História The Best Of Both Worlds - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias It: A Coisa
Personagens Benjamin "Ben" Hanscom, Beverly "Bev" Marsh, Edward "Eddie" Kaspbrak, Georgie Denbrough, Michael "Mike" Hanlon, Richard "Richie" Tozier, Stanley "Stan" Uris, William "Bill" Denbrough
Tags Gay, Reddie
Visualizações 16
Palavras 2.888
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, LGBT, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Tô soft?????

Capítulo 7 - Pedreira


Capítulo sete:

Pedreira


Foi quase automático, Richie e Mike tiveram uma conexão instantânea. Isso vinha sendo posto a prova desde o dia anterior, quando se conheceram.

Eles viram enrolados, discutiram sobre a realidade do príncipe e como era seu mundo, a respeito química de Rapunzel e Flynn e começaram a conversar entusiasticamente. Descobriram que tinham muitas coisas em comum, e a principal delas era que nenhum dos dois era bom com tecnologias. Bem, um porque não sabia o que era tecnologia até uma semana atrás e o outro porque vivia em uma fazenda isolado da tecnologia, mesmo que Derry não fosse lá exemplo de cidade padrão futurista, apenas não se dava bem com esse tipo de coisa e preferia ter experiências físicas.

Agora, isso também vinha sendo posto a prova, enquanto os dois discutiam sobre o livro. Ben, apesar de ser um amante de literatura (sejamos honestos, todos alí gostavam de literatura, mesmo que por motivos diferentes), não entendia nada do que falavam, parecia alguma história como a que Hanlon tinha lhe contado mais cedo, a respeito do novo amigo de Eddie. Sinceramente? Ele não tinha prestado muita atenção. Apenas entendeu algo como armário e outra realidade, provavelmente estavam falando sobre as crônicas de Nárnia.

Passando pouco tempo com eles, Richie percebeu algumas coisas:

Mike é fanático pelo sobrenatural e sempre fez questão de deixar isso bem claro.

Bill gostava de filmes de terror e escrevia fanfics (fanfics eram um tipo de historia criadas por pessoas aleatórias, tipo livros, só que mais para entretenimento de uma comunidade em comum, ou ao menos era isso que tinha entendido. De fã para fãs ou uma categoria original.) por hobbie (passatempo.). Já Ben, era um romântico fanático, fazia poemas e de vez em quando, ajudava Bill com seus plots, sendo responsável pela vida de muitos personagens estar intacta e pelo desenvolvimento romântico dos personagens, o melhor coautor que seus leitores pudessem pedir, ninguém aguentava os finais de Bill, nem mesmo seu irmão caçula, ele tem um irmão caçula chamado Georgie. Também sabia Bill que tinha um problema de dicção, gagueira. Se dizia orgulhoso de ser, apesar de já ter superado a gagueira com a ajuda de sua fonoaudióloga.

E que estava bastante animado para escrever uma fanfic sobre eles dois, que acabava com Richie morto no final; Garoto mórbido esquisito, nem sabia o desenvolvimento e já queria matar um de seus personagens.


— Então, é o seguinte, aqui fala que alguém vai te ajudar, provavelmente ou sou eu ou o Eddie, mais pro' Eddie do que pra' mim. – Hanlon dizia, enquanto Eddie fazia uma careta, justo ele?


— Fala sobre quem é?


Mike releu o trecho uma ou duas vezes e apontou para um parágrafo.


— "Seu paradeiro e aparência são desconhecidos, o príncipe irá o conhecer em sua primeira semana nesta realidade" Então você já pode ter conhecido ele.


Eddie bateu com a mão no rosto, foi uma péssima ideia levar Richie a um shopping, e se fosse alguém de lá? Iriam demorar meses para descobrir!


— Meu livro falava a mesma coisa... Mas ele era o salvador... Não eu! E espera... É um garoto? Usa bastante pronomes masculinos e acho que o meu também fazia isso...


