1. Spirit Fanfics >
  2. The Better of the Witches (Imagine Boku no hero academia) >
  3. Capítulo IV

História The Better of the Witches (Imagine Boku no hero academia) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia, boa tarde, boa noite, meus kiriudus!!! Td pom com vocês!?!??!

E como prometido, lhes trago mais um capítulo de THE BETTER OF THE WITCHES! Obg, obg! Eu sei que eu sou demais então podem aplaudir! OENOXBDIDB (Quem me dera :") )

Eu estava pensando em realmente apagar a fic, mas depois que eu recebi comentários de apoio no último capítulo, acho q desisti dessa ideia. Muito obg mesmo por vcs terem me apoiado!

Bom, agora 'bora lê!

Capítulo 5 - Capítulo IV


Fanfic / Fanfiction The Better of the Witches (Imagine Boku no hero academia) - Capítulo 5 - Capítulo IV

Capítulo IV


"My dear, master"

Colocou os pés para dentro da sala e sentiu algo em sua cabeça. Olhou para cima e era uma luz em formato de elefante. Um espírito em matéria. Sorriu observando aqueles espíritos de todas as formas, tamanhos e cores diferentes. Eles flutuavam sobre os alunos de forma livre, intrigando todos aqueles que estavam presentes na sala. Assim que desceu as escadas e se sentou em uma das primeiras fileiras, ficou ao lado da garota de cabelos verdes que, pelo o que ela lembrava, se chamava Setsuna Tokage.

- Suemi! Yao! - comprimentou com um pequeno aceno - Que bom que seremos colegas da aula de feitiços!

- Olá, Setsuna! Que bom mesmo, achei que ia ficar sozinha essa aula - colocou sua varinha em cima da mesa e sorriu um pouco constrangida. Aqueles olhares descarados ainda estavam em cima dela.

- Acho que seria quase impossível. Todos estão de olho em você, veja só! - apontou para o canto da sala duas fileiras acima da dela - Aquele loirinho com um risco preto no cabelo tá te secando com os olhos des que você chegou na sala, não só ele, claro - deu uma pequena conferida ao seu redor, comprovando o que havia dito - Realmente, não tem ninguém aqui na sala que não esteja te olhando.

- Percebi - deu um sorriso sem graça e olhou de relance para o loiro, que continuava a olhar. Até que ele é bonitinho. Pensou.

Uma grande ave de luz apareceu pela porta, començando a voar pela sala, chamando atenção de todos os alunos, que estavam surpreendidos com aquele aparecimento. A ave parou na parte reta da classe onde tinha apenas uma mesa simples junto a uma cadeira. Aquele simples animal se transformou em uma mulher que estava na casa dos cinquentas anos. Ela tinha uma pequena franja e seus cabelos roxos estavam prendidos por um coque. Seu rosto era bem redondo e cheinho, sendo acompanhado com óculos estilo gatinho, batom da mesma cor de seu cabelo e olhos verde musgo. Um vestido que ia até seus pés e pulsos, também de coloração roxa. Tinha alguns colares, pulseiras e anéis, e em seus pés, um par de sapatilhas com salto médio roxo.

- Que incrível! - Suemi comentou completamente surpreendida pelo o que acaba de acontecer bem a sua frente.

- Boa tarde, meus queridos alunos! Me chamo Marye Larawolf, serei a mais nova professora de feitiços de vocês nos próximos três anos! Será um prazer trabalhar e dar aula para vocês! - Assim que terminou sua fala, todas aquelas formas feitas de luzes explodiram iguais a fogos de artifício, soltando confetes coloridos, que se transformaram em glitter e desapareceram - E bom, meus queridos alunos! Como será a primeira vez que dou aula para vocês, ou para poucos, segundas ou terceiras vezes, faremos uma breve apresentação antes de começarmos, realmente, a nossa aula! 

Os olhos esverdeados correram pela sala e se depararam com a de cachos. Quando a mulher viu aquelas ondas no cabelo da mesma, deu um salto e flutuou para frente na menina, que se assustou com o ato da professora

- Incrível, você realmente tem cachos - pegou em uma de suas mechas enroladas naturalmente da menina sentindo uma maciez incrível - A garota de cabelos de mola… É uma grande honra dar aula para você, senhorita Mori, portadora do poder dos sete magos celestiais - a mulher fez uma pequena curvatura assim que se afastou e ficou flutuando com a coluna ereta.

