História The Beginning of the End - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Drama, Família, Nalu, Revelaçoes, Romance, Survival, Violencia, Zumbi
Visualizações 597
Palavras 3.509
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura!
Capítulo totalmente narrado pelo Natsu, espero que gostem.

Capítulo 9 - Montanha.


Natsu

Abri meus olhos lentamente, sentindo o cheiro de um doce aroma, que lembrava-me muito o cheiro de uma flor, não sei especificamente o nome da flor, mas o cheiro é bom. 

Acabei notando que já havia amanhecido, e que o cheiro que lembrava-me uma flor, vinha dos cabelos de Lucy. Que estava dormindo em cima de mim, com sua cabeça apoiada em meu peitoral, e seu corpo jogado um pouco para o lado com uma de suas pernas entra as minhas. Ela parece feliz enquanto dorme, acho que esta tendo um bom sonho já que esta sorrindo, por esse motivo não quis me levantar, não queria acorda-la para a realidade, não agora. 

Aconcheguei-me melhor, e comecei mexer em seus cabelos. De alguma forma, gostei de toca-los, são macios, lisos, tem cheiro bom e tem alguns fios rebeldes que se embolam em outros e nunca ficam abaixados.

De repente, em meio a minha distração, levo um susto ao ver Erza batendo no vidro do carro que estava um pouco embaçado. 

Erza-Deveriam ter avisado que saíram para dormir aqui no carro! Fiquei preocupada quando não os vi na sala. -disse do lado de fora. - Tanto faz... -resmungou respirando fundo. - Vamos sair daqui quinze minutos, estejam prontos. 

Natsu-Vamos estar. -disse olhando-a se virar voltando para dentro daquela casa. - Ei, esta na hora de acordar... -disse balançando-a. 

Depois de alguns segundos balançando-a, vejo-a abrindo os olhos lentamente, olhando para todos os lados até finalmente soltar um bocejo e se erguer um pouco em cima de mim. 

Lucy-Amanheceu tão rápido... -disse soltando outro bocejo. 

Natsu-Sim... -disse encarando-a e ajeitando sua franja bagunçada. - Bem, temos que estar prontos em quinze minutos. -disse rapidamente parando de tocar em sua franja. 

Ela soltou mais um bocejo e começou a se mover para sair de cima de mim. Lucy certamente não é mais cuidadosamente em relação a mim depois que começamos a nos dar bem. Ela simplesmente sentou-se em meu colo, e em seguida abriu a porta do carro saindo. 

Não foi grande coisa, mas o suficiente para fazer o meu "amigo" acordar. Senti vergonha de mim mesmo, mas não consigo controlar isso. Sai do carro, torcendo para que ela não notasse nada de errado aqui em baixo. 

Lucy-Vocês fizeram bem em pegar aquelas roupas de frio. -disse fechando a porta do carro. - Ta um gelo aqui fora. -disse abraçando si mesmo na tentativa de se aquecer. 

Natsu-É melhor a gente entrar logo... Mas eu vou dar uma mijada. -disse, e na mesma hora me virei rapidamente, andando para o lado de um entulho. 

Virei meu rosto discretamente, olhando-a caminhar em direção a casa. 

Continuei andando e parei atrás de uma enorme geladeira enferrujada. Certamente me aliviar agora não é uma boa ideia, então apenas disse o que iria fazer para ela, e depois fiquei ali, pensando em mil coisas nojentas para o meu "amigo" se acalmar e voltar ao normal. 

Passou-se alguns minutos e tudo já estava calmo outra vez. De repente escuto passos apressados, me viro olhando para o lado e vejo Gray vindo em minha direção. 

Gray-Mandaram eu procurar por você. Lucy disse que você ficou para tirar água do joelho, e no meio do caminho deu vontade também... -disse virando-se em um canto para tirar sua "água do joelho". - Vamos sair daqui dez minutos.

Natsu-Entendido, eu vou indo na frente. -disse já caminho em direção a casa. 

Assim que entrei, deparei-me com Erza fazendo uma trança nos cabelos de Lucy. Sentei-me no sofá ao lado de Mavis e fiquei observando-a fazer a trança. 

