História The beating of our hearts - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Tags Abo, Chenle, Haechan, Jaemin, Jeno, Jisung, Lucas, Mark, Norenmin, Renjun, Xiaojun, Yangyang
Visualizações 347
Palavras 2.686
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


•Hoje é sexta, então aqui estou com mais um capítulo, cheio de Norenmin para vocês!

Boa leitura amores! ♡

Capítulo 25 - I get to love you


Capítulo 25 – I get to love you

Um olhar para você

Minha vida inteira se alinha

Eu orei por você

Antes de chamar você de meu

Renjun

Sabe a sensação que temos ao encontrar alguém na rua e achar que a conhecemos de algum lugar? E ficamos com essa sensação por um bom tempo depois? Até lembrarmos de onde conhecemos a pessoa, ou esquecer? Bom, foi essa a sensação que eu tive ao ver aquela alfa no restaurante. Nem a fisionomia e nem o cheiro frutífero dela me eram estranhos, mas eu não saberia dizer da onde a conhecia, ou se quer a conhecia. Mas tirando esse momento, o encontro tinha sido perfeito, eu me sentia tão aliviado agora que tínhamos finalmente nos resolvido.

Jeno e Jaemin me trouxeram em casa depois do jantar, e eu me limitei apenas a dar um rápido selar em cada um, não é como se eu não quisesse beijar eles, eu queria, e queria que fosse um beijo triplo de preferência. Porém eu sabia que Xiao estava me esperando do outro lado da porta, e queria evitar mais uma discussão com ele. A de antes do encontro já tinha sido o suficiente para o dia de hoje.

-Você está sorrindo todo bobo. – Disse Winwin naquela manhã ao meu entregar uma xícara de chá.

-É porque ele está apaixonadinho. – Brincou Yuqui ao meu lado.

Ela tinha me ajudado a me arrumar para o encontro ontem, então achei que ela merecia saber a história toda.

-Me conte mais sobre isso sobrinho amado. – Disse Winwin se debruçando a nossa frente sobre a ilha.

Mas antes que eu pudesse falar algo, Chenle entrou na cozinha. Sinceramente a nossa casa as vezes parecia com um hotel, todo mundo entrava aqui com uma facilidade assustadora.

-Cadê o Ten? – Disse Yuqi se levantando e indo abraçar o irmão. – Eu vou matar ele.

-Eu estou bem! – Disse se afastando dela com um sorriso amarelo.

Ontem enquanto ela me ajudava a me arrumar, ela também me contou sobre a brilhante idéia, ou não tão brilhante do pai de Jisung ter chamado Chenle para a casa deles, enquanto Jisung passava pelo primeiro cio dele. O que era um risco, o primeiro cio de um alfa não era nada fácil de se lidar, não sei como Chenle conseguia estar em pé a nossa frente.

-Vou precisar bater no Jisung hoje? – Perguntou Lucas vindo em nossa direção com Xiao e Kun atrás dele.

Quando descemos para o café da manhã, Kun deixou bem claro que precisava conversar com os meninos, conversa entre alfas, foi o que ele disse. O que obviamente excluía nós ômegas da casa.

-Não! – Disse Chenle rapidamente. – Ele não tem culpa.

-Você está com fome? – Perguntou Kun.

-Não, Taeyong cozinhou para mim. – disse encostando sua cabeça no ombro da irmã. – Só estou com sono.

Era normal nos sentirmos sonolentos e com fome depois de um cio, mesmo que ele não fosse o nosso. Tínhamos esses mesmos sentimentos depois de uma transformação também.

-Vamos subir então. – Disse ela pegando na mão do irmão, mas Kun a parou e lhe entregou algo. – Obrigada!

Eu comecei a subir atrás deles, mas Xiao parou na minha frente.

-A onde você vai?

-Falar com Chenle.

-Temos aula agora.

-Entro no segundo período. – Digo tentando empurrar ele, mas ele se mantinha firme no lugar.

-Vocês não vai discutir de novo né? – Disse Kun vindo na nossa direção com uma xícara de café. – Eu ainda estou com dor de cabeça por causa da discussão de ontem.

-Ele quer faltar aula, de novo.

-Eu avisei que não era para isso virar um costume. – Disse Kun.

-É só o primeiro período.

-Você também não pode ficar andando sozinho por ai. – Disse Xiao.

-Desculpa Renjun, mas seu irmão está certo.

-E porque eu não posso andar sozinho?

-Eu e o Yuta levamos ele depois. A nossa aula hoje é mais tarde mesmo. – Disse Winwin ao passar pela gente e pegar a minha mão para subir com ele até os quartos.

