História The Bet - Capítulo 24


Escrita por:

Visualizações 21
Palavras 1.137
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OLHA EU AQUI DEPOIS DE UM SÉCULO!!!!!!!

Capítulo 24 - ThE gOlD wOmAn


POV KIRA

- Colin? – Toco seus ombros, mas o garoto está travado, não se move um centímetro desde que o corpo sem vida de Geoffrey desabou aos seus pés – Colin?

- Está em choque – Alexander se ajoelha a sua frente, seus dedos se entrelaçam aos do garoto e ele parece voltar – Ei, amor! 

Colin permaneceu em silêncio, com os olhos arregalados.

- Como Colin está? – Uma voz sussurrou baixinho, o garoto segurava uma metralhadora em mãos, senti um aperto no peito.

- Sério? – Alexander apareceu ali, seu rosto estava vermelho de irritação – Acabaram de acertar um tiro na cabeça de um de seus reféns bem na frente do garoto, como você acha que ele está?

- Isso não é minha culpa, Alexander! – Willian cuspiu as palavras, a tensão no ar era tamanha que podia ser cortada com uma faca – O único motivo de eu estar nesse local é Colin. Se me der licença...

- Não, você não vai chegar perto dele – O corpo de Alexander bloqueava a passagem até Colin que parecia dormir em um dos sacos azuis – Se fizer isso eu terei de contar a seu chefe o que está fazendo aqui e aposto que ele o enterraria no mesmo buraco que Geoffrey para poupar trabalho.

- Não acredito que Colin está com alguém como você.

- Alguém que o faz feliz? – O menino sorri sarcasticamente – Porque pelo que sei é algo em que você nunca teve êxito.

Tenho que interferir antes que os garotos se atraquem.

- Quando for o seu momento... juro que ficarei muito agradecido por ter a chance de estourar seus miolos.

- Passar bem, Will.

**********************

O telefone toca pela quinta vez e a mulher sai rebolando até o objeto. Todos os homens na sala se ajeitam de modo que possam ver suas peças íntimas. Sue sabia como fazer acordos e a maioria deles era através de seu corpo desejável.

- Sim, sou eu – Os olhos de Sue se arregalam e ela faz um sinal para todos saírem da sala, aquele era um assunto que a interessava de diversas formas – Gabriel, poderia chamar Traver em sua sala!

- Claro, Senhora.

A sala fica vazia e a mulher pode finalmente se ajeitar.

- Desembuche, Asher. O que houve?

- Eu tive que matar um dos reféns! – A mulher se sobressaltou, Traver que estava ao seu lado congelou. O homem sabia o quão era importante manter todos ali vivos, mas talvez tal vontade não estaria mais a seu alcance – Foi a única forma de fazê-los entender que isso não é um maldito jogo.

- Poderia ter acertado o pé de um deles, ou socado um até ficar irreconhecível, mas matar. Você ultrapassou o limite, essa era nossa regra número um. A polícia está fazendo de tudo para encontrá-los, tive até que chorar para uma policial fingindo que me importava com meu irmão!

- Quem você matou?

- Geoffrey!

- Menos mal, os pais do garoto sumiram do mapa a anos, ele mora com a avó de idade. Ela não notará que ele desapareceu. Asher, se você ultrapassar mais algum limite, juro que...

- Você não tem o direito de exigir nada, está vivendo sua vida normalmente enquanto estamos aqui correndo riscos. Quer saber, Sue. Eu sou o chefe agora, ou você toma jeito, para conseguir a parte de seu irmão da herança ou vou matá-lo agora mesmo.

Sue ajeitou a saia lápis e engoliu em seco. Era raro alguém coloca-la em seu lugar, Colin era um dos poucos que conseguia. Naquele momento ela sentiu um aperto em seu peito, se tudo desse errado ela perderia tudo e iria para trás das grades. Então se calou e depois de um minuto desconfortável de silêncio concordou.

- Espero que saiba o que está fazendo, Asher!

- Essa não é a primeira vez que mato alguém.

- Isso é muito mais que matar um bando de adolescentes inúteis – A mulher grita – Se algo der errado, todos nós sairemos perdendo.

*************************************

POV ALEXANDER

- Bom dia, Col! – Colin abre os olhos e um sorriso toma seu rosto, parece bem melhor – Como está?

- Com um pouco de dor, mas logo passará. Como você está?

- Cansado, durante seu sono aconteceram coisas inacreditáveis por aqui. Acredita que seu Ex veio querendo saber como você estava.

- E você com certeza acertou ele.

- Não, dessa vez eu consegui impedir – Kira se jogou ao lado do melhor amigo – Aquele garoto é o ser mais sem noção do planeta.

- Concordo plenamente – Colin diz baixinho.

- Estava pensando bem... e se ele conseguir tirar Colin daqui. Já seria de grande ajuda.

- Você não tem como saber o que ele faria com Colin após sair desse inferno, e se ele não conseguir chegar a polícia. Eu não estou disposto a perder o garoto que amo!

- De toda forma isso só acaba de uma forma, isso tudo é culpa minha. Tenho certeza que há um dedo de Sue nessa história e se for realmente verdade, isso só acabará quando ela estiver colhido muito dinheiro de os pais e quando eu estiver enterrado ao lado de Geoffrey.

- Não fala isso! – Lanço um olhar preocupado em sua direção e ele me puxa para um abraço – Eles terão que passar por mim.

- Nem pensar, não vou deixar isso acontecer.

- E nossos filhos, todos os cinco – Resmungo baixinho o fazendo rir – Eu já escolhi até os nomes.

- Bobo! – Colin me beija.

- Se eu não for a madrinha dos cinco eu juro que ficarei muito irritada com vocês!

- Claro que você não vai ser – Digo irritando Kira.

- Colin não permitiria tamanha injustiça – Kira diz olhando para o garoto que assente com a cabeça e carrega um sorriso lindo no rosto.

- Nunca – Colin diz.

- Estou com medo. Sinto que algo ruim irá acontecer! – Kira morde a manga do casaco e tudo fica silencioso novamente.

*********************************

A delegacia estava cheia, muita gente correndo de um lado para o outro. A mulher ali com saltos altos e com cabelos loiros esvoaçantes se destacava, o número exagerado de peças de ouro pelo corpo. Ela apressou os passos ao ver a pequena moça atrás do balcão.

- Eu preciso conversar imediatamente com o Delegado!

- Você deveria esperar na fila!

- Eu não vou esperar na droga de fila! – A mulher mais velha gritou assustando a baixinha – meu filho e o namorado dele estão correndo perigo!

- Qual seu nome?

- Deixe ela passar – A voz grossa ecoou pela sala de espera – Amelia Foster, quanto tempo!

- Agora é Amelia Thompson, Donovan!

- Em que posso ajudar?

- Meu filho e diversos estudantes desapareceram misteriosamente e sei que você é o único capaz de encontrá-los. Eu o abandonei quando mais precisou, agora quero recompensar e espero que todos saiam vivos dessa. 


Notas Finais


O CAPÍTULO NÃO É MUITO GRANDE, MAS ESPERO QUE GOSTEM, E COMENTEM O QUE ACHARAM É CLARO!!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...