História The Attendant. - Jikook - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Got7, Jikook, Kookmin, Monsta X
Visualizações 91
Palavras 1.696
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooie, boa leitura. ❤

Capítulo 10 - X. Isso o irritou?


Jimin acordou às 7:00 da manhã com seu celular despertando, e teria o jogador na parede, se não tivesse lembrado que se tratava de seu celular. Levantou-se, indo tomar seu banho e logo em seguida escovando seus dentes. Vestiu uma roupa um tanto quanto confortável, porém, apresentável, passou seu perfume preferido, e penteou seus fios cinzas, já desbotados por conta do tempo que estavam daquela cor.

Já é hora de trocar essa cor, não acha, Mochi?

Sorriu ao lembrar-se do apelido dado por duas das pessoas que mais amava.

Sua avó e Jooheon.

Apesar de conhecer Jooheon a pouco tempo, confiava no mais velho, que também mostrava confiar bastante em Jimin. Ambos não ligavam para o que os outros diziam sobre se conhecerem a alguns dias e já serem tão grudados, e agora "namorados".

Jimin se desligou de seus pensamentos quando viu que já eram 8:30 e que estava consideravelmente atrasado. Guardou seu celular no bolso indo em direção a porta, porém, voltando quando percebeu que havia esquecido seu fone. Pegou o mesmo, voltando para seu caminho original, passando pela porta e a trancando pelo lado de fora, fazendo uma nota mental para que não demorasse tanto no banho da próxima vez. Ao passarem pela sala, se despediu de sua mãe, avó e de Jackson, que o olhou assustado estranhando a situação. 

Jimin andava em passos apressados, porém, suas pernas curtas não ajudavam muito. 

Merda! Por que tive que nascer tão pequeno? Qual é, devia ser um anão, seria melhor.

Jimin quase corria, quando chegou a loja, adentrando a mesma e logo tirou seus fones, pegando o celular e olhando o horário; 09:15. Estava 15 minutos atrasado. Não que fosse muita coisa, mas era algo.

– Me desculpe pelo atraso. — disse se curvando. — Houveram alguns imprevistos e...-

– Tudo bem, não precisa desculpar. Acabamos de abrir.

– Oh, tudo bem. — disse respirando com dificuldade.

– Prazer, sou Jeon Jungkook, e ficarei te supervisionando pelo resto da semana. — disse estendendo a mão educadamente.

– Prazer, Park Jimin. — disse sem jeito, apertando a mão do moreno.

– Você tem quantos anos, Park.

– Por favor, me chame apenas de Jimin. — disse sorrindo. — 19. E você?

– Tenho 19.

– Então você é meu dongsaeng. — Jimin disse, apenas para que a conversa não acabasse ali. Gostara de ouvir a voz do menino bonito e cheiroso que o atendera no dia anterior. — Seu perfume é cheiroso.

– Oh, obrigada, Jimin hyung. — disse envergonhado. — O seu também é. Amo perfumes doces.

– Obrigada. — disse dando seu eye-smile.

– Aigoo, que coisa mais fofa. — Jungkook não pode se controlar ao ver o eye-smile do mais velho. Era algo tão fofo e natural. Assim como o de sua mãe.

– Você que é fofo, com esse sorriso de coelhinho. — disse ainda sorrindo.

Ambos ficaram ali, sorrindo para o outro, deslumbrado a beleza alheia, sem nem ao menos perceber, até que a mãe de Jungkook chega, atrapalhando - mesmo que semquerer - o fofo momento dos dois meninos que acabaram de se conhecer.

– Bom dia, senhora Jeon. — disse se curvando. 

– Bom dia, Park. — disse se curvando, assim como o menor. — Vejo que se deram bem. Espero que se tornem amigos. — sorriu, vendo os dois meninos cotarem e sorrirem também. — Bom, Park, como esse é seu primeiro dia, o deixarei organizando as coisas que estiverem fora do lugar pela loja, e você, querido — disse direcionando o olhar a Jungkook —, pode cuidar do caixa para a mamãe? 

– Aigoo, omma! Mamãe? — sussurrou para a mais velha.

– Me desculpe, filho. Só posso falar assim dentro de casa? — disse também sussurrando, vendo o menor dali assentir positivamente com a cabeça. — Tudo bem, me desculpe. — disse, e logo voltou ao tom de voz normal. — Eu vou ficar fora hoje, vocês acham que conseguem cuidar da loja sozinhos para mim? 

– Claro, omma.

– Com certeza, senhora Jeon. Cuidaremos como se nosso emprego dependesse disso. — Park disse fazendo os ououtros dois presentes rirem de sua fala.

– Tudo bem. Espero que não me decepcionem. Conto com vocês. — a mulher disse e depositou um beijo na testa de seu filho, saindo do estabelecimento. Na verdade, a senhora Jeon não havia nada a fazer. Só queria que seu filho conversasse com o mais novo funcionário da loja. E sobre supervisionar, era somente uma desculpa boba para que Jungkook não se isoladas e ficasse o mais longe possível de Park. Tudo fora cautelosamente pensado pela mais velha.

– Agora podemos fechar a loja e ir cada um pra sua casa. — disse Jungkook simplista, assim que sua mãe saiu de seu campo de vista.

– Como é? — Park se virou assustado para o menor.

– Ah, você sabe. Fechar a loja, e dizer que tudo ocorreu bem. Não vieram clientes à loja, apenas ficamos aqui, conversando e quando vimos... Puf. Já era hora de fechar.

– M-Mas, isso não seria errado, senhor Jeon? Não querendo faltar com respeito, mas... Sua mãe pode ficar brava com você.

