1. Spirit Fanfics >
  2. The Art - Sasodei >
  3. Torre Eiffel

História The Art - Sasodei - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Torre Eiffel


Fanfic / Fanfiction The Art - Sasodei - Capítulo 2 - Torre Eiffel

Todos foram para as suas casas, e assim que sasori chegou na sua, se sentou na mesa de seu quarto e começou a fazer o trabalho.


A arte é algo que tem que ser eterno. - Pensou ele.- Mas eu não posso simplesmente colocar isso no papel e entregar para o professor.. ou poderia?


- Eu vou ter que ser totalmente original! se bem que.. ninguém naquela escola entende tão bem de arte como eu, mas, isso não significa que eu tenha que fazer de qualquer jeito.


"A arte é algo que"


- Que.... o que eu coloco? "algo que tem que ser eterno para todas as futuras gerações"? Não! Muito previsível.


"A arte em si, é algo que deve ser apreciado durante toda a eternidade"


- Isso! Até que ficou bom.


"Não só para nós apreciarmos ela, e sim, para as futuras gerações, para eles souberem quais foram os nossos feitos durante todos os longos anos. Cada pintura..."


Após um tempo escrevendo, ele finalmente havia chegado no fim. Ele pegou seu celular e foi olhar as horas, e viu que o grupo da sua sala de aula estava mandando muitas mensagens. Ele estranhou, pois o grupo era sempre parado.


[Lane]

Algum de vocês conseguiu pegar o número do deidara para adicionarmos no grupo?


[Iza]

Pelo que eu saiba, ninguém pegou.


[Sasori]

Sei lá.


[Sabrina]

Eu também não sei.


[Alex]

Sasori, você não pegou? eu achei que tinha visto você e ele conversando depois da aula.


[Sasori]

Ele apenas esbarrou em mim. 

Por que vocês não tentam falar com ele por alguma outra rede social, tipo, o Instagram?


[Anthony]

Tentamos. Mas ele não responde.


[Sasori]

Então esperem até amanhã e peçam, ué.


...


Ele estava ansioso pois queria entregar logo o trabalho para ter a mais pura certeza de que iria ser escolhido para liderar esse misterioso projeto. Queria que chegasse logo o amanhã, mas não conseguia dormir, então pensou em sair.

Foi andando cuidadosamente até a sala, o que não adiantou muito. Seu primo estava lá, assistindo um filme, que já parecia estar no final.


- Itachi?


- Oi?


- Posso sair?


- Pode.


- Sério?! 


- Oshi, sim, por que eu diria não?


- Eu pensei que você ia dizer "Pergunta pra vovó"


- Ela diria não.


- É, verdade.


- Você não ia sair?


- Vou.


- Então vai! Antes que a minha mãe ou a vovó acordem e te coloquem pra dentro.


- Tá tá! - Foi em direção a porta e a abriu.


- Sasori!


- Hm? que foi?


- Volte no horário de tomar o remédio!


- Eu sei! não vou demorar tanto.


- Devo confiar?


- Claro.


- Hm.. Ok, vá.


- Tchau priminho que eu amo muito.- Saiu e foi em direção a torre.


- Mas é falso..


[...]


- Isso, finalmente terminei! - Deidara sorriu e pegou seu texto, logo saindo de seu quarto e indo em direção ao escritório de seu pai.


- Pai! olha meu texto para o projeto da escola! eu tenho certeza que vou ser selecionado.


- Parabéns, o texto tá ótimo.


- Mas você nem leu..


- Leio depois.


- Está bem.. Mas o Pai.


- O que é Deidara?


- Depois de amanhã é o dia em que você prometeu passar comigo e com o Obito, você vai cumprir a promessa, não vai?


- Aham, vou sim.


- Certeza?


- Sim Deidara, agora vá lá assistir o que seu irmão está assistindo ou vá fazer algo. Estou ocupado agora.


