História The Babysitter (Hiatos) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Barbara Palvin, Brant Daugherty, Justin Bieber
Personagens Barbara Palvin, Justin Bieber
Visualizações 165
Palavras 2.764
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey

Olha só eu aqui novamente.

Quero agradecer novamente pelos comentários e favoritos nos últimos capítulos. Vocês são incríveis!

**LEIAM AS NOTAS FINAIS, É IMPORTANTE**

Boa leitura, amores<3

Capítulo 7 - Butterflies in the Stomach


Fanfic / Fanfiction The Babysitter (Hiatos) - Capítulo 7 - Butterflies in the Stomach

Um Beijo é um segredo que se diz na boca e não no celular ouvido.

-Jean Rostend

Cassie Reynolds Point of View


Desci as escadas lentamente, torcendo para não cair. Eu não era muito boa com saltos, e Hollie praticamente me forçou a vir nesses. 

Eu estava com um vestido azul marinho, um pouco acima dos joelhos, bem colado na cintura e rodado em baixo. De todos os outros vestidos que Hollie mostrava para mim, esse foi o que eu realmente gostei. Meu cabelo estava solto, e tinha algumas ondulações que minha mãe tinha feito, tentei caprichar na maquiagem e até que não me saí mal. 

Minha mãe olhou para mim quando eu já tinha terminado de descer as escadas, ela abriu sua boca algumas vezes, mas não saía nada. Ela parecia emocionada, e eu segurei a vontade de rolar os olhos. Não é para tanto, mas minha mãe é desse jeito.

— Meu Deus, como você está linda, Cass.— Minha mãe pegou em minha mão, e me fez dar uma voltinha.

— Obrigado, mãe.— Agradeci.— Mas acho que não é pra tanto, eu só estou arrumada.

 — Arrumada? Você está maravilhosa, com certeza será a garota mais linda desse baile.— Ela depositou um beijo carinhoso na minha bochecha.— Agora eu quero que faça uma pose, quero tirar fotos do seu primeiro baile de escola aqui em Los Angeles.

— Mãe! Não precisa, eu não sou tão fotogênica.— Ela me ignorou completamente e logo preparou a câmera que estava em sua mão.

— Vamos, Cassie, diga X,  minha querida.— Incentivou.

Sorri para a câmera e logo vi a luz intensa do Flash, pareceu que minha mãe ainda não estava satisfeita, pois logo tirou outra e mais outra foto minha.

Alguém tocou a campainha e eu agradeci a pessoa mentalmente. Era Hollie, ela que ia vir me buscar, eu já tinha avisado para Anthony que iria com ela. E poxa, Hollie estava maravilhosa com seu vestido rosa clarinho, seu cabelo liso e sua maquiagem perfeita. 

— Você está maravilhosa.— Hollie falou quando me viu.

— Você também.— Falei.

— Oi, Sra. Grace.— Ela cumprimentou minha mãe com um abraço amigável depois de minha mãe falar "Só Emma, por favor".— Vamos?— Ela perguntou para mim.

— Sim, claro.

— Divirtam-se, garotas.— Minha mãe falou com um sorriso enorme no rosto. Ela estava completamente feliz ao ver sua filha realmente se encaixando nessa nova vida que levará em Los Angeles, e que estava conhecendo pessoas novas e legais.

— Pode deixar, eu cuidarei dela, Emma.— Hollie falou já me puxando.

— Tchau, mãe, me ligue caso precise de alguma coisa.— Ela rolou os olhos com minha preocupação, que para ela é desnecessária.

— Tudo bem.— Falou por fim.— Divirtam-se.— repetiu.

Hollie dirigia tranquilamente pelas ruas, ela tagarelava e eu ficava com medo dela focar tanto na conversa e acabar esquecendo que estava dirigindo. Paramos no estacionamento da escola e eu desci do carro, me equilibrei nos saltos e Hollie me puxou em direção a entrada do baile. Pude avistar Anthony e outro garoto que eu esqueci o nome - o acompanhante de Hollie - nos esperando na entrada. 

Sorri abertamente e ele me comprimentou com um beijo na bochecha. 

— Você está linda.— Ele falou e eu sorri tímida.

— Obrigado. Você também.— Ele sorriu e olhou para Hollie.

— Você também está linda, Hollie.— Ela sorriu abertamente e o agradeceu.

— Vamos entrar?— O acompanhante de Hollie perguntou e nós assentimos. 

