História The Apocalypse - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 17
Palavras 2.509
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 35 - Coração Pulsante - Andras


Fanfic / Fanfiction The Apocalypse - Capítulo 35 - Coração Pulsante - Andras

Estejam vigilantes, mantenham-se firmes na fé, sejam homens de coragem, sejam fortes.

1 Coríntios 16:13

 

Eu e Taehyung estávamos nos segurando em cordas enquanto tentávamos não cair no buraco de lava fervente que Andras havia criado, porem além de precisarmos nos segurar na fina corda ainda tínhamos que espantar os corvos que insistiam em nos bicar.

-Aguente firme Eunseo. – Taehuyng disse enquanto batia em um dos corvos. – Eles vão nos tirar daqui.

Os corvos atacavam meu corpo dando bicadas dolorosas me causando feridas que escorriam sangue. Olhei para o lado e vi que os corvos haviam desistido de atacar Taehyung e começaram a atacar a corda que o sustentava. A corda de Taehyung arrebentou, ainda me segurando na corda lancei meu corpo para o lado e segurei seu braço o impedindo de cair.

-A-aguente f-firme Tae. – Disse com dificuldade por conta da força que precisava fazer para nos sustentar.

-EUNSEO, TAEHYUNG! – Ouvi a voz de Jimin nos chamar, olhei para cima e ele estava nos encarando do alto. – AGUENTEM FIRME VOU PUXA-LOS.

Jimin segurou a corda e começou a nos puxar, mas no primeiro puxão que ele deu o braço de Taehyung escorregou e fui obrigada a sustenta-lo apenas pela sua mão.

-Segure fi-firme Tae, nós va-vamos sair daqui. 

-Eunseo você não vai me aguentar. – Taehyung disse.

-Eu v-vou apenas não solte.

Jimin deu mais um puxão na corda me fazendo bater na parede e a mão de Taehyung escorregar mais um pouco me fazendo triplicar minha força para segura-lo. 

-Eunseo, pare de se esforçar, eu vou cair de qualquer jeito. 

-Eu não vou te soltar. 

A mão de Taehyung escorregou mais um pouco e seus dedos começaram a se soltar um por um até que ele caiu na lava.

-NÃO TAEHYUNG!

 

Algumas horas antes,

-Está pronta Eunseo? – Chang Wook perguntou da porta de meu quarto.

-Espero. – Disse dando uma leve risada. Chang Wook se aproximou e se jogou na minha cama fechando os olhos. – Você estava me apressando a alguns segundos atrás e agora você deita?!

-Só cinco minutos. – Ele disse quase como um sussurro.

Me sentei ao seu lado e suspirei.

-Você está cansado não é?!

-Eu sou um anjo Eunseo, não me canso facilmente, você já foi um anjo por completo deveria saber disso.

-Eu sei muito bem Chang e por mais que eu não ficasse cansada fisicamente eu ficava mentalmente e creio que seja isso que esteja acontecendo com você.

Chang deu um sorriso e se sentou na cama me encarando.

-Só quero acabar com isso logo, é chato ficar caçando os anéis.

-Imagino, mas agora só faltam dois, vamos acabar com isso logo. Você mesmo disse que já tinha até uma pista de onde Asmodeus poderia estar.

-Só espero que seja confiável, mas enquanto não o acho teremos que nos contentar apenas com Andras.

-O que já será um desafio, mas juntos vamos superar, foi assim até agora.

Chang Wook sorriu e bagunçou meus cabelos antes de repousar sua mão em meu ombro.

-Você amadureceu Eunseo. Prefiro sua versão agora, antes de você prender os pecados você era um anjo bem chato, se achava demais.

-Ei... eu não me achava.

-Posso garantir que sim. 

Peguei meu travesseiro e comecei a bater nele o que só nos arrancou boas risadas. Ouvi algumas batidas da porta e um limpar de garganta me fazendo parar e olhar na direção dos barulhos, Hanna estava parada na porta nos encarando.

-Desculpa atrapalhar o momento amizade de vocês, mas estamos todos prontos pra ir. Até Castiel chegou.