- Ah.. Está bem. - Saiu de lá de cabeça baixa e foi para o seu quarto, pegando um caderno de desenho e saindo. -Obito!


- Sim? o que foi?


- Posso ir na torre Eiffel?


- Claro.. Mas para que quer ir lá de noite?


- A Torre Eiffel fica mais bonita ainda de noite, e.. também fica melhor para desenhar, não acha?


- Entendo. Quero ver o desenho depois!


- Está bem! - Falou saindo correndo de casa e indo até a Torre.


[...]


Sasori, que já estava por um tempo observando a torre, viu um rosto conhecido passando em meio a multidão de turistas e ficou pensando por um tempinho se ia até ele.


Eu acho que eu irei até ele. - Sasori pensou enquanto caminhava até seu colega de classe, Deidara.


- Deidara? Oi!


- Ah, oi! quem é você?


- Eu sou da sua turma. Meu nome é Sasori, prazer.


- Prazer!


- O que faz aqui? também gosta de ver a torre de noite?


- É a primeira vez que vejo ela de noite. - Sorriu. - É bem bonita!


- Sim! você veio do Japão, certo? eu também vim de lá.


- Sério?! por que veio pra cá?


- Problemas de família. - Disse olhando o desenho que deidara tinha começado a fazer da Torre. - Gosta de desenhar?


- Sim! faz eu me sentir melhor.


- Posso ver alguns?


- Poderá ver amanhã, assim que eu terminar o desenho da Torre.


- Está bem! - Sorriu. 


- Sasori.


- Sim? 


- Você gosta de sorvete? - Perguntou enquanto desenhava os rascunhos da torre.


- Sim, por que a pergunta?


- Quer tomar um?


- Eu até que iria querer, mas eu não trouxe dinheiro.


- Tudo bem, eu pago!


- hein? certeza?


- Sim! 


- Claro.


Deidara colocou a mão no bolso de seu casaco e retirou o dinheiro que havia lá.


- Pegue! traga de chocolate para mim, por favor. - entregou o dinheiro para sasori e ficou o esperando voltar com o sorvete.


- Voltei! desculpe a demora.


- Tudo bem. - Pegou o sorvete. - Obrigado!


- Como o desenho está ficando?


- Está ficando bom.. o que ach.. - olhou sorvete de sasori cair e o viu cair logo em seguida. -Sasori! o que aconteceu?! - Largou o caderno e pegou o braço de sasori e o colocando em volta de seu pescoço. 


- De-deidara.. por favor.. me leve até em casa.


- Onde você mora?! - Perguntou e sasori explicou o caminho.


Deidara o levou até lá o mais rápido possível, entrou em sua casa e deu de cara com Itachi dormindo em um sono pesado no sofá. Tentou fazer o máximo de silêncio possível para não acordá-lo.


- Sasori. - disse sussurrando. - Me fale onde fica seu quarto, rápido!


- Final do corredor.. 


O tom de voz de Sasori havia diminuído, fazendo Deidara entender que ele já não estava conseguindo mais suportar a dor que estava sentindo, mas, estava fazendo de tudo para ignorá-la.


- Ok. - Foi andando o mais rápido possível com o sasori e o deitou na cama. - E agora?!


- Pega aquele remédio e aquela garrafa... por favor.


- Está bem! - Pegou a garrafa e o remédio e o entregou.


- Obrigado. - Disse e tomou o remédio.


- Está melhor agora?


- Um pouco.. a dor já está diminuindo.


- O que você tem?


- Nada demais. É melhor ir para a sua casa, não acha? já tá um pouco tarde.


- Ah.. é mesmo. - deu um sorriso sem graça. - Eu já vou indo, até amanhã sasori, e desculpa qualquer coisa.


- Até. 


O loiro foi para a sua casa pensando no que tinha acabado de acontecer.

O que sasori tinha?

Por que não contou a ele?

