1. Spirit Fanfics >
  2. The beginning of the middle end - Josh Beuchamp >
  3. The better of them

História The beginning of the middle end - Josh Beuchamp - Capítulo 12


Escrita por:


Capítulo 12 - The better of them


P.O.V S/N ALLEN 

— Como assim eles cancelaram? — gritava ao telefone com Krystian, enquanto ele me contava sobre a questão de alguns clientes terem cancelado. 

— Desculpa, S/n. Mas o que espera que eu faça? Obrigue eles a assinar o contrato? — respirei fundo tentando conter minha raiva e frustração. 

— Tudo bem, não se preocupe com isso. Eu só estou chateada, é a quinta venda que perdemos esse mês. — cocei a testa fechando os olhos com força. 

— É eu sei, com esse ritmo vamos acabar ficando mal falados na cidade.  

— Sei bem disso. Mas quando você volta? A Hina já tá ficando doidinha sem você. Acredita que o Josh colocou ela pra me vigiar enquanto ele viaja? — falei o fazendo rir. 

— Posso até imaginar sua reação com isso. — Krystian diz entre risos — Não fica brava, eles não fazem por mal. 

— Eu sei que não. Mas as vezes os dois me tiram do sério. — suspirei pesado ao lembrar. 

— Eu volto na quarta, pra tirar ela do seu pé. É tudo o que posso fazer. — ele disse e voltou a rir. Soltei uma risada sarcástica e sorri boba. 

Ouvi batidas na porta, antes dela ser aberta por Josh, que entrou com as duas mãos ocupadas por milkshakes. 

— Eu vou desligar, mais tarde falo com você. — ele me mandou um beijo e pediu para me cuidar, desligando a chamada logo em seguida. 

Josh me entregou um dos copos e se sentou a minha frente, eu fiz o mesmo dando um longo gole.  

— Isso não é milkshake. Mas eu aceito, só porque tá muito bom. — dei outro gole fechando os olhos pra saborear melhor. 

— É vitamina de frutas vermelhas, e você sabe que não pode ficar tomando esse tipo de coisa. — o encarei com cara de tédio enquanto ele me olhava sério. 

— Eu sei. Mas eu tava morrendo de vontade de tomar um milkshake bem gelado, quando entrou eu pensei que finalmente iria matar a minha vontade, mas aí eu fui enganada pela aparência dessa vitamina, que está muito boa por sinal. Onde comprou? — falei sugando mais uma vez o liquido pelo canudo. 

— Que bom que gostou, mas eu não comprei. Foi a Savannah quem fez, então agradeça a ela mais tarde. — Josh mencionou colocando seu copo sobre minha mesa. 

— Pode deixar que eu vou. — expressei terminando de beber. 

 — Com quem estava falando quando cheguei? — perguntou curioso, me olhando com o dedo indicador e polegar formando um “L” na lateral de sua bochecha. 

— Krystian. Ele me disse que perdemos mais um cliente. — disse calma, me afundando em minha cadeira. 

— Mais um? — reclamou, expressando sua frustração através de seus punhos fechados com força — Já é a quinta desse mês! 

— Eu também estou com raiva de tudo isso. Mas fazer o que? — perguntei dando de ombros — Desde aquela maldita notícia daquele site de fofocas, nós ganhamos muitos clientes, mas também acabamos por perder outros muitos, pra life&confort. — aleguei fazendo uma cara de nojo ao falar da concorrência. 

Ele respirou fundo e voltou a me olhar sério. 

— Por que não? — o olhei sem entender. 

— Por que não, o quê? — perguntei sem entender, abrindo a minha caixa de e-mails. 

— Por que não quer se casar comigo? — voltei a olha-lo aborrecida e ele encolheu os braços. 

— Nós já conversamos sobre isso. 

— Mas você nunca disse o motivo. 

— O motivo é que: não precisamos ser casados, para sermos bons pais. — dei um sorriso de lado, mas logo o desfiz — Mas em uma coisa as pessoas estão certas em nos julgar. — ele me questionou franzindo as sobrancelhas — Nós não temos um plano. 

Ficamos longos segundos, olhando um paro o outro em silêncio. Até que ele decidiu quebrar o silêncio, propondo uma ideia. 