- P-Professora Larawolf….

- Apenas Marye para você, querida - a de fios roxos deu um pequeno sorriso ainda admirada por conhecer a portadora dos poderes.

- Professora Marye…. Não está faltando alguém? - perguntou a primeira coisa que veio em sua mente após dar uma olhada ao seu lado, que tinha a cadeira vazia.

- Hã…? - Observou e tinha realmente alguém faltando, e justo ao lado da pequena bruxa - É mesmo, será qu…

- Professora Larawolf! - Um garoto de cabelos verdes bagunçados entra na sala ofegante, com sua varinha e alguns livros - Mil perdões pelo meu atraso! Acabei m-me perdendo nos corredores!

- Jovem Midoriya! - A mulher flutua de volta para o seu lugar - Sem problemas, mas não se atrase na próxima vez!

- S-Sim, professora L-Larawolf - abaixou a cabeça envergonhado, com as bochechas vermelhas pelo constrangimento e os lábios espremidos pela agonia de sentir alguns olhares reprovadores em cima dele.

- Sente-se ao lado da nossa melhor aluna, Senhorita Mori! - Fez um feitiço com sua varinha e fez um pequeno fogo de artifício explodir e espalhar os confetes pelo chapéu azulado e alguns no cabelo da acastanhada.

- Sim, p-professora Lar-Larawolf - o menino ajeitou sua postura e seu chapéu, que estava torto em sua cabeça.

Desceu os grandes degraus e foi até o lado da pequena bruxa, sentando-se. Ele sabia quem ela era. Alguns alunos da primeira aula que estudaram com ela e estudaram com ele na última aula, falaram o quão poderosa, forte e bonita ela era, que nunca haviam visto uma beleza igual a dela e, quando olhou para o lado e a viu observando seu rosto corado atentamente, tinha comprovado o que eles tinham falado. Ela era realmente bonita, até mais do que ele imaginou.

- Como o nosso aluno, Jovem Midoriya, está presente… Podemos começar nossas apresentações. Vocês terão que falar o nome, idade e o que gostam de fazer no tempo livre, entendidos!?

- Sim!

- Ótimo - bateu pequenas palmas em animação e logo balançou sua varinha que, no mesmo instante, fez parecer um pequeno caderno de couro. Provavelmente era seu caderno de chamada, já que começou a ditar os nomes enquanto olhava para ele - Vamos começar, meus queridos alunos! Primeiro, Scarlett Walks…








- Como já conheci um pedacinho de cada um - ficou em frente a mesa e novamente pegou seu caderno com capa de couro, balançou a varinha e aquele simples livro, se contorceu e no lugar dele apareceu um livro grande, grosso e diversos papéis, além das páginas, nele - Vamos começar a aula.

A mulher de óculos abriu o livro em certa página e ao fazer isso, uma fumaça rosa e vermelha pairou sobre o par de papéis formando um coração.

- Hoje falaremos sobre…. O amor! - ditou com um sorriso radiante e alegre - Aposto que todos já se apaixonaram um dia e trataremos disso hoje. Como sabem, o amor é um sentimento que pode nos causar coisas boas e também coisas ruins - explicou e fez um círculo invisível com a sua varinha que, após esse ato, soltou alguns brilhinhos - E hoje lhes ensinarei um feitiço capaz de fazer a pessoa se apaixonar por si.

- Mas isso não é proibido, professora Larawolf? - um garoto do fundo fala depois de estender sua mão para cima.

- Não é algo permanente como você pensa, você poderá usar isso por apenas um dia. Esse é o tempo máximo que a pessoa irá ficar "apaixonada" pela outra, por isso que tenho permissão para fazer isso - explicou - Mas continuando. É um feitiço que pode ser quebrado facilmente e como sempre faço, irei convidar dois alunos para demonstrar isso.

Rodou seus olhos pela sala já tendo em mente quem iria escolher.

- Suemi mori e…. - Pensou mais um pouco ao ver que todos os garotos se animaram, menos um, que parecia escutar música pelos fones de ouvido - Denki Kaminari.