— Não excluí a possibilidade de ser uma garota, mas acho que não é. Confio nos meus instintos.


Voltaram a ler o livro, enquanto os outros dois se esforçavam para explicar a Ben o que estava acontecendo, ele pareceu entender surpreendentemente rápido. Mesmo que ele fosse quase tão cético quanto Eddie.

Se o Kaspbrak acreditava nisso, provavelmente era verdade, e assim foi facilmente convencido.

Richie bateu com a cabeça na mesa, chamando a atenção dos presentes, resmungou um monte de coisas e virou a cabeça para Mike.

Seus óculos tinham ido junto e seu nariz estava doendo por conta da colisão 


— Aí não fala como eu saio daqui? Tem algum outro livro? O que acontece se eu me recusar a fazer isso? Quando eu vou embora? Fala sobre o armário? Por que justamente um armário? – Ele não parava de disparar perguntas, deixando o garoto mais confuso e tenso.


— Uma pergunta de cada vez! – Se exaltou.


Sharon, a bibliotecária, lançou um olhar reprovador para a mesa em que estavam, principalmente para Richie e o Hanlon, nunca foi com a cara do fazendeiro, achava negros barulhentos, agora tinha que lidar com um delinquente juvenil na sua biblioteca, juntamente ao viadinho e o erro.

Estava perto de expulsar os quatro. Como um garoto tão bom e educado como Ben pôde se juntar a aquela gentinha?

Concordaram em fazer menos barulho.

Ignorando isso, voltaram a ler o livro, em busca de respostas. Ben se ofereceu a procurar algum outro que tivesse ligação com este e saiu com Bill em direção as estantes.


— Não tem nada dizendo sobre como você sai daqui.


Richie bufou e voltou a deitar a cabeça na mesa.


— Sobre sua outra pergunta... Ah... Como que eu vou explicar isso? — Mike riu nervoso e olhou para Richie que o encarava curioso. Qual delas? — Eddie vem aqui por favor...


Ele se levantou, pegou um assento ao lado de Mike, que estava de frente a Richie, e juntaram as cadeiras, ainda sentindo o olhar curioso de Tozier.

Eddie riu, tão nervoso quanto e sussurrou algo para ele, que sussurrou de volta. Se Richie não estivesse acostumado a ouvir as conversas de seu pai e entender seus sussurros de reprovação, não teria entendido o diálogo por inteiro.

"Não fala nada. Eu sei o quanto é assustador, ele vai saber no seu próprio tempo. Sem falar que a época dele é bem pior..."

"Mas isso não faz o menor sentido!"

"Eu sei! Eu concordo, pode estar errado. Apesar disso, melhor não arriscar, né?"


Richie não questionou, apesar que pensava que se fosse algo a seu respeito, quem deveria dar a palavra final sobre contar ou não seria ele mesmo. Porém resolveu confiar no julgamento dos dois.

Nada seria mais assustador do que estar em um mundo totalmente diferente do seu... Certo?


[...]


Sete da noite. Depois de entrarem em um consenso sobre a situação decidiram que não falariam sobre isso como principal foco, agora precisavam preparar Richie para a modernidade; Detalhes eram apenas detalhes.

E como melhor preparar alguém para a modernidade do que maratonando séries e filmes?

Há um bom tempo que já tinham saido da biblioteca, agora estando reunidos na casa de Eddie, para colocar as idéias em plano e relaxar um pouco depois dessa situação no mínimo estressante.

Nesse atual momento, viam o sugerido por Ben, as crônicas de Nárnia. Precisavam começar do início, depois de tantos filmes da Disney. Richie já estava cansado de se emocionar com a dama e o vagabundo, por isso mudaram de filme.


— Esse leão é muito irritante.


— Fala dele assim de novo pra' tu ver se eu não te quebro na porrada! E 'esse leão' tem nome, Aslam, caralho!


Quando o filme acabou e Mike colocava o segundo, e os outros estavam voltando com sacos de comida. Bill pensou em uma coisa.