Ele não esperou para saber a resposta deles, e muito menos eu.

-Obrigado!

-Segundo período, então esteja pronto! – Disse entrando no seu quarto e me deixando no de Lucas.

Yuqi e Chenle estavam sentando um em frente ao outro e ela segurava as mãozinhas de Chenle.

-Você está bem? – Perguntei me sentando ao lado de Yuqi.

-Sim, e não.

- Foi tão ruim assim? – Perguntei tentando fazer graça, porém eu estava preocupado.

-Não! Mas isso só complica ainda mais a situação.

-Principalmente porque ele é comprometido. – Disse Yuqi.

-Será que vocês podem guardar o sermão para daqui umas quarenta e oito horas? – Disse ele se deitando na cama e abraçando um dos travesseiros, mas fazendo cara feia por causa do cheiro. – Será que posso ficar no seu quarto gege?

-Pode, mas não pense que vai escapar do sermão.

-Ta! – Disse ele já se levantando e indo para o meu quarto com a gente atrás.

-Eu vou pegar uma água para você tomar isso. – Disse Yuqi lhe entregando um pequeno comprimido. – E Renjun, quando for a sua vez use camisinha, porque se fosse o cio do Chenle e não do Jisung, esse remédio não ia funcionar. – Disse já saindo do quarto deixando só nos dois.

-E essas marquinhas? – Disse ele malicioso ao apontar para o meu pescoço.

-Você perdeu algumas coisas durante o cio.

-Tipo?

-Eu fui num encontro com Jeno e Jaemin.

Eu vi o rosto dele passar de incrédulo, a feliz e a triste por último.

-Eu fiz tudo errado!

Lágrimas corriam pelas suas bochechas gordinhas, e não resisti ao impulso de o puxar para um abraço.

-Eu não vou passar a mão na sua cabeça e dizer que você não tem culpa, porque vocês dois tem. Porém você tem o meu ombro para chorar sempre que precisar.

-Obrigado!

-Trouxe companhia. – Disse Yuqi entrando no quarto já entregando o copo de água para Chenle. E eu sabia que a companhia era Jeno e Jaemin, já tinha sentido o cheiro deles.

-O que vocês fazem aqui? – Pegando para as duas belas figuras na porta do meu quarto.

-Viemos ver se você estava bem, afinal você não apareceu na escola. – Disse Jaemin tentando sorrir, mas ele parecia preocupado. – Você está bem Chenle?

-Sim, obrigado pela preocupação hyung.

-Vamos! – Digo já puxando os meninos para fora do meu quarto. – Conversamos quando eu voltar Lele.

Assim que chegamos no corredor Jaemin me abraçou por trás, o que me rendeu um gritinho assustado e um risinho bobo de Jeno para gente.

-Estava com saudades Junnie. – Disse Jaemin ao beijar minha nuca me provocando um longo arrepio.

-Faz menos de doze horas que a gente se viu Nana.

-Para mim pareceu com uma pequena eternidade.

-Eu também senti saudades. – Disse Jeno. E foi a sua vez de me abraçar, mas pela frente, para não atrapalhar Jaemin que ainda estava me abraçando por trás. E assim eles haviam acabado de me deixar exatamente a onde eu sonhei em estar desde que os conheci, no meio deles.

Jeno e Jaemin tinham uma sincronia impressionante ao beijarem meu pescoço e moverem suas mãos sobre o meu corpo. Era como se eles fossem uma única pessoa em dois corpos. Cada um dos seus toques e beijos eram como pequenos vulcões em erupção dentro de mim, e o meu lobo se sentia cada vez mais perdido no êxtase que era ter ambos ali me tocando. E sei que cada suspiro e gemidos que eu dava com seus toques e beijos, eram como combustível para eles fazerem mais.

-Eu não queria atrapalhar o trisal, mas preciso levar vocês para aula agora. – Disse Winwin docemente.

Jaemin e Jeno pararam com seus toques, mas não tiraram suas mãos da minha cintura e nem se afastaram. Eu ainda estava encostado ao peito de Jaemin e juro que consegui sentir o peito dele vibrar com um rosnado que ele parecia segurar, mas acho que fui a única pessoa a notar.

Jaemin

Eu e Jeno esperavamos por Renjun na entrada da escola, mas quando só Lucas e Xiao apareceram, o meu lobo automaticamente sentiu que tinha algo de errado, deveria ter, Renjun nunca havia faltado aula. Jeno e eu fomos perguntar a Lucas sobre Renjun, já que com certeza eu acabaria brigando com Xiao se fosse perguntar a ele.

-Renjun ficou em casa...