- Ahhh…. - os meninos disseram com as feições tediosas.

- Vamos, minha querida aluna e aluno! Desçam até aqui, por favor! - Pediu e eles se levantaram.

A sala estava em silêncio apenas observando os dois, que desciam com os ombros encolhidos e com os olhos no chão. Ficaram de frente para a professora um do lado do outro.

-Muito bem - riu e observou-os com os lábios puxados - Suemi, minha querida, eu preciso que você diga algumas palavras e aponte sua varinha para o jovem Kaminari.

- Por que ela não pode se apaixonar por mim? - o loiro perguntou.

- Porque não. Agora repita as mesmas palavras que eu, querida. Cor tuum ad me pertinet. Repita apontando para ele, minha querida.

- Sim, professora Marye - levantou o braço com a varinha em mãos e respirou fundo - Cor tuum ad me pertinet - ditou de uma vez e um raio de luz rosa saiu de sua varinha e atingiu o peito de Denki, que caiu para trás com o impacto que o raio lhe causou. A garota arregalou os olhos e foi correndo até ele, que estava deitado no chão com os olhos fechados - Meu deus! - correu até o garoto e se ajoelhou no chão, colocando suas palmas em ambas as bochechas.

- Que surpreendente, minha querida! Sua magia é realmente poderosa!

- Eu o matei, professora Marye? - olhou para trás com um olhar meio arrependido.

- Claro que não, querida, só foi sua magia que era forte demais. Apenas isso. Nada demais.

A garota voltou a atenção para o garoto dando leves tapinhas em seu rosto. Todos estavam a olhando e, como sempre, surpresos pela sua magia. O loiro aos poucos foi abrindo os olhos e voltando aos seus sentidos. Sua visão estava um pouco embaçada mas, quando seus olhos âmbar foram de encontro com os de chocolate, sentiu seu corpo se arrepiar e seu rosto esquentar.

-Você está bem? - aquela voz soou angelical em seus ouvidos e antes que pensasse algo, seu corpo moveu-se primeiro, abraçando-a.

- D-Desculpa… - murmurou ao pé do ouvido da moça, que estava estática - e-eu nem p-pensei. A-Apenas fiz.

- Deve ser o efeito - comentou com a voz um pouco abafada, já que os braços dele estavam em volta de seu pescoço.

- E-Eu… - A coisa que ele menos queria, era falar aquilo, mas parecia que algo estava o obrigando a fazer isso - E-Eu te amo…

- O-O que….?

- Agora, minha querida, aponte a varinha para ele e fale, nolite amore cadit - pediu calmamente e assim ela fez.

- N-Nolite amore cadit - ditou com um pouco de dificuldade mirando no peito do garoto, que foi acertado mais uma vez por aquele raio de luz, porém, foi da espessura de uma linha de fiar. 

O loiro soltou os braços do pescoço da morena completamente vermelho.

- M-Mil desculpas, s-s-senhorita mori - gaguejou ficando sentado com a cabeça baixa.

- N-Não tem problema, foi apenas o feitiço - tentou dar seu melhor sorriso mesmo estando no mesmo estado que o garoto a sua frente. Se levantou um pouco acanhada e estendeu a mão para ele, que a encarou meio relutante - Levante-se.

- A-Ah é mesmo - pegou na pequena mão dela e deu um pequeno impulso, ficando em pé a sua frente - O-Obrigado.

- Sem problemas - sorriu e soltou a mão.

- Como vocês puderam ver, esse feitiço faz com que a pessoa, que recebeu ele, se apegue a ela em milésimos de segundos e, quanto mais tempo passa, mais apegado fica. - Explicou - Podem voltar para seus lugares, queridos - assentiram e voltaram, constrangidos, para seus assentos - Ele faz a pessoa falar coisas amorosas e querer abraçá-la o tempo todo, porém, esse feitiço só funciona, como eu tinha falado, por um dia, ou seja, vinte e quatro horas. Ele é um dos mais simples de se fazer.

O livro flutuante mudou mais uma vez de página em frente a professora parando em outro feitiço.

- O próximo feitiço será de…..





-Podem ir alunos, nos vemos na próxima aula! - A professora dita assim que o relógio toca anunciando o recreio - Não se esqueçam de treinar o feitiço de invisibilidade, okay?

