História The Beginning - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Kakashi Hatake, Kankuro, Karui, Kiba Inuzuka, Konohamaru, Kurama (Kyuubi), Kurenai Yuuhi, Maito Gai, Matsuri, Moegi, Naruto Uzumaki, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Gaamatsu, Naruhina, Naruto, Romance, Saiino, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 574
Palavras 10.577
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oioiii gente! Ai, cara, to chorosa.

Demorei para postar esse cap por alguns problemas no meu PC, sorte que consegui arrumar a tempo, então desculpem pela demora. Porém, to compensando no tamanho do cap hahaha.

Eu queria agradecer de coração por cada comentário que recebi na história. Cada sugestão, cada mensagem, cada surtada hueheuheu. Só consegui chegar até aqui pelo carinho e os feedbacks de vocês, muito obrigada mesmo.

The Beginning foi minha primeira fic, mas garanto que não será a última hahaha Então haja saco para me aguentarem hihihi.

Eu espero que vocês gostem muuuuito desse cap como eu amei escrevê-lo. <3 Boa leitura! Obrigada novamente por tudo!

Capítulo 33 - A Nova Geração


Fanfic / Fanfiction The Beginning - Capítulo 33 - A Nova Geração

- Mais alto Konohamaru nii-chan! – O loirinho pedia rindo abertamente.

- Cuidado Boruto! – Hinata chamou ao longe, vendo o Sarutobi empurrando o filho no balanço do parque. Ela sorriu ao observar o pequeno gargalhando abertamente cada vez que Konohamaru o empurrava.

- Viu como eu fui alto kaa-chan? – Boruto correu até a mãe que estava sentada no chão, encostada em uma árvore. Ela o abraçou e beijou as bochechas rosadas com as duas marquinhas iguais as do marido.

- Eu achei que fosse voar. – Ela disse e o viu sorrir abertamente. O loirinho rapidamente passou os olhos no parque e saiu correndo novamente.

- Shikadai, já tava na hora! – Disse impaciente.

- Minha mãe quem demorou dessa vez. Mendokuse. – Reclamou o pequeno Nara. Temari às vezes sentia que estava pagando seus pecados, não só o filho era a cara de Shikamaru, mas herdara totalmente a personalidade do marido e seus tiques.

- Vamo logo, Konohamaru nii-chan vai empurrar o balanço. – Ele guiou o amigo até os balanços, novamente puxando o Sarutobi para empurrá-los. Hinata achava uma graça a forma como Konohamaru era paciente com o filho, tanto que Boruto grudou no moreno e pedia para brincar com ele sempre que podia.

As crianças já completavam três anos de idade e a Uzumaki sentia que o tempo havia passado rápido demais. Era como se no dia anterior estivesse ensinando o filho a andar com Naruto e comemorando quando o loirinho deu os primeiros passos. Os amigos sempre traziam os filhos ao parque para que pudessem brincar e conversar, eles se sentiam em paz com a vida que levavam em Konoha. Aos poucos viu Sakura, Ino e Karui chegando com Sarada, Inojin e Chocho, assim como Lee trazia o filho para correr no parque. Queria incutir no menino o gosto por treinamentos que lhe foi ensinado por Gai.

- Como você está Sakura? – Hinata perguntou à rosada. Sakura estivera triste durante algum tempo, pois o marido partiu em missão para voltar a rastrear os resquícios dos Otsutsuki no mundo shinobi. Além disso, Sasuke ainda se preocupava de sua presença ameaçar Konoha, seus amigos e, principalmente, sua família. Sarada e ele eram os últimos Uchiha vivos e ele desejava de todo o coração cumprir a missão de restabelecer seu clã.

- Estou levando. – Ela respondeu com pouca empolgação. – Minha preocupação é com Sarada, ela tem perguntado pelo pai e sei que ela se sente mal quando vê outras crianças com os dois pais por perto. – Ela suspirou alto. – Eu sei que as intenções de Sasuke-kun são boas e que a medida é necessária, mas uma parte egoísta de mim não queria que ele fosse.

- Eu não acho que seja uma parte egoísta. – Ino disse, tocando o ombro da amiga.

- Eu concordo com a Ino e isso já diz muita coisa. – Temari disse e a Yamanaka fuzilou a amiga. Elas conversaram sobre outras coisas, tentando desviar o assunto de Sasuke e animar a Uchiha até que viram um homem com carrinho de picolés passando pelo parque. Entreolharam-se já se levantando, sabiam que as crianças iriam querer um picolé.

- Kaa-chan! – Boruto pulou do balanço, correndo até a mãe, animado. – Picolé! Picolé! Picolé! – Ele apontava para o homem e segurava as mãos de Hinata.

- Calma filho, precisamos pegar o dinheiro. – Ela pegou a carteira nas coisas. – Você quer pagar o picolé? – Perguntou e viu o filho assentir pulando. Boruto era uma criança cheia de energia, passava o dia brincando e dava uma canseira brava nos pais. Eles andaram até o simpático dono do carrinho de sorvetes e Boruto escolheu um picolé duplo azul.

O loirinho pagou pelo doce e saiu andando com a mãe de volta à sombra da árvore. Hinata quebrou o picolé em dois e estendeu uma das partes ao filho. Ele a segurou e começou a chupar o doce, sorrindo para a mãe.

- Minha língua tá azul? – Perguntou abrindo a boca e mostrando a língua azul para Hinata. Ela riu e assentiu. – Mostra a sua! – Pediu e Hinata fez o mesmo movimento do filho, vendo-o rir também. Eles terminaram de tomar o sorvete e Boruto pegou os palitos para jogar no lixo, beijando a bochecha de Hinata antes de sair e voltar a brincar.

Ela voltou a encostar-se à árvore e viu Karui chegando com Chocho e um grande cachorro-quente para a filha, que sorria para a comida. A pequena Akimichi havia puxado ao pai, definitivamente. Sorriu para as duas, mas logo sentiu a visão embaçar e um enjoo súbito tomou conta da mulher. Hinata correu até a lata de lixo e depositou o conteúdo do estômago no local, respirando com dificuldade e afastando as lágrimas nos cantos dos olhos.

- Hinata, você está bem? – Lee se aproximou, segurando a Uzumaki e vendo a mulher assentir. Ofereceu um lenço para ela limpar a boca.

- Hai, obrigada pela gentileza Lee. – Ela respondeu com doçura. O homem saiu para comprar uma garrafa de água e ofereceu à morena, ainda com o olhar preocupado.

- Kaa-chan está bem? – Boruto correu até a Uzumaki, os olhinhos azuis percorrendo o rosto da mãe com preocupação.

- Está tudo bem, querido. Pode voltar a brincar. – Ela disse com delicadeza.

- Certeza? Acho que você tá doente, kaa-chan. – O loirinho disse intrigado, era a terceira vez naquela semana que via a mãe passar mal.

- Tenho certeza, filho. Isso que a mamãe está tendo é normal. – Ela disse e beijou a bochecha de Boruto. O menino se contentou e saiu correndo.

- Não acredito! Eu pensei que a fábrica Uzumaki tinha fechado. – Sakura brincou com a amiga que logo ficou escarlate.

- O que foi? – Ino se sentou depois que entregou um pacote de pipoca ao filho.

- Não podem contar ainda. Naruto-kun e Boruto não sabem. – Ela disse, olhando para os lados e se certificando de que o loirinho não estava por perto. – Estou grávida.

- Sério? Mais um Uzumaki? O que eu fiz pra merecer isso? – Ino disse de forma dramática e as amigas riram.

- Parabéns! – Karui disse, abraçando a morena de lado.

- E viva os enjoos matinais! – Temari disse e as mulheres acompanharam a loira com risos. – Olhando pelo lado bom, Matsuri vai te fazer companhia. – Ela disse e Hinata ficou boquiaberta.

- Jura? Ela está grávida também? – Perguntou Hinata.

- Sim. – Temari assentiu sorrindo. – Eles nos contaram semana passada quando fomos visitá-los. Matsuri me disse que tinham parados as tentativas quando Gaara trouxe Shinki para casa. Ela simplesmente é apaixonada pelo menino e nós sabemos como uma criança pode dar trabalho. – Ela disse e viu as amigas assentirem. – De todo jeito, ela me contou sem muitos detalhes que perdida com a rotina acabou se esquecendo de tomar as pílulas e tchanan: um bebê a caminho!

- Oh, e como seu irmão reagiu? – Karui perguntou.

- Ele pirou por alguns minutos e depois ficou todo alegre. Eles estão bem felizes e até Shinki está animado, isso já diz muita coisa. – Temari contou feliz. O sobrinho era uma criança calada e um pouco retraída, a personalidade se assemelhava muito ao irmão, o que ela achava curioso.

