1. Spirit Fanfics >
  2. The Answer to Our Life >
  3. Capítulo XVI

História The Answer to Our Life - Capítulo 16


Escrita por:


Capítulo 16 - Capítulo XVI


Henry

Eu não estava mais acostumado com aquilo. Aquela sensação de alguém ao meu lado na cama, a sensação do peso do corpo de outra pessoa sobre o meu, pela manhã. Abri os olhos rapidamente e encarei o teto de um quarto que não era o meu e voltei a relaxar quando vi Allison dormindo tranquilamente com a cabeça em meu peito.

Acariciei os longos fios castanhos de seu cabelo enquanto ela continuava dormindo. Momentos da noite anterior voltavam à minha memória e eu sabia que eu estava ferrado, porque isso não sairia da minha cabeça nem tão cedo.

Talvez nunca, sendo bem honesto.

Há muito tempo eu não me sentia assim, há muito tempo eu não sabia o que era estar com alguém por algo além de comodidade. Foi diferente de qualquer coisa que tive com Helena nos últimos anos. Aliás, Allison era diferente de Helena em absolutamente todas as coisas que faziam-na ser quem ela é e eu adorava isso.

Allison começou a se mexer um pouco sobre o meu corpo e não demorou muito até eu ver o meu susto inicial sendo refletido em seu próprio rosto. Seus olhos se abriram rapidamente enquanto ela olhava ao redor, tentando compreender tudo. Seu olhar suavizou ao encontrar o meu. Ri fraco pelo nariz e coloquei uma mecha de seu cabelo atrás da orelha.

— Bom dia – falei sorrindo pra ela, que retribuiu o gesto, voltando a descansar seu rosto contra o meu peito, me olhando de um jeito doce.

— Bom dia – ela falou preguiçosamente – Acordou há muito tempo? – ela perguntou e eu fiz que não com a cabeça – Bom... – ela sorriu outra vez e eu ri. Ela olhou pro relógio no criado mudo ao meu lado e suspirou – Eu preciso descer pra preparar o café...

— Cedo assim? – perguntei surpreso e ela fez que sim com a cabeça, fechando os olhos lentamente – Em pleno sábado? – eu estava ainda mais surpreso e ela riu, ainda de olhos fechados.

— Sábado é dia de piquenique no Central Park – ela respondeu se encolhendo contra o meu corpo e eu ri abraçando-a – Mas eu não tô com a menor vontade de levantar – ela falou e eu ri outra vez.

— Tá bom assim? – perguntei com as sobrancelhas arqueadas

— Pescando elogios a essa hora da manhã, Henry Cavill? – ela perguntou erguendo o rosto e me olhando com uma careta, fazendo com que eu gargalhasse – Esperava mais de você. – ela falou voltando a enterrar o rosto em meu peito, fazendo com que sua voz saísse abafada. Ouvi um gemido de insatisfação dela e ri – Eu preciso tomar banho.

— Eu também... – falei com um suspiro. A verdade é que eu não queria sair daquela cama tão cedo e, pelo visto, Allison também não.

— Infelizmente não temos roupas masculinas nessa casa – ela disse me olhando – Vai ter que usar as roupas de ontem.

— Eu deixo uma mala pronta, no carro... Caso eu precise fazer uma viagem de emergência. – expliquei e ela fez um biquinho como se estivesse impressionada, me fazendo rir.

— Certo. Vou tomar banho – ela falou indicando a porta do banheiro com o polegar – E aí você vem.

— Ok. – concordei e então nos separamos. Allison se espreguiçou e caminhou até o banheiro, sem se preocupar em cobrir a sua nudez.

Definitivamente já passamos desse ponto, pensei comigo mesmo e suspirei.

Vesti minhas próprias roupas, catando-as pelo chão. Caminhei silenciosamente pela casa, tentando não acordar ninguém, e fui até o carro. Peguei uma muda de roupas limpas e meus itens de higiene pessoal e voltei para o quarto de Allison.

Quando entrei no quarto, ouvi o barulho do chuveiro ligado vindo do banheiro. A porta do cômodo estava semiaberta, permitindo que o vapor da água quente escapasse para o quarto e os azulejos azuis da parede fossem vistos do lado de fora. Me aproximei lentamente, abri um pouco mais a porta e me encostei ali, observando Allison de costas, totalmente relaxada enquanto a água quente deslizava pelo seu corpo.

Tentei ser silencioso, mas, não sei se por um barulho ou simplesmente por sentir uma outra presença ali, Allison me olhou por sobre o ombro e sorriu.

— Sabe que pode entrar aqui, se quiser. Não sabe? – ela perguntou e eu sorri fazendo que sim com a cabeça – E tá esperando o que? Um convite formal?

Allison e suas respostas na ponta da língua.

Me despi mais uma vez e entrei no box com ela, abraçando-a pela cintura e trazendo seu corpo para o meu.

— Você é muito malcriada – falei em um tom de voz baixo, beijando o seu pescoço enquanto a apertava mais contra mim.

