1. Spirit Fanfics >
  2. The best of this second chance was your friendship. >
  3. Since the storm is over. Start the lull

História The best of this second chance was your friendship. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Tive essa ideia enquanto ouvia a nova "música alvo" do tik tok (hadal ahbek - Issam Alnajar) e mesmo sabendo que a letra também pode ter um significado triste eu consigo imaginar cenas como essas de flime sabe? Os personagens correndo pela grama baixa de Teyvat expressando a felicidade que sua amizade trás, outra imagem me vem enquanto imagino eles dormindo embaixo da árvore da grande heróina de Mondsdat com nosso caro bardo a tocar uma melodia suave enquanto sentem a brisa em seus rostos.. enfim, eu fiz esse "projeto" me baseando no "MaleTraveler" (ou Aether como eu irei nomearna fic, entendam minha confusão tem 3 versões do nome do mesmo e do da irmã. Eu só lembro de Lumine e Aether ent..) Para vocês que se interessaram pela história espero que gostem da leitura..

Capítulo 1 - Since the storm is over. Start the lull


" Me perdoem por não lutar pela minha vida , e por favor não se sintam culpados, vocês sabem que isso será o melhor para mim...como não tenho tempo para uma despedida minimente digna eu vos deixo essa carta  que escrevo colocando cada gota do amor que guardo comigo até hoje por vocês, nunca foi e nem nunca será culpa de vocês pelo qoeu aconteceu esses anos...eu amo muito vocês pai e mãe

De seu filho D.H"

Após terminar deixo a carta do lado da mesinha com certa dificuldade por estar muito fraco e olho ao redor.

O quarto branco de hospital no qual passei meu ultimo mês desde que meus pais descobriram que eu escondia meu câncer. Eu não quero que eles se culpem sendo que meu tio fez oque fez e não está entre nós mais, oque não poderia mudar nada dos ocorridos passados...

Sabe.. desde que sou muito pequeno eu venho tido experiências horríveis, principalemente depois daquele terrível acidente...

Meu irmão mais velho, Louis, e eu estavamos brincando de carrinho pela casa. Corriamos para que nossa mãe não nos pegasse após ver que estavamos correndo dentro de casa, especificamente no segundo andar. Só não esperavamos, que a empregada da casa, a dona Miranda, estaria passando pano nos arredores da escada. Eu escorreguei e quase cai, Louis veio atás de mim e segurou minha mão.

Como infelizmente ele não tinha se segurado em canto nenhum acabou que seu peso e o chão escorregadio o fez cair. Não sei se foi sorte ou azar meu pai ter chegado e ter conseguido me segurar mas falhando miseravelmente em pegar meu irmão que havia batido a testa muito forte no degrau da escada.

Ele teve uma rachadura no cranio e estava cego, mas sobreviveria, se não fosse por um fato.

Meu tio, irmão de minha mãe estava envolvido com dívidas horríveis com uns caras que acredito serem algo tipo uma máfia. Alec era como o irmão de minha mãe se nomeava. Éramos próximos eu meu irmão e Alec....infelizmente como por ameaça de atrasar mais ainda o pagamento um dos marginais desligaram os aparelhos de meu irmão o impedindo de sobreviver.

Eu não comi por muitas semanas, quase um mês inteiro na verdade, mas muitos anos se passaram e dessa vez o próximo a ser assassinado foi meu tio.... ele havia sido esfaqueado até a morte pelo oque meus pais comentaram, mas como se aqueles cretinos achacem que aquilo não era o bastante eu fui o próximo alvo.

Me prenderam numa espécie de armazem abandonado e me deixaram la sem comida e nem água por dias, e então me batiam e abusavam..sendo assim acabando com meu psicológico quando eu tinha apenas treze anos.

Não sei o porque, mas eles me devolveram pra minha casa ainda vivo, mesmo que muito ferido e assustado, desde então as coisas pareciam querer melhorar pela primeira vez na minha vida.... até meus dezesseis anos quando descobri que estava com câncer..

Não contei aos meus pais afinal, meu pai havia sido demitido do emprego, e minha mãe era analfabeta coisa que atrapalhava dela conseguir um emprego, não importa o quanto se esforçace...

Então eles descobriram e me internaram e aqui faltando um mês para meu aniversário de dezesete anos estou preso e morrendo aos poucos nessa cama de hospital.

Para mim esse é o momento perfeito, meus pais estão conversando com meu médicoe não havia nenhuma infermeira no quarto ou nos corredores, deve ser muito tarde ou algo do gênero...

E aqui e agora fecho meus olhos fianlemnte sentindo como se estivesse flutuando e indo embora deixnado tudo aquilo para trás...

É uma sensação boa, libertadora. como se eu estivesse no fundo da água. Mas então-

"Oque é isso? quem está me puchando? Eu não morri? Estão conseguindi me salvar??"

Tanta coisa se passa em minha cabeça ate que sinto-me emergindo da água como se realmente tivesse afundado na mesma, e logo após sendo arrastado para um local sólido e macio.

"..Oque....?" 

Então escuto uma voz desconhecida que aparentava estar genuinamente preocupada.

"Paimon! Me ajude não sei oque fazer!"

Então outra voz, dessa vez mais fina e feminina.

"EU TAMBÉM NÃO SEI! AHG  PAIMON ESTÁ DESESPERADA!!"

Algum deles levanta o meu corpo e começa a me carregar, deve ser o garoto, já que a voz do mesmo estava mais próxima de mim quando falou :

" Paimon preciso que você vá até a Barbara e a informe que estou chegando com um garoto prestes a morrer afogado. Diz que tentei retirar a água e fazer respiração boca a boca mais nada realmente funcionou! Em seguida preciso que informe a Jean e aos outros o mais rápido que puder, estarei com ele na igreja(esqueci o termo usado no jogo;-;) para Barbara poder analisaro mais rápido que eu conseguir!"

Após a garota  afirmar com um somzinho fino sinto que o garoto começou a mover rápidamente.

"Mais oque caralhos está havendo aqui?" Era a única coisa que se passava em minha mente.

 


Notas Finais


Bem é isso, não escrevi isso com muita fé de que pegaria um feedback positivo de vocês leitores, pois como falei inicialmente eu apenas queria poder trasmitir os sentimentos que tenho quando escuto algumas músicas transformado em palavras me dando uma visão mais ampla sobre como imagino as cenas ocorrendo e me enchendo de satisfação ao sabe rque consegui cumprir meu objetivo em manter a fé das minhas palavras e intenções no momneto de transição mente-teclado.

Bem era só isso mesmo irei sim postar mais, mas não por agr (meu pc tá acabando a bateria e perdi a emoção de escrever sendo substituida por preguiça ;-;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...