— Richie, em uma escala de zero a dez, o quanto esse lugar parece com a sua Derry? – Todos pararam para ouvir, isso era um assunto que despertava curiosidade em todos, como era o mundo dele, sabiam que havia magia, o quão louco isso era?


Como a Derry dele era?

Fez uma expressão pensativa.


— Visualmente? Uns sete ou oito. Eles tem umas coisas bem parecidas, é... Bem legal.


— Eu queria conhecer ela. – Agora a sala inteira olhava para Eddie. – O que? Vai dizer que vocês não?


Antes que dissessem algo, o outro filme começou. Sentaram em seus lugares.


— Me leva na pedreira amanhã. – Richie falou ao pé do seu ouvido antes de voltar a focar na TV.


Eddie se arrepiou completamente e pegou seu celular, não iria conseguir focar no filme com o garoto ao seu lado.


[...]


— "Puta que pariu que homem fofo do caralho, me come de ladinho" – Bill dizia baixo, porém em um tom alto o suficiente para que os presentes alí o escutassem e virassem para si com uma expressão confusa, menos Eddie que sorria nervosamente. Reconhecia aquela frase, tinha postado depois de bater o olho na TV bem na hora que seu personagem favorito aparecia. – Eddie, que porra é essa?


— O que?


Ben o olhou suspeito, após perceber que tinha sido apagado de sua timeline antes que pudesse ler, já tinha se tocado.

Mike cruzou os braços.


— Eddie... Para com essa promiscuidade, pelo amor de Cristo, você é menor de idade! Se a Sônia descobrir isso...


— Eu sei, eu sei! Mas não eram vocês mesmos estavam insinuando que– Não terminou a frase, apenas olhou para Richie e retornou seu foco aos três, esperando que entendessem o recado.


— De brincadeira né! – Bill foi o primeiro a se pronunciar. – Eddie pelo amor de deus me diz que era só brincadeira... Meu deus... Vocês...?! Era sobre ele?!


— Não! Bill você sabe que eu não faria isso! Meu tweet também foi de brincadeira! Jesus... Era sobre o Tumnus! Puta que pariu...


— E como você acha que as pessoas vão saber disso? É sério cara, sei que ainda não se acostumou mas você é famoso. Pensa antes de postar essas coisas...


Cruzou os braços e abaixou a cabeça fazendo birra, estavam certos. Deveria ser mais cuidadoso e ver em que conta estava antes de postar.

Abriu o twitter novamente, digitando algo.

"Foi mal era uma piada." e apagou. Muito informal. "O meu último tuíte não era pra ser levado a sério, tava falando de um personagem de Nárnia. Sou menor de idade, cês sabem mano ;/".

Agora parecia um hétero top. Substituiu o 'mano' por 'disso' e postou.

Chegava a ser surreal que com apenas 15 anos já poderia ser considerado famoso a ponto de ter que escrever uma desculpa.


— Só o que faltava. Vão cancelar o Eddie. – Bill riu, quebrando a tensão, fazendo Mike rir junto e ir desembocando o riso dos outros.


— Sabe Eds, eu tenho um amigo fauno, se você quiser eu te apresento a ele... – Levou um tapa.


— Eu também gosto do senhor Tumnus... – Bill disse com um falso tom malicioso, antes de desatar a rir.


Ficaram até o próprio decidir que precisava ir embora, para não preocupar Georgie, que já estava ansioso mesmo após ouvir sua voz em ligação. Ben e Mike foram junto pois não queria ir apé, mesmo que Derry havia parado de ser perigosa para o primeiro muito tempo atrás, devido ao fato de ser branco. E o Hanlon não arriscaria ser levado para uma vistoria dentro de uma viatura. Não era louco de brincar com a sorte, ou com a capacidade que os policiais da cidade tinham de ser violentos com qualquer um que passasse da 'cor' adequada.

Estavam tendo tantas noticias de brutalidade com jovens negros da sua idade, não queria ser mais um.