Mavis-Está ficando lindo. -disse em um sussurro. - Faça uma trança no meu cabelo? -pediu-me.

Natsu-Eu não sei fazer esse troço complicado. -respondi e ela jogou-me um olhar de reprovação. 

Lisanna-Eu posso fazer para você, não é tão complicado assim. -disse entregando-me um revólver e se sentando ao outro lado de Mavis. 

Mavis-Obrigada. -agradeceu-a sorrindo. 

Natsu-Essa é a minha? -questionei-a. 

Lisanna-E de quem mais seria? -perguntou de volta com um sorriso. - Só você faz essas marcações de X em suas armas. 

Após ela dizer isso notei que tinha um X no cano da minha arma. Eu tenho essa mania, mas desejava não ter. Toda arma que pego, risco um X enorme aonde der. 

Levy-Eu perdi meu óculos no sofá... -disse meio sem jeito. - Poderiam se levantar rapidinho para eu procurar? -questionou nós três.

Rapidamente nos levantamos, ela passou sua mão nas dobras do sofá e de repente puxa seu óculo preto, colocando-o na mesma hora. Voltamos a nos sentar, esperando os dez minutos se passarem. 

Erza-Pronto. -disse olhando para trança que vez em Lucy. 

Lucy-Obrigada, é melhor preso do que solto. -disse passando sua mão na trança. 

Natsu-Eu prefiro solto. -disse e na mesma hora todos olharam para mim. - O que foi? -perguntei. - Só dei minha opinião. 

Erza-Sei, sei. 

De repente Jellal e Juvia passaram dando duas barrinhas de cereal para todos comerem agora. A fome é bastante, mas as vezes me esqueço dela já que tenho que me preocupar com mil coisas em um dia só. 

Gray-Voltei. -disse chutando a porta. - Opa, comida? 

Juvia-Toma! -alertou-o e jogou duas barrinhas de cereal em sua direção. 

Zeref-Eu quero saber quando vai me ensinar a usar uma arma. -disse pulando o sofá e se sentando ao meu lado. - Não sou uma criança. 

Natsu-Quando fizer dezesseis anos eu te ensino. Regras são regras. 

Zeref-E quando eu precisar lutar sozinho? -perguntou chamando atenção de Erza. - Erza, me desculpe... Mas essa regra que fez é ridícula. 

Erza-Ensine a esse garota a atirar quando chegarmos na montanha. -disse fazendo Zeref ficar surpreso e animado. 

Mavis-Eu também gostaria de aprender a atirar. -disse. 

Natsu-Eu ensino ao dois, pode deixar comigo. -disse poupando Erza dessa dor de cabeça grátis. 

Comemos nossas barras de cereais e em seguida pegamos nossas coisas indo para os carros. 

No primeiro carro (Dodge Charger 1969), ficou: Eu, Lucy, Gray, Juvia e Zeref. No segundo carro (Lamborghini aventador), ficou: Gajeel, Levy, Erza, Jellal, Mavis e Lisanna. Mavis foi no colo de Erza, era o único jeito de caber todos dentro do carro.

Eu abri o portão e o primeiro carro passou, Gajeel estava dirigindo, parecia uma criança. 

Erza-Vocês seguem o nosso caro, Mavis e Gajeel conhecem o caminho para a montanha que estamos indo, se pararmos o carro, vocês param. 

Natsu-Entendi. -disse concordando com a cabeça. 

Em seguida entrei no carro onde Lucy estava dirigindo outra vez. Fiquei no banco da frente ao lado dela, queria ensina-la a não "desligar" o carro ao fazer uma curva. 

-x-

Estávamos já a duas horas dentro desse carro, eu precisava esticar minhas pernas, mas só podíamos parar o carro se o carro da frente parasse. E de repente o carro deles virou, parando em um posto de gasolina, em seguida paramos também, saindo todos de dentro do carro aliviados em esticar nossas pernas. 

Erza-Vamos dar uma olhada dentro da loja, fiquem atentos! 

Lucy-Cara é tão bom poder esticar minhas pernas... -disse esticando suas pernas e em seguida braços. 

De repente estucamos o grito de Erza, olhamos rapidamente ela sair correndo de dentro da loja com Jellal e Gajeel. 