- Quando você pretende contar? – Sakura perguntou à amiga.

- Na verdade ia contar hoje. Nós vamos sair para jantar juntos e pensei em contar depois aos dois. – Hinata disse à rosada com um sorriso no rosto.

- Você tem enjoado bastante esses dias? – Ino perguntou.

- Somente pela manhã. – A morena respondeu e Ino riu.

- Como é que ele ainda não percebeu então? – A loira estava um pouco indignada com a falta de noção do Uzumaki.

- Naruto é um tapado amiga. Ele pode ter crescido, amadurecido, casado e ter filhos, mas continua um baka. – Sakura respondeu simplesmente.

- Oh, não precisa falar assim também. – Hinata sempre defendia o marido, o que fazia as amigas rirem baixinho.

- Estou feliz por você! – Sakura disse, segurando a mão de Hinata e com um largo sorriso no rosto. A Uzumaki ficou feliz também por tirar um pouco da expressão deprimida da amiga.

Passaram a manhã com as crianças no parque, até que chegou a hora do almoço e Hinata levou o filho junto com Konohamaru para almoçarem no apartamento. Eles comeram juntos e ela, com um pouco de esforço, colocou o loirinho para descansar um pouco a tarde.

- Obrigada por se juntar a nós hoje de manhã, Konohamaru. – Ela disse com um sorriso e beijou a bochecha do Sarutobi.

- Foi um prazer, Hinata. Uma pena que eu tenha treinamento agora. Ja ne! – Disse saindo pela porta da frente e a mulher sorriu. Aproveitou o sossego do loiro para esticar as pernas no sofá e fechar os olhos por alguns minutos. Depois de um tempo, ouviu pequenas risadinhas.

- Temos que acordar a mamãe com carinho, não pode assustá-la. – Ouviu a voz do marido e sentiu pequenas mãos fazerem um carinho de leve em seu rosto. Ela abriu os olhos e sorriu para os homens de sua vida.

- Quanto tempo eu dormi? – Perguntou preocupada e se sentindo culpada por ter adormecido e não ouvir o filho acordar.

- Algum tempo. Eu cheguei mais cedo e vi vocês dois dormindo, deixei vocês descansarem bem. Quando Boruto acordou, ele disse que você está doente. – Naruto disse com o vinco de preocupação no rosto e ela rapidamente beijou os lábios do marido.

- Não foi nada, acho que comi algo que não me fez bem no parque. – Disse e viu o loiro assentir. – O que fizeram durante a tarde? – Perguntou curiosa.

- Tou-chan brincou um montão! – Boruto disse com animação, abrindo as mãos para mostrar que o pai havia brincado por um longo tempo com ele.

- Mesmo? – Hinata disse sorrindo. – Mamãe vai tomar um banho para sairmos. Boruto, você dá banho no papai? – Ela perguntou e viu o filho assentir. Naruto pegou o loirinho no colo, levando-o até seu quarto para dar banho no filho. Ela foi até o próprio quarto, separou uma roupa e foi até o banheiro, um bom banho ajudaria Hinata a dispersar a nuvem de sonolência que ainda pairava sobre ela. Enquanto se ensaboava, tocou a barriga e se imaginou com o barrigão de novo, um sorriso se apoderou dela.

- Você precisa se comportar para darmos a notícia ao papai e ao onii-chan. – Hinata disse baixinho. Terminou o banho e trocou de roupa, indo atrás do marido e do filho em seguida. Hinata encontrou Naruto colocando a camiseta no loirinho e secando seus cabelos com a toalha.

- Kaa-chan, tô pronto! – Boruto disse animado e estendeu os braços para ela, que o pegou no colo.

- Podemos ir então? – Ela perguntou e viu o marido assentir. Saíram do apartamento e Naruto colocou o loirinho nos ombros enquanto caminhavam pela vila. Entrelaçou também os dedos com os da esposa, percorrendo o caminho até a lanchonete com um grande sorriso estampado no rosto, Boruto amava hambúrguer e era o seu pedido sempre que comiam fora de casa.

Chegaram ao local e procuraram uma mesa para sentarem e fazerem os pedidos. Boruto se sentou ao lado do pai, animado para comer seu precioso hambúrguer. Assim que o garçom chegou trazendo os cardápios, Naruto mostrava todas as opções ao filho com paciência e aguardava pela escolha do pequeno loiro. Hinata amava a paciência e carinho do marido.

- Quero esse tou-chan! – Exclamou, apontando para a foto de um cheeseburguer com bacon. – Pode pegar batata? – O pequeno Uzumaki perguntou com expectativa e viu o pai assentir. – Legal! – Exclamou animado. Naruto fez o próprio pedido e aguardou por Hinata.

O garçom voltou depois de algum tempo com os sanduíches, refrigerantes e a porção de batata frita que Boruto pediu, fazendo o menino sorrir animado e bater palmas. A família fez sua refeição conversando animadamente, Boruto contava ao Uzumaki sobre o dia no parque com os amigos. Hinata comeu seu hambúrguer com gosto e começou a devorar as batatas da porção do filho, que dividia com a mãe animado.

- Naruto-kun, quero banana Split. – Hinata disse quando todos terminaram a refeição. Ele chamou o garçom e fez o pedido. Assim que o sorvete chegou, Boruto rapidamente mudou de lugar e se encostou na mãe. Hinata dividia o doce com o filho e dava algumas colheradas ao marido. Ela fechou os olhos com satisfação pela sobremesa, estava com água na boca pelo sorvete desde que leu o cardápio quando chegaram.

- Kaa-chan come um montão. – Boruto disse rindo baixo e Naruto riu.

- Isso é porque sua mãe agora come por dois. – Hinata disse suavemente e ouviu o marido engasgar com o refrigerante.

- Como é? – Naruto perguntou e segurou a mão da esposa. O sorriso começou a surgir na expressão do loiro. – Mais um bebê? – O tom de voz de Naruto era de pura felicidade e Hinata sorriu assentindo com os olhos marejados.

- Boruto vai ter um irmãozinho ou irmãzinha. – Ela disse e o pequeno Uzumaki se levantou animado.

- E cadê meu irmãozinho? – Perguntou curioso. Naruto se sentou ao lado do filho e colocou a mão na barriga da esposa.

- Está na barriga da mamãe, filho. – Falou para o loirinho, o tom de reverência, estava extasiado pela notícia. Mais um filho. Naruto desejou secretamente uma menininha linda como sua esposa para ele cuidar e mimar.

- Kaa-chan comeu meu irmãozinho? – Boruto perguntou assustado e fazendo beicinho. Hinata riu com a inocência do filho.

- Não, Boruto. O bebê mora na barriga da mamãe por um tempo antes de conhecer a gente. – Ela explicou devagar, tentando arrumar a forma mais fácil de fazê-lo entender.

- E quando o bebê chega? – Tornou a perguntar.

- Demora um tempo, filho. Ele precisa crescer na barriga da mamãe. – Naruto explicou. – Quando sua mãe estiver com a barriga bem grandona, aí vamos conhecer o bebê.

- Barriga grandona. Entendi. – O loirinho repetiu assentindo. Naruto sorriu e encostou os lábios nos da esposa com suavidade.

- Outro bebê. Eu nem posso acreditar. – Disse de forma boba. – Você me faz tão feliz, Hinata. Aishiteru.

- Aishiteru mo. Você me faz muito feliz. Vocês dois fazem. – Ela disse emocionada. Saíram juntos da lanchonete com largos sorrisos estampados no rosto.

- Temos que contar a Hiashi e Iruka-sensei. Aposto que eles vão adorar a notícia. – Naruto disse para a esposa. Ele carregava Boruto no colo que, com a caminhada lenta do casal, acabou pegando no sono pelo caminho.

- Hai. Você tem tempo amanhã para irmos ao médico? – Ela perguntou e viu o loiro assentir.

- Kakashi-sensei não vai se importar se eu me atrasar um pouco. Nem ele chega no horário. – Disse Naruto e viu a esposa rir. Ele a abraçou de lado com a mão livre. – Mais um bebê. E eu que achei que não podia ficar melhor. – Disse abobalhado.

- Você disse que Boruto precisava de um irmãozinho. – Ela lembrou as palavras do marido e ele riu.

- Ou irmãzinha. – Naruto acrescentou animado. – Deixa só o Sasuke saber disso. Eu estou liderando a corrida dos bebês agora! – Falou de forma infantil, arrancando risadas da esposa. Logo o casal chegou ao apartamento e Naruto levou o filho para o quarto, trocou-o para um pijama confortável e depositou o corpo na pequena cama. – Boa noite, filho. – Deu um beijo na testa de Boruto e viu Hinata fazer o mesmo.