Por fim, restaram os dois, que estavam entediados de mais para qualquer outra coisa e cansados de mais para voltar a ver filmes.

A pergunta de Eddie deslizou entre seus lábios.

Seria uma ótima chance de se conhecerem.


— Quer ir na pedreira agora?


[...]


Chegando, se sentaram na beirada de terra que circundava a descida, chacoalhando as pernas na queda d'água.

Nenhum disse nada, Eddie, por mais paranóico com limpeza que fosse, se deitou no chão para observar as estrelas. Gostava bastante da visão que tinha, esse era o bom de Derry ser uma cidade pequena, as estrelas não eram ofuscadas pelas luzes, enfeitavam perfeitamente o céu, Richie deveria ter uma visão ainda mais bonita desse céu.


— O que você quer aqui?


— Acho que apenas passar um tempo em um lugar conhecido, ver o quanto mudou. Sabe... eu costumava vir muito aqui. É legal ver que desse tempo pra cá não mudou muito.


Deve ser bom ter algum lugar familiar, Eddie não conseguia imaginar como seria dormir e acordar em outra era, ele levava isso perfeitamente bem, em seu lugar, não teria parado de surtar, de alguma forma estranha ele já tinha superado.

A frase do desconhecido tinha cooperado bastante com isso. "Você não pode mudar o seu destino", sim, ele estava destinado a isso. Algo que aconteceria mais cedo ou mais tarde, querendo ou não. E não é qualquer um que tinha a oportunidade de passar um tempo em décadas a frente. Precisava relaxar e descobrir mais sobre isso tudo, antes que acabasse.


— E o que mudou? – Richie o encarou confuso. – O que mudou para que você não conseguisse mais vir?


— Eu conheci sua mãe. Os únicos horários disponíveis dela são de noite, você sabe como a Sonny consegue ser ocupada...


Fez uma careta de nojo, ele não deveria saber o nome de sua mãe, obrigada Ben.

Deveria estar decepcionado com a resposta?

Não sabia porque tinha esperado algo a mais dele, não passavam de conhecidos mesmo. Ele não lhe devia nada, nem seu eu devia algo a ele.

Apenas queria que se conhecessem melhor, para passar um tempo mais agradável nesses dias que o menino ficaria por alí. Agora tudo o que pensava era que tinham que ser o mais rápido possíveis, sua mãe não aguentaria mais do que quatro meses. Porra, como foi tolo ao acreditar que podiam passar um tempo bom juntos.
De qualquer jeito, assim as coisas seriam mais fáceis.
Um suspiro foi audível, virou a cabeça para que pudesse ter uma visão de Richie, que estava com a cabeça encostada nos joelhos, olhando para si.

— Olha, desculpa se eu não respondi cono você esperava... É que é confuso.

— Temos todo tempo do mundo.

Sentia que isso era verdade, ali, deitados sobre o chão, se sentiam infinitos, como se pudessem desperdiçar tudo, jogar todas as suas preocupações para o alto. Entre eles e a lua. O Tozier pareceu ponderar.

— Não consigo dizer ao certo, ok? Me desculpe se eu soar confuso. Apenas acho que... Eu passei a ter responsabilidades? Nós passamos a ter responsabilidades. Não éramos mais crianças, sabe? Molequinhos irritantes que podem fazer o que quiserem quando bem quiserem, porque os adultos não os julgam, 'é coisa de criança', compreende? – Se deitou ao seu lado. – Sempre odiei isso. Essa ideia de que algum dia eu teria que parar de fazer coisas que eu gosto por conta de um cargo que nunca pedi por, por conta da minha idade. Afinal, por que diabos existem coisas de crianças e coisas de adultos? Adultos não podem gostar de coisas de crianças? E se eu não quiser saber de paixões, garotas, casamentos, filhos e toda essa porcaria? Talvez por isso eu odeie fazer aniversário. Não preciso de alguém me lembrando que estou envelhecendo, sei disso. Sei tão bem que posso garantir que não é um motivo para comemorar. Nem entendo porque estou dizendo isso, sou só mais um arruaceiro. É só que... As coisas vão indo tão... Rápido. Em um piscar de olhos. Nem tenho tempo pra' acompanhar essas mudanças. Sabe? Não sou só eu que mudei. Se for ser honesto, provavelmente tudo evoluiu. E isso me assusta pra' caralho.

