História The Bet - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Philippe Coutinho
Visualizações 283
Palavras 1.114
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu tive o incentivo de muitos amigos para postar esta fanfic
então eu resolvi deixar o medo um pouco de lado e postar logo de uma vez
espero que gostem
e se tiver muito ruim, sejam sinceros, para que eu possa melhorar.

[𝕃𝕖𝕞𝕓𝕣𝕒𝕟𝕕𝕠 𝕢𝕦𝕖 𝕖𝕤𝕥𝕒 𝕙𝕚𝕤𝕥𝕠𝕣𝕚𝕒 é 𝕕𝕖 𝕄𝕀ℕℍ𝔸 𝕒𝕦𝕥𝕠𝕣𝕚𝕒, 𝕖 𝕒 𝕞𝕒𝕚𝕠𝕣𝕚𝕒 𝕕𝕠𝕤 𝕗𝕒𝕥𝕠𝕤 𝕔𝕠𝕟𝕥𝕚𝕕𝕠𝕤 é 𝕒𝕡𝕖𝕟𝕒𝕤 𝕗𝕚𝕔çã𝕠]

Capítulo 1 - The matter of my life


Fanfic / Fanfiction The Bet - Capítulo 1 - The matter of my life

Isabella Braga

 

Ninguém acreditaria em mim, se há alguns anos atrás, eu dissesse que estaria aqui.

Com apenas vinte e cinco anos, Isabella Braga está fazendo um documentário para uma das maiores revistas do ramo internacional, sobre a Seleção Brasileira, na Rússia, em plena Copa do Mundo de 2018.

Chega a ser engraçado pensar na cara que todos que não acreditaram em mim, estariam fazendo quando escutassem essas palavras saírem da boca de Jhon Lancaster, meu chefe. Até porque, no começo eu mesma não acreditei e nem quis acreditar que algo assim poderia estar acontecendo justamente comigo, até porque, eu comecei entregando cafés na empresa, e logo depois, virei à coordenadora de matérias e também do site que nos foi proposto a desenvolver.

Lembro-me de ter tido um dos meus mais variados ataques de pânico, antes de Jhon pedir para que eu me sentasse e tomasse uma agua com sal, o gosto ainda ronda minha boca todas as noites, e então, ele me contou que eu era a mais adepta por estar escalada a esta matéria, porque além de amar futebol, sim eu sou uma grande fã, eu ainda tinha em média a idade de todos eles, e saberia muito bem fazer com que eles me contassem coisas que não contariam para mais ninguém. E eu, logicamente sem pensar duas vezes, aceitei na mesma hora.

E eu acabei me arrependendo depois, mas mesmo assim, não poderia decepcionar Jhon, ou ate mesmo a mim, por não aceitar uma das maiores e melhores chances da minha vida.

A chance de documentar a Seleção Brasileira.

 

Um mês depois.

 

-Vocês estão com um péssimo humor- murmuro encarando cada um dos jogadores a minha frente.

Estamos todos sentados em uma das grandes mesas composta pela sala de alimentação, do maior hotel que eu já havia me hospedado. A Seleção ficou em um lugar lindo, porque na verdade, a Rússia inteira parece muito mais impressionante vista de perto, e não somente por fotos e noticias que rodam o mundo. Quando cheguei, fiquei extasiada com a ideia de estar dormindo em um quarto, maior que todo o meu pequeno apartamento em Balneário, minha cidade Natal, e fiquei ainda mais impressionada quando encontrei em um dos espaços por aqui, uma sala de projeção. Os garotos também ficaram loucos, porque além de uma puta piscina, ainda acharam a sala de jogos e uma academia totalmente equipada, com personal trainers a toda disposição, o dia INTEIRINHO.

Eu obviamente estava me fazendo de desentendida quando falei sobre o humor dos garotos. Infelizmente, a parte difícil de fazer uma matéria, é a parte em que você tem que captar tudo, até as coisas que não seriam das mais agradáveis de ver. Após o jogo contra a Suíça, e todas as minhas milhares de perguntas para cada um deles, além dos vídeos e das conversas que deveriam ser particulares, mas não são, tive que escrever sobre o empate do Brasil na sua estreia nesta Copa, e assim como eu, todos os garotos estavam frustrados e cansados de serem os culpados por qualquer coisa que aconteça. Cada uma das minhas perguntas fica guardada comigo, assim como as imagens e as fotos, já que todo o restante será feito após o termino da Copa, e assim poderão editar os detalhes, e talvez acrescentar coisas que não apareçam em meus vídeos.

