1. Spirit Fanfics >
  2. The beast awakening >
  3. Capítulo 1: Voltando a Dimensão Mágica

História The beast awakening - Capítulo 1


Escrita por: e _Min_Saturno_


Notas do Autor


Olá!
Essa é nossa primeira fic, não sabemos se está bom, mas né...
Essa história contém cenas fortes que podem ser gatilhos para algumas pessoas. Caso seja sensível a cenas de violência dêem meia volta e vá ler algo mais calmo, sua saúde mental é mais importante. 
Perdão aos erros.
Espero que gostem <3

Capítulo 1 - Capítulo 1: Voltando a Dimensão Mágica


                                       Planeta Terra


                                   Daegu, Coreia do Sul


                                  Casa dos Min's, 18:43



        –Não, por favor não. – Disse o garoto ao que corria pela casa.        

    Subiu as escadas correndo e foi em direção a seu quarto, logo fechando a porta mas sendo impedido por Heechan que era bem mais forte que si.


      Heechan empurrou a porta com tanta força que o garoto que estava atrás da mesma foi ao chão. 


     Heechan aproveitou a deixa e o pegou pelo cabelo loiro e o tacou brutalmente na cama. 


        Tirou a roupa do mais novo e as usou para prendê-lo na cama.


    Aproveitou que o garoto estava preso e tirou sua própria roupa enquanto observava o garoto se debatendo e implorando para que fosse libertado.


       Foi pra cima do garoto, segurou seu queixo, o forçando a olhar para si.


       – Você pode fazer esse show todo mas eu sei que você gosta.


       – Se tem uma coisa que eu não gosto é disso, seu desgraçado.


     – Quero ver você dizer isso isso quando estiver gritando de prazer. - Não deu nem tempo para o garoto responder e o beijou a força.


       – Eu nunca vou sentir prazer com isso que você faz comigo.


      Heechan decidiu não rebater, e quis acabar com aquilo logo e penetrou o garoto e logo investindo em seu interior sem dar tempo para o garoto se acostumasse, este que chorava e gritava de dor.


    Yoongi estava cansado daquilo, aquilo já acontecia fazia anos e mesmo já sendo de maior ainda tinha que continuar vivendo com aquele cujo tinha que chamar de pai e além de tudo, seu patriarca o ameaça e por mais que quisesse morrer ainda tinha esperanças de que aquilo um dia ia acabar.




                                  Dimensão Mágica


                                  Merüen, Lórinand


                              Sala do conselho, 19:00




     – Eu não consigo mais ouvir disso. – Taehyung bateu o punho com força na mesa. - Nós temos que fazer algo, o garoto é abusado durante anos, não podemos deixá-lo na Terra passando por isso sendo que lá nem é o lugar dele. 


     – Eu sei meu filho, mas tudo tem seu tempo e não é tempo dele vir para a Dimensão mágica. 


     – E quando vai ser o momento certo? – perguntou incrédulo.


    – Você saberá, você que irá  trazê-lo para o nosso o mundo, então você saberá quando for o momento certo, meu filho.




                                      2 meses depois



                                    Dimensão Mágica


                                    Merüen, Lórinand


                                Quarto de Jimin, 04:30




       – Será que dá para os dois pombinhos prestarem atenção em mim.


       – Nós estamos prestando atenção, Tae. – Jimin falou isso e logo deu um selinho em seu namorado e se envolvendo novamente na bolha invisível na qual só existia ele e seu amado. 


      – Estou vendo mesmo o quanto vocês estão prestando atenção. – E fez sua sua melhor de emburrado para convencer o casal.


       – Nós estamos cansados, Taetae.


      – Você fala isso mas se eu deixar esse assunto de lado e for embora eu sei que esse cansaço vai desaparecer e você vai deixar essa criança te fuder e quem vai ficar ouvindo teus gemidos vai ser eu. 


      – Ei, eu não sou uma criança. – Foi a vez de Jungkook falar e fazer sua cara de emburrado, logo, formando um bico, este que o Jimin achou super fofo e teve que dar um selinho no mais novo.


     – É sim, você só tem 15 anos


    – Ok Taetae, nós estamos prestando atenção. – Fez um grande esforço para se separar de Jungkook e ouvir seu melhor amigo. 


    – Já faz dois meses e até hoje nada de sinal nenhum e o garoto continua sendo abusado. 


     – Tae, se não teve nenhum sinal é porque ainda não é o momento certo.


       – Isso não é certo, nós tínhamos apenas que ir a Terra e trazê-lo para a Dimensão mágica em vez de ficar esperando algum tipo de sinal, aqui é o lugar dele de direito, é aqui que ele tem que estar.


      Jungkook e Jimin se olharam e logo Taehyung percebeu que tinha algo errado.

 

      – O que foi?


       – Conta para ele gukkie.


       – O que você tem que contar?


       – Lembra da última reunião que nós teve? – Deu uma pequena pausa, o tempo suficiente do Kim assentir. – Eu fui para a sala do conselho mais cedo, só que chegando lá eu ouvi as vozes de alguém, aí eu pensei que era alguma de nossas mães e então eu decidi bater na porta para não interromper já que poderiam estar resolver algum assunto importante, mas eu conseguir distinguir a voz das duas pessoas.


       – Quem eram?


       – Era o Namjoon e o Jin.


       – E o que isso tem a ver com o garoto.


       – Como eu disse, eu ia entrar, porém, eu ouvi as vozes dos dois e eles estavam falando sobre o poder do Namjoon, o Jin acha que o poder dele está começando a despertar.


       – Mas não tem como saber isso até você simplesmente os ter.


       – De acordo com Jin, tem só para o Namjoon.


       – Como assim?


       – O Namjoon é um elfo branco, não é os poderes elementais dele que estão despertando, mas sim os poderes celestiais. 


       – E o que isso tem a ver?


       – Você sabe dos poderes de um elfo branco, eles também tem visões do futuro, o Namjoon meio que que está tendo essas visões, só que por meio de sonhos, e por causa disso o Jin acha que o poder dele está despertando.


       – Mas você sabe qual era essa visão?


       – Sim, ele viu você e o... – Mas o Kim não estava mas ali, o corpo estava mas sua mente estava em outro lugar.


       Ele estava tendo uma espécie de visão, na mesma era noite e ele estava flutuando no ar e abaixo de si tinha uma ponte, não tinha nada nela além de alguém caminhando no começo da ponte, cada vez essa pessoa chegava mais perto e, logo, Taehyung pode perceber que era o garoto. 


       Chegando onde Taehyung estava, onde também era o ponto mas profundo do mar abaixo deles, o garoto subiu na barra de proteção, logo dizendo um " Adeus " e se tacando e neste meio tempo, o Kim não pode fazer fazer nada, ele não conseguia nem se mexer.


       Logo tudo ficou escuro para Taehyung e ele não viu mais nada, e em menos de 5 segundos, ele abriu os olhos e estavam de volta ao quarto de Jimin.