— E se morássemos juntos, durante esses dezoito meses? Assim eu não precisaria ficar indo e voltando pra sua casa, pra cuidar de você. — Josh me olha com os olhos arregalados como se tivesse tido a maior ideia de todos os tempos.  

— Não sei não.  

— Vai S/n, assim seria muito melhor para nós dois. Tanto pra você quando pra mim.  

Parei pra pensar um pouco, enquanto ele esperava minha resposta já impaciente e ansioso com a possibilidade de receber um não. 

— Mudar pra sua casa? Sem chance. — vi a derrota em seu rosto — Aquele apartamento pode ser grande, mas só  tem um quarto. Então você pega suas coisas e vem pra minha casa. Vou arrumar um dos quartos de hóspedes para você. — o rosto dele se iluminou novamente e ele veio até mim, me enchendo de beijos. 

— S/n, precisamos de v... —  Savannah entrou sem bater (como sempre). Josh se afastou de mim, arrumando sua postura. 

— Tá, pode avisar que já estou indo? — ela assentiu e saiu — Se quiser te espero ainda hoje, mas só vou ter tempo de  fazer uma cópia amanhã. — comentei indo para a reunião — Desculpe o atraso. Creio que já estão todos acomodados, então podemos começar. — sorri e me sentei em minha cadeira. 

P.O.V JOSH BEUCHAMP 

Saí do escritório da S/n sorrindo como bobo, todos ficavam me olhando enquanto eu ia em direção ao meu escritório. 

— Você não vai pra reunião? — Savannah quando me viu. 

— Não, a S/n pode cuidar disso, além do mais eu tenho outros compromissos. Kaya! — chamei minha assistente quando a vi — desmarque todos os meus compromissos que não sejam importantes. — disse e fui em direção ao elevador. 

Tinha muito o que fazer, então saí antes do almoço. Passei em minha casa para pegar minhas roupas, deixando tudo arrumado para mais tarde. Poderia até voltar para a empresa, mas podia fazer algo bem melhor com o resto da tarde, fui para o shopping aproveitando para comprar alguns presentes para os bebês. 

P.O.V SAVANNAH CLARKE 

Assim que terminamos as reuniões do período da manhã, Sabina, eu e S/n saímos para almoçar no nosso restaurante favorito, onde tínhamos marcado de nos encontrar com Hina e Shivani. Ao chegar ao estabelecimento as duas já estavam lá, apenas nos sentamos e um garçom veio nos atender, logo que anotou nossos pedidos ele saiu. 

— Vocês viram o Josh? Depois da reunião não vi mais ele. — S/n compartilhou se afundando em cadeira. 

— Não, mas enquanto vocês estavam em reunião eu vi ele sair, mas antes pediu pra assistente desmarcar todos os compromissos que não fossem importantes. — bebi um pouco da minha água, ao compartilhar. 

— Só sei de uma coisa, esse daí tá aprontando alguma. — S/n revirou os olhos, quando Hina levantou um pouco de sua blusa para alisar sua barriga. 

— Não tenho duvida disso, mas com certeza ele deve estar fazendo alguma surpresa pra você, ou para os gêmeos. — Sabina propôs.  

— Pra mim? — S/n apontou para a si mesma — A ultima surpresa que o Josh me deu, foram essas duas criaturinhas aqui. — ela apontou para sua barriga, com o leve formato arredondado — Então... tô um pouco apreensiva com o que ele possa estar planejando. 

— Ah, mas pense pelo lado bom, ele está fazendo isso com a melhor das intenções. — Shivani argumentou, tentando mudar o pensamento dela. 

— É, talvez seja, mas não vou ficar criando falsas expectativas. — S/n alegou, tirando as mãos de Hina da sua barriga e abaixando a blusa. 

 — Mas aí, o que tá pensando em fazer pro seu chá de bebê? — Hina perguntou, fazendo um bico. 

— Outra coisa que eu estava pensando em não fazer, além de me casar com o Josh. — ela disse no tom mais tedioso possível. 

— Como assim? — Sabina quase gritou, todos no restaurante nos olharam por causa da reação exagerada dela. — Ele te pediu em casamento? Por que não nos disse nada? — voltou a falar, só que baixo dessa vez. 