- Quando Boruto te falou que eu estava doente, era por causa dos enjoos. Vamos ter que explicar muita coisa pra ele sobre o bebê. – Hinata disse ao marido. Estava um pouco preocupada com o filho mais velho, não queria que Boruto se sentisse de lado. Naruto, ao perceber o vinco de preocupação da morena, beijou sua testa levemente.

- Não se preocupe, nós vamos cuidar de tudo. Conseguimos fazer muita coisa juntos, não é? – Ele viu a esposa assentir, então segurou-a pela cintura e trouxe seu corpo ao dela. – Sabe o que cairia muito bem agora?

- O quê? – Hinata perguntou, fitando o olhar malicioso do marido.

- Sexo de comemoração. – Ele a segurou pelo colo, levando-a até o quarto do casal e depositando a mulher no colchão enquanto invadia sua boca com a língua ávida. Naruto se colocou por cima, trilhando um caminho de beijos pelo pescoço de Hinata enquanto começava a tirar suas roupas devagar, saboreando o momento e a razão da comemoração.

Hinata espelhava seus movimentos, removendo a camiseta do marido e espalmando as mãos em seu peitoral malhado, só a visão de Naruto meio desnudo a deixava excitada e louca por ele. O tempo não mudava a sintonia e amor do casal, eles sempre davam um jeito de se divertir juntos. Perdida em pensamentos sobre o marido, Hinata não percebeu quando o loiro a despiu completamente e apertou de leve um dos seios.

- Estão sensíveis? – Perguntou baixo e beijou a clavícula da mulher.

- Um pouco. – Ela respondeu manhosa. Naruto espalhou beijos pelos seios da mulher e os sugou com leveza para não incomodá-la, arrancando gemidos contidos de Hinata.

Desceu ainda mais a boca até encontrar seu alvo inicial. Lambeu os lábios quando encarou o sexo desnudo de Hinata, os lábios inferiores tinham um pequeno brilho, sinal da excitação da mulher. Naruto começou a beijá-la e aproveitou para lamber, chupar e mordiscar a intimidade da esposa, preparando-a para recebê-lo. Hinata segurava os cabelos curtos de Naruto e gemia perdida nas maravilhosas sensações que seu marido lhe causava.

O loiro inseriu um dedo na morena, movimentando-o conforme a própria boca e estimulando Hinata. A mulher se sentia cada vez mais perto da própria liberação e pediu ofegante ao marido para acelerar os movimentos. Naruto adicionou outro dedo em sua intimidade, obedecendo Hinata e acelerando o ritmo. Sentiu o corpo da mulher se contraindo e remexendo os quadris até que Hinata gemeu alto seu clímax, molhando os dedos do marido.

- Hum... – O loiro disse quando colocou o dedo na boca, provando o sabor da esposa. – Você é sempre tão gostosa. – Falou enquanto se livrava da calça e da cueca, subindo por cima dela e esfregando seus sexos devagar. A fricção era como uma pequena tortura a ambos, que gemeram juntos.

Logo Naruto não conseguiu mais se conter e penetrou a mulher de uma vez, gemendo o nome da Uzumaki devagar. Segurou seu corpo delicado quando começou a se mover, ganhando o ritmo constante e intenso que satisfazia ambos. O loiro buscou a boca de Hinata novamente, perdendo-se na dança sensual de seus corpos e nos gemidos abafados pelo beijo de sua esposa.

- Mais rápido Naruto-kun. – A morena pediu quando separou seus lábios do marido e sugou o pescoço do loiro com força. Deixara uma marca no marido, mas sabia que sumiria em pouco tempo. Naruto atendeu seu pedido manhoso e virou o corpo de Hinata de lado, usando sua perna como apoio para acelerar os movimentos.

Sentia seu próprio orgasmo chegando e começou a estimular Hinata com as mãos. A mulher agarrava-se aos lençóis com força, sentindo as paredes internas se apertarem e gritou seu ápice quando sentiu-se cair em um abismo de prazer. Naruto a acompanhou com a mesma intensidade, derramando-se por completo na mulher e clamando o nome da morena com paixão.

- Eu adoro sexo de comemoração. – Hinata disse com um sorriso bobo assim que o loiro se deitou ao lado dela. Naruto riu baixo e beijou os lábios da mulher que amava.

- Eu também. – Disse ainda ofegante. Hinata se aconchegou ao corpo do marido e ele logo puxou as cobertas para ambos, abraçando a esposa junto a si.

 

-- x --

 

- Boruto! – Ouviram a voz do Hyuuga ao longe e o pequeno Uzumaki saiu correndo ao encontro do avô.

- Ojichan! – Falou animado quando Hiashi rodopiou com o loirinho em seu colo.

- Estou tão feliz que esteja aqui, Boruto! – O homem abraçava o neto com carinho. Boruto ria abertamente enquanto abraçava o avô. Hanabi veio correndo até a entrada.

- Boruto! – Ela exclamou, pegando o loirinho do colo do pai e o abraçando apertado. – Nee-sama, Naruto! – Ela cumprimentou os dois com um sorriso no rosto, enquanto fazia cócegas no sobrinho.

- Entrem, por favor. – Hiashi convidou o casal para dentro de casa. Foram até o quintal, onde Boruto e Hanabi brincavam de pega-pega. – Ele está crescendo tão rápido.

- Hai. – Hinata concordou com um sorriso. – Está ficando bem esperto também. – Falou orgulhosa. – Otousan, quer que eu prepare um chá? – Perguntou ao pai com doçura.

- Eu adoraria. – Hiashi confirmou e viu a filha entrar para a cozinha. Enquanto isso engatou em uma conversa com Naruto sobre as tarefas da vila e o pequeno Uzumaki. Depois de algum tempo conversando, Hinata reapareceu com uma bandeja contendo o bule e copos para beberem o chá. Hinata trouxe também um copo de suco para o filho, chamando o loirinho para tomá-lo com algumas bolachas.

- Ojichan! Ojichan! – Boruto cutucou o avô enquanto comia as bolachas. Hiashi olhou para o neto com carinho.

- Diga, Boruto. – Falou o patriarca dos Hyuuga.

- Kaa-chan tem um bebê! – Ele disse animado, apontando para a mãe. Hiashi olhou o neto sem compreender direito.

- Um bebê? – Perguntou e viu o loirinho assentir.

- É um irmãozinho ou irmãzinha. – Disse e se levantou, andando até a mãe. – Tou-chan disse que tá morando aqui. – Ele apontou para a barriga da mãe e sorriu novamente para o avô.

- Oh! Outro neto? – Hiashi perguntou animado e viu a filha assentir.

- Omedetou nee-sama e Naruto. – Hanabi abraçou a irmã.

- Isso é maravilhoso. Você será um ótimo irmão mais velho, Boruto. – Hiashi disse ao neto, que estufou o peito, orgulhoso de si mesmo.

- Já foi se consultar? – Hanabi perguntou.

- Hai. Sakura está me acompanhando. – Hinata respondeu. – Ela disse que estou com cinco semanas ainda. Queríamos contar a vocês logo. – Ela olhou para o marido e o viu assentir com um sorriso no rosto.

- Fico tão feliz! Mais um sobrinho pra mim! – Hanabi exclamou empolgada. – Está ansioso para ver o bebê, Boruto?

- Haaai! – O loirinho praticamente gritou de animação. – Tou-chan disse que só vamos ver o bebê quando a barriga da kaa-chan estiver deste tamanho. – Ele gesticulou com as mãos para demonstrar o maior tamanho possível e Hanabi riu.

- Oh sim, o bebê tem que crescer antes de vir pra cá. – Ela concordou com o sobrinho com um sorriso.

- Mas como ele chega? – Boruto perguntou curioso e Naruto gargalhou ao ver a expressão constrangida de Hanabi.

- Tia Sakura vai trazer o bebê pra gente na hora que nascer, filho. – Naruto explicou e o menino assentiu, fazendo um “o” com a boca.

- Mas vai demorar? – Boruto perguntou. Tinha herdado a mesma impaciência do pai e Hiashi riu.

- Vai demorar alguns meses, Boruto. – O Hyuuga explicou e o loirinho bufou.

- Não se preocupe, filho, o tempo vai passar rápido. – Naruto disse, passando a mão nos cabelos loiros do pequeno Uzumaki. – Fiquei tão ansioso quando descobrimos que você estava na barriga da sua mãe que o tempo voou.