Chang Wook ficou serio e se levantou e eu o segui no gesto. Peguei minha faca e a escondi em minhas roupas. Respirei fundo antes de me voltar para Chang.

-Vamos! – Disse e caminhamos confiantes até a porta.

 

__________x__________

 

-Por que de tantos lugares eles tinha que escolher o México? – Nam Joo reclamou enquanto caminhávamos pelas ruas da cidade.

-Você tem algum problema com o México? – Hoseok perguntou.

-Além de aqui ser verão e estar um calor infernal que me dá vontade de arrancar minha pele e nós estarmos com roupa de inverno com as pessoas nos olhando estranho, não eu não tenho nenhum problema com o México.

-Nam Joo se você não parar de reclamar eu juro que eu mesma arranco sua pele e costuro a sua boca com ela. – Hanna disse revirando os olhos.

Ri levemente dos dois que continuaram a discutir e os meninos me acompanharam, exceto Chang Wook que apenas revirava os olhos enquanto encarava os dois que pareciam duas crianças discutindo.

-Jungkook me faz um favor e faz ela ficar quieta. – Nam Joo disse se virando pra trás e juntando as mãos em prece.

Jungkook que estava ao meu lado arregalou os olhos e se engasgou com sua própria saliva.

-Desculpe, mas eu prefiro lutar com os cães de Jimin do que contrariar a Hanna. – Jungkook disse enquanto ia para trás e se escondia atrás dos meninos.

-Podia pelo menos beijar ela logo par ver se ela fica quieta. – Nam Joo disse fazendo Hanna e Jungkook arregalarem os olhos além de se engasgarem com o vento, Hanna deu um belo tapa na nuca de Nam Joo que sinceramente doeu até em mim.

-Primeiro se você continuar falando besteira eu vou te dar de comida para demônios, segundo pare de pedir ajuda dos outros e se defenda sozinho Nam Joo. – Hanna disse e os dois voltaram a discutir.

Confesso que no começo estava engraçado, mas agora a voz deles me causavam dor de cabeça.

-CHEGA! – Gritei fazendo eles se calarem. – Meu Deus vocês não mudam nunca, até parece que voltamos pra escola, será que podemos nos concentrar na missão?

Hanna e Nam Joo suspiraram e se desculparam antes de ficarem em silencio.

-Ainda bem que acabaram com a discussão porque chegamos. – Chang disse.

Olhei para onde deveria estar a casa onde Andras estaria, mas não havia nada era apenas um terreno vazio.

-Chang... – Comecei a dizer, mas ele me interrompeu.

-Eu sei o que vai dizer Eunseo, mas seus olhos te enganam. – Chang se virou em minha direção e pegou um canivete me entregando. – Eu preciso de algumas gotas do seu sangue se não se importar.

Peguei o canivete e fiz um pequeno corte em meu dedo. Chang pegou o sangue com o canivete e derramou algumas gotas de sangue no chão antes de começar a recitar um feitiço.

-Revelare te  culos meos (Revele-se para meus olhos), Nulla erit ultra modum fascinavit ante Dominum in conspectu meo (Nenhum feitiço maligno terá mais efeito na presença de meu Senhor) Ostende te creatorem omnium in (Revele-se diante do criador de todas as coisas¬) Revelare tibi coram Deo (Revele-se perante meu Deus).

Assim que Chang Wook terminou de recitar o feitiço no terreno que até então estava vazio surgiu uma casa enorme.

-Como eles conseguiram esconder uma casa tão grande? – Yoongi perguntou.

-Feitiço de camuflagem, faz com que seja difícil rastrear o lugar por isso demorei três dias para encontra-lo e quando o achamos não conseguimos enxerga-lo, precisei pesquisar para saber como anular o feitiço e aqui está.

-Vamos entrar, eles já devem ter notado que estamos aqui. – Disse avançando alguns passo para entrar na casa.

Todos nos reunimos na entrada e entramos na casa. Em um primeiro momento o lugar estava calmo, mas assim que todos entramos a porta se fechou atrás de nós, nos trancando no lugar, logo em seguida ouvimos sons de asas e vários corvos vieram em nossa direção nos atacando. Nos debatíamos tentando espantar os animais que pareciam querer arrancar nossa pele.