É, ser príncipe era tão estressante quanto Eddie pensava que deveria ser. Ter que crescer rápido de mais é desgastante, podia afirmar com certeza absoluta. Tinham isso em comum.

— Te entendo perfeitamente bem. – Virou o rosto mais uma vez, para ver Richie ao seu lado com o olhar perdido nas estrelas. Aquele brilho lhe deu um impulso. – Mas sabe de uma coisa, Rich? Estamos em dois mil e dezenove! Você não é mais um príncipe! Minha mãe não está aqui! Nós podemos ser livres, mesmo que por instantes. Me diga algo que você queira muito fazer mas não pode porque é 'muito velho para isso' e vamos fazer isso! Somos jovens!

Richie sorriu, levantou o tronco e começou a tirar a camisa.
Eddie gelou.

— Vamos pular.

Ele retirou as calças e jogou perto dos arbustos.
Eddie não sabia como reagir, não esperava que fosse algo daquele nível.

— Richard...

— Vamos logo, Eds! Qual é, vai arregar agora?! Aquele papo todo sobre sermos jovens era furada?

Iria se arrepender profundamente disso. Mas não conseguiria dizer não a ele, principalmente depois do seu discurso.
Levantou também e tirou suas roupas. Escondendo seu celular e as roupas, suas e de Richie, apenas estava sendo precavido.
Sabe-se lá se tem algum tarado a solta, ou algum adolescente desocupado querendo pregar peças neles. Até mesmo um ladrão!

— Eds...? – Acordou do seu transe. – Vamos?

— Primeiro as damas, Tozier.

O empurrou dalí, só que seu braço tinha sido segurado bem a tempo, os dois caíram.
E se levantaram simultaneamente, rindo como dois maníacos, gotas de uma água esverdeada, provavelmente com milhares de bactérias, escorrendo de seus cabelos.
Eddie juntou seus corpos, tentando afogar o outro, foi puxado junto novamente, dessa vez demorando mais para emergir. Quando o fez, recebeu um jato de água na cara. Começou a perseguir o outro, que gargalhava alto, Eddie se fingia de irritado, apesar que estivesse deixando algumas risadas escapar.
Pareciam amigos de longa data, se sentindo extremamente confortáveis sobre a luz daquele luar.
Quando pegou Richie e ia o afogar novamente, ele sorriu para si e sussurrou algo.

— Ei... Obrigada.

O mais baixo sorriu mais uma vez, esquecendo seu objetivo, antes de ter água jogada novamente em seu rosto.

— Você é ridículo! Seu bostinha, eu vou te matar!


Notas Finais


Conan Gray vc foi minha musah.

apenas queria dizer que: o ator do senhor tumnus e do Bill (adulto) é o mesmo.

Eh isto.


eeeeeeeee eu meio que não vejo Nárnia desde que eu tinha uns... 7-9 anos? Então... Apesar que eu gostava muito dos filmes... Eu não lembro de porra nenhuma exceto a morte do Aslam, um pouco do Predo, e do encontro da garota la q eu não sei o nome com o tumnus.
e que ele é um fauno.
Apenahs

Chorei horrores.
Gosto tanto de voce, liaozinho


O Richie desabafando horrores com um garoto que ele conheceu não faz nem uma semana = tudoh
Literalmente tudoh neh

Puta fala longa meu irmão, enquanto o Stan e Beverly sofrem sem falas.
e sem voceh 😔✊🏻
Press f to pay respect


Revisei? Não.
Preguiça? Sempre.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...