Eu nem deixei ele terminar de falar antes começar a arrastar Jeno comigo até a casa de Renjun. Ultimamente quando o assunto era Renjun, o meu lobo sentia a necessidade absurda de protege-lo. Não que eu não sentisse essa mesma necessidade com Jeno, mas Jeno era o mais protetor e carinhoso na nossa relação, eu era o impulsivo.

Quando chegamos a casa de Renjun e eu vi Chenle, entendi o que tinha acontecido, e eu com certeza precisaria ter uma conversa com Jisung, mas depois. Porque no momento em que eu vi o nosso ômega, eu só queria abraçar, beijar e tocar muito ele, e foi o que eu fiz, com Jeno seguindo os meus passos. E aqueles gemidos e suspiros dele a cada toque nosso era como o paraíso para mim e meu  lobo. Então vocês conseguem imagina o quanto eu fiquei irritado quando o tio dele atrapalhou o nosso momento. Não é como se fossemos transar com ele no meio do corredor, mas eu queria poder ter tocado mais naquele corpinho tão pequeno e delicado.

Depois que chegamos a escola, eu tive que me separar deles, mas não sem antes roubar um selar de cada.

Eu com certeza deveria mudar de sala, eu não queria ter que passar esses períodos longe deles, eu não queria mais passar nenhum momento longe do Junnie.

-Olha só se não é um dos melhores alunos da escola chegando atrasado. – Debochou Yang.

-Fui buscar o Renjun.

A gargalhada de Haechan ao meu lado o rendeu olhares feios da minha parte.

-Qual a graça?

-Você. – Disse Haechan simplório.

-Não entendi.

-É porque você anda passando tempo demais com o Jeno. – Disse Yang rindo. O que fez Haechan rir ainda mais.

-Eu falei que isso ia ser divertido Yang.

-E ele nem percebeu o que está acontecendo.

-E o que está acontecendo?

-O Renjun está a pouquinhos dias do cio. – Disse Haechan malicioso, enquanto Yang tinha pequenos espasmos tentando segurar uma risada.


Jeno

Eu acho que o Jaemin ainda não tinha percebido o que estava acontecendo, mas ir atrás de Renjun na casa dele e depois agarrar nele no corredor, o que foi maravilhoso de se ver e participar, era a prova de que o seu lado lupino já tinha percebido. Eu mesmo só tinha percebido depois da nossa sessão de amassos no corredor. Em como a sua pele dele esquentava mais e mais a cada toque nosso. O que só me fez passar todas as aulas seguintes admirando a nuca de Renjun, com fracas marquinhas de Jaemin e pensar em mil e uma formar de satisfazer ele durante o seu cio.

Eu não me surpreendi nem um pouquinho quando encontrei com Jaemin já na porta da nossa sala nos esperando. Ele sempre foi tão instintivo e impulsivo. Acho que vou ter que guia-lo durante o cio de Renjun, não quero que ele o machuque. E sei que ele jamais se perdoaria se fizesse algo assim.

-Que tal comermos num lugar mais reservado hoje? – Perguntou Jaemin.

-Porque?

-Você não pode isolar ele de todos Nana.

-Mas eu vou, enquanto ele estiver no cio.

-Mas eu não estou no cio.

-Ainda! Mas falta pouquinho bebê, e eu não quero ninguém olhando e desejando o que é nosso. – Disse Jaemin sério. E não posso discordar que uma parte minha concordava muito com essa sua frase.

-Xiao vai nos matar, se não aparecermos na cantina.

-Não tenho medo dele. – Respondemos ao mesmo tempo enquanto seguíamos Renjun que já caminhava até a cantina.

-Eu também não. Mas ele é meu irmão, não quero ficar brigando com ele a cada cinco minutos. Mesmo ele sendo insuportável na maioria dos dias.

-Eu poderia resolver isso rapidinho para você. – Disse Jaemin, fazendo com que Renjun parasse e se virasse para ele tentando estampar uma cara braba, porém só ficava ainda mais fofo.

-Me promete que você não vai brigar com ele Jaemin!

-Eu não posso prometer nada. – Resmungou Jaemin.

-Então eu não vou mais beijar você. – Disse cruzando os braços.

Jaemin me olhou preocupado, como se procurasse a minha ajuda para resolver essa questão, mas eu apenas dei de ombros. Eu concordava com Renjun, por mais que Xiao fosse insuportável, ele ainda era o irmão de Renjun, tínhamos que respeitar as suas vontades.

-Ok. Eu prometo! - Disse revirando os olhos para gente.