Anthony passou o braço pela minha cintura e me guiou até a festa. Enquanto íamos adentrando, eu podia ouvir a música calma tocando, e a decoração maravilhosa que tinham feito. Logo na entrada podíamos ver algumas luzes pelo caminho, decorando as árvores de fora e as pilastras, dando ao ambiente um ar alegre e romântico. Lá dentro as pessoas dançavam a música que agora, era mais alegre. As mesas decoradas tinham comidas e bebidas - não alcoólicas - e as pessoas se serviam. As luzes de dentro piscavam conforme a batida da música, podia-se ouvir as vozes das pessoas conversando alto por conta da música, todos bem animados. 

— Quer tomar alguma coisa?— Anthony perguntou ao olhar para mim. 

— Não, eu estou bem.— Sorri. 

Começamos a conversar, Hollie tagarelava sobre a decoração da festa, enquanto eu apenas assentia e prestava atenção nas coisas ao redor. Depois de um tempo Hollie me deixou sozinha com Anthony, ela disse que amava a música que estava passando e que queria dançar.

— Então, em qual lugar de Nova York seus avós moram?— Perguntei enquanto estávamos sentados em uma das mesas que tinham ao lado oposto da pista de dança.

— Syracuse.— Ele falou olhando diretamente para mim, por um momento senti o sangue nas minhas bochechas, com certeza as deixando vermelhas de vergonha. É estranho alguém me olhar assim.

— Oh, a cidade natal do rapper Post Malone?— Eu perguntei enquanto brincava com umas das flores do jarro que estava em cima da mesa.

— Conhece ele?— Ele pareceu surpreso.— Você não parece ser uma garota que curte Rap.

— As aparências podem enganar.— Ele deu um sorrisinho de lado, me fazendo esquecer até mesmo de respirar.

— Vamos ter que marcar mais vezes de sair, assim vamos nos conhecer bem melhor.— Ótimo, ele já está pensando em me chamar para sair novamente.

— Eu adoraria.— Confessei.

— Então, você é uma garota muito legal, Cassie.— Ele precisou falar mais alto, começou a tocar uma música mais alegre e alta, fazendo as pessoas gritarem em aprovação na pista de dança.— Você morava onde em Nova York? 

— Manhattan.

— Nossa, eu sempre quis ir em Manhattan.— Nesse instante começou a tocar 'Flightless Bird' e eu só conseguia lembrar de um dos meus filmes preferidos 'Crepúsculo'.— Você quer dançar?— Perguntou quando percebeu que eu movia minha cabeça no ritmo da música.

— Oh, eu não sei se seria uma boa idéia, eu não sei dançar.— Falei envergonhada.

— Eu disse que daríamos um jeito nisso, é só me acompanhar, eu ajudarei você, vem.— Então ele segurou minha mão, me guiando em direção a pista de dança.

Ele segurou minha cintura com ambas as mãos, então eu fiz como nos filmes e passei meus braços pelo seus ombros. Ele começou a se movimentar de um lado para o outro, me levando junto enquanto tinha as mãos sobre minha cintura. Estávamos próximos de mais, e minha respiração estava descompensada enquanto eu tentava respirar e ao mesmo tempo, sentir seu perfume maravilhoso. 

Ele olhava para mim, sorrindo. Ele arrancava alguns sorrisos de mim enquanto contava algumas piadas sem graça, o bom era que mesmo a piada não tendo o mínimo de humor sequer, ele conseguia a deixar mais interessante. Bom, não tão interessante que eu estar conseguindo dançar. Isso era realmente, um milagre. Pude ver que Justin entrou com sua namorada, talvez eles reataram o relacionamento, já que estavam juntinhos.

A ruiva parecia bem feliz em estar com seu namorado, ela sorria para todos abertamente. Não entendi o porquê, mas ele sorriu diferente para mim quando me viu, eu não sei explicar como e nem o porquê disso, mas resolvi deixar para lá. Justin sorriu apenas quando viu seus amigos, logo eles fizeram um toque de mão super elaborado. 

Outra música começou a tocar, essa também era lenta, então eu apenas continuei com os passos anteriores. 

— Viu?— Anthony chamou minha atenção.— Você está dançando, e perfeitamente bem.

— Isso porque você está me ajudando.— Então rodopiamos pela pista de dança, ele nos guiava em movimentos graciosos. Ele olhava para mim e eu sentia aquilo que Ashley sempre falou para mim, mas que eu nunca soube como é a sensação, as famosas borboletas no estômago.

Paramos todos de dançar quando alguém caiu bem próximo a mesa de bebidas, vi que formou-se um círculo de pessoas ao redor da garota caída no chão, e os murmuros das pessoas comentando sobre o ocorrido, o que eu acho que só piorava com a situação. De longe pude ver que a garota era a amiga da Ruiva namorada do Justin. Pude ter certeza quando abriram espaço para os médicos irem até a garota.

Depois que a levaram para o hospital, o diretor falou que estava tudo bem, ele também deu um discurso de boas vindas aos calouros e também aos veteranos. Disse que estava tudo bem com a garota e que poderíamos continuar com a festa, normalmente.

