1. Spirit Fanfics >
  2. The Best Of Me- SaiDa >
  3. Feel Special (parte um)

História The Best Of Me- SaiDa - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii! Por partes jovens, por partes !!

Capítulo 15 - Feel Special (parte um)


Fanfic / Fanfiction The Best Of Me- SaiDa - Capítulo 15 - Feel Special (parte um)

Sana on.

Acordei procurando por Dahyun. Esqueci por um instante que não estou na casa dela, já estou até com saudades.
Me levantei e fui para o banheiro fazer minhas necessidades. Desci assim que terminei e fui para a cozinha. A família de Jimin já me considera como alguém que faz parte e são muito legais comigo, por isso a mãe dele deixou eu dormir aqui.

— Bom dia, senhora Park. — Falei ao entrar na cozinha e me sentei a mesa.

— Bom dia Sana. Dormiu bem, querida ?— Ela estava com um sorriso simpático no rosto.

—Sim! Muito obrigada por me permitir dormir aqui por uns dias. —Sorri.

—Por nada. Você sabe que é sempre bem-vinda. —Sorri e tomei meu café. Após terminar me levantei e ajudei a tirar os pratos.

Jimin ainda não tinha acordado, então fui fazer esse pequeno favor.
Entrei no quarto dele fazendo o mínimo barulho possível. Iria jogar água nele, mas isso iria fazer uma bagunça enorme, então... Fiz a típica pegadinha com pasta de dente, no caso usei creme de barbear. Coloquei um pouco na mão de Jimin que estava aberta e peguei um cadarço e passei pelo seu rosto para fazer com que ele tocasse em seu rosto com o creme e como o planejado e passou a mão com o creme no local.

—Porra! — colocou a língua pra fora tentou expulsar o gosto do creme que sem querer ele tinha ingerido. Eu morria de rir.

—Você tinha que ver a sua cara agora. — ri mais.

—Cheguei! — Jungkook apareceu no quarto. — O que Minatozaki Sana faz no quarto do meu namorado, que aliás está sem coisa, e Jimin o que é isso no seu rosto ?

—Bom dia 'pra' você também Jungkook— Sorri debochada e o abracei. — Seu namoradinho não acordava, então eu vim fazer isso. É creme de barbear — Jungkook riu e ri junto com ele.

— Ah, vão se foder, eu vou tomar banho. — Jimin saiu batendo a porta do banheiro.

—Qual a boa para hoje ?— Jungkook perguntou.

— Para vocês eu não sei. Mas eu vou passar na Dahyun. Beijos!  — Jungkook deu um beijo na bochecha e sai.

Peguei um táxi e mandei para o endereço de Dahyun. No meio do caminho recebo uma ligação de Momo.

- Momo? Tudo bem ?
- Sana, pode vir aqui em casa ?
- Claro, mas e o papai ?
-so vem, Sana.
- Estou indo.

Momo desligou sem nem der tchau e então mandei o motorista ir para o endereço de casa. O tom de Momo na ligação me preocupava. Será que papai fez algo a ela ?
Cheguei em frente de casa, paguei o motorista e corri para dentro.
Não tinha ninguém na sala, então subi para o quarto de Momo e, lá estava ela sentada com papai em sua cama.

— Momo, está tudo bem ?— Ela correu para os meus braços e me abraçou. — O que houve ?

— Nada. Te chamei aqui porquê o papai precisa falar com você. — Estou confusa. Papai me olhou e fez um gesto para que eu fosse até ele e assim eu fiz. Me sentei ao seu lado.

— Sana... Desculpe por tudo, por como eu tenho agido com você à tempos. Me desculpe, por nunca dizer que eu me orgulho de você. Por nunca te tratar como devo. —As palavras de papai pareciam sinceras. Eu segurava qualquer lágrima que insistisse em sair .— Bom vou te contar a verdade... A muito tempo atrás, quando eu abandonei sua mãe, eu tinha descoberto algo...

— O que ? O que você descobriu que te deu motivo para abandona-la ? O que te deu motivo para me abandonar e nos tratar dessa forma ?! —Aumentei meu tom de voz. Não acho motivo para o jeito que eu fui tratada por tanto tempo.

—SUA MÃE ME TRAIU SANA!!—Gritou e me assustei. A mamãe...— Sua mãe me traiu... Ela me enganou e enganou a você !!— O que ele está dizendo ?
—C-Como assim ?—Olhei para Momo que estava de cabeça baixa. — Momo? Você sabia disso ?

—Ele me contou ontem de noite, então pedi para que ele te contasse. Não queria que ele escondesse isso de você. Não aguentava mais a forma como ele te tratava, Isso tem que ser resolvido. —Ela deu um beijo em minha bochecha— Vou deixar vocês conversarem— Momo se levantou e saiu do quarto.

—Sana... Sua mãe, ela me traiu... E... Você não é parte de mim, Sana. — Como assim, não sou parte dele ?