       – Tae? O que aconteceu? – Mas Taehyung não respondeu.


       – Tae, me responde. 


       – É o sinal, eu tenho que salvá-lo. – E não deu tempo nem do Jimin falar algo, logo se  teletransportou para a Terra.




                                     Planeta Terra


                                 Daegu, Coreia do Sul


                           Ayang Railroad Bridge, 04:57




      Desta vez quem estava no meio da ponte era Yoongi e Taehyung estava perto de um restaurante com vista para a ponte. 


         O Kim viu o garoto se preparando para subir na ponte e saiu correndo para impedi-lo.


         Mas era tarde.


         Yoongi já tinha se jogado.


       Isso só serviu para fazer Taehyung correr mais rápido. Chegando no local onde o garoto se tacou, o Kim também se jogou, pouco se lixando com suas roupas, apenas queria salvar o garoto. 


       Não conseguia enxergar nada além da escuridão do vasto oceano. Começou a se mover de um lado para o outro a fim de encontrar o garoto através do tato.


       Sentiu um movimentação perto de si e logo entendeu que era o garoto se debatendo. Agarrou seu pulso e os levou de volta para dimensão mágica. 


       Não especificou um lugar, apenas desejou ir para a Dimensão mágica então poderiam ir para qualquer lugar.


       Logo, sentiu o chão duro abaixo de si, olhou ao redor e reconheceu que estavam no lago Asufel, pela cachoeira e pela água tão cristalina. 


       O garoto agora estava em seu colo e com o máximo de cuidado possível, o Kim o colocou apoiado em uma pedra ali perto.


       Começou a checar o garoto e viu que ele ainda respirava. O pois virado de lado para que quando cuspisse a água que engoliu ele não engasgasse. Se pois atrás do mesmo e começou a fazer pressão contra seu pulmão para que ele cuspisse a água logo, e foi isso que aconteceu. 


         Taehyung se afastou e quando viu que o garoto já não ia cuspir mais nada, o ajudou a se sentar.


       O garoto ficou olhando para o nada, tentando entender o que tinha acontecido e depois de algum tempo que percebeu que não ia encontrar respostas nenhuma olhou para o desconhecido que o observava o tempo todo. 


       – Como você se chama? 


       – Kim Taehyung, e você?


       – Min Yoongi, foi você que me salvou?


       – Sim.


    Começou a olhar ao redor e logo colocou sua atenção no desconhecido de novo.


       – Que lugar é este aqui?


       – Aqui é a dimensão mágica. 


       – Como assim? 


       – É um universo paralelo ao mundo humano, e existe vários mundos assim com várias criaturas diferentes, mas aqui habita elfos. 


       – Como eu poderia estar aqui se eu sou só um humano.


       – Você nunca foi um humano.


       – Não?


       – Você é um elfo, Yoongi. – E novamente o garoto tinha aquele olhar perdido.


       – Mas como? 

 

   – É uma longa história e em breve você vai saber, eu não tenho permissão para falar sobre isso. 


      – Por que você não tem permissão para falar disso? – Perguntou igual uma criança que quer saber de tudo até mesmo do que não pode obter respostas.


    – Só os ministros pode falar sobre isso com você, eu só sei isso porque sou filho da ministra regente e eu participo de todas a reuniões para me preparar para quando eu for substituir minha mãe, já os cidadãos não sabe nem da metade da história. 


     – Algum dia eu vou saber?


    – Pode ter certeza que sim, é sua história, você tem que saber, agora vamos, nós vamos para a cidade Branca que é mais próxima, eu vou comprar roupas novas para a gente, principalmente porque as pessoas podem desconfiar de que você não é daqui. – Disse enquanto se levantava e ajudava o menor a se levantar também. 


      – Não precisa gastar dinheiro comigo. 


      – Claro que precisa e como eu disse, as pessoas podem desconfiar de que você veio da Terra. – Após essa fala Yoongi não falou mais nada.


     Enquanto seguiam caminho pela aquela floresta enorme, milhares de perguntas brotavam em sua mente. 


      – Taehyung? - Ficou em silêncio, prosseguindo só depois de ouvir um " hum? " do outro. – Como você sabe que eu sou um elfo?


     – Seus pais são elfos então provavelmente você seria um elfo também, e se não fosse você não estaria aqui.


       – Entendi. 


       Enquanto seguiam mais e mais perguntas ia aparecendo na mente de Yoongi.


       – Ali é a Cidade Branca.


       Yoongi ficou fascinado, parecia que tinha voltado ao século XIX de novo e que desta vez, ele fazia parte da história. 


       – É lindo. 


       – É mesmo, vem, nós temos sorte que não é nem 6 horas então não tem muitas pessoas na rua, apenas as pessoas mais velhas que tem o costume de acordar cedo para comprar o café da manhã.


      Enquanto seu caminho, Yoongi olhava para todos os lados encantado. 


       Taehyung ouviu o barulho do relógio anunciando que já era 6 horas e seguiu caminho em direção a única loja que ele sabia que abria as portas aquela hora. 


       Os dois entraram em seu destino e desta vez Yoongi ficou fascinado pelo estilo das roupas, ele certamente tinha voltado a era medieval.


       – Pode escolher. – Viu o garoto assentir e ir olhar as roupas e ele fez o mesmo já que suas roupas estavam molhadas e os ventos que viam das montanhas congeladas já se faziam presente.


       Não demorou para escolher e esperou pelo garoto e logo os dois foram ao provador juntos.


       Rapidamente colocou sua roupa, que era uma calça justa preta, uma bota marrom de pano que ia até as suas paturrilhas, uma blusa de frio xadrez azul e preta, por cima um gibão de couro marrom escuro e com detalhes bege, um cinto de couro também marrom amarrado em sua cintura e uma capa azul com delhates marrom e dourado.


     – Yoongi? – Chamou, batendo na porta do provador cujo o garoto estava. – Está pronto? 


       – Quase, só um minutinho.


       Em pouco tempo o garoto abriu a porta, ele estava incrível, parecendo um elfo. 


    Estava vestindo uma calça justa marrom, um contorno também marrom, uma blusa meia estação de tom carmim, uma blusa que ia até seus joelhos também na cor carmim, um cinto de couro preto e uma capa vermelho vivo com detalhes preto e branco.


       – Você está lindo.


       – Obrigado, você também.


  Taehyung foi até o caixa e pagou pelas roupas. Saíram do estabelecimento e o Kim puxou Taehyung em direção ao centro da cidade, onde foram a uma cafeteria, toda feita de tijolos, parecia casa de boneca.


    Entraram e se sentaram em qualquer mesa já que eram os únicos clientes ali, pegaram seus respectivos cardápios e logo Yoongi olhou para o outro em sua frente.


       – Taehyung? – O mesmo abaixo o cardápio e olhou para Yoongi que tinha uma expressão frustrada em sua face. – Eu não sei o que pedir, eu nem sei o que são essas comidas.


       – Bom... então eu vou pedir para você, prefere doce ou salgado? 


       – Salgado. 