- Só se for pra você. – Hinata resmungou e Hanabi riu. Continuaram conversando e distraindo o pequeno loirinho. No fim do dia, decidiram visitar Iruka para contar as boas notícias. O mais velho ficou tão feliz que até chorou de emoção, abraçando Hinata com carinho. Ele sentia falta da Uzumaki na Academia Ninja, mas compreendia que ela saiu do emprego para criar o filho e acompanhá-lo de perto, já que Naruto continuava fazendo as missões.

 

-- x --

 

- Acorda kaa-chan, é hoje! – Hinata sentiu os ombros serem balançados e abriu os olhos, se deparando com as orbes azuis do filho que sorria animado.

- Boruto, o que foi que combinamos? – Naruto entrou no quarto com a expressão brava. O loirinho corou com vergonha e baixou a cabeça. – Temos que tomar cuidado com a mamãe.

- Naruto-kun, tudo bem. Foi o melhor jeito de acordar. – Hinata beijou as bochechas rosadinhas do filho, que a abraçou e sorriu de volta.

- Fizemos o café. – Boruto disse sorridente e a mulher sorriu. Hinata acabara de entrar no quarto mês de gravidez e Naruto e Boruto contavam os dias para a consulta com Sakura em que descobririam o sexo do bebê. Eles guiaram a Uzumaki para a cozinha e sentaram os três para tomar o café-da-manhã preparado por Naruto e Boruto.

- Está uma delícia! – Hinata exclamou quando provou as comidas cuidadosamente colocadas na mesa e viu Boruto sorrir orgulhoso. Ela amava a forma como o filho sempre os ajudava, era um bom menino. Assim que terminaram, Hinata e Naruto arrumaram a mesa e lavaram a louça.

O Uzumaki, com muito custo, deixava a esposa fazer coisas em casa, não queria que ela se desgastasse. Hinata achava a preocupação do marido fofa, mas tentava acalmá-lo sempre que podia. Ela caminhou até o quarto do filho e o ajudou a escolher uma roupa e se trocar, indo depois até o próprio quarto para colocar uma roupa para a ida ao hospital.

- Vamos kaa-chan! Você tá demorando! – Boruto a puxava para fora do banheiro e Naruto riu da ansiedade do filho.

- Calma garotão. Nós já estamos saindo. – O loiro pegou o corpo do filho e o segurou nos braços. Hinata trancou a casa e juntos partiram para o hospital. Chegando lá, se dirigiram à recepção, informando à mulher que tinham uma consulta com Sakura.

- Venha comigo, por favor. – A recepcionista guiou os três até a sala de exames e pediu para que aguardassem a chegada da rosada.

- Olhe Boruto, Sakura-chan vai usar essa máquina para ver o bebê dentro da barriga. – Hinata apontou para o aparelho de ultrassom. – E depois nós podemos levar uma foto dele ou dela pra casa.

- Mas ele já sabe sorrir? – Boruto perguntou curioso.

- Ainda não, filho. Quando o bebê nascer você pode ensinar. – Hinata respondeu e o loirinho sorriu animado. A porta se abriu e viram Sakura entrando com um sorriso no rosto.

- Boruto, como você cresceu! – Sakura exclamou e abraçou o loirinho. Ela cumprimentou o casal. – Como você está, Hinata? Os enjoos diminuíram?

- Estou bem, Sakura. Ainda estou enjoando bastante. Até mais que quando estava grávida do Boruto. – Ela disse.

- Tudo bem, não se preocupe. Cada gravidez é diferente. – Sakura disse e convidou a amiga a se sentar na maca e levantar a blusa. A rosada trouxe a máquina de ultrassom para perto e Boruto se aproximou para olhar a tela.

- Cadê? Cadê? – Ele perguntou e Sakura riu.

- O bebê está mexendo, vamos procurar o coração primeiro pra saber se está tudo bem. – Sakura disse. Ela ia mexendo o aparelho e apertava as teclas até focar na informação que pai e filho esperavam ansiosamente. – Está tudo bem com o bebê e, pelo ultrassom, Boruto vai ser irmão mais velho de uma menina. – Sakura declarou e Naruto sorriu largamente.

- Uma menina? – Hinata perguntou e viu a Uchiha assentir. Sorriu também, acariciando a barriga.

- Aposto que ela vai ser linda como você, aisuru. – Naruto disse, beijando a esposa com carinho. – O que acha Boruto? Vai cuidar da sua irmãzinha?

- Só se ela não for chata como a Sarada. – O loirinho declarou e Naruto teve que segurar a amiga para não bater no filho.

- Boruto, não é legal irritar Sakura-chan. – Naruto disse baixinho para o filho depois que Sakura se acalmou. – Onde você acha que a Sarada aprendeu a ter aquele temperamento? – Sussurrou e o loirinho riu.

- Parabéns, Hinata! Vocês duas estão muito bem. Quanto aos enjoos, tente a técnica do gelo, pode ser que diminua. – Sakura disse enquanto limpava a barriga da amiga com um lenço. Hinata a abraçou quando terminou.

- Obrigada! – Disse com felicidade e a rosada sorriu, retribuindo o abraço. Os três saíram do hospital e resolveram levar o filho para brincar no parque. Boruto se balançava enquanto Naruto e Hinata se sentaram na grama abraçados.

Eles observavam o loirinho brincando e Naruto acariciava a barriga já redondinha de Hinata. A mulher se apoiou no peitoral do marido, sentando-se entre suas pernas e aproveitando a brisa refrescante que passava por perto.

- Eu estou tão feliz pela nossa menina. – Naruto disse em júbilo, mas sua expressão logo se fechou. – Oh cara, vamos ter uma menina.

- Por que eu estou pressentindo que você vai ser pior que o Sasuke? – Hinata perguntou com ironia e o loiro a olhou sério.

- Espero que Sasuke não tenha mais um filho senão eu vou ouvir até o fim dos meus dias. – Naruto resmungou e ouviu a esposa rir.

- Eu estava pensando em um nome. – Hinata mudou o assunto para livrar o loiro de sua angústia.

- Mesmo? Qual? – Naruto perguntou curioso.

- Quando eu fecho os olhos e penso na nossa menina, imagino que ela vai ser sorridente como o Boruto e linda como uma flor. – Hinata fechou os olhos imaginando uma menina correndo ao lado do filho e sorriu. – Você me disse uma vez que leva girassóis ao túmulo dos seus pais, pois fazem você se lembrar deles. E já que homenageamos Neji com nosso filho, pensei em chamarmos nossa filha de Himawari. – Hinata aguardou a reação do marido, que rapidamente grudou os lábios nos dela.

- Himawari. – Ele repetiu sorrindo bobo. – Bonita como uma flor. Eu adorei. – Naruto declarou sorridente e chamou Boruto. – Mamãe escolheu o nome da sua irmã.

- Mesmo? – Boruto perguntou ansioso e olhou com expectativa para a morena.

- Himawari. – Ela disse e o loirinho parou para pensar.

- Como a flor? – Perguntou novamente pensativo.

- Sim, uma flor para todos nós cuidarmos. – Naruto disse e viu o filho sorrir.

- Eu gosto. – Boruto falou e encostou a mão na barriga da mãe. – Ei Himawari, não demora muito, ok? Nós vamos brincar bastante. – O loirinho deu um beijo no ventre de Hinata, que observava a cena com os olhos marejados. Ela não poderia pedir mais em sua vida.

 

-- x --

 

- Hinata, quer um copo de água? – Ino perguntou e a morena assentiu. Serviu a amiga do líquido e observou novamente as crianças que brincavam no quintal: Boruto, Shikadai e Inojin. – Quem diria que eles se dariam tão bem, não é? – A loira disse, olhando os filhos.

- É mesmo. Se alguém me dissesse que minha vida seria assim anos atrás, eu provavelmente não acreditaria. – Ela disse rindo baixo.

- Eu também provavelmente não acreditaria. É tão estranho. – Ino falou. – Às vezes penso no meu pai. Acho que ele estaria feliz e orgulhoso quando visse minha família. – Hinata concordou com a cabeça.

- Eu tenho certeza que sim. Foi por causa do que ele e Shukaku fizeram, que nós estamos aqui hoje. Eu penso a mesma coisa quando me lembro de Neji nii-san. – A morena confessou com a voz levemente embargada.

- Oh droga, esqueci dos hormônios da gravidez. Desculpe Hinata. – Ino pediu, oferecendo um lenço à Uzumaki.