Talvez seria algo que só os familiares dele sabiam, Deidara não tinha que se intrometer em assuntos pessoais, mas, ainda estava preocupado com ele. Aquilo poderia acontecer de novo. Mas quando aconteceria? e se não tivesse ninguém para ajudá-lo quando acontecesse?


dia seguinte


Será que ele está melhor? - Esse era o pensamento que conseguiu o deixar acordado durante toda a noite, não parou de pensar na possibilidade de Sasori ter piorado, mesmo após de tomar o remédio.


- Deidara, aconteceu algo?


- Hm?


- Está tudo bem?


- Sim, por que não estaria?


- É que ontem você chegou em casa pensativo, nem me ouviu quando eu pedi para ver o desenho da torre.


- Desenho?


- Sim, você não tinha ido desenhar a torre ontem? você foi até com o seu caderno.


- O caderno... aonde eu deixei ele?.. 


O caderno.. na hora em que o Sasori caiu eu nem me importei mais com o meu caderno.. 


- Deidara! - Obito o chamou.


- Oi?!


- Você não vai me mostrar o desenho? eu estava curioso para ver, sabia?


- O caderno.. eu não sei onde ele está.


- Você esqueceu ele lá?!


Eu esqueci..? Espera... agora me lembro.. e o joguei no banco.. eu não posso perder aquele caderno!


- Eu vou buscar ele!


- Hey, calma, é só um caderno, filho. Depois compramos outro para você. 


- Aquele caderno é importante pra mim, pai!


- Mas é só um caderno, não vai fazer diferença, é só comprar outro.


- A importância dele nem o seu dinheiro pode comprar! Deidara se levantou e pegou a sua mochila. - Eu irei a pé para a escola. - Saiu de lá um pouco irritado.


Se eu tiver sorte talvez o caderno ainda esteja lá. 


Quando chegou lá, Deidara começou a olhar cada canto de onde se lembrava de ter visto o caderno pela última vez, mas, parecia que o universo estava conspirando contra ele.


- Não está aqui.. - Abaixou a cabeça. - Por que está tudo dando errado hoje?! - começou a andar até a escola, ele já estava atrasado. 


Assim que Deidara chegou lá, pediu desculpas ao professor por ter se atrasado e se sentou no seu lugar.

Ele estava um pouco aliviado, pois assim que entrou na sala a primeira coisa que fez foi ver se sasori estava, e para sua felicidade, sasori estava bem e sentado em seu lugar.


[...]


- Antes de saírem para o recreio, deixem seus trabalhos aqui, por favor.


Todos da sala entregaram seus textos e saíram.


- Sasori!


- Sim? o que foi?


- Sobre o que aconteceu ontem.. você está melh..


- Não conte a ninguém sobre o que aconteceu ontem, e por favor, não toque tanto nesse assunto.


- Ah.. está bem. Desculpe.


- Você terminou o desenho?


- Eu perdi o caderno.


- Ah, entendo. O que vai fazer agora?


- Vou tentar achar ele.. eu vou lá pra fora tá? tchau.. - Saiu da sala e começou a andar pelos corredores da escola, até que viu um grupo de 3 a 4 alunos em volta de um garoto. - O que está acontecendo alí? Bom, não é do meu interesse, entã...- Deidara acabou sendo interrompido.


- Ei, garoto?


- Sim?


- Você é o tal Deidara?


- Sim, por que?


- GENTE, ACHAMOS ELE!


- O que?


- Então você é dono daquele caderno?


- Caderno? vocês estão com o meu caderno?


- Então ele é realmente seu. - um garoto diferente apareceu segurando o caderno.


- Vocês acharam.. obrigado! - Sorriu. - Podem me entregar de volta?


- Por que nós te dariamos algo que nos pertence agora?


- ..Como assim?


- Eu achei isso aqui ontem a noite jogado em um banco.


- Eu deixei jogado sem querer.. é meu!


- Bom, eu achei, e a achado não é roubado, certo?


- Me devolvam, por favor.