     Taehyung olhou mais um pouco o cardápio e logo chamou a atendente.


     – Eu vou querer Bungeoppang de pizza, Gâteau de Poisson en brochette de fromage, Gâteau de riz au chocolat et aux fraises, duas porções de cada e dois copos grandes de suco de laranja.


       – O que são essas coisas?


       – Daqui a pouco você vai vê, acho que vai gostar. 


      – Aquela hora você disse que eu seria um elfo pois meus pais também são, mas meus pais não são, eu nem lembro da minha mãe e o Heechan também não é.


      – Sua mãe era uma elfa, o Heechan não é seu verdadeiro pai, e os dois foram expulsos por traição.


       – Que? Espera aí, me conta essa história direito.


   Para a sorte de Taehyung, a atendente veio trazer seus pedidos, agradeceu gentilmente e focou novamente no garoto a sua frente.


       – Eu falei demais, eu já disse eu não tenho permissão para falar disso.


       – Mas é minha história, eu tenho o direito de saber. 


       – Eu sei mas eu não posso falar disso e agora vamos comer. – Viu o garoto assentir mas a curiosidade sobre seu passado brilhava em seus olhos.


      Yoongi pegou um guardanapo e pegou um que tinha formato de peixe.


       – Esse é o bungeoppang, o recheio é de pizza 


       – É bonitinho. – Deu uma risada anasalada.


       – Esse é o Gâteau de Poisson en brochette de fromage. – Indicou aos  palitinhos com pedaços de peixe na grelha com frutas vermelhas. – E esse é Gâteau de riz au chocolat et aux fraises.


       – Parecem ser deliciosos. 


       – Espera até provar.


       Yoongi deu sua primeira mordida no bungeoppang e suspirou de satisfação, realmente era maravilhoso.


       – É bom, não é?


       – Muito. – E voltou a saborear sua comida e pelo resto da refeição os dois ficaram em silêncio.


       A cada mordida parecia que ficava ainda mais gostoso. 


    Um pouco antes de acabarem de comer, Taehyung chamou a atendente e pediu outra porção de Gâteau de riz au chocolat et aux fraises, que era tipo sushi só que era uma espécie de bolo de chocolate e no centro um morango, para levar. 


      Logo, acabaram de comer e Taehyung foi ao caixa, pagando por tudo e pegando a sacola com o que tinha pedido. 


       – Para onde vamos agora? 


       – Vamos para Nargothrond, lá eu vou mandar uma carta para minha mãe, ai eu vou te deixar descansar e depois nós vamos para Merüen.


       – Entendi nada mas ok, você tem quantos anos? 


       – 17. - Yoongi o encarou perplexo. – O que foi? 


      – Você tem só 17 anos mas fala e age com alguém de mais e também parece ser muito responsável.


     – Eu cresci tendo que ter responsabilidade, ser filho da ministra regente é complicado, o próximo será eu e tenho que aprender a resolver os problemas mas não é como se eu só fizesse isso na minha infância, eu estava sempre aprontando e me divertindo com meus amigos.


      – Entendi, quanto tempo daqui até Nargothrond?


      – Você está pensando que nós vamos a pé?


      – E não vamos?


     – Lógico que não, só de carruagem é mais de uma hora imagina de a pé.


      – E nós vamos de quê?


     – De carruagem. – Disse como se fosse óbvio, já que tinha acabado de comentar sobre carruagem.


       – Entendi.


       Seguiram caminho e rapidamente eles chegaram a um estábulo.


       – Só abre às 7, falta um pouco mais de 5 minutos.


       – Como você sempre sabe as horas? 


       Taehyung apontou para algum local e o loiro seguiu com o olhar e viu uma enorme torre no centro da cidade com relógio nos quatro lados. 


      – E eu aqui pensando que você adivinhava coisas. – Disse tirando uma gargalhada do moreno vendo o sorriso quadrado do maior. 


      – Não tinha como você saber. 


      – Por que você não tem asas? – Perguntou assim que viu uma mulher, aparentava ter uns trinta e poucos anos anos, e ela tinha asas.


      – O que? – O moreno foi pego desprevenido.


      – Ela tem asas. – Disse indicando a mulher. – Por que você não?


   – Cada elfo é designado a um elemento, ninguém sabe como isso funciona e nem como esses poderes são distribuídos, mas quando você entre em contato com o seu elemento você ganha asas e poderes.


       – E que poderes são esses? 


       – Vamos supor que você seu elemento seja o ar, então você controlar o ar e usar isso em guerras e batalhas, mas é raro isso acontecer, a pessoas daqui são bem civilizadas. 


       – Entendi. 


       – Por isso que eu não tenho asas, por que eu não me conectei com o meu elemento. – Continuou.


       – Mas você tem ideia de qual pode ser?


       – Não, não tem como saber. 


       – Será que eu vou conseguir me conectar com o meu elemento? 


       – É claro que vai.


       Depois disto eles ficaram em silêncio e em pouco tempo um senhor , se aproximou, e abriu o portão. 


       – Entrem. – Disse aos dois que estavam do lado de fora. – Estão esperando a muito tempo? 


       – Não, chegamos a uns 5 minutos. – Yoongi se apressou a dizer, não queria causar constrangimento ao senhor.


       – Que bom que não deixei vocês esperando muito tempo mas o que vocês vão querer?


       – Você chegou no horário, a gente que chegou antes, o senhor poderia nos ver uma carruagem e de preferência que os cavalos sejam cavalos do gelo. 


       – Estão indo para onde para precisarem de cavalos do gelo? – Disse enquanto se punha a providenciar o que os garotos queria.


       – Nargothrond. 


       – Agora entendi o porquê da preferência dos cavalos. – Logo sumiu das vistas dos mais novos. 


       – Qual é a diferença entre os cavalos? 


       – Onde estamos indo é muito frio e é capaz de cavalos comum não sobreviver, por isso dos cavalos do gelo, o próprio nome já diz. – Yoongi apenas abriu a boca mas não disse nada. 


       O silêncio se fez presente novamente. O senhor voltou a suas vistas mas parou no meio do enorme corredor e ficou olhando o Kim.


       – Você me lembra alguém.


       – Não, você deve estar me confundido com alguém.


       – É, talvez.


      O senhor continuou a fazer o que tinha que fazer e em poucos minutos avisou que tudo estava pronto e os levou na parte de trás do estábulo e mais uma vez Yoongi ficou encantado com alguma coisa, desta vez foi os cavalos, sua pelagem era branca mas tinha mechas num tom de azul celeste.


       – Por quanto tempo pretende a carruagem e os cavalos?


    – Pretendemos só ir para Nargothrond, lá irei alimenta-los e dar-lhe água e deixarei eles descansando se necessário e mandarei alguém trazê-los novamente e falando nisso, quantos que vai ficar?


       – 300 moedas de ouro.


    Taehyung pegou a bolsinha que carregava consigo e tirou de lá as moedas necessárias.