– Não me chame de senhor, por favor. Oras, sou mais novo que você. — disse rindo. — E não vamos fechar a loja. Era só brincadeira. Você caiu. Jungkook win.

– Oh, claro. Saiba que você me assustou senhor Jeon. — disse e recebeu um olhar reprovador do menor. — Jungkook. — corrigiu. — Então... Você não vai fechar a loja, certo?

– Não. Senta aí, vamos conversar enquanto não chega nenhum cliente. — disse apontando para o puff que havia na loja.

– Claro. — disse se sentando aonde Jungkook o havia mostrado, aliviado por tudo não ter passado de uma mera brincadeira.

– E então, Jimin hyung, de onde você é?

– Sou de Busan, mas vim pra cá por motivos familiares. — disse se lembrando de quando decidiu viajar para Busan pela proposta de emprego que seu pai recebera, lembrando também, de que o mesmo havia os abandonado em uma cidade que nenhum deles conhecia nada. — E você?

– Também com de Busan. Minha mãe conseguiu minha guarda. No começo mão queria vir, mas... Eu gostava de Busan, não que queria estar com meu pai, porém, preferia a cidade. Agora vejo que aqui é consideravelmente melhor. E tenho a companhia de minha omma comigo. Me sinto melhor assim, sabe?

– Entendo. Sabe, eu vi você a repreendendo por ter se referindo à ela de mamãe. Você costuma chamá-la assim? — Jungkook nada respondeu, apenas olhou para fora da loja, em total silêncio. — Eu costumo chamar minha avó desse jeito. Muitas pessoas dizem que sou infantil ou imaturo demais por chamá-la de vovó. Mas eu não ligo. Gosto de chamá-la desse jeito. Me traz boas lembranças. — disse sorrindo.

– Não é infantil. É só que... Não te conheço direito, e não sabia como você reagiria. Já tenho problemas demais para me preocupar com alguém me zoando pelo jeito que minha omma me trata. Só queria ter evitado isso.

– Não tenho costume de zoar as pessoas, dongsaeng. Não acho que seja algo legal. Essa pessoa não terá boas lembranças, boas experiências, e muito menos uma boa impressão de mim. Prefiro tratá-las do jeito que eu gostaria que me tratassem. 

– Você parece ser alguém muito bom, Park hyung. Gostei de você. — disse e corou levemente, vendo o mais velho corar logo em seguida.

– Yaa! Também gostei de você Jungkook.

O mais novo sorriu com a frase do mais velho. Era a primeira vez que ouvira aquilo de alguém que havia acabado de conhecer, e sentia que não estava falando da boca para fora. Park Jimin parecia ser alguém realmente legal, e apesar de toda a timidez que Jungkook sentira ao falar com o baixinho, se sentiu melhor depois daquilo. Achou que tudo valeu apena. Todo seu esforço para dizer as primeiras palavras de seu diálogo com o menor, todo seu esforço para levantar a mão para o mesmo. Não era como se estivesse atendendo alguém. Era como se estivesse fazendo uma nova amizade. A tempos Jungkook não sentia essa sensação em seu peito. Era uma sensação boa, que se alastrava com Jimin ali. O menor conseguira fazer o outro se sentir bem com apenas alguns minutos de conversa, o que fez Jeon realmente querer conhecer mais o menor. Jeon se lembra da última vez que se sentiu assim, e essa fora com seu melhor amigo, que estudavam juntos desde o ensino fundamental. Agora não se viam mais, porém, o rosto sempre sorridente do amigo não saia da mente se Jeon Jungkook. Sentia saudades do sorriso quadrado de Kim Taehyung e de suas palhaçadas, de como podia contar com o Kim, e de como o mais velho sempre o fazia rir, quando o menor estava triste. Kim Taehyung era claramente o melhor amigo que alguém poderia ter, e este alguém, era Jeon Jungkook, que se sentia mal por não ser brilhante como o amigo. 

Saiu de seus pensamentos assim que ouvira o sininho da porta, anunciando que alguém havia chegado.

– Boa sorte, Jimin. — disse e viu o menor sussurrar um "obrigada" enquanto se levantava e ia em direção a porta atender a mesma menina que dera em cima de Jeon no outro dia. O moreno se sentiu irritado com a presença dela ali. Agora estava dando encima de Jimin também. Ela não tinha vergonha na cara não? Viu Jimin se aproximar com a menina em seu encalço, e o menor logo perguntou aonde estava um tipo de roupa específico, logo sendo respondido por Jungkook. O menor então seguiu para a direção que Jungkook o mostrara, ainda com a menina atrás de si, que piscou para Jungkook assim que passou pelo mesmo.

Aquela menina já estava passando dos limites, e Jungkook não aceitaria isso por muito tempo, se ela continuasse a irritá-lo de tal forma.

Logo Jimin volta, a menina então paga o que havia pego e sai do local, sem antes dar um sorriso de canto para Jungkook, e em seguida para Jimin, que sem mostrar interesse, apenas disse educado: – Obrigada pela preferência, volte sempre. — dando um sorriso amarelo.

– É a segunda vez que ela aparece aqui. 

– Ela é um tanto quanto atirada.

– Sim, eu percebi. Reparou em como ela olhava para suas coxas? Aish.

Jimin pensou por um momento.

Isso havia irritado Jeon?


Notas Finais


Háaaaa até que enfim, desculpem a demora, até eu acho que enrolei demais pra eles se conhecerem ajdnjandjsn perdão.
Bom, espero que tenham gostado, e qualquer erro, me desculpem.
Vocês estão gostando de como tá indo a fic? Se não estiverem, me digam, que eu faço o possível pra melhorar ela, afinal, vocês tem que gostar, certo? Certo!
Até o próximo capítulo. 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...