— Porque não achei que precisasse, até poque eu falei não.  

— Mesmo assim. Quando foi isso? Foi romântico? Ele preparou alguma coisa especial pra você? — comecei a bombardeá-la com varias perguntas. 

— Foi no dia em que ele descobriu que eu tô... E não foi nem um pouco romântico, até porque ele só me pediu em casamento porque eu tô grávida. — todas olhamos pra ela com cara de tédio — O que foi? Só disse a verdade. 

— Nós todas sabemos muito bem, que o Josh te ama mais que tudo nessa vida e, que ele te pediria em casamento de qualquer forma, vocês estando grávida ou não. E no fundo, você também sabe disso, só não quer admitir, porque tem medo de que se você se render ao Josh, e ele acabar te deixando, assim como o Bailey fez. — joguei logo na cara fazendo ela ficar reflexiva.  

— Não precisava apelar. — Sabina sussurrou em meu ouvido. 

Passamos o resto do almoço comendo em silêncio. Voltamos para a empresa e do mesmo jeito ela ficou calada, até a hora de ir embora. Não tive tempo de falar com ela, até porque estava bem ocupada, mas ela também não me deu abertura para conversar ou me desculpar nesse meio tempo. 

P.O.V S/N ALLEN 

Cheguei em casa um pouco depois das sete, cansada é até pouco pra descrever o que tô sentindo. Acho que vou comprar uma cadeira nova, a minha já não é mais tão confortável assim. Entrei pela porta da garagem, na metade do caminho da escada ouvi um barulho no andar de cima, subi correndo para ver o que é. 

— O que estão fazendo? — pronunciei ao minha mãe e Josh em dos quartos de hóspedes. Os dois estavam montando dois berços. 

— Ah, você chegou! —  Josh se levantou e veio até mim. 

— Você comprou os berços! — franzi o cenho sorrindo fechado e passei por ele, vendo melhor o que eles estavam fazendo. 

— Oi filha! — minha mãe sorriu e voltou sua atenção para o que estava fazendo.  

Olhando ao redor, pude perceber que haviam varias caixas de moveis para o quarto dos bebês.  

— Achei que estivesse muito cedo pra comprar essas coisas. 

— Ah minha querida, nunca se é cedo, quando se trata de filhos. — minha mãe se levantou com a ajuda de Josh — Já vou indo, se precisarem de ajuda já sabem onde me encontrar. — ela me deu um beijo no rosto e fez o memo com o Josh. 

— Vejo que já se instalou aqui. — o olhei sorrindo. 

— É, não quis perder tempo. — disse coçando a nuca. 

— Não precisa se preocupar, não vou brigar com você. — ele suspirou aliviado — Obrigado por comprar essas coisas. Acho que as vezes fico tão preocupada com coisas tão importantes que as vezes acabo esquecendo as mais simples, que as vezes são até mais importantes do que as que eu julguei ser importante.  

— Não esquenta com isso. Já que estamos aqui, eu queria te contar algumas das ideias que eu tive pro quartinho. Mas  só se quiser ouvir. — Josh fez uma fofa carinha de preocupação, que fez sorrir.     

— Não, é claro que eu quero ouvir, o banho pode esperar um pouco. — indaguei sorrindo, fazendo ele sorrir também. 

Nos sentamos no chão e enquanto terminávamos de montar o outro berço, ele me contava sobre as ideias que teve e como queria fazer um projeto para essa parte em especifico da casa. Enquanto conversávamos nem vi o tempo passar, parece que estamos voltando a velha época, em que éramos melhores amigos e confidentes um do outro. Eu gosto de ficar com o ele, sempre é muito bom, pelo seu bom humor e pela forma como ele transforma qualquer tarefa chata em algo incrível e cativante. Talvez eu... não, não pode ser isso, eu sempre o vi como amigo, mas mais uma vez ele estava mexendo com a minha cabeça, talvez eu esteja exagerando, mas também acho que não. Arg... que raiva, porque é tão difícil admitir que eu amo ele? Porque é tão difícil dizer que eu estou apaixonado por Josh Beuchamp? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...