       – Aqui está. - Virou para Yoongi. – Você espera aqui? Eu vou na casa do Senhor Kim para pedir a alguém para montar os cavalos.


       – Não. – O senhor falou antes mesmo do menos responder. – Meu neto pode levar vocês, é melhor do que incomodar o Senhor Kim.


       – Não precisa incomodar o seu neto e o Senhor Kim é meu pai, não vai ser incômodo nenhum para ele. 


      – Agora eu sei da onde eu te conheço, e não vai ser incômodo nenhum para o meu neto. 


         – Se o senhor insiste, então eu aceito. 


       – Ele deve estar... – Foi interrompido por um "Vovô, cheguei". – Que bom que chegou, preciso que leve esses dois jovens a Nargothrond.


      – É claro, vovô. – Direcionou seu olhar aos dois garotos e foi em direção a carruagem, logo, subindo-a e pegando a rédeas. – Então, a que lugar de Nargothrond vocês vão?


       – Ao castelo. – Taehyung respondeu enquanto pegava o braço do menor com cuidado e se direcionavam para dentro da carruagem. 


    – Ok, tchau vovô. – Viu o velho acenar e, logo, tomou rumo a Nargothrond.


       Dentro da carruagem o silêncio predomina, ninguém dizia uma palavra até que Yoongi resolve quebra-lo.


  – É quanto tempo daqui até essa cidade aí? – A última parte da frase saiu em meio a um bocejo mas mesmo assim o moreno entendeu a pergunta.


       – Em torno de uma hora e meia, você devia dormir, deve estar muito cansado, na hora que nós chegar lá eu te acordo. – Yoongi apenas assentiu e mudou para o outro banco e deitou. – Levanta a cabeça, assim pode te dar dor no pescoço. – Mudou para o outro banco e deixando sua perna de apoio para a cabeça do garoto. 


       Taehyung começou a fazer cafuné no menor e no mesmo instante abriu os olhos o olhando estranho mas logo fechou-os novamente aproveitando do carinho que nunca teve em sua vida e rapidamente dormiu.




                                   Dimensão Mágica


                         Nargothrond, Laurelindórenan


                             Entrada do castelo, 08:46




       – Yoongi, acorda. – Taehyung mexia e Yoongi mas nada do garoto. – Acorda, nós já chegamos.


    Aos poucos Yoongi foi acordando, com a cara inchada e um bico adorável no lábios, Taehyung o achou uma graça. 


       – Nós chegamos, você pode descansar melhor lá dentro.  


    Yoongi não disse nada apenas seguiu o moreno para fora da carruagem.


       Por mais que fosse cedo estava escuro, não um escuro tipo a noite, mas um mal iluminado, devido ao gelo que se tinha em volta de todo aquele lugar, precisa manter os lampiões acessos direto, tanto para iluminar tanto para aquecer. 


       – Ai que frio. – O menor disse assim que pôs os pés para fora da carruagem. 


       – Aqui, toma, sei que não vai resolver muita coisa, mais fica com isso por enquanto, quando nós subirmos eu empresto uma roupa mais quente. – Disse retirando sua capa e colocando no garoto, o ato fez com que eles ficasse com o rosto próximos e fizessem contato visual, esse logo foi quebrado por duas empregadas que saíram de dentro do castelo.


      – Seja bem vindo, Senhor Kim. – As duas disse em sincronia, enquanto fazia uma reverência ao mesmo. 


       – Gostaria de algo, Senhor Kim? – A que aparentava ser mais velha perguntou. 


       – Só guarde isto na cozinha, buscarei quando formos embora. – Estendeu a sacola com o Gâteau de riz au chocolat et aux fraises que tinha pedido para levar, da cafeteria da Cidade Branca. 


          – Mas alguma coisa, senhor Kim?


          – Não, obrigado.


     As duas se retiraram e rapidamente Taehyung e Yoongi também entraram.


        Yoongi olhava tudo estupefato, era tudo tão luxuoso, e a estrutura em si foi feita toda em tons de azuis. 


       – Se você fica assim só de olhar esse castelo imagina quando for ao castelo principal.


        – Que? Espera, como assim?


       – Existe um outro castelo, lá seria tipo o principal de tudo já que fica na capital, aqui nós viemos poucas vezes, só te trouxe aqui para você descansar, e o castelo de lá é muito mais bonito que esse. – Yoongi apenas murmurou um "ah". – Vem, vamos subir. 


       Eles subiram todas aquelas escadas é mesmo assim parecia nunca ter fim.


       – Aonde estamos indo? 


       – Ao meu quarto, fica no último.


       – Eu não aguento mais subir escada.


       – Falta só mais dois andar. – Riu do garoto. – E melhor se acostumar, pois você também vai morar no castelo e seu quarto também é no último andar e o outro castelo é bem mais maior do que este. – Apenas ouviu um resmungo do garoto e não disseram mais nada, apenas continuaram a subir.


     Quando chegaram ao quarto de Taehyung, Yoongi até suspirou de alívio.


       O quarto era enorme, as paredes era azul e branca, um luxuoso lustre com várias vela para deixar o quarto bem iluminado, e vários castiçais espalhados pelo quarto para ajudar ainda mais na iluminação.


       A cama ficava bem no centro, na parede do lado esquerdo tinha uma enorme prateleira, com objetos pessoais de Taehyung e alguns livros, ao lado, uma luxuosa penteadeira e um pouco mais ao lado, tinha uma lareira e duas poltronas em frente a mesma, com uma mesinha de suporte separando ambas. Na parede direita tinha um sofá e uma mesinha de suporte, um enorme guarda-roupa para roupas mais simples, ao lado, duas portas, uma para o banheiro e outra para o closet.


       – Eu vou ver uma roupa mais quente para gente. – Foi em direção a porta da esquerda, a qual correspondia ao closet, deixando Yoongi para trás, esse que foi em direção ao recamier branco que tinha aos pés da cama e sentou lá, esperando o mais alto voltar, coisa que não demorou. 


       – Vem cá. – E voltou ao closet tendo Yoongi o seguindo. – Essas roupas são mais quente e acho que vai lhe servir, mas se não, vai ficar só um pouco maior, você pode ser trocar aqui, eu vou me trocar no quarto. 


       Taehyung pegou sua roupa e deixou o recinto, Yoongi olhou para a roupa que Taehyung tinha escolhido para si.


        Era uma calça azul escuro, quase num tom preto, uma blusa grande de veludo azul que ia até um pouco abaixo do joelhos, detalhes tipo lantejoulas dourada, cinto tbm  azul com o fecho dourado quer provavelmente era ouro, uma espécie de sobretudo azul escuro e conturno preto.


       Yoongi vestiu a roupa, a calça ficou um pouco larga, mas não tão larga a ponto de cair, tirando isso coube certinho.


      Saindo do closet, encontro Taehyung novamente, só não sabia que o mesmo ainda não tinha terminado de se vestir.


    O maior arrumar sua calça, enquanto sua blusa ainda estava totalmente aberta, revelando seu abdômen pouco definido.