Natsu-O quê aconteceu? -perguntei já puxando o revólver. 

De repente, um zumbi extremamente gordo e alto aparece caminho em direção a eles. Eu nunca tinha visto um daquele tamanho, me surpreende saber que aquela coisa consegue andar sem suas pernas se quebrarem, mas ele anda lentamente. 

Juvia-Que lindo! -disse encantada. - Sabia que existe zumbis que comem zumbis? -questionou todos. 

Lucy-Hã? 

Juvia-Eu sei, parece estranho. Mas muito raramente, algumas pessoas que se transformam em zumbis tem uma pequena parte de seus cérebros que ainda funciona, é o instinto de sobrevivência deles! Então eles comem outros zumbis, e a infecção vai crescendo em sua barriga como um tumor. 

Levy-É... Muito interessante. -disse jogando um olhar estranho para ela. - Mas como sabe disso? 

Juvia-Meu ex-namorado era cientista, e estávamos juntos quando essa coisa maluca toda aconteceu. Encontramos um desses no mercado uma vez, e ele me explicou isso. 

Gray-O quê aconteceu com ele? -perguntou. 

Juvia-Eu explodi ele. -respondeu.

Gray-Estou me referindo ao seu ex-namorado. 

Juvia-Então... Eu explodi ele. 

Mais uma vez todos olharam estranhamente para Juvia. Acho que não fui o único que percebeu que esta faltando uma peça importante na cabeça dela. 

Juvia-Vocês não tem senso de humor! Eu estou apenas brincando. -disse rindo. - Eu tive que explodi-lo porque se transformou em um zumbi, e no momento eu não tinha nenhuma arma comigo, então joguei uma granada nele e sai correndo. -explicou-se. 

Lucy-Você é estranha. -disse rindo junto com ela. - E como matamos essa coisa sem fazer barulho? Nem dá para acalçar a cabeça dele. 

Juvia-Ele sofreu mutações também, por isso é alto desse jeito. -disse rapidamente. - O único jeito é derrubando e perfurando sua cabeça, mas fazer isso é difícil. 

Jellal-É melhor deixa-lo ai como esta. Distraiam ele, eu, Erza e Gajeel vamos dar uma olhada rápida dentro da loja. 

Ficamos fazendo-o de bobo, chamando-o para um canto e depois correndo para outro lado. 

Mavis-Ele deve estar sofrendo. -disse olhando para o zumbi. 

Juvia-Eles não sentem nada. -disse para ela. 

Lucy-Você não acha estranho ela saber disso? -perguntou sussurrando para mim. 

Natsu-Acho, mas se ela esta falando a verdade. -respondi sussurrando. - Ei coisa feia! Venha aqui. -gritei chamando a atenção daquele zumbi, mas ele simplesmente me ignorou e começou a caminhar em direção ao mato. 

Lucy-O quê ele esta fazendo? -perguntou confusa. 

De repente aquele zumbi, puxou um outro zumbi que estava saindo da mata e arrancou a cabeça dele, comendo-o calmamente. 

Lucy rapidamente colocou sua mão na boca e desviou o olhar dessa cena super nojenta. 

Natsu-Pelo menos ele se alimenta bem. -disse na tentativa de faze-la rir. 

Ela olhou para mim ameaçando a rir, mas se segurou. 

A trança que Erza fez nela ficou bastante bonita, combinou com ela, mas ainda prefiro-a com os cabelos soltos e bagunçados. Toquei a trança, olhando melhor como ficou. 

Natsu-Como vocês conseguem fazer isso? -perguntei. - Parece tão complicado. 

Lucy-É a coisa mais simples do mundo. -disse rindo da minha pergunta. - Qual é a coisa mais simples para você? -perguntou fazendo-me tirar a mão de sua trança para encara-la. 

Natsu-Sei lá... Acho que atirar é a coisa mais simples desse mundo. -respondi. 

Lucy-Como você aprendeu a atirar tão bem? -perguntou. - Você era enfermeiro da marinha, certamente não pegava em armas. 

Natsu-É... Eu aprendi com o tempo... Aos poucos desde que tive que sobreviver nesse mundo. -respondi com um pouco de dificuldade.