- Tudo bem. Eu gosto de pensar nele e nos pais do Naruto-kun também. – Hinata declarou. – Eu olho pra minha família e fico feliz por saber que estamos oferecendo a ele algo que ele quis por anos. – A Uzumaki se sentia em paz por dar ao marido uma família feliz e que o amava muito. Boruto era sempre uma criança animada e amorosa, admirava o pai acima de tudo e esse laço era algo que aquecia cada vez mais o coração de Naruto.

- Eu entendo como se sente. Sai também passou por tanta coisa, vê-lo feliz é muito bom. Ele adora ser pai. – Ino disse, olhando para as crianças brincando. – E então, como está essa menina linda? – Perguntou, afagando a barriga protuberante da Uzumaki.

- Está indo muito bem. É engraçado como Himawari é diferente do Boruto, eu senti mais enjoos e acho que até estou mais inchada – Hinata disse. – Minhas costas doem quase todos os dias. Eu tinha me esquecido desse detalhe da gravidez.

- Eu já avisei ao Sai que a fábrica fechou por aqui desde que o Inojin nasceu. – Ino disse rindo e a amiga a acompanhou.

- Apesar de tudo, eu gosto demais de estar grávida de novo. Fico feliz que Boruto vai ter uma irmã, eu amo ter a Hanabi. – Declarou e viu a amiga assentir. Conversaram por horas enquanto as crianças ainda brincavam até que Ino ouviu a porta da frente se abrir e Sai entrar junto com Naruto e Shikamaru.

- Pai! – Inojin veio correndo até o Yamanaka e o abraçou.

- Sai! – Ino foi andando até o marido para beijar seus lábios. – As crianças estão no quintal com Hinata.

- TOU-CHAN! – Boruto gritou e o Uzumaki saiu correndo ao encontro do filho. Ao chegar ao quintal, viu o loiro debruçado na barriga da mãe rindo.

- Boruto, o que foi? – Naruto perguntou, respirando fundo aliviado quando viu que o filho e a esposa estavam bem. – Não esmague a Himawari, filho.

- Himawari me chutou. – Boruto disse, passando as mãos na barriga da mãe, maravilhado. – Kaa-chan disse que ela tá brincando. – O Uzumaki sorriu para o filho e tocou o ventre da esposa, sentindo o sutil chute da filha.

- Acho que ela já gosta de você. – Naruto disse sorrindo para o loirinho. Boruto beijou a mãe, também feliz.

- Eu amo a Himawari – Declarou abraçado à irmãzinha.

- Vamos pra casa? Podemos passar na lanchonete e comer hambúrguer no caminho. – Naruto sugeriu e Boruto logo estendeu os braços para que o pai o pegasse no colo.

- Hambúrguer! – Boruto exclamou sorridente e Hinata riu. Naruto e Boruto partilhavam a mesma paixão por comida, o que o pai tinha de apaixonado por rámen, o loirinho tinha por hambúrguer. Hinata agradeceu Ino e Sai pelo convite e pelo chá que tomaram juntas e se despediu.

O casal caminhou pela vila até a lanchonete com Naruto carregando Boruto nas costas. O pequeno Uzumaki desceu rapidamente para encontrar uma boa mesa para os três. Naruto retirou os pedidos que já sabia de cor e levou os sanduíches para a mesa em que sua família estava sentada. Comeram juntos enquanto conversavam. Naruto contou à esposa sobre o projeto de construção de um trem na vila, já que o local aumentou consideravelmente.

Hinata ficava feliz por ver o marido tão empolgado com os avanços da vila, ela sentia o mesmo quando observava o quanto Konoha cresceu, evoluiu e estava ficando cheia de pessoas, adolescentes e crianças. Não havia nenhum resquício sequer da destruição que enfrentou no passado. Quanto terminaram, os três foram juntos para casa, cada um segurando uma mão de Boruto e levantando o filho pelo caminho, que ria abertamente.

Quando chegaram ao apartamento, Naruto levou o pequeno Uzumaki para tomar banho, colocar um pijama e se preparar para dormir. Hinata preparou um copo com leite quente e outro com água para levar ao quarto do filho. Ao entrar, viu Naruto colocando o loirinho na cama, o pequeno sorriu quando viu a mãe com o leite e tomou o líquido morno com satisfação. Hinata se deitou ao lado de Boruto enquanto o pai contava-lhe sobre uma das missões que fez no passado com Hinata.

Quando terminou, Naruto viu Boruto dormindo profundamente agarrado à mãe que também ressonava, coberta pelo sono. O loiro sorriu, sentindo-se extremamente feliz pela visão e imaginou também como seria maravilhoso quando sua flor estivesse junto deles. Delicadamente, tomando muito cuidado para não acordar nenhum dos dois, Naruto passou os braços no pescoço e pernas de Hinata e a içou, guiando a esposa adormecida até o quarto.

- Naruto-kun. – Ouviu a morena chamar seu nome, aconchegada aos seus braços e percebeu que ela sonhava com ele. Deu um beijo em sua testa quando pousou o corpo delicadamente no colchão e a cobriu. Pegou seu pijama e trocou a roupa, indo se deitar ao lado de Hinata e segurando o corpo pequeno nos braços.

Naquela noite, Naruto sonhou com seus pais brincando com Boruto e Himawari. Ele tinha a visão de sua família inteira, incluindo Hiashi, Hanabi, Neji e Iruka, todos sorridentes numa reunião de família. Apesar de tal visão não ser a realidade deles, Naruto sentia a felicidade o inundando todos os dias assim como sentiu em seu sonho.

 

-- x --

 

Hinata e Boruto arrumavam a mesa do almoço enquanto Hanabi terminava de preparar a carne com legumes na cozinha, a Hyuuga estava alternando turnos com Naruto, Konohamaru e Kurenai para acompanhar com Hinata, que já tinha atingido as 37 semanas de gravidez. Afinal, Boruto, apesar de ajudar muito a mãe e ser um bom menino, era muito serelepe e a Uzumaki não conseguia acompanhar tão bem seu ritmo. Naruto tinha pedido a Kakashi para diminuir sua carga horária nos treinamentos, assim o loiro ficava mais tempo em casa para dar atenção ao filho.

- Terminou tudo, Boruto? – Hanabi perguntou e o loirinho levantou os polegares para ela. – Cuidado que eu vou passar com as panelas quentes. – Disse e viu Boruto se afastar da mesa para Hanabi colocar as coisas corretamente. A Hyuuga olhou para a irmã e franziu a testa. – Nee-sama, está tudo bem? – Perguntou preocupada. Hinata respirava fundo e olhou o relógio.

- Hai. – Ela respondeu, normalizando a respiração. – Estou começando a ter contrações. – Disse calmamente e viu Hanabi arregalar os olhos. Hinata riu. – Calma, ainda não está na hora.

- Na hora de quê? – Boruto perguntou.

- De conhecermos Himawari. – Hanabi explicou e viu o menino sorrir. – Tem certeza, nee-sama? Eu posso mandar chamar o Naruto.

- Não, as contrações precisam ficar menos espaçadas pra isso acontecer. É normal sentir algumas durante o dia antes de entrar em trabalho de parto. Vamos esperar e cronometrar pra não dar alarme falso. – Hinata disse e viu a irmã concordar.

- Como é que você consegue ficar tão calma? – Hanabi perguntou e viu a irmã mais velha rir.

- Porque meu marido já é desesperado o suficiente por nós dois – Hinata disse ao se lembrar de uma contração que sentiu na semana anterior e Naruto prontamente ligou para Sakura de madrugada. A rosada quase o matou.

Almoçaram juntos e Hanabi insistiu para que Hinata fosse se deitar um pouco no quarto, ela estava com o rosto um pouco abatido, parecia bem cansada. Enquanto isso, a Hyuuga fez Boruto escolher alguns de seus filmes preferidos e lhe prometeu uma maratona de filmes enrolados no sofá. Boruto adorou a ideia, pegando o lençol de sua cama, levando à sala e separando os filmes que queria assistir com a tia.

Hinata conseguiu tirar um cochilo de uma hora, mas logo acordou incomodada e sentindo outra contração. Ela se levantou, decidindo andar um pouco pelo apartamento e depois se juntou a Hanabi e Boruto que faziam comentários animados sobre os filmes que assistiam. Conforme o tempo passava, Hinata percebeu que o intervalo entre as contrações começava a diminuir e a intensidade delas aumentava de leve.

- Hanabi, eu vou tomar um banho e voltou logo. – A Hyuuga lhe deu um olhar significativo e Hinata retribuindo, indicando que ainda não era a hora. Tentavam se comunicar de forma discreta para não agitarem Boruto ou deixarem o loirinho preocupado. – Coloquem o próximo filme que eu faço um pouco de pipoca depois.