       – Nossa, desculpa, eu não devia ter entrado sem avisar. – Yoongi ficou completamente constrangido e fechou seus olhos rapidamente. 


         O Kim até pensou em zoar com ele, mas pensou que ele ficaria ainda mais desconcertado, principalmente, por tudo o que passou. 


     – Ei, está tudo bem, não precisa ficar deste jeito. – Apressou-se a terminar de se arrumar e tranquilizar o menor. – Pronto, pode abrir os olhos. – E, assim, Yoongi o fez. 


        – Sério, desculpa, eu não queria... 


     – Está tudo bem, garoto, não precisa se preocupar. – O garoto se perdeu em seus pensamentos antes de assentir e não disse mais nada. 


       Tinha ficado um clima estranho entre eles, então, a fim de melhorar este ar instalado entre eles, foi em direção ao sofá, sentando logo em seguida e batendo no espaço ao seu lado, indicando pra que Yoongi sentasse ali. 


       – O que você tem achado de tudo isso? 


       – Bom... é diferente, sabe, isso no meu mundo é conto de fadas, para mim essas coisas nunca existiu, até agora.


       – Imagino, deve ser muito diferente.


    – E é, lá não tem pessoa com asas e nem poderes, e as orelhas também, aqui é mais pontuda. 


      – Isso é verdade, você já reparou que suas orelhas também mudaram? – Era possível ver a grande dúvida em seu rosto, então levantou-se, estendendo a mão para o branquelo e logo aceitou e, puxou-o para a outra extremidade do quarto, onde havia um enorme espelho, e deixando Yoongi notar suas "novas" orelhas. 


     Olhou atentamente para suas orelhas, reparou na diferença, agora mais pontudas, parecendo, realmente, com as descrições e desenhos de elfo que existia no mundo humano, e suas orelhas era só mais uma confirmação de que era, realmente, um elfo. 


      Passou a mão nas mesmas, ainda acreditando que podia não ser real.


    – É real? – Pegando o maior de surpresa, pois até agora estava reagindo bem, tentando entender esse mundo completamente diferente.


       Taehyung não soube responder, então, apenas ficou em silêncio, atrás do mesmo, apenas o observando. 


       Yoongi ainda estava perdido em seu mundo, perguntando-se se aqui aquilo era realmente real.


   Nunca acreditou nessas coisas de universo paralelo, e agora simplesmente o próprio universo lhe provava o contrário. Mas será que aquilo realmente era realmente? E se fosse só um sonho e quando acordasse nada disso existisse mais? E se fosse apenas sua mente querendo lhe pregar uma peça? 


       Seus pensamentos e todos os seus "e se" foram todos cortados pelo som de alguém batendo e Taehyung dizendo um "entre" baixo, porém, alto o bastante para a pessoa do outro lado ouvir. 


    A porta se abriu, revelando uma empregada. A mesma fez uma referência aos dois, logo, dizendo o assunto a qual foi tratar ali.


       – Senhor Kim, a Senhora Kim e a Senhora Jeon acabaram de saber que Senhor estava no castelo e pede que o Senhor desça a sala de jantar, onde as Senhoras estão tomando seu café da manhã.


       – Qual Kim? – Yoongi estava completando perdido no assunto, quem eram essas mulheres? 


       – A Senhora Kim Goeun, Senhor.


       – Ok, logo descerei. 


    A empregada lhe fez outra referência, logo, mirando Yoongi e lhe fazendo uma referência também e se retirando do recinto. 


       – Está afim de descer essa escada? – Lembrou-se do pequeno drama que o menor fez ao subir todos aqueles lances de escada.


       – Preciso responder? – Só a cara do mesmo já dizia que o mesmo não estava nem um pouco animado.


       – Logicamente que não, mas vai ter que descer. – Foi em direção a porta, tendo Yoongi o seguindo. 


       – Me leva no colo. – Fez sua melhor cara de cachorro abandonado, a fim de convencer o maior. 


       – Não, e nem adianta fazer essa cara de cachorro sem dono. 


       – Por favor, Taehyung. 


       – Você é mais velho, você que tinha que me carregar e cuidar de mim.


       – Mas você é mais alto.


       – Isso não importa.


       – Claro que importa, eu não consigo pegar alguém maior do que eu. 


     – Se for pensar por este lado você tem razão. – Yoongi sorriu satisfeito por ter feito o maior entender. – Mas nós já estamos chegando, então você vai andando mas eu te levo numa próxima vez. 


    – Sério? – Virou-se para o maior, vendo o mesmo assentir, e num impulso pulou no mesmo, o abraçando, mas ainda tinha que ficar na ponta dos pés. 


       O ato pegou o Kim completamente de surpresa. 


      Para Yoongi, aquilo podia ser o começo de uma mudança em sua vida, seu primeiro amigo, quem possa contar para lhe ajudar a superar seus traumas. 


   Para Taehyung, foi completamente diferente, ele sentia que devia proteger aquele garoto a qualquer custo, ele parecia frágil e tudo o que passou se tornava ainda pior, sentia que tinha que o proteger de seu passado, de sua mente e do que o futuro planejava para aquele garoto. 


       Naquele momento, naquele ato, naquele simples abraço, Taehyung fez uma promessa a si mesmo, protegeria aquele garoto de tudo. 


       Ao desfazer o abraço, Taehyung deu um sorriso e bagunçou o cabelo, fazendo o menor fazer uma carinha de bravo, formando um bico adorável. 


       Taehyung indicou para que continuasse seu caminho. O maior guiava Yoongi por aquele labirinto de corredores e escadas que parecia nunca ter fim. 


       Pararam em frente a uma enorme porta, e Taehyung, logo, a abriu, revelando um enorme espaço, com uma enorme mesa, com certeza teria mais de cem lugares, talvez até mais, mas apenas dois eram ocupados. 


       As duas mulheres ali presente se levantaram e olharam para os dois. Taehyung lhe fez uma referência, vendo tal ato, Yoongi também o fez.


       – Bom dia, Taehyung, vejo que era verdade o que Jimin disse. – Goeun disse, analisando. – Ele é o garoto mesmo?


       – Sim. 


    – Como vai, anjinho? – Dahye perguntou diretamente a Yoongi, e o mesmo não podia deixar de achar a mulher falsa.


       Yoongi apenas assentiu, indicando que estava bem. 


       – O que Jimin disse exatamente a vocês?


       – Se junte a nós e depois explicaremos, e você deveria mandar uma carta para sua mãe, explicando a situação. – Taehyung negou com um aceno a proposta da refeição, mas sentou-se, com Yoongi a seu lado, não antes de pedir a um dos empregados para trazer-lhe um papel e um pincel com tinta. 


   Começou a escrever a carta para sua mãe, enquanto as duas conselheiras comia e explicava ao Taehyung.