Eu sinto que não deveria mentir para ela, mas acho que ela confiaria menos em mim ao saber a verdade sobre mim. Na mesma hora que respondi sua pergunta, Gray olhou-me discretamente com seu sorriso debochado. 

Depois de mais alguns minutos eles saíram de dentro da loja com apenas uma garrafa de água. Voltamos para dentro dos carros, e o zumbi ainda continuava comendo o outro. 

-x-

Eu perdi as contas de quantas horas estamos dentro desse carro sem fazer uma parada. Já esta bem escuro e todos no banco de trás estão dormindo. Lucy continua dirigindo com seus olhos focados na estrada, mas dá para perceber que ela esta quase dormindo no volante. Eu praticamente não durmo, mas as vezes eu entro em paz comigo mesmo e consigo dormir tranquilamente. Recentemente só consegui dormir porque Lucy estava comigo, sinto-me uma pessoa mais pura, esquecendo-me do meu passado horrível. 

Lucy-Eu adoraria sentir o gosto de um café bem quente novamente em minha boca... -resmungou.

Natsu-Um café faz falta para mim também. -disse fazendo-a levar um pequeno susto ao me ver acordado ainda. 

Lucy-Você me assustou... Pensei que já tivesse dormido. -disse com sua voz de sono. 

Natsu-Estou sem sono. -disse rapidamente. - Diferente de você que parece que vai dormir a qualquer instante. 

Lucy-Ainda não me acostumei a passar as noites em claro. -disse soltando uma risada fraca. 

Natsu-É melhor você dormir. -disse tocando com meu dedo indicador em sua bochecha, que por sinal estava quente. - Vamos trocar de lugares, pare o carro por um instante. 

Ela parou o carro e desceu, e eu fiz o mesmo. Trocamos de lugar, e bem na hora que fui abrir a porta alguém segurou meu braço, rapidamente com minha mão livre, segurei na mão do zumbi e dei uma cotovelada para afasta-lo um pouco de mim, em seguida segurei mais firmemente em sua mão, lançando-o pelo ar. Ele caiu no capo do carro, fazendo todos acordarem assustados, Lucy rapidamente veio e cravou seu canivete na cabeça dele.

Lucy-Você esta bem? -perguntou ofegante. 

Natsu-Sim. -respondi tentando acalmar meu coração. 

Peguei a lanterna que estava carregando comigo e a liguei, iluminando o zumbi em cima do carro. 

Lucy-Merda... 

Não era um zumbi, era um humano, uma garota. 

Gray-O quê aconteceu? -perguntou de dentro do carro. 

Lucy olhou para mim antes de responder, e na mesma hora notou que fiquei desesperado junto com ela. 

Lucy-N-Nada! Apenas um zumbi. -respondeu. 

Em seguida retiramos o corpo de cima do capo, e largamos no canto da estrada. Lucy estava tremendo, pensei em dizer alguma coisa, mas acho que ela não quer ouvir nada no momento. Apenas entrou dentro do carro apressada e se sentou virando seu rosto para o vidro. 

Apressei-me também e liguei o carro pisando fundo no acelerador, em alguns minutos chegamos novamente perto do carro deles que estavam nos guiando. Nem notaram que nós havíamos parado, e isso nos pouca de um sermão de Erza. 

Todos no banco de trás voltaram a dormir tranquilamente, e agora parece que o sono de Lucy sumiu por completo. Ela havia matado pessoas antes, mas acho que ficou surpresa ao matar uma pessoa possivelmente inocente, que só queria ajuda. 

Natsu-Não vamos contar a ninguém sobre isso. -disse chamando a atenção do olhar preocupado dela para mim. - Nós dois matamos aquela garota, e não foi por querer, apenas nos enganamos. -completei.

Ela concordou com a cabeça, e em seguida pós sua mão na minha na hora que eu estava trocando de marcha. Sua mão estava bastante gelada, queria poder segura-la para aquece-la, mas ela logo puxou sua mão de volta e virou-se novamente para o vidro, tentando dormir. 

-x-

Neste exato momento já esta amanhecendo, e todos estão dormindo ainda. Mantive-me acordado a noite toda, sem sentir sono algum. 