- Oba! – Boruto exclamou feliz e preparou o DVD no aparelho. Hinata se retirou para o quarto e, lentamente, tirou as roupas. Decidiu tomar o banho na banheira, a água morna ajudava a relaxar seu corpo das dores. Sentiu novamente outra contração e agarrou as bordas da banheira com força.

Quando olhou para baixo, percebeu que tanto o tampão quando a bolsa haviam estourado e Hinata logo sentiu outra contração, dessa vez bem mais forte que as outras. Respirou fundo, concentrando-se no som da água para se acalmar. Ela se levantou devagar e foi se secando no quarto até sentir a dor novamente ao começar a se trocar. Começou a se preocupar, estava evoluindo mais rápido de quando Boruto nasceu.

- Hanabi! – Chamou a irmã e logo a viu entrar no quarto junto com o marido. Não tinha ouvido o loiro chegar quando estava no banheiro.

- O que foi, Hinata? – Naruto perguntou preocupado, amparando a esposa nos braços que só tinha conseguido vestir a calcinha e o top.

- Naruto-kun, precisamos ir rápido ao hospital. – Ela disse e apertou forte as mãos do marido, sentindo uma nova onda de dor que começava na lombar e se estendia até o ventre. O loiro ajudou a Uzumaki a se vestir e pegou as coisas para levarem ao hospital.

- Hanabi, eu vou levá-la com o jutsu, leve Boruto enquanto isso, pode ser? – Pediu e viu a cunhada assentir.

- Leve-o pra passear antes, não sabemos quanto tempo vai demorar. – Hinata disse. Sabia que o filho era ansioso e impaciente como o pai, então não queria deixá-lo no hospital inquieto. Hanabi pegou uma das bolsas e foi atrás do sobrinho, chamando para dar uma volta com ele e tomar um sorvete. Boruto, sem perceber a atmosfera ao redor, deixou-se levar pela tia, se despedindo dos pais com um sorriso no rosto.

- Tome, coloque os chinelos. – Naruto se agachou para colocar os calçados na esposa e colocou a outra bolsa no ombro. Depois, segurou Hinata nos braços e usou o Hiraishin no Jutsu para chegar rapidamente ao hospital. Hinata segurou sua mão novamente, cerrando os dentes com outra contração.

O loiro a segurou no colo e entrou, falando com a atendente de forma desesperada. Apesar da nuvem de dor pelas contrações, Hinata não deixou de rir do marido, Naruto nunca mudaria. Eles entraram numa sala de parto e aguardaram por Sakura.

- Hinata, como está? – A Uchiha perguntou, colocando luvas e se aproximando da morena. Hinata esmagava a mão de Naruto pela quinta vez e o loiro apenas permanecia calado, oferecendo água e enxugando o rosto dela.

- Sakura, as contrações estão mais rápidas desde que a bolsa estourou. – Hinata estava um pouco assustada e preocupada com a filha.

- Qual o tempo de intervalo? – Perguntou.

- Dois minutos. – Naruto respondeu e olhou a amiga com angústia.

- Calma. Geralmente o parto do segundo filho é menos demorado. Vamos examinar a Himawari e ver a dilatação. – Sakura pegou a máquina de ultrassom e o monitor de batimentos cardíacos para examinar o bebê. – Boruto está com quem? - A rosada perguntou, tentando distrair a cabeça da Uzumaki.

- Hanabi o levou para tomar sorvete. – Respondeu, aos poucos, tentando relaxar. – Não queríamos trazê-lo logo e deixá-lo esperando por horas.

- Entendo. – Sakura disse e sorriu para a amiga. – Olhe só, os batimentos dela estão bons e a Himawari está bem posicionada. Sua dilatação está progredindo rápido, vou começar a preparar as coisas para o parto. Fique tranquila, ok? – Sakura disse e viu Hinata assentir. – Naruto, bastante água. Você já sabe como é. – Ordenou e viu o loiro assentir.

Próximo ao hospital, Hanabi levou Boruto para tomar um sorvete, tentando distraí-lo antes de levar o menino ao hospital. Lembrou-se de ficar bastante tempo esperado quando Boruto nasceu, então presumiu que Himawari demoraria algumas horas para nascer.

- Podemos levar sorvete para kaa-chan? Himawari gosta de sorvete. – Boruto pergutou à tia que sorriu.

- Que tal buscarmos sorvete amanhã para sua mãe? Ela e seu pai foram até o hospital para tia Sakura ver se Himawari já quer nascer. – Explicou da forma mais simples que conseguiu pensar. Boruto ficou pensativo.

- Eles vão demorar? – Perguntou enquanto lambia o doce gelado.

- Demora um pouco, Boruto. Daqui a pouco vamos vê-los, ok? – Hanabi viu o sobrinho assentir. – Primeiro vamos terminar o sorvete e avisar Iruka e Otousan. – Ela viu o loirinho sorrir, ele gostava bastante de visitar os avôs e ambos os homens eram apaixonados pelo neto.

Boruto terminou seu sorvete e Hanabi o levou até a casa de Iruka para dar a notícia sobre Himawari. O menino estava radiante já imaginando que poderia conhecer e finalmente brincar com a irmã. Depois, os dois foram até a residência dos Hyuuga para Hanabi avisar o pai. Eles iriam juntos ao hospital e ficariam de olho em Boruto.

- Ok Hinata, chegou a hora de começar a empurrar. – Sakura olhou os sinais vitais da amiga. – Consegue subir de volta na maca? – Perguntou e viu a amiga assentir, tentando voltar. A rosada logo percebeu a Uzumaki ofegante e com a expressão contorcida. – O que você está sentindo?

- Minhas costas doem mais. – Hinata reclamou ofegante. – Sinto como quando Boruto chutava minhas costelas e não conseguia respirar.

- Ok, vamos fazer diferente. – Ela estendeu a mão para a amiga e junto com Naruto a desceram da mesa. Sakura buscou um dos bancos do hospital especiais para partos e o colocou na sala. – Vamos tentar com você sentada no banco, vai se sentir melhor. – Sakura orientou a amiga e a se sentar e pediu a Naruto para apoiar as costas dela, segurando-a pelos braços.

- Vai dar tudo certo, estou aqui. – O loiro deu um beijo na nuca da esposa e ela respirou fundo.

- Muito bem, Hinata. Você já sabe como fazer. Empurre quando a contração vier. – Sakura orientou e aguardou que a amiga sentisse a barriga endurecer e começasse a fazer força. Hinata apertava os braços de Naruto, se apoiando e rangendo os dentes enquanto tentava empurrar Himawari para o mundo.

Aos poucos, com a orientação calma e precisa de Sakura, a Uchiha conseguiu ver a cabeça cheia de cabelos escuros aparecendo. Incentivou a amiga a empurrar novamente e Hinata a obedeceu, colocando tudo de si a cada empurrão. A Uzumaki gritou pela dor, sentindo-se ofegante e quase desmaiou, mas tinha algo a terminar e precisava muito ver o rosto de sua menininha.

Sakura aguardou por mais uma contração e pediu para a mulher fazer força pela última vez, expulsando de dentro de si o pequeno corpo do bebê. Logo, ouviram o choro de Himawari invadir a sala e Hinata sentiu novamente os olhos marejarem. Sakura embrulhou a pequena Uzumaki em um pano e estendeu para a amiga enquanto preparava para cortar o cordão umbilical.

- Himawari, você está aqui! – Hinata segurou a filha nos braços emocionada.

- Ela é linda como você! – Naruto disse, esfregando os olhos e tentando conter as lágrimas de felicidade. Himawari tinha os cabelos lisos como os de Hinata e um pouco mais claros que os da mãe. Nas bochechas, tinha as marquinhas iguais as de Boruto: os dois risquinhos em cada lateral. Hinata tocou o rosto da filha, que instantaneamente parou de chorar desde que foi colocada nos braços da Uzumaki.

- Eu adoro essas marquinhas. É tão você. – Ela disse, olhando para Naruto. O loiro beijou a mulher com amor e admirou a filha novamente até que Sakura se aproximou.

- Ela é linda demais, parabéns! – Disse ao casal. – Vou limpá-la e mudamos vocês de quarto enquanto isso. Foi muito bem, Hinata. – A rosada pegou o bebê com cuidado, que logo recomeçou a chorar. A equipe médica limpou e levou Hinata para outro quarto e Naruto aproveitou para dar uma camisola limpa à mulher. Sakura voltou com a pequena Uzumaki ainda chorando em seus braços.

- Calma, filha. Mamãe e papai estão aqui. – Disse Hinata, acomodando o bebê em seus braços. Assim que ela parou de chorar, a morena se preparou para amamentá-la.