-Chega crianças! – Uma voz se fez presente na sala e os corvos foram embora.

Um homem alto com cabelos negros e barba bem feita descia as escadas enquanto nos encarava. Ele nos analisou friamente antes de sorrir.

-Olha só o que temos aqui, soube que derrotaram meus irmãos por conta dos anéis.

-Como soube disso, nenhum outro parecia saber. – Taehyung disse arrancando uma risada de Andras.

-Você mais do que ninguém deveria saber como Taehyung, afinal você é membro da minha família e assim como você... – Um corvo pousou no ombro de Andras que começou a depositar um carinho no animal. – Eu também tenho meus espiões.

-Então provavelmente você já sabia que viríamos. – Namjoon disse.

-Sim, mas não adiantaria nada tentar fugir, vocês viriam atrás de mim de qualquer jeito e fugir é cansativo. Mas aproveitando que estão aqui, que tal acabarmos logo com isso?!

Andras nos lançou um sorriso sombrio. Em questão de segundos senti algo agarrar meu pé e me puxar para longe. Enquanto era puxada pelo cômodo olhei para meu pé e vi que cordas o prendiam, tentei me soltar porém foi em vão. Olhei para o lado e vi que Taehyung se encontrava na mesma situação, já os outros precisavam se defender dos corvos que insistiam em os atacar e tinham uma força sobrenatural. As cordas pararam de puxar a mim e Taehyung porem ainda estávamos presos. Andras se aproximou de nós dois e sorriu.

-Ótimo acabarei com dois coelhos em uma cajadada só. – Ele disse antes de se afastar.

O chão começou a tremer e a se abrir, eu tentei me levantar e fugir, porem as cordas me impediam de fazer qualquer coisa. O chão se abriu completamente sob mim e Taehyung revelando um mar de lava no final do buraco. Um grito ecoou pela minha garganta quando começamos a cair, mas as cordas que nos prendiam nos impediram de irmos de encontro com a lava fervente, a má noticia era que o nó que prendia nossos pés estava se desfazendo e cairíamos a qualquer segundo. Eu e Taehyung projetamos nossos corpos para cima agarrando a corda com nossas mãos antes que o nós que nos prendia se desfizesse. E como se a nossa situação já não estivesse ruim ainda surgiram corvos para nos atacar enquanto estávamos bem próximos de encontrar nosso fim, era só soltarmos a bendita corda.

-Aguente firme Eunseo. – Taehuyng disse enquanto batia em um dos corvos. – Eles vão nos tirar daqui.

Os corvos atacavam meu corpo dando bicadas dolorosas me causando feridas que escorriam sangue. Olhei para o lado e vi que os corvos haviam desistido de atacar Taehyung e começaram a atacar a corda que o sustentava. A corda de Taehyung arrebentou, ainda me segurando na corda lancei meu corpo para o lado e segurei seu braço o impedindo de cair.

-A-aguente f-firme Tae. – Disse com dificuldade por conta da força que precisava fazer para nos sustentar.

-EUNSEO, TAEHYUNG! – Ouvi a voz de Jimin nos chamar, olhei para cima e ele estava nos encarando do alto. – AGUENTEM FIRME VOU PUXA-LOS.

Jimin segurou a corda e começou a nos puxar, mas no primeiro puxão que ele deu o braço de Taehyung escorregou e fui obrigada a sustenta-lo apenas pela sua mão.

-Segure fi-firme Tae, nós va-vamos sair daqui. 

-Eunseo você não vai me aguentar. – Taehyung disse.

-Eu v-vou apenas não solte.

Jimin deu mais um puxão na corda me fazendo bater na parede e a mão de Taehyung escorregar mais um pouco me fazendo triplicar minha força para segura-lo. 

-Eunseo, pare de se esforçar, eu vou cair de qualquer jeito. 

-Eu não vou te soltar. 

A mão de Taehyung escorregou mais um pouco e seus dedos começaram a se soltar um por um até que ele caiu na lava.

-NÃO TAEHYUNG!