Papai chorava. Nunca o vi assim depois que ele começou a me tratar mal, ele sempre manteve sua aparência séria.

—Como assim? O que quer dizer com isso?— Eu já não conseguia mais segurar as minhas lágrimas.

— Sana... Você não é minha filha. — Estou em choque. —Sua mãe me traiu com Raymond Tuan, o pai de...

—Mark Tuan... — o interrompi. Eu ainda estava em choque total. Eu sou meia-irmã de Mark e isso quer dizer que Momo não é minha irmã... Mais lágrimas caíram e isso estava me doendo tanto. —Impossivel. Temos que fazer um teste.

— Eu já fiz, Sana... Você provavelmente não lembra, para você, estava apenas indo tirar sangue, mas na verdade era para o exame. Eu peguei até fios de cabelo, sua saliva... Eu fiz tantas vezes porque não queria acreditar que a minha menininha não era minha... Não era do meu sangue...— Papai abaixou a cabeça com lágrimas no rosto e uma expressão triste.

— Papai...

—Me perdoe, Sana. Eu fiquei com tanta raiva de sua mãe que eu acabei te tratando mal também. Eu joguei a culpa de tudo para você, joguei a culpa de algo que você nem sabia e só fiz você pensar que seu pai te odeia...

— E não odeia ?— Perguntei chorando.

—Claro que não, filha. —fazia tempo que ele não me chamava assim— Eu te amo, Sana. Mas eu guardei isso e tudo que eu passei a ver em você foi o canalha do Tuan, só conseguia pensar que você não era do meu sangue. E eu sinto muito por isso, porque não era motivo para te tratar desse jeito por anos. Até hoje eu me culpo, eu tentava mudar com você, mas só via ele. Me perdoe, Sana. Me dê mais uma chance de tentar mudar as coisas. — papai me olhava com seu rosto molhado por suas lágrimas.
Isso realmente está acontecendo? Comecei a sentir meu coração acelerar. Levantei rapidamente da cama e sai do quarto.

— Sana, onde vai? — passei por Momo correndo e a ignorando.

Dahyun On.

Acordei com um pressentimento ruim. Meu peito doía como se algo ruim fosse acontecer. Me levantei da cama, fiz minhas necessidades e desci para tomar café da manhã. Encontrei uma carta da mãe.

"Dah, fui ao mercado e vou ir no médico depois, e hoje a empregada está de folga, ENTÃO NÃO BAGUNCE A CASA! FAÇA SUA COMIDA.

         Beijos, mamãe."

Ok, mãe... Peguei um pouco de café na garrafa e fui para a sala. Coloquei desenho e assisti enquanto tomava café. A sensação de que algo ruim aconteceria não sumiu de mim em momento nenhum. Depois de tomar café, subi e fui tomar um banho. Quando terminei de colocar a roupa, vi algumas mensagens no meu celular.

Momo: Dah! Sana está na sua casa?
Momo: Me responde!!!
Momo: DAHYUUUUUN

Dahyun:Calma Momo, o que houve com a Sana ? Ela não está aqui !!

Momo: Ela saiu correndo daqui de casa depois de conversar com o papai e não sabemos para onde ela foi, ela não atende o celular.

Dahyun: Já ligou para as outras pra ver se ela está por lá ?

Momo: sim, e também para os amigos dela.

Dahyun:droga... Não moro muito longe, ela já teria chego aqui.

Momo: Tenho medo de ela beber e fazer alguma besteira... Ela bebe quando tem algum problema.

Dahyun: mas ela está tentando parar..
Vou procurar por ela.

Momo: obrigadaa, vou chamar as meninas para ajudar.

Sana... Sabia que esse meu sentimento não era em vão. Por quê será que ela saiu assim ?

Deixo meus pensamentos de lado e vou em busca da minha namorada. Olho em todas as partes prováveis de ela está, enquanto ligo para todos que conhecemos e nada de Sana, em lugar nenhum. Volto em casa para vê se ela passou por lá e está me esperando, mas não está também. Antes que eu possa sair em busca dela de novo uma chuva cai, droga...
Peguei meu guarda-chuva e fui novamente atrás de Sana. Momo tem estava procurando junto com as meninas e, agora que sabemos que ela não está por aqui, ficamos mais preocupadas ainda.
Procuramos por tanto tempo e já estava escurecendo, mas eu não posso desistir de Sana, andei por lados desconhecidos e a chuva só aumentava. Até que vi Sana, ela estava sentada em um banquinho, um pouco molhada por a proteção que estava acima não ser tão boa. Sorri ao vê-la e ela me notou ali. Sana se levantou e veio devagar em minha direção, ela não estava bem e isso estava claro, Sana parecia não enxergar nada além de mim em volta dela.
Uma luz forte bateu em nossos rosto e ficava cada vez mais forte, mas Sana não percebeu... Era um carro.

—Sana! Cuidado!


Notas Finais


Gostaram? O que será que vai acontecer ? Hihi
Até a parte 2!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...