- Eu vou ver Boruto e Hanabi. – Disse Naruto e a mulher assentiu enquanto acariciava a filha. Naruto saiu pelo corredor, caminhando até a sala de espera e viu o filho dormindo encostado em Akamaru. Já era tarde da noite. Assim que o loiro entrou na sala, Hiashi, Hanabi e Iruka o olharam em expectativa junto com Kiba e Shino que tinham encontrado com a Hyuuga no caminho e se ofereceram para ajudar a distrair Boruto.

- Como eles estão? – Hanabi foi a primeira a se levantar e perguntar.

- Muito bem. Himawari é linda, ela se parece com Hinata. – Naruto disse como o pai orgulhoso e olhou para o filho. – Obrigado por ficarem com ele.

- Ele está ansioso para conhecer a irmã, queria ficar acordado a noite toda, mas Shino conseguiu vencê-lo pelo cansaço. – Hanabi disse rindo e o loiro a acompanhou.

- Vocês querem vê-la? – Naruto perguntou e viu a família assentir. – Acho que dá para todos entrarem, exceto Akamaru. – Naruto viu o cão uivar baixo.

- Você vai vê-la depois, Akamaru. – Kiba disse. Naruto pegou Boruto no colo, acomodando o filho nos braços sem acordá-lo e guiou a família e amigos até o quarto de Hinata e Himawari.

- Naruto-kun, ela abriu os olhos antes de dormir. – Hinata disse com alegria, quando o loiro saiu do quarto, a pequena Uzumaki abriu os grandes olhos azuis como os de Boruto para a mãe. Hinata estava completamente apaixonada. – São iguais aos seus e de Boruto. – Ela viu o marido sorrir com alegria.

- Nee-sama, ela é tão linda! – Hanabi exclamou o mais baixo que conseguiu. Olhou as bochechas rosadinhas de Himawari e sorriu.

- Ela se parece com você, filha. – Hiashi declarou maravilhado ao olhar a neta. Hinata estendeu a filha para que ele a segurasse um pouco.

- Agora sim, esse é um bebê bonito. – Kiba brincou, provocando Naruto e Hinata riu.

As visitas ficaram um pouco no quarto até que se despediram da família. Naruto declarou que era melhor Boruto ficar com eles e, caso precisasse, chamaria Hanabi para ajudar. Não queria que o filho se sentisse de lado. Naruto colocou Boruto para dormir no pequeno sofá do quarto e colocou Himawari no pequeno berço, admirando a beleza da filha.

Quando a bebê chorou pela primeira vez, Boruto acordou um pouco assustado e viu o pai pegando a menininha no berço e entregando a Hinata para alimentá-la. O loirinho coçou os olhos, despertando aos poucos e viu que Naruto se sentou ao seu lado sorrindo.

- Você quer conhecer sua irmãzinha, filho? – Naruto perguntou e viu o menino assentir animado. – Temos que falar baixinho e tomar cuidado ok? Himawari é pequenina e frágil. – Explicou com paciência e viu o pequeno Uzumaki assentir. Naruto pegou o filho no colo e sentou Boruto ao lado da mãe, para que pudesse ver bem a irmã.

- O que ela tá fazendo? – Boruto perguntou ao ver a pequena sugar o leite de Hinata avidamente.

- Ela está tomando leite. Você também fazia isso quando nasceu. – Hinata explicou, inclinando o corpo para mostrar a filha aos dois. – Ela ainda não sabe comer, vai ficar tomando leite por um tempo.

- Então ela não come hambúrguer ainda? – Boruto perguntou um pouco desapontado e o casal riu.

- Ainda não filho. Ela precisa crescer e ficar forte antes de comer hambúrguer. Que nem você. – Naruto explicou. Boruto, timidamente, tocou um dos pezinhos de Himawari e fez um carinho com cuidado.

- Ela é bonita. – O loirinho disse admirado. Sorriu para a irmã que passeava os olhos azuis pelo quarto, fixando-se a maior parte do tempo em Hinata.

- Você pode falar com ela, filho. Ajuda a fazê-la dormir se falarmos baixinho. – Hinata disse quando mudou a filha de lado para continuar mamando.

- Amanhã eu vou te mostrar todos os meus brinquedos, Himawari. Mas você não pode quebrar, tá legal? – Boruto disse e se desembestou a conversar com a irmã, fazendo planos para quando voltassem ao apartamento. Boruto tagarelou até que ele mesmo e irmã dormissem. Quando Naruto o colocou de volta no sofá, percebeu que ele dormia sorrindo.

- Aishiteru anata. – Hinata declarou quando o loiro veio buscar a filha para depositar no berço de novo. Ele deu um beijo longo em seus lábios, acariciando o rosto da mulher.

- Aishiteru mo, aisuru. – Declarou apaixonado. Naruto deitou-se no sofá com Boruto para cochilar, já sabendo a rotina que viria pela madrugada com a filha. Entretanto, isso só o fazia se sentir mais feliz e mais completo. Tinha no quarto tudo o que desejava: a mulher que amava, um filho serelepe e carinhoso e uma filha linda.

 

-- x --

 

- Está tudo pronto, Naruto-kun? – Hinata andou até o jardim do pequeno salão de festas. Naruto e Konohamaru penduravam uma faixa com os dizeres “Feliz aniversário Boruto” próximo a uma mesa decorada pela própria Uzumaki.

- Tudo arrumado por aqui. – O loiro respondeu com um sorriso e mostrando o polegar à esposa. Ela sorriu de volta, voltando para buscar o restante das comidas e o bolo que havia assado para o filho e decorado com grande capricho.

- Kaa-chan, Himawari tá chorando. – Boruto trouxe a irmã pelas mãozinhas para perto de Hinata, a morena colocou o bolo e olhou para o filho.

- O que acha, filho? – Perguntou com expectativa. Boruto parou para olhar a mesa decorada e a faixa e sorriu.

- Uau! – Foi a exclamação do loirinho. Hinata afagou seus cabelos e se inclinou para segurar Himawari no colo, a pequena tinha apenas dez meses de idade e vivia atrás de Boruto e Naruto. Hinata podia ver o quanto Himawari adorava os dois e seu marido e filho amavam a pequena morena de todo o coração.

- Hima, por que está chorando? – Hinata perguntou carinhosa, afagando a menina e a embalando devagar. A menina logo se aconchegou à mãe, abraçando seu pescoço e mexendo nos cabelos longos de Hinata, a pequena Uzumaki adorava tocar os cabelos da mãe.

- O que foi, princesa? – Naruto se aproximou das duas, beijando o topo da cabeça de Himawari. A menina sorriu para o pai e se jogou para o colo dele, que a segurou com um sorriso no rosto.

- Himawari é puxa-saco. – Konohamaru brincou e Hinata riu.

- Não precisa ter ciúmes só porque eu tenho duas lindas mulheres pra mim e você nenhuma. – Naruto jogou língua para o amigo, segurando a esposa pela cintura.

- Não precisava colocar as coisas assim. – Konohamaru fingiu estar triste e a Uzumaki riu mais.

- Konohamaru nii-chan vamos brincar? – Boruto surgiu, se agarrando às pernas do Sarutobi.

- Bem, você é quem manda. É seu aniversário Boruto. – O moreno disse e viu o loirinho sorrir satisfeito.

- Boruto está fazendo 5 anos, dá pra acreditar? – Hinata disse para o marido que sorriu e depositou um beijo singelo em seus lábios.

- Eles crescem muito rápido. – Declarou e viu Hinata assentir. O casal terminou de verificar se estava tudo pronto até que os primeiros convidados chegaram. Hinata recebeu Sakura e Sarada, que vieram junto de Ino, Sai e Inojin. A morena abraçou as amigas e cumprimentou as crianças com um largo sorriso.

Aos poucos, cada convidado ia chegando. Naruto e Hinata fizeram questão de convidar os amigos, inclusive Gaara e shinobi de outras vilas. O ruivo chegou junto de Temari, Shikamaru e Shikadai. O pequeno filho dos Nara já logo saiu correndo para brincar com Boruto e Inojin, eram bons amigos desde sempre e os pais gostavam de vê-los se dando bem. Gaara trazia Shinki de um lado e acompanhava a esposa do outro lado, segurando a pequena filha do casal, que nomearam Karura, em homenagem à mãe do ruivo.

Apesar de adotado, Shinki parecia ter herdado toda a personalidade calada e um pouco retraída do pai, o que os amigos achavam até engraçado. Shinki tinha uma grande admiração por Gaara e o amava de todo o coração por ter sido salvo pelo Kazekage. Naruto se aproximou do amigo e o abraçou meio de lado, pois ainda segurava Himawari no colo.