Ocorreu tudo bem nessa nossa viajem a montanha até agora, passamos por um enorme portão que Erza e Jellal tiveram que abrir pois era muito pesado, e em seguida começamos a dirigir em um caminho de terra com várias pedrinhas que batiam fazendo aquele barulho chato, que acabou acordando aos poucos um de cada vez. 

Zeref-Já estamos chegando? -perguntou soltando um bocejo e olhando em volta. 

Natsu-Eu acho que sim, não tenho certeza. -respondi. 

Zeref-Espero que sim! Não aguento mais ficar sentando aqui, quero andar... -resmungou. 

Gray-Ninguém mais aguenta garoto. -disse apoiando a cabeça no vidro. - Só consigo pensar naquelas fontes de águas termais me chamando para entrar nelas. 

Juvia-Essa frase ficou extremamente estranha... mas mudando de assunto, teremos fontes de águas termais? -perguntou com voz de sono. - Espero que seja verdade, adoraria tomar um bom banho quente outra vez. 

Gray-Assim que chegarmos lá, podemos todos tomar banhos juntos em comemoração. -sugeriu, mas eu já sabia sua intenção de verdade, ver as garotas nuas. 

Juvia-Nem em seus sonhos. -disse de volta. 

Lucy é a última a acordar, ela vira seu rosto lentamente encarando-me enquanto dirijo. Infelizmente não pude ver seu rosto de sono logo pela manhã novamente, não queria me desconcentrar dessa estrada de terra que pode fazer o carro sair do caminho acidentalmente. 

Lucy-Uau... Você ficou a noite toda dirigindo? -questionou-me com sua voz de sono. 

Natsu-Eu disse que estava sem sono. -respondi sorrindo. 

Lucy-Impossível. Quando chegarmos nessa montanha você vai descansar... Mesmo que eu tenha que te desmaiar para isso. -disse fazendo-me sorrir novamente. - Espero que a gente possa comer alguma coisa chegando lá, estou literalmente morrendo de fome. 

Natsu-Temos um estoque de comida considerável agora, certamente vamos comer alguma coisa. 

Lucy-Você não sabe como é bom ouvir uma coisa dessas! -disse certamente abrindo um sorriso. 

Natsu-Se quiser ainda te dou minha parte. 

Lucy-Nem venha querer dar um de cavalheiro agora. -disse encostando em minha bochecha com seu dedo indicador rapidamente. - Você também tem que comer, Sr. Cavalheiro. 

Juvia-Vocês dois certamente são um casal fofo. -disse de repente, fazendo eu e Lucy parar de sorrir. 

Zeref-Eles não são um casal. -disse cortando Juvia na mesma hora. 

Juvia-Ah, uma pena. -disse rapidamente.  - Oi, sou Juvia Lockser! Totalmente solteira e não pretendo te explodir. 

Disse fazendo todos nós rimos na mesma hora, dessa vez entendemos seu bom humor. 

Juvia-Seria até engraçado ter mais um casal nesse grupo. Quando o mundo ficou desse jeito, muitas coisas morreram além de pessoas, os sentimentos como o amor se foram também, tenho certeza que alguém sacrificaria seu "amor" para sobreviver. 

Lucy-Os sentimentos não morreram quando o mundo ficou desse jeito. As pessoas veem mantando esse sentimento há anos para se protegerem de terem seus corações partidos, o mundo ficando desse jeito só as ajudaram mais a recusarem o amor. 

Juvia-Você é interessante. -disse observando Lucy. - Acho que seremos boas amigas, e se quiser algo a mais. 

Lucy-Estou certamente interessada nisso mesmo. -disse virando seu rosto para encara-la. 

Nós três ficamos em silêncio após escutar essa conversa delas. Mas depois de alguns segundos que elas ficaram se encarando, parecendo que iam se beijar a qualquer momento, simplesmente começaram a rir. 

Juvia-Certamente seremos boas amigas! -disse rindo.

Zeref-Não quis dizer "boas namoradas"? -perguntou confuso. 