Jimin terminou de me puxar para cima, assim que meus joelhos encontraram o solo meus olhos se encheram de lagrimas e o desespero pairou sobre mim. Se eu tivesse sido mais forte ele não teria caído, se eu fosse mais forte poderia ter impedido.

-Eunseo... – Jimin sussurrou meu nome.

O desespero era tanto que não me importei com mais nada apenas me joguei em seu peito e me permiti chorar. Senti o corpo de Jimin ficar rígido, porem ele não me afastou, mas não ousou me tocar, mesmo que eu estivesse debruçada sobre ele em meio a lagrimas, ele estava cumprindo a promessa que me fizera.

-Se e-eu tivesse si-sido mais fo-forte e-ele não teria ca-caido. – Tentei dizer em meio as lagrimas.

-Taehyung é forte Eunseo, ele vai ficar bem. – Jimin disse com a voz serena.

-Co-como pode dizer i-isso? Ele ca-caiu na lava.

-Eunseo olhe para mim. – Me afastei dele e o encarei. – Confie em mim, Taehyung está bem.

-Como?

-Bem simples, eu sou imune a lava. 

Ouvi a voz de Taehyung atrás de mim e me atrevi a olhar, ele estava bem, completamente bem, mas havia um detalhe, além de estar bem, ele estava completamente nu o que me chocou e muito. Desviei meu olhar e Jimin se levantou e se colocando a minha frente para que eu não visse Taehyung, por mais que a imagem dele já estivesse em minha mente.

-Taehyung não apareça nu desse jeito. – Jimin o repreendeu.

-O que eu posso fazer? Quem é imune a lava sou eu e não minhas roupas.

-Vista alguma coisa. – Jimin disse.

-O que? Eu não trouxe roupas extras.

Nam Joo se aproximou e começou a retirar sua calça fazendo Hanna gritar o repreendendo.

-Nam Joo o que está fazendo? – Hanna disse tentando impedi-lo de retirar sua calça.

-Relaxe um pouco, eu estou com uma bermuda por baixo.

Nam Joo terminou de retirar sua calça e a entregou para taehyung que a vestiu rapidamente e realmente Nam Joo estava com uma bermuda estilo havaiana por baixo.

-Por que você está com uma bermuda por baixo? – Yoongi perguntou.

-Precaução para momentos assim. antes de vocês me julgarem precisam me agradecer ou então seriamos processados por estar andando com um cara nu por ai. – Nam Joo disse fazendo Hanna revirar os olhos.

-Já acabaram com a conversa? – Andras disse aos pés da escada.

-Acho que é minha hora de brilhar e dar uma lição nesse queimador de roupas não é? – Taehyung perguntou estralando os dedos.

-Fique a vontade. – Hoseok disse sorrindo.

Taehyung sorriu e levou os dedos aos lábios assobiando. Alguns segundos depois vários corvos apareceram e colocaram os corvos de Andras para correr.

-Sem se esconder atrás de seus animais Andras, já basta Azazel com seus cachorros. – Taehyung disse.

-Se é uma luta corpo a corpo que você quer é o que vai ter. – Andras disse antes de atacar Taehyung.

Os dois mantinham uma batalha equilibrada, com socos e chutes em uma força sobre humana. Em um momento de deslize Taehyung levou um chute a caiu no chão, Andras avançou para cima dele com uma enorme sede de sangue. Estava prestes a me levantar para interferir quando vi taehyung sorrir, quando Andras chegou perto o suficiente taehyung enfiou a mão no peito de Andras atravessando para o outro lado e levando consigo o coração dele que ainda estava pulsante nas mãos de Taehyung. Andras cuspiu sangue antes de cair morto. Taehyung retirou seu braço de dentro do homem e largou o coração antes de se limpar nas roupas do falecido. Ele se abaixou e pegou o anel antes de vir até nós e sorrir.

-Podemos ir agora? – Ele disse sorridente.

Jimin se virou pra mim e sorriu timidamente.

-Eu disse que Taehyung era forte.


Notas Finais


Espero nao ter matado vocês do coração <3 me digam o que estão achando de tudo ate aqui.
Capítulo novo toda segunda e sexta

Até sexta :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...