       – De madrugada, quando você foi para o Planeta Terra, o Jimin entrou em desespero e foi ao quarto da sua mãe, e disse que você simplesmente desapareceu no ar e, logo, ela entendeu o que tinha acontecido, então, ela convocou uma reunião no mesmo instante, para explicar que provavelmente ele chegaria, também disse que houve ataques na ala leste, por isso viemos para cá, tanto para vermos o dano que teve e reconstruir o gelo, e por sorte nossos guardas conseguiu deter os ataques mas eles escaparam.


     – Como assim eles escaparam? – Terminou de escrever a carta e focou nas duas à sua frente. 


      – Eles eram poucos, e eles desistiram facilmente e fugiram, parece que eles estavam só para assustar, não achamos que eles voltaram. 


     – Ou não, pode ser um aviso, ter outros ataques. – Disse se levantando.


       – Não acho que seja. – Goeun tentava colocar na cabeça do garoto, que não precisava se preocupar. 


       – Vamos convocar uma reunião com o conselho para resolver esta situação, precisamos ir. 


       Os dois saíram do recinto, e foram em direção ao corujal, lá ficava as corujas mensageiras e elas eram nem treinadas para isso. 


    Mandou preparar uma carruagem para Merüen, deixou Yoongi ali esperando e disse ao mesmo que iria a cozinha pegar o Gâteau de riz au chocolat et aux fraises que tinha pedido para guardar. 


     Enquanto esperava sentado na fonte que tinha no pátio, Yoongi pensava sobre Taehyung. Ele mudou de personalidade rapidamente, uma hora era agindo como se fosse amigos e na outra estava agindo como se fosse superior e friamente. 


       Mas talvez seja só uma maneira para impor poder e o levasse a sério, mas desde então, ele também mudou consigo, não conversaram sobre nada em específico, ele apenas o seguiu por aqueles corredores e depois e disse para si para esperar ali, pois já voltava. 


       E quem era aquelas duas? Mas cínica que elas impossível, parecia que as duas armavam algo juntas. Algo que não era bom.


       Perdido em pensamento, nem percebeu quando o cocheiro direcionou a carruagem para frente da fonte, onde ele se encontrava. 


         Decidiu não entrar, e esperar por Taehyung. 


     Ficou preso em seus pensamentos novamente, e quando o maior chegou, ele apenas entrou na carruagem e continuou em seus próprios pensamentos. 


     Queria saber quem eram aquelas duas mulheres e o porquê de Taehyung ter mudado tanto deste jeito. 


       – Yoongi? – Foi tirado de seus pensamentos pelo próprio garoto que ocupava sua mente. – Está tudo bem? Você está quieto e perdido em seus pensamentos. 


       – Está tudo bem, só estou pensando em algumas coisas, você mudou de uma hora para outra. 


       – Só estou preocupado, este ataque pode significa qualquer coisa. 


       – Tenta relaxar um pouco, talvez pode ser como aquela mulher falou, mesmo eu não confiando nela, pode ser nada demais. 


       –  Faz tempo desde que não temos nenhum ataque, pode significar qualquer coisa, e como assim? Você não gostou delas?


       – Parecem ser falsas, elas falam com muito cinismo. 


       – São o jeito delas, mas vamos parar de falar delas, o que você tanto pensava aquela hora em frente ao espelho, você até me perguntou se isso é real. – Taehyung sabia que aquelas duas eram estranhas, mas era só o jeito delas, e não queria fazer Yoongi pensar nestas coisas. 


      – Isto tudo é muito diferente, eu nunca acreditei nessas coisas, e agora tudo se prova o contrário. 


    Continuaram sua conversa, mesmo que Yoongi estivesse meio acanhado. Conversaram sobre tudo, sobre as diferenças entre o Planeta Terra e a Dimensão Mágica, como foi viver a infância num lugar mágico, Yoongi contou que nunca teve liberdade para sair então não aproveitou a infância.




                                       Dimensão Mágica


                                       Merüen, Lórinand


                                   Castelo Principal, 11:42




       A carruagem tinha finalmente chegado ao seu destino. Tinham feito uma parada rápida numa cidade vizinha e logo tomaram rumo a Capital novamente. 


       Tinham acabado de passar pelo portão do castelo e estavam, agora, passando pelo enorme jardim.


       Yoongi olhava pela janela e olhava a diversidade de plantas de ali existia.


     Assim que saíram da carruagem, Yoongi ficou estupefato pelo tamanho do castelo, parecia ser o dobro do castelo de gelo. 


         O Kim só observava o vislumbre do garoto, mas era compreensível, já que nunca teve uma vida de luxo. 


       Entraram no castelo, podia até se dizer que seu exterior era simples em vista do interior. 


        As paredes eram brancas cheia de detalhes que Yoongi pensou ser de ouro, as escadaria deslumbrante e o corrimão também de ouro. O chão tão liso que poderia escorrer. 


       – Vou te mostrar seu quarto, e aquela hora que eu falei que seu quarto era no último andar eu não estava brincando. – Tudo que Yoongi queria era que aquilo fosse mentira, sempre fora sedentário e agora tudo que fazia era subir e descer escadas. Provavelmente, tinha subido mais lances de escada neste dia do que sua vida toda. 


   Taehyung ficou na frente de Yoongi, mas de costa para ele, logo, agachou, ficando numa boa altura para Yoongi poder subir.


       – Tae, eu estava brincando quando falei aquilo. 


       – Só sobe logo aí. 


       E foi isso que Yoongi fez, subiu nas costas de Taehyung, fazendo com que o mesmo levasse as mãos as suas fartas coxas ecomeçasse a subir. 


       – Eu gostei. – Yoongi não entendeu e murmurou apenas um "hum?" – Você me chamou só de Tae, eu gostei. 


       – Então vou chamar você assim mais. 


       – Ya, que fofo. 


    – Eu não sou fofo. – Se Taehyung poderia ver o rosto de Yoongi vermelho de vergonha. 


    Pela conta de Yoongi aquele já era o sétimo andar mas Taehyung continua por aqueles corredores e escadas sem fim. 


       – Pode deixar eu terminar agora, e você deve estar cansado. 


     – Eu estou bem e eu vou te levar até o último andar, eu lembro que quando eu era criança eu subia e descia essas escadas correndo. 


       – Passar a infância aqui deve ter sido bom. 


       – E foi, pensa em uma criança correndo por esses corredores vazio e pregando peças nos empregados e nos guardas, era eu e meu amigos, nós éramos uma praga. – Os dois riram, Yoongi conseguia imaginar.


        – Você deve ter dado trabalho para eles. 


      – Sim, pior ainda era na aula de etiqueta, os professores tentando fazer nós ter algum jeito refinado e quanto mais ele fala mais era pior, eu odiava aquelas coisas de faca assim, garfo ali, para quê serve cada talher.


      – Tadinho dos seus professores, eu sempre quis ter essas coisa, sabe, mas não era possível, e você aí desperdiçando essa oportunidade. 


       – Você vai ter que aprender isso também, só que mais para frente e chegamos. 


       Taehyung largou uma das coxas de Yoongi, para conseguir abrir a porta, assim que o fez, revelou um enorme quarto.