Juvia-Garoto você é muito jovem para entender a mente das garotas, e se com sorte não crescer como um babaca, pode nascer com uma habilidade rara de entender nossas mentes. -disse sorrindo, deixando-o mais confuso do que já estava.

Natsu-É apenas uma brincadeira delas. -disse fazendo-o soltar um "Ah..", como se tivesse entendido agora. 

Gray-Então... Juvia, quantos anos você tem? -perguntou. 

Juvia-Dezenove. -respondeu. - Deixa eu adivinhar... Você tem vinte e dois, certo? -ele balançou a cabeça positivamente. 

Gray-Trabalhava com alguma coisa? -perguntou. - Deixa eu adivinhar... Psicologa? 

Juvia-Errou, eu era uma Stripper. -respondeu sem seu tom de bem-humorada. 

Gray-Ah... Interessante. 

O silêncio voltou após essa pergunta. Eu e Lucy nos olhamos brevemente segurando a risada, e conseguimos controla-la. Enquanto meu irmão parecia encantando ao saber que Juvia era uma Stripper. Ele certamente se encanta com tudo sexual agora. 

-x-

Começamos a chegar mais perto, mas de repente todos nós ficarmos surpresos ao ver um enorme portão de ferro em nossa frente, escrito "cuidado, mortos-vivos aqui dentro!". Todos nós saímos dos carros armados e nos aproximando do enorme portão de ferro, ficaram apenas Zeref e Mavis dentro dos carros, como sempre ninguém quer coloca-los em perigo. 

Erza-Mavis! Tinha esse portão aqui quando veio da última vez aqui? -perguntou gritando. 

Mavis colocou sua cabeça para fora do carro e respondeu: 

Mavis-Sim! É tipo um acampamento bem pequeno. Minha tia tinha medo de bichos invadirem a casa dela, então criou esse "muro" para evitar isso. 

Erza-Ótimo, como vamos entrar? -perguntou olhando para todos nós. - Derrubar esse portão não é uma boa ideia, não sabemos se realmente tem zumbis dentro, e é um ótimo tipo de segurança. 

Lucy-Se alguém me der pezinho e depois fazer um pouco de impulso para cima, acho que alcanço. 

Erza-Boa ideia. -disse surpresa. - Jellal me ajude a pular, alguém ajude Lucy, não quero entrar sozinha. 

Assim que Jellal se aproximou, ele quase levou um tiro na cabeça, passou bem ao lado de sua cabeça, mas não acertou. De repente uma mulher aparece apontando para nós, e logo atrás dela havia muito mais pessoas armadas apontando para nós. 

-O que vocês querem? -perguntou séria. 

Erza-Queríamos ficar aqui... -respondeu. - Não queremos problemas, estamos apenas tentando sobreviver. 

-De onde vocês veio, trabalham para quem? -perguntou. 

Erza-Essas pessoas são minha família, eu sou a "líder" deles. -respondeu. - Viemos todos de Magnolia, uma cidade distante daqui.

-Certo... Se quiserem entrar quero que nos entreguem tudo o que tem, armas, comida e os carros também. Só assim deixo vocês entrarem. 

Erza-Como posso ter certeza que não esta mentindo? -perguntou séria.

-Aqui somos honestos. -respondeu apenas. 

Gajeel-Não podemos entregar nossas armas, pode ser uma armadilha. -sussurrou para Erza.

Erza-Entreguem tudo para eles. -disse alargando sua arma e e jogando aos pés daquela mulher.

Natsu-O quê? 

-Ótimo, pode entrar. -disse abrindo o portão para ela. 

Em seguida ela entrou, e ficou esperando todos nós fazermos a mesma coisa. E assim fizemos, largamos todas nossas coisas e entregamos para eles, conseguindo entrar dentro sem arrumar nenhum problema. 

O lugar era totalmente diferente de como a Mavis tinha descrito ou apenas estava muito diferente. Havia várias casas, algumas até estranhas e havia um pequeno poço bem no meio. A mulher começou a nos guiar até uma casa totalmente branca, que só foi aberta com um cartão que ela tinha carregando com você,  assim que a porta foi a aberta, senti uma forte pancada em minha nuca, e em seguida desmaiei. 


Notas Finais


Obrigada por ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...