— Mmhmm... – ela falou esticando mais o pescoço, me dando acesso total à região – O que vai fazer a respeito? – ela perguntou em um tom de voz sensual e eu sorri contra o seu pescoço.

— Você vai já descobrir – falei antes de beijá-la com força e prendê-la contra a parede.

Em minutos, o banheiro foi preenchido pelo vapor da água quente e os nossos gemidos em sincronia, enquanto, outra vez, nós saciávamos os desejos um do outro. Quando terminamos, ajudamos um ao outro a lavar os nossos corpos entre beijos e outras carícias, até que decidimos sair dali, o que exigiu muita força de vontade das duas partes.

Quando finalmente saímos do box, escovamos os dentes e nos vestimos. Ela foi direto para a cozinha e eu a acompanhei.

— Precisa de ajuda? – perguntei parando ao seu lado, observando as coisas sobre o balcão da cozinha. Ela sorriu antes de me responder.

— Não muita... – ela falou dando de ombros – Mas vou agradecer se puder cortar essas mangas e fazer um suco – ela falou me olhando e eu concordei com a cabeça – Não trabalha hoje?

— Até tenho uma reunião, mas é mais tarde – falei dando de ombros – Tá bem doce – falei após colocar um pedaço pequeno de manga na minha própria boca, sentindo o gosto doce da fruta ao desmanchar em minha língua.

— É mesmo? – ela perguntou erguendo o olhar e sorrindo

— É mesmo – afirmei – Olha... – falei me inclinando em sua direção, beijando-a lentamente, sentindo Allison corresponder o beijo.

— Uma delícia – ela sussurrou contra os meus lábios, sorrindo e ainda de olhos fechados.

— Mãe... – ouvimos a voz de Olívia, acompanhada de passos pesados vindo da escada. Allison se afastou mais um pouco, olhando confusa na direção da voz, nos afastamos e fomos até lá – Não tô me sentindo bem – ela falou com o rosto visivelmente abatido, esfregando o olho preguiçosamente.

— O que houve? – Allison perguntou pegando Liv nos braços enquanto a menina se enrolava em seu corpo – Você tá queimando. – Allison declarou ao sentir a temperatura da pele da menina.

— E a minha cabeça tá doendo – ela falou deitando a cabeça no ombro da mãe e fechando os olhos. Kate apareceu no topo das escadas, completamente vestida para ir para o hospital, e suspirou alto.

— Ela ficou assim a noite inteira? – Allison perguntou alarmada e Kate balançou a cabeça negativamente.

— Não. Ela acordou assim, foi agora... – Kate falou aproximando-se da irmã e sobrinha. – Bom dia, Henry... – ela falou educadamente, visivelmente preocupada com Liv.

— Oi, tio Henry – Liv falou com a voz fraca e a tentativa de um sorriso – Vai ao Central Park com a gente?

— Acho que ninguém mais vai ao Central Park hoje, gatinha – falei e ela concordou tristonha

— Você precisa comer... – Allison falou e Liv fez uma careta – Preciso terminar de preparar o café da manhã.

— Eu preciso ir para o hospital, tô de plantão hoje – Kate falou preocupada e Allison suspirou.

— Deixa ela comigo – falei prontamente – Termina de fazer suas coisas e a mocinha aqui – falei erguendo os braços e vendo uma Liv muito sonolenta se projetar em direção deles – Vai escolher o que vamos fazer enquanto você está ocupada.

— Podemos ver O Clube das Winx? – ela pediu manhosa, enrolando-se em mim da mesma forma como fez com a mãe anteriormente

— Podemos ver o que você quiser – falei com um sorriso

— Tem certeza? – Allison perguntou preocupada e eu sorri

— Fica tranquila. – falei indo pra sala com Liv, colocando algumas almofadas no chão e deitando-me no chão com ela, enquanto ela se escolhia ao meu lado, com a cabeça apoiada em meu braço. Coloquei o desenho que Liv pediu e fiquei com ela ali enquanto Allison preparava o café da manhã e organizava tudo o que não precisaria mais, já que não iam mais ao Central Park.

— Tio Henry, pode passar o dia aqui comigo? – Liv pediu dengosa e eu sorri.

— É o que você quer? – perguntei e ela fez que sim com a cabeça

— Então eu posso – afirmei e ela sorriu aconchegando-se mais contra o meu corpo. Fiz uma ligação rápida cancelando qualquer reunião que eu tivesse naquele dia.

— Henry não precisa disso – Allison falou da cozinha

— Eu sei disso, Allison – respondi despreocupadamente – O bom de ser o chefe, é que eu só faço o que eu quero e o que eu quero agora, é mimar a sua filha. – falei olhando pra ela, que sorriu lentamente, concordando em silêncio.

Sinceramente, não havia outro lugar onde eu gostaria de estar


Notas Finais


LOVE IS IN THE AIR
LOVE IS EVERYWHERE

E AÍ, MINHA GENTE.
O que você estão achando desse climinha família??

O capítulo de hoje foi mais curto, mas não queria atrasar mais, espero que tenham gostado. Deixem seus comentários, amo ver a interação de vocês 🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...