— Você quer tomar alguma coisa?— Anthony perguntou após nós dançarmos mais duas músicas, eu já me encontrava sentada ao lado de Hollie e seu acompanhante, Jonas.

— Sim, eu estou com muita sede.— Ele assentiu, deu seu maravilhoso sorriso e saiu em direção a mesa de bebidas.

— Anthony é uma ótima pessoa, não é?— Hollie perguntou quando seu par também foi pegar bebidas.

— Sim, ele é muito legal e divertido.

— É, eu sei, eu acho que ele gosta mesmo de você.

— Como? Tipo, é claro que ele deve gostar, ele me chamou para vir ao baile com ele, acho que já estamos indo pro caminho da amizade. Tenho certeza que será um ótimo amigo.— Dei de ombros.

— Você sabe que eu não estou falando sobre amizade...

— Nós mal nos conhecemos, Hollie.— A interrompi quando percebi o que ela queria dizer.— Não seria possível que ele gostasse de mim assim, sendo que faz mal uma semana que nos conhecemos.

— O tempo não importa, você começou a gostar dele sem ao menos terem trocado uma palavra sequer.— Ela me deu um olhar sugestivo.

— Não foi bem ass...

Parei de falar quando percebi que as pessoas gritavam eufóricamente e fizeram uma rodinha, será se mais alguém desmaiou? Percebi que não por dois motivos, as pessoas não tinham um olhar de preocupação igual anteriormente, e também por elas estarem gritando "briga, briga, briga". Fomos quase correndo até lá, abri a boca chocada quando vi quem estava brigando. 

Anthony acertou um soco no rosto de Justin, que cambaleou para trás, mas logo se recuperou e revidou. Tentei gritar para eles pararem, mas as pessoas gritavam mais alto que eu. Relaxei quando vi um dos amigos de Justin o segurando e o diretor segurando Anthony, enquanto os mesmos se debatiam, tentando se soltar.

— Por que vocês estão brigando, huh?— Perguntei ficando no meio dos dois, que ainda fuzilavam um ao outro.

— Esse imbecil jogou bebida em mim!— Justin apontou para Anthony, e pela sua voz embargada, pude perceber que ele estava alcoolizado. 

Mas não é proibido bebida alcoólica aqui? Como conseguiram? É, eles sempre dão um jeito, algumas regras não impedem nada. Adolescentes são assim, sempre loucos para quebrarem regras. 

— Eu te disse que foi sem querer, idiota!— Anthony esbravejou.

— Oh, então você vai dizer que tropeçou e a bebida caiu em mim? Me poupe do seu argumento estúpido, Anthony.— Justin revirou os olhos com deboche.

— Na segunda, eu quero os dois na minha sala. Sabem que não permito brigas ou qualquer outro tipo de quebra de regras dessa escola, vocês sabem que quando entram aqui, assinam um termo com as regras, e vocês assinaram, vão ter que arcar com as consequências.— O diretor se pronunciou, soltando por fim, Anthony.

— É melhor você ir para casa, Justin.— Falei realmente preocupada.

— Oh, Justin é teimoso, com certeza não vai querer ir.— O amigo dos olhos claros dele falou.

— Eu não vou embora mesmo!— Justin negou.— Eu não vou embora por culpa desse babaca.

— Não me provoca.— Anthony esbravejou.

Aquilo já estava me deixando mais nervosa que o normal, eu queria muito mesmo deixar isso para lá e me divertir, mas sei como Justin é insistente, com certeza vai querer provocar a noite toda. Sem falar que ele está bêbado. A namorada dele que poderia estar levando ele em casa, talvez estivesse com a amiga que desmaiou.

— Anthony, obrigado pela noite maravilhosa.— Falei olhando para ele. Me senti aliviada quando todos voltaram a fazer o que estavam fazendo antes da briga. O incrível é que todos agiam como se nada tivesse acontecido.— Mas eu vou levar ele em casa, ele está bêbado, Pattie não vai gostar nada disso.

— Mas você não pode deixar de se divertir por ele.— Ele segurou em meus braços.

— Eu sei...— Neguei com a cabeça ao ouvir Justin murmurando coisas, especialmente palavras desconexas que saíam emboladas.— Mas acredite, eu me diverti muito com você, valeu a pena.— Sorri.

— Tudo bem, eu vou te ligar depois, para saber se está bem.— Assenti e me despedi com um abraço e um beijo no rosto.

— Obrigado pela noite.— Falei. Me virei para Justin e o puxei.— Vamos!

— Ei, eeu quero me divertir.— Ele falou puxando seu braço, me fazendo bufar.