- Sim, professora Larawolf - Responderam e saíram de seus lugares.

Todos os alunos já estavam saindo pela porta de madeira enquanto conversavam um com o outro. Havia alguns outros alunos que esperam do lado de fora para encontrar amigos ou até mesmo parceiros amorosos. 

- Suemi, eu te chamaria para almoçar comigo, mas minha amiga já me chamou - Setsuna fala ao ultrapassar a porta junto a acastanhada

- Ah tudo bem - deu um sorriso fraco - Eu acho que…

- S-Suemi!

- Izuku? - virou para trás e viu o menino com as bochechas vermelhas.

- V-Você não q-q-quer almoçar comigo? - perguntou chegando mais perto dela, ficando a uma distância considerável.

- Claro, Izuku! - sorriu para ele - Achei que iria ficar sozinha, seria ótimo ter sua companhia

- Q-Que bom - gaguejou mais uma vez.

- Já vou indo, Suemi - Setsuna interveio com um sorriso travesso nos lábios - Se divirtam, okay!? - Gargalhou enquanto saiu andando pelo corredor, deixando os dois com as bochechas rubras.

- E-Então… vamos? - o garoto assentiu e deu mais alguns passos, ficando ao lado da garota.

Ficaram em silêncio, trocando alguns olhares por rabo de olho. Quando chegaram no final do corredor, pararam em frente a escada e olharam uma para o outro.

-Acho que seria melhor usarmos nossa magia de flutuação - disseram juntos e ao mesmo tempo. Se encararam de forma constrangedora e desviaram o olhar.

- É… Seria uma boa - Suemi murmurou e exitantemente, estendeu a mão - Pode deixar que eu faço.

- C-Claro - Seus dedos tocaram a palma dela e sentiu seu corpo arrepiar. Era tão quente.

- Wingardium leviosa - Ditou e olhou para o esverdeado com um sorriso de lado - Pule!

- O-Oque- SANTO PAI ETERNO! - interrompeu-se após a menina o puxar e pular bem ao centro, onde não tinha nenhuma escada.

Enquanto ela ria, midoriya gritava em total pânico, chamando atenção dos alunos que ainda estavam descendo as escadas. Eles desciam rapidamente e, a cerca de um metro de distância do chão, pousaram lentamente e, ao tocar os sapatos no chão, a gravidade que fazia as roupas e cabelos flutuarem, acabou.

- Que divertido, quero fazer isso mais vezes - a semi-cacheada comentou rindo um pouquinho. Olhou para o lado e viu um Izuku pálido com cabelos e vestimentas desajeitadas.

- E-Eu…. E-Eu…. E-Eu… - ele tremia e sua mão estava suando frio.

- Meu deus, Izuku! - prendeu seu riso ao ver sua feição de medo - Eu…. Puts - colocou a mão esquerda na frente de sua boca impedindo que sua gargalhada saísse.

- E-Eu… E-Eu achei…. 

- E-Eu…. - Não se segurou e começou a gargalhar escandalosamente. Soltou a mão dele e dobrou um pouco as costas, apoiando sua canhota ao mesmo tempo que ela batia sua destra no joelho. Seus olhos estavam lacrimejando de tanto rir. Colocou seus braços sobre a barriga e arqueou sua coluna um pouco para trás, rindo ainda mais alto.

- N-Não tem graça! - O esverdeado se entre pós vendo a garota ao seu lado, limpando as lágrimas dos seus olhos.

- T-Tem…. T-Tem sim - e novamente começou a rir.

- S-Suemi! Q-Que vergonha - tampou seu rosto se sentindo um tomate, já que sabia que o lugar de suas sardas estavam quentes.

- SUEMIIIIIII - a pequena fadinha azul veio voando em direção a acastanhada que logo parou de rir quando viu o desespero da menor.

- Lazuli? O que faz aqui? - voltou a sua posição normal vendo a pequena completamente assustada e apavorada.

- O-O s-seu…. O s-seu… - após a menina antender suas duas mãos, a fadinha caiu sobre sua palma.

- Calma, Lazuli - soprou ela um pouquinho e aproximou seu rosto da azulada - Respire fundo.

- O seu f-fa… fa…

- O meu o que, