Você sabe que minha intenção nunca foi te machucar filha, em nenhum dos aspecto. Mas você sabe como são as pessoas, se descobrissem…

— Se descobrissem.–ponho ênfase.— Há anos eu aprendi a me controlar, mas o senhor nunca quis acreditar em mim, por quê pai?

— Eu não sei filha, me desculpe.–nesse momento ambos já estavam chorando silenciosamente, sinto as mãos de Taehyung em meus ombros em um calado consolo.

— O senhor não tem com que se preocupar, eu amo sua filha e nunca em hipótese alguma irei contar desse segredo à alguém. Só o quê pesso é que a escute.–ele me olha e assente, me aproximo de meu pai e seguro suas mãos.

— O quê eu vou lhe pedir não é algo muito difícil de se fazer.–suspiro. — Eu só quero que o senhor pare de cortar minhas asas.–ele desvia o olhar.

— Lua…

— Não é pedir muito, pai.–ele me encara novamente e dá um singelo sorriso.

— Se isso lhe deixa feliz, O quê eu posso fazer?–sorriu lhe abraçando.

— Obrigada, obrigada, obrigada!

— Quanto á você rapaz.–meu pai se afasta brevemente, apontando para Taehyung.— Me promete que vai manter isso em completo sigilo?

— Tem minha palavra senhor!– Taehyung sorri.

[...]

    No dia seguinte, resolvo sair pra passar o fim de semana com Taehyung. Ele disse que quer me mostrar algo, o quê será?

— Já estou indo pai.

— Tenha uma boa tarde e juízo ouviu bem?

— Pode deixar!–dou um beijo em sua testa e saio de casa com minha bicicleta, que inclusive Taehyung a trouxe pra mim ontem, porque eu havia a esquecido em frente à casa da árvore. Pedalando até a casa de TaeTae observo a rua com seu mesmo ar de sempre, tão serena.

— Oi.–desço da bicicleta vendo Taehyung sentado na calçada em frente sua casa.

— Oi anjo.–ele se levanta e me dá um celinho.

— Então, aonde a donzela irá me levar.–ele ri com minha brincadeira de lhe chamar pelo sexo feminino.

— Se eu lhe contar não irá ser mais surpresa.

— E quem disse que tem que ser surpresa? Se eu gostar já está de bom tamanho, não acha?

— Não, porque é aí onde está a graça. Vamos, me dê a bicicleta. –ele a pega logo a guardando nos fundos de sua casa.

— Pista 1;Não vai ser longe porque vamos à pé.–digo atraindo sua atenção, ele nega sorrindo.

— Mas que menina chata.

— O que você chama de chata eu chamo de curiosidade.

— Vamos logo, anjo.

     Após um tempo andando Taehyung decide tapar meus olhos quando estamos chegando, aff!

— Já chegamos?

— Quase… Só mais um pouco. –sinto estar subindo em um lugar alto.— Chegamos!!!

— Anda deixa eu ver.

— Está pronta?–suspiro impaciente.

— Eu vou te bater Taehyung! –ele ri.

— Ok.–ele enfim tira suas mãos de meus olhos, me dando a visão de nada mais nada menos que o bosque de sempre.

— Isso é sério?–ponho as mãos na cintura.

— Sim, é...–ele põe as mãos nos meus ombros, me virando para o outro lado e me dando a bela e plena visão de uma tarde ainda ensolarada, com direito a montanhas, uma pequena cachoeira, arvores e pássaros voando em direção do horizonte. Um verdadeiro paraíso, nunca tinha vindo para essa parte do bosque ou talvez pequena floresta.— ...muito sério, e gostoso também. —ele aponta para uma sexta de piquenique sobre um tradicional tecido quadriculado nas cores de vermelho e branco.

— Taehyung aqui é fascinante!

— É eu sei, tenho certeza que valeu o suspense.

— Da próxima vez que eu ficar enchendo teu saco, pode colar uma fita isolante na minha boca que eu deixo!

— E ficar sem te beijar?– ele nega.— Jamais.–ele abraça minha cintura distribuindo beijos na minha bochecha. — Prefiro que você encha meu saco.–viro de frente para ele.

— Sabe o quê é mais indecifrável do que isso tudo aqui?

— O quê?

— A minha fome, podemos comer?

— Você se parece tanto comigo.– e nisso nos sentamos sobre o tecido no chão. Percebo que Lex está voando ao nosso redor, nos abençoando com seu tão encantador cantar, dou lhe um sorriso sendo retribuída por uma pirueta. Taehyung tira um pedaço de bolo da sexta e pega um pouco de chantilly com o dedo indicador e na velocidade da luz o passa em meu rosto.

— Taehyung!

— Ops, escapou!

— Ah escapou, né?!–pego o recipiente que estava com o bolo e o jogo no centro de seu rosto, fazendo com que seu nariz ficasse completamente coberto de chantilly.— Ah essa foi de propósito mesmo!

— Ah vem cá, sua cara de pau! –ele sobe em mim me deixando por baixo. Ele passa seu nariz pela minha boca, a sujando completamente e logo depois me fitando. — Tão linda até mesmo suja.–e nisso ele começa com um dos seus tão  maravilhosos e intensos beijos, quando a falta de ar se faz presente ele quebra o ósculo.

Eu te amo.–dissemos em uníssono, fazendo ambos os sorrisos se aumentarem mais ainda, em pleno e lindo por do sol.

The And.


Notas Finais


E chegamos ao fim! Pois é, foi ótimo escrever esse imagine e saber que gostaram (mesmo que sejam poucos).
Ainda tenho muito o que aprender (assim como já evoluí de uns tempos pra cá), se você quer acompanhar meu desempenho, me siga!

Link:https://www.spiritfanfiction.com/perfil/analeeju2

E pra quem não sabe, eu tenho outra história aqui, uma fanfic.

Link:https://www.spiritfanfiction.com/historia/my-past-condemns-me-11258841

E no Wattpad:https://my.w.tt/ZdS54LJQuM

Quem estiver interessado, vai lá dar uma olhadinha!

Acho que é só, obrigada por ler e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...