Jaemin

Depois de saber sobre o cio do Renjun, eu não consegui sair do lado dele por um segundo, eu não poderia, era um risco muito grande. E se algum alfa quisesse se aproximar dele? Eu não poderia sair ameaçando a escola toda sem correr o risco de uma expulsão.

Porém eu precisava falar com Jisung também. Eu sabia que ele tinha ido a aula, mas não o tinha visto em parte alguma, nem no refeitório. Então decidi esperar por ele na saída da escola. Já que nesse horário Renjun tinha aula de canto e Jeno natação, e eu teria treino de basquete se ainda fizesse parte do time. Acho que eu poderia aproveitar e entrar no clube de canto, afinal não quero deixar Renjun sem um de nós por perto.

-Precisamos conversar! - Disse parando na frente de Jisung assim que ele se aproximou do portão.

-Porque todos querem falar comigo?

-Geralmente é isso que acontece quando fazemos merda.

Ele suspirou pesado, mas me acompanhou até uma áreas mais reservada da escola, que ficava atrás da quadra, e acabamos nos sentando na grama mesmo.

-O que você quer saber?

-Tudo.

-O tudo, é o que todo mundo já sabe. Que eu passei o meu cio acompanhado, e que não foi com a Yiren, e sim com o Chenle. – Eu podia ouvir a tristeza e amargura na voz dele.

-Você se arrepende?

-Me arrependo de como fizemos, e não de fazermos. Se é que você consegue me entender.

-Entendo sim. – E entendia, porque eu nunca me arrependi daquele beijo que dei em Renjun, mas uma parte minha se sentia culpado de como tinha sido. – Você já conversou com a Yiren?

-Foi a primeira coisa que fiz quando cheguei.

-E ela?

-Acabou comigo e me deu um tapa. – Disse ele tocando suavemente na própria bochecha.

-Merecido! Eu teria feito pior se fosse Jeno, ou Renjun.

Ele me olhou confuso.

-Renjun?

-A gente perde algumas coisas quando entramos no cio. – Disse rindo. – Eu lhe conto mais tarde a minha história, eu ainda quero saber mais da sua.

-Não tem mais o que saber.

-Claro que tem.

-Você é amigo do Jeno desde criança, assim como eu e Chenle.

-Sim.

Eu sabia a onde ele queria chegar com aquilo, sabia qual era a pergunta que ele faria a seguir, Haechan já tinha me perguntado a mesma coisa. E eu queria poder ter uma resposta exata para lhe dar, mas acho que esse tipo de pergunta nunca teria uma resposta exata.

-Quando você percebeu que amava ele mais do que como amigo?

-Acho que eu sempre soube, mas estava meio que adormecido aqui. – Digo apontando para o meu peito. – Quando eu estava perto do meu cio, eu comecei a ver o Jeno diferente, achei que era por causa do cio, mas os ômegas não me interessavam, só Jeno me interessava. Então o meu cio passou, e eu ainda queria Jeno, o Jeno. Eu gosto de dizer que foi o meu lobo fez a escolha por mim. – Digo dando de ombros.

-Acho que me sinto parecido. – Disse sorrindo fraco. – O que eu faço agora?

-Faz o que deveria ter feito desde o início, conversem! – Digo fazendo carinho nos cabelos de Jisung.

Eu o conhecia ao mesmo tempo que conheço Jeno, mas enquanto os meus sentimentos por Jeno se tornaram em amor romântico, os meus por Jisung se tornaram paternais, eu o amava como um filho. E mesmo errado, eu ainda queria ajudar e proteger ele.


Notas Finais


•Caso vocês se perguntem como a Yuqi sabe, Taeyong ligou para avisar a ela, e aos pais o que estava acontecendo.

•O que o Kun deu para a Yuqi foi o comprimido.

•E aqui na fic não tem como o Chenle engravidar antes de passar pelo primeiro  cio dele, mas depois do que aconteceu com a Yuqi ela quis prevenir. Mal não ia fazer!

•Eu sou o Renjun todinha com as minhas amigas. Não passo a mão na cabeça delas quando estão erradas, mas tô aqui pra dar colo e xingar quem acha que pode xingar elas kkkkkk

•Vocês se lembram que alguns capítulos atrás Jaemin relembrou que machucou Jeno numa das poucas vezes em que foi o ativo. Então a preocupação de Jeno é válida.

•Jaemin é um amorzinho falando "nosso".

•Minha outra fic Norenmin 💚
https://www.spiritfanfiction.com/historia/our-love-norenmin-17592053

•Trailer da fic 💚
https://youtu.be/E1GYou9WxMw


Eu simplesmente amo todas as músicas dessa mulher, e achei que essa combinava muito com o atual momento Norenmin na fic
Música título
Ruelle - I get to love you


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...