No começo eles rejeitaram minha presença, e só falavam comigo quando eu tinha que lhes perguntar algo ou gravar algumas partes de seus treinos na academia ou lazer na sala de jogos, mas após algum tempo, eles perceberam que eu separava muito bem minha vida profissional com a “real”, e que eu não sou mais uma dessas garotas que precisa expor toda a vida de uma celebridade para ter o sucesso necessário.

Às vezes é só preciso um pouco de paciência para se conseguir oque quer. E esses homens a minha frente, estão sem paciência nenhuma hoje.

-Vai se fuder- Gabriel resmunga assim que resolvo dar vários beijos em seu rosto, escutando a risada de alguns dos garotos- Caralho você é chata Bella.

-Vocês tem que parar de agir como se tivessem perdido- reviro os olhos, me ajeitando no banco de madeira no qual eu, Gabriel, Neymar e Firmino estamos sentados- Vocês empataram, e ainda conseguem virar o jogo, tudo se resume a pontos. E pontos, é oque Alisson tem de sobra.

Encaro Alisson que está sentado no banco a nossa frente e dou um sorriso ao me lembrar do corte enorme que ele fez na perna, quando tentou pular da sacada para a piscina, mas desistiu no meio do trajeto, batendo com tudo a perna na borda, enquanto sua barriga era esmagada pela água.

-uau, que engraçada- ele revira os olhos, e eu mostro a língua- Sério mesmo, deveria virar palhaço depois que tudo isso acabar.

-Palhaço ela já é- Thiago me encara e eu bufo em resposta- o que foi Bellinha? Percebeu que não é engraçada foi?

-Ela já deveria ter percebido- Roberto coloca mais uma fatia de presunto na boca, enquanto me encara por cima das cabeças de Neymar e Gabriel- Já falamos mais de mil vezes, que você pode ate ser bonita, mas a piada não é seu dom.

-Bonita nem é a palavra certa- Neymar diz, mas não tira os olhos de seu cereal- Diria que tem uma boa aparência.

-Quem tem boa aparência?

Sinto a pessoa sentar ao meu lado, e concentro meu olhar no relógio grudado em seu pulso. O cheiro de sabonete, obviamente comprova que ele acabara de sair do banho, e o sorriso fácil comprova também, que ele é o único que não está totalmente abalado pelo empate do Brasil.

-Eu, obviamente- respondo, e escuto o risinho de todos na mesa- Vocês tem que me agradecer por ser cheirosinha, limpinha, saber cozinhar e não querer matar vocês a cada cinco minutos.

-Não esquece da parte de dar dinheiro pra gente- Gabriel me encara- Somos facilmente subornáveis.

-Aceito pizza como suborno- ele diz ao meu lado, e eu arqueio a sobrancelha em resposta- O que foi?

-Eu posso ate te subornar com uma pedra- digo obvia, e ouço mais risadas- Você não conta no meu teste.

Continuo o encarando, para que mais uma vez um sorriso fácil aparecesse em seus lábios, e me fizesse sentir uma puta caganeira interna chamada, borboletas no estomago.

Desvio rapidamente o olhar para os garotos, que ate que enfim, trocam frases maiores que “me passa a colher”, sentindo meu rosto queimar tendo a absoluta certeza de que seus olhos ainda estão colados em mim. Odeio-me internamente por ser tão tímida e facilmente abalada, principalmente quando o assunto é ele.

Principalmente quando se trata de Philippe Coutinho.

 


Notas Finais


Então finalmente estamos aqui.
Como eu ja disse antes espero que gostem, e se tiver algo de que não gostarem é só falar
isto é somente o prologo, então garanto que os próximos capítulos serão bem melhores.

[ℕ𝕚𝕟𝕒 𝔻𝕠𝕓𝕣𝕖𝕧 𝕔𝕠𝕞𝕠 𝕀𝕤𝕒𝕓𝕖𝕝𝕝𝕒 𝔹𝕣𝕒𝕘𝕒]


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...