- Eu achei os desenhos daqui feio, sabe? E Já que isso é meu, não se importaria se eu fizesse isso, certo? - O garoto abriu o caderno e rasgou um dos desenhos.


-Não! por favor, pare! -Os garotos que estavam junto a ele seguraram deidara o deixando imóvel enquanto o outro continuava rasgando. - Parem de rasgar meus desenhos! parem agora! - Deidara tentava se soltar, mas cada vez que tentava, os garotos o seguravam com mais e mais força.


- Seus desenhos são horríveis. - Ele disse enquanto rasgava os desenhos que restavam.


- Parem agora o que estão fazendo ou eu vou chamar o diretor!


- Os garotos que seguravam deidara o soltaram rapidamente, e a mesma coisa aconteceu com o garoto que tinha rasgado seu desenho.


- Você está bem?


- Meus desenhos... todos foram rasgados.. - Ele começou a pegar todos que estavam no chão e pegou seu caderno, que tinha sido jogado no chão quando o garoto saiu correndo.


- Esses idiotas sempre estão implicando com as pessoas!- Estendeu a mão para deidara. - Vem, eu te ajudo a levantar. 


- Deidara pegou na mão do garoto e se levantou.


- Obrigado, Sasori.


- Não precisa agradecer.. o que eles estavam fazendo com o seu caderno?


- Eu deixei ele jogado no banco ontem e eles acharam.


- Era um caderno importante, não era?


- Sim.. a minha mãe tinha me dado ele um mês antes de sumir..


- Sumir?


- É, bom.. problemas de família.


- Entendo, bem.. eu vim te pedir desculpa por ter sido meio grosso com você ontem quando me ajudou e por mais cedo também.


- Não precisa se desculpar.


- Precisa, e também.. Obrigado, você me salvou ontem.


- Não precisa agradecer, é isso que amigos fazem, certo? ajudam um ao outro na hora que precisam! - Sorriu. - Eu já vou voltar pra sala.. até depois Sasori. - Se virou e saiu de lá.


[...]


- Estão liberados.


Todos da turma saíram rápido, e Deidara foi um deles.

Ele só queria estar em casa, trancado em seu quarto sem falar com ninguém, queria apenas ficar só.

Após sair de sala, Deidara apenas ficou lá esperando seu irmão, que não demorou muito para aparecer.


- Dei, vamos!


- Vamos.


- Vai querer fazer algo antes de irmos para casa?


- Não.


- Certeza?


- Sim.


- Como foi na escola?


-Divertido.


- Conseguiu achar o caderno? 


- Não.


- Entendo.. 


Os dois foram caminhando até sua casa em um silêncio absoluto, até que obito resolveu quebrar aquele silêncio.


- Deidara.


- Oi?


- Eu vou sair com um amigo hoje, você quer ir?


- Eu não iria atrapalhar?


- Não, ele me disse que ia levar outra pessoa também, e parece que é da sua idade.


- Ah sim.


- Vai querer ir ou não?


Talvez seja legal..


- Vou querer ir!


- Ótimo! vou avisar ele. - Os dois entraram em casa e foram para seus quartos para começarem a se arrumar.


1 hora depois.


- DEIDARA, VOCÊ JÁ TÁ PRONTO?!


- Tô quase.. espera.. tô pronto. - Saiu do quarto.


- Finalmente! vamos.


- Vamos.


Os dois saíram e entraram no carro, não demorou muito para chegarem ao local marcado.

Os dois entraram no lugar e foram a procura do amigo de Obito.


- Ele está alí. - Obito pegou Deidara e o levou até ele.


- Olá Obito!


- Eai! cadê seu outro amigo?


- Meu primo foi ao banheiro, Jajá ele volta.


- Ah sim, esse aqui é meu irmão, Deidara!


- Olá.. 


Espera.. eu já vi esse rosto antes!


- Me chamo Itachi, é um prazer conhecê-lo, Deidara!


- Prazer.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...