— Se divertir? Justin, você já está bêbado. Desse jeito vai arranjar outro problema. Sua mãe não vai gostar disso.— O puxei novamente.

— Por que você está tão preocupada? Com a minha mãe eu me resolvo depois.— Ele falou mas continuou andando comigo. 

Nós iríamos a pé mesmo, a casa dele ficava a umas três quadras, se ele estivesse de carro eu pediria para Pattie falar com o amigo dele para levar. Eu ainda não tinha carteira de motorista e Justin não estava em condições de dirigir. O amigo dele poderia levá-lo, mas eu tinha na mente que Justin ia convencê-lo a deixá-lo ficar na festa, sem falar que o amigo dele poderia ter ingerido bebida alcoólica também.

— Não me faça perguntas.— Falei meio irritada, tirei meus saltos e comecei a andar descalça pelas ruas.— Tantas pessoas para você brigar, tinha que ser logo com meu acompanhante?

— Então ele era seu acompanhante? Poderia ter escolhido um menos idiota.— Ele falou e sorriu.

— Não fala assim, Anthony é uma ótima pessoa.— Rolou os olhos.

— Sonha.— Debochou.— Mas, e aí, você gosta dele?

— Claro, como eu disse: ele é uma ótima pessoa. Tenho certeza que se depender de mim, seremos ótimos amigos.— Andávamos calmamente pela calçada.

— Eu não falei nesse sentido...

— Ah, eu não vou te responder isso.— Suspirei.

— Então você gosta.— Riu nasalado.

— Nem vem, para de falar bobagem.— Fiquei aliviada ao perceber que estávamos chegando na casa dele.

Continuamos andando, agora em silêncio. Eu olhava para os meus próprios pés enquanto caminhava e Justin andava com as mãos nos bolsos. Só agora eu percebi o quanto ele estava bonito nessa roupa formal. Na verdade, Justin é bonito até chegando do treino, todo suado. Afastei esses pensamentos quando chegamos em frente a casa dele.

— Está entregue.— Falei.

— Obrigado, mesmo tendo estragado minha diversão.— Ele bufou.

— Você estragou minha noite também, sabia? Estragou no exato momento em que quis brigar com Anthony.— Mordi o lábio inferior, começando a ficar nervosa e irritada ao mesmo tempo. Então ele olhou para minha boca e começou a se aproximar de mim, quando ele estava em uma distância consideravelmente perigosa, eu o afastei.— Justin, você tem namorada.

— O quê?— Ele semicerrou os olhos.— Eu já disse que terminei com ela.

— E hoje estava acompanhado dela na festa.— Falei com um certo sarcasmo.

— Isso porque eu já tinha a convidado desde o início do ano, eu não queria deixá-la sem um par.— Falou calmo.— Já disse que nada nos impede disso. 

E eu já estava cansada de tentar resistir a ele.

Então ele se aproximou e encostou seus lábios no meu. Tão macios. Senti a ponta de sua língua aveludada pedir passagem e eu cedi. Mesmo com um gosto de álcool - Por conta das bebidas que ele tinha ingerido na festa - o beijo estava ótimo. Joguei os sapatos que eu segurava, no chão e passei os braços pelo seu pescoço, com a mão direita, segurei em seus curtos fios de cabelos loiros. Ficamos nos beijando em uma perfeita sincronia, apenas aproveitando o momento. 

Suspirei em meio ao beijo. Mesmo sendo um beijo calmo, ele estava despertando algo em mim. Aquilo estava tão bom que por aquele momento eu só queria ficar ali, sentindo seus lábios nos meus e desfrutando de cada sensação prazerosa que ele era capaz de me proporcionar. Eu até tinha esquecido que ele tinha acabado com minha noite, com a noite que eu estava tão feliz por Anthony ter me chamado para ir com ele.

Paramos por falta de ar, ele cessou o beijo mordendo meu lábio inferior. Fiquei com os olhos fechados por um instante, apenas retomando o ar de forma calma e tentando digerir isso que tinha acabado de acontecer. Abri os olhos para me certificar de que não estava sonhando.

E essa foi minha noite, a noite e que eu estava acompanhada do moreno com um dos sorrisos mais lindos do mundo, e terminei a noite beijando o loiro que além de ter um dos sorrisos mais lindos que eu já vi, também tem os olhos castanhos mais hipnotizantes. Terminei beijando o loiro que fez eu sentir, pela segunda vez em uma noite, as borboletas no estômago.


Notas Finais


E aí, o que acharam?

Eu queria me desculpar caso o capítulo não esteja tão bom, mas ultimamente eu tenho ficado muito sobrecarregada. Fiz esse capítulo agora pouco nas pressas, e realmente me sinto mal por isso. Prometo que vou me esforçar mais no próximo.

Até o próximo capítulo<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...