- Gaara! Que bom que veio! – Ele exclamou feliz. – Como foi a viagem?

- Bem tranquila. Ter os trens agora deixou tudo mais rápido e melhor quando preciso levar as crianças. – Respondeu e viu o loiro assentir. Várias linhas de trens tinham sido construídas, um projeto que passou sob a supervisão minuciosa de Naruto e Shikamaru e acabou por se mostrar um sucesso. O loiro cumprimentou Matsuri e sorriu para a menina de cabelos ruivos escuros no colo da mulher, Karura era a cara do pai, exceto pela cor dos cabelos, que parecia a mistura perfeita de Gaara com a esposa.

- Sua menina está linda, Gaara. Como ela pode ser tão fofa e parecer com você? – O loiro brincou e Gaara sorriu debochado.

- Do mesmo jeito que seu filho saiu a sua cara e ficou melhor que você. – Rebateu e Naruto riu. Ele guiou os amigos até uma mesa e conversou um pouco com Shikamaru e Gaara sobre as linhas de trens de Suna, trocando experiências de dicas. Himawari, aos poucos, se desvencilhou os braços do pai e foi direto para o chão, explorando a festa. O loiro a observava atentamente, entre conversas.

Hinata conversava com as amigas e recepcionava alguns dos convidados. Observou as crianças brincando perto dela e sorriu. Boruto teria muitos amigos, uma infância bem diferente do pai e ela ficava muito feliz por isso. Percebeu uma movimentação perto de si e viu Himawari caminhando até a mãe e estendendo os bracinhos gordinhos a ela. Hinata se abaixou para pegá-la no colo e Himawari logo encostou a boca em seu pescoço, babando a mãe.

- Isso tudo é fome, Hima? – Perguntou sorrindo. Se Hinata morria de orgulho quando as pessoas babavam na rua por Boruto, ela percebeu que Himawari arrancava ainda mais suspiros das pessoas. A pequena Uzumaki era um poço de fofura e deixava as pessoas ao redor derretidas por ela.

- Hinata, você está deixando minha sobrinha passando fome? – Hanabi brincou e a irmã riu.

- Jamais. Eu preparei uma mamadeira pra ela, você pode pegá-la pra mim? – Hinata pediu, apesar de ainda estar amamentando, decidiu deixar mamadeiras prontas para a filha por causa da festa.

Hinata quase nunca recorria a elas, no entanto, adorava tanto o contato com a filha quando se sentava com ela e ficavam juntas se admirando. Hanabi assentiu e saiu procurando a bolsa com as coisas de Himawari, pegou a mamadeira e voltou até a irmã. Hinata se sentou numa das cadeiras, ao lado de Sakura, e colocou a filha no colo, entregando a mamadeira para ela.

- Ela é tão fofa e calma. – Sakura disse, olhando para Hima com carinho. – Ela me lembra a Sarada.

- Oh sim, Boruto é sempre o mais serelepe. – A Uzumaki disse sorrindo. – Mas ele toma cuidado dobrado quando brinca com a irmã, não é a toa que Himawari vive grudada no Boruto. – Sakura sorriu para a amiga. – E Sarada, como está? – A rosada suspirou de leve.

- Fazendo algumas perguntas que não tenho como responder muito bem. – Sakura sabia que esse dia chegaria, Sarada estava começando a perguntar sobre o pai e querendo saber mais sobre ele. Às vezes, queria apenas que Sasuke pudesse voltar logo para casa e ficar um pouco com elas, sentia que a filha precisava também isso. Porém, cumpria sua promessa ao marido, cuidava bem da filha e se mantinha forte com a certeza de que ele as encontraria futuramente.

- Deve ser muito difícil. – Hinata disse solidária.

- Foi a nossa escolha, temos que conviver com isso, Sasuke-kun e eu. Mas queria que fosse mais fácil para Sarada. – A Uchiha declarou.

- Um dia ela vai entender. – Hinata disse com certeza. Sakura também almejava que a filha futuramente entendesse o sacrifício de Sasuke, afastar-se da família o dilacerava por dentro, mas era necessário para a segurança de Sakura e, principalmente, Sarada. Os dois abdicaram de muita coisa por essa decisão, mas sentia que era o certo a se fazer.

Assim que Himawari terminou a mamadeira, Hinata a colocou para arrotar e devolveu a filha ao chão, já que a pequena insistia em não dormir ainda. Aproveitou o tempo para servir o almoço e acompanhou Boruto enquanto preparava o pHrato do filho. O loirinho correu para se sentar ao lado do pai, orgulhoso por mostrar que já sabia usar os talheres.

Hinata observava os convidados da festa e sorriu. Seus amigos estavam bem e felizes, com suas famílias e seus sonhos se realizando. Viu Lee e Tenten trazendo o pratinho de comida de Metal Lee para almoçarem, o filho do casal era um menino animado com o pai e esforçado, porém, extremamente tímido, a ponto de congelar cada vez que percebia que era observado. Temari servia Shikadai, que esboçava sempre a expressão de tédio igual a do pai, o que muitas vezes deixava a loira aos nervos, o menino se mostrava uma criança extremamente leal e inteligente e Shikadai, mesmo com cinco anos, já partilhava o bordão conhecido do pai quando estava entediado.

Já o filho de Ino e Sai, Inojin, parecia ter puxado o jeito debochado do pai, além de seu talento e gosto para desenhos e pinturas. O loirinho passava horas brincando com suas tintas, desenhando tudo o que via pela frente. Hinata olhou para o outro lado e viu Chouji dividindo sua comida com a filha, Cho Cho. O grande Akimichi que jamais deixava alguém comer a última batatinha dos pacotes passou a deixar todas para a filha, que era seu xodó. Cho Cho era uma criança mais despojada e falava muitas coisas engraçadas, ela se dava muito bem com Sarada e as duas sempre brincavam juntas por aí.

Já Sarada era a completa cópia de Sasuke, inclusive no jeito como falava, soando um pouco entediada e debochada. Ela era uma perfeita Uchiha e, como todo Uchiha, vivia implicando com Boruto, o que rendia várias risadas por parte de Sakura e Hinata. Hinata olhou também para os filhos, seu pequeno loirinho barulhento como o pai e sua princesa sorridente e brincalhona. Ela não poderia se sentir mais completa.

Quando todos almoçaram, a Uzumaki preparou as velas para cantarem parabéns a Boruto. Naruto segurava o filho no colo e logo sentiu alguém puxando suas calças. Era Himawari também com as mãos estendidas e um biquinho no rosto. O loiro se abaixou e segurou os dois, um em cada braço, com um largo sorriso no rosto. Assim que acenderam as velas, cantaram a música de parabéns ao loirinho e Hinata segurou o filho e o apoiou para apagar as velas. Ela deu um beijo demorado em sua bochecha, fazendo-o rir e depois outro em Himawari. Por fim, selou os lábios nos de Naruto, que observava a família com orgulho.

- Obrigado. Eu nunca pensei que seria tão feliz assim. – Ele declarou com os olhos grudados nos da esposa. Então olhou para a filha no colo e a aproximou de Boruto. – Hima, dê um beijo no seu onii-chan, é aniversário do Boruto. – A menina babou a bochecha do pequeno Uzumaki e bateu palmas alegremente.

- Onii-chan! Onii-chan! – Ela exclamou com felicidade e todos pararam o que faziam para observar a menina.

- Não acredito! – Sakura riu.

- Droga! Eu realmente achei que ia ganhar a primeira palavra dessa vez. – Hinata brincou e riu.

- Oh Hima, você sabe bem como roubar a cena. – Naruto encheu a menina de beijos, que gargalhou abertamente.

Ali, do outro lado da festa, uma mulher observava a família com um sorriso brincando no rosto. Pensou com satisfação que estava vendo um dos homens que a conquistou realizar seus desejos mais profundos. Tsunade limpou uma lágrima teimosa que insistiu em lhe escapar enquanto lembranças invadiam sua mente.

“Eu acredito que ele é quem eu procuro. Sei que a missão é difícil, mas acho que para o filho de Minato, não há coisas impossíveis. Só quero também vê-lo ter aquilo que foi tirado tão cedo de Minato e Kushina, espero viver bastante para ver isso.” A voz de Jiraya veio à sua mente.

- Ele tem tudo agora, Jiraya. E vai ter mais, nosso menino será Hokage. Ele mesmo disse e não volta atrás com sua palavra. – Tsunade disse, olhando o céu límpido e azul e voltando seus olhares à família feliz que se prostrava à sua frente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...