       As paredes eram azul meio esverdeadas, com detalhes numa cor de ouro envelhecido, tinha dois sofá de frente um para o outro com uma mesinha separando, isso bem no meio do quarto. 


       Ao lado direito tinha duas portas, uma era de madeira e a outra era um porta espelhada, que, provavelmente, corresponderia ao banheiro e closet. 


      Ao lado esquerdo tinha tinha uma penteadeira com tudo que uma pessoa precisaria para se arrumar e ainda sobraria produtos, ao lado tinha uma pequena exposição de foto, a maioria era foto de bebê, porém, algumas era de uma família, mas o bebê estava sempre junto. 


      Tinha um degrau, que levava a cama, aos pés da mesma tinha um becamier, a cada lado dela tia um criado mudo e ao lado, tinha uma poltrona. 


       Espalhados pelo quarto tinha várias colunas, brancas com detalhes azul meio esverdeado e mais abaixo tinham suportes com velas, isto em todas as colunas. Bem no centro do quarto, no teto, tinha um enorme lustre, equipado com velas. 


     Taehyung caminhou com Yoongi em suas costas até a cama, o colocando lá e se sentando na poltrona ali perto. 


         – Obrigada, Tae. 


       – Vá tomar um banho, vou te emprestar uma roupa até comprarmos roupas novas para você, é a porta de madeira. 


      Yoongi apenas seguiu a porta indicada, o banheiro era enorme, do lado direito tinha uma pia enorme, praticamente, tomava conta da parede inteira, se não fosse por uma penteadeira ali existente. Em frente tinha uma escada, com apenas três degraus, que levava a banheiro. Mais no fundo, tinha um outro pia, uma entrada do lado esquerdo, onde ficava o vaso sanitário, e do lado direito tinha uma outra porta, a qual interligava o banheiro e o closet. 


     Yoongi colocou a banheira para encher e começou a abrir todas as gavetas, até achar uma com roupões e toalhas, pegou um dos roupões e o colocou pendurado perto da banheira. 


     Tomou o banho tranquilamente, lavando cada parte de seu corpo. Quando saiu, colocou o roupão e pegou uma toalha para secar seu cabelo. 


       Saíndo do banheiro, encontrou um conjunto de roupa sobre a cama. 


     Vestiu a cueca preta com listras vermelha na bainha da mesma, em seguida, a calça de couro preta e colada. As pessoas dali realmente gostavam de calças coladas. Vestiu a blusa azul escuro, que ficava um pouco grande para si, com linhas prata, linhas essas que não tinha um curso, apenas seguia fazendo zigue zague, que começava em seu peitoral, passava por seus ombros, continuava por suas costas e ia para barra da blusa e se encontrava na parte da frente da blusa, e essas mesmas linhas, também tinha na manga na blusa. Tinha um pano de seda, também prata, que não soube onde colocar. E por último, colocou as sandálias de couro preto. 


       Terminou de se arrumar e ouviu sua barriga roncar de fome, não iria sair, com certeza se perderia por todos aqueles corredores, e Taehyung entraria em desespero se não o encontrasse ali. 


     Como não tinha muito o que fazer, apenas sentou-se na cama, sentindo a extraordinária maciez, e ficou olhando o nada, enquanto esperava Taehyung. 




                                        Dimensão Mágica


                                        Merüen, Lórinand


                                   Sala de Refeições, 12:00




       Todos estavam sentados à mesa, esperavam que Taehyung chegasse a tempo de pelo menos almoçar, mas pelo jeito não iria. 


       Todos queriam conhecer Yoongi, porém iriam ter que esperar. 


       Jimin entre todos, era o mais preocupado, temia que algo tivesse. 


       – Talvez eles decidiram ficar no castelo de gelo. – Quem disse isso foi Seulgi, a mãe de Taehyung, fez isso olhando diretamente para Jimin, sabia que logo o melhor amigo de seu filho estaria em desespero e se lerdasse iria procurá-lo por toda a Dimensão Mágica. 


       Jimin iria dizer algo, mas ficou quieto quando a porta se abriu e um Taehyung entrou por ele. 


       Todos ficaram quieto apenas vendo o moreno ir ao seu assento. 


       – Onde está o garoto? – Bitna pergunta, ávida para conhecer seu rei. 


       – No quarto, não achei que seria bom ele descer. – Começou a comer a salada.


       – Como ele está reagindo a tudo isso? – Sua mãe lhe perguntou, não queria que Yoongi estivesse reagindo mal.


       – Bem, fica perguntando as coisas sobre o nosso mundo, só teve uma hora que ele começou a se cogitar se isso era realmente real, acho que ele tem medo de acordar e encontrar o Heechan. - O prato principal foi servido. 


       – Não tem como ele voltar então estará tudo bem, mas, o que você viu, antes de ir para Terra? – Era claro que Jimin ia fazer essa pergunta. 


       – Ele, foi uma visão, e nela, ele se tacava no mar, e quando eu fui para a Terra era isso que ele estava fazendo, ele queria morrer, foi esse o momento certo que a senhora queria que eu esperasse? – Dava para ver que estava chateado com sua mãe. – E se eu não conseguisse salvar ele? 


       Não ouve respostas, todas ali sabia que aquilo foi arriscado mas nada podiam fazer. 


     – Jiminie, eu comprei Gâteau de riz au chocolat et aux fraises para você. 


       – Sério? Onde está? 


       – Eu pedi para uma empregada guardar na cozinha, quando você for lá pode pedir para alguém fazer um prato. – Jimin já ia levantando. – Fala só para trazer para cá,por favor, porque eu mesmo vou levar para o Yoongi.


    – Então o nome dele é Yoongi? – Pela primeira vez Seokjin se pronunciou. 


       – Sim. – Levantou-se assim que viu Jimin voltar com uma empregada, pegou a bandeja e agradeceu a mesma, que, logo, saiu do recinto. – Mãe, marque uma reunião, tem alguns pontos que eu quero discutir. 


       – Taetae, espere, eu vou com você. – Enfiou mais um pedaço na boca. – Como ele é? 


       – Muito branco, tem mais ao menos da sua altura, é meio acanhado no começo e fica grato por qualquer coisa, mesmo se for a coisa mais simples do mundo, eu falei que na próxima escada que tivesse eu ia levar ele, e ele me abraçou de gratidão, mas nunca fizeram isso por ele, é sedentário, muito magrelo e come pouco, pode ter certeza que vai sobrar comida, tem um sorriso gengival, parece ser muito frágil, isso eu tenho certeza que é mas se faz de forte e até que é bonito. 


       – Acho que alguém se apaixonou. 


       – Não, lógico que não. 


       – Guarda o que eu vou dizer, vocês ainda vão ficar juntos. 


       – Não, e além disso, nós nem sabe se ele é gay. 


       – É, mas você assume que ficaria com ele? 


     – Você não vai sossegar até eu dizer, né? – Conhecia seu melhor amigo e já sabia que a resposta, mas mesmo assim teve que perguntar, e tendo sua resposta confirmada quando viu Jimin negar. – Ficaria, mas mesmo se ele for gay, vai ser difícil, por causa do trauma que ele tem. 


       – Verdade, você teria que ganhar muito a confiança dele e mesmo assim seria difícil, principalmente se vocês forem tentar. – Fez sinais obscenos para maior entender. 


       – Sim, mas não vou pensar nisto, se nós tiver que ficar juntos, nós vamos ficar, e não é só uma decisão só minha. 


        Começaram a subir a escada que levava ao último andar. 


       – Tenta ganhar a confiança dele, é fácil, é só não demonstrar que se aproxima por interesse, vai ser mais fácil porque ele confia em mim e se você estiver comigo vai levar ele a confiar em você também. – Bateu na porta e abriu logo em seguida, sem nenhuma resposta, vendo um Yoongi deitado na cama e olhando para si. 


         – Tae! – Exclamou, sentando-se na cama. 


       – Eu trouxe alguém comigo, esse o Jimin, ele é meu melhor amigo, não vai te fazer mal, e também trouxe seu almoço, você deve estar com fome, não? – O loiro assentiu, realmente estava com fome. 


        Foi até a cama e colocou a bandeja em frente ao mesmo e se sentou na cama perto do menor, enquanto Jimin sentou-se na poltrona.


        – Se você não gostar de algo não precisa comer. – Notou que o olhar do loiro estava nos talheres, e foi inevitável pensar que devia ter pedido só o garfo e a faca principal. – Não precisa se preocupar com os talheres, você não sabe usar então come com o que você quiser, isto é só salada, nada de fora do normal e que você não conheça, isto é Boeuf Bourguignon, é carne de vaca, cozinhada ao vinho com legumes, tem um sabor meio forte, então talvez você não goste. – Apontou para o prato, Yoongi pegou um dos garfos e fincou numa das carnes e enfiando na boca. 


         – É bom, tem um sabor forte mas é gostoso. 


       – Este é Confit de Canard, é coxa de pato com batata sautée, e isto é de sobremesa, é Eclair, o recheio é de chocolate.


     Yoongi se pois a comer, pegando um pedaço da coxa de pato e o colocava na boca, os outros dois apenas o observava. O loiro encarava Jimin, mas especificamente para asas do acizentado. 


       – Como é ter asas? – Enfiou mais um pedaço de carne na boca. 


       – No começo é estranho, parece que tem um peso, depois que se acostuma você até esquece que as tem. 


       – E seus poderes? Quais são? 


       – Ar. - Jimin fez gestos com a mão, jogando uma lufada de ar no loiro, bagunçando seus cabelos, fazendo Yoongi rir alto, igual uma criança. 


       – Como que é voar? 


       – Legal, no começo eu não conseguia controlar elas, ou eu caía, ou voava alto demais, ou voava na direção errada, fazia qualquer coisa menos a coisa que eu realmente queria fazer. 


       – Deve ter sido engraçado, eu queria voar. – Colocou mais um pedaço de carne na boca e logo em seguida uma folha de alface. - Tae, eu enchi.


       – Tudo bem. – Ainda tinha o resto da salada, das batatas sautée, e do Boeuf Bourguignon. - Vou pedir para alguém vir pegar aqui depois, vou te mostrar o castelo.  


       – Eu vou levar o Yoongi voando. – O loiro já ficou animado. – Eu levo o Tae primeiro e depois eu volto para te pegar, tudo bem para você? 


       – Sim. 


       Os três foram para fora seguindo para a escada, lá, Jimin pediu para o loiro o esperar, se pois atrás de Taehyung, mesmo o tamanho sendo desigual, passou seu braços por debaixo dos do moreno, e alçou vôo. 


       Yoongi pensava o quanto aquilo podia ser legal. Esperou pelo cinzento por pouco tempo, pois logo já estava de volta. 


       O loiro pensava que ia descer igual foi com Taehyung, mas viu que seria diferente, quando Jimin o chamou pela mão e saiu andando para o lado contrário.  


       Yoongi tentava o acompanhar, mas o cinzento andava rápido ou talvez fosse só a animação do garoto. 


       O garoto só foi parar quando chegou em uma enorme janela, abrindo a mesma e puxando Yoongi para sua frente. 


       Sentiu os braços dos menor rondar seu corpo, e depois não sentiu mais o chão, Jimin atravessou a janela e no momento que mergulhou no ar, para Yoongi, foi inevitável não gritar. 


       Passou ao lado das árvores no jardim e subiu novamente, passando por cima do castelo, Yoongi ria sozinho, aquilo era maravilhoso. 


       Desceu pela costa do castelo e foi em direção ao mar que tinha atrás do mesmo, estavam a poucos centímetros de tocar a água. Yoongi esticou sua mão, molhando-a toda. 


       Voltou para o castelo e parando na entrada, enfim, soltando o loiro, e encontrando Taehyung olhando-os 


       – Foi incrível, obrigado. 


       – De nada, se quiser nós podemos fazer isso mais vezes. 


       – Claro. – E, logo, começaram o tour pelo imenso castelo. 


   Jimin e Taehyung ocultaram algumas partes, mas realmente não poderia mostrar para ele, por enquanto. 


       No meio da tour, Jungkook se juntou a eles, reclamando o tanto que foi difícil achar eles. E Yoongi soube que ele e Jimin eram namorados, os mesmos ficavam bem juntos, mas eles eram bem estranhos, uma hora estavam brigando e na outra já estavam roubando beijos um do do outro. 


       No tempo em que passaram juntos, Yoongi se permitiu desfrutar do momento e esquecer os medos que o atormenta. 


      Em momento algum Yoongi parou de rir, era bom saber que agora poderia desfrutar mais desses momentos.


       Ao final, todos foram ao quarto de Yoongi e ficaram só se divertindo. Na hora do jantar, o casal desceu para comer com todos os outros, enquanto Taehyung pediu para entregar a sua própria comida e a do loiro no quarto. Comeram juntos, e ficaram conversando até tarde. 


       Taehyung emprestou uma roupa de dormir para Yoongi e avisou que no dia seguinte passava ali para descer para tomar café juntos. 


       Estava tão cansado, que foi só se deitar e já estava dormindo.




                                       Dimensão Mágica


                                     Doriath, Lindórinand


                                  Casa abandonada, 19:00




       Vários homens e mulheres estavam ali estavam reunidos, numa casa abandonada. 


       – A Senhora Kim mandou uma carta. – Um homem, de uns trinta e pouco disse.


       – O que ela disse?


     – O ataque deu certo mas alguns dos membros do conselho estão desconfiados, ela também disse que está tentando fazê-los acreditar que não é nada. 


       – Eles provavelmente vão reforçar a segurança.


       – O garoto voltou para a Dimensão Mágica.


       O silêncio predominou a sala, ninguém ali gostava desta notícia, mas todos ansiavam por aquele momento. 


       – Temos que trazer nosso mestre de volta.


Notas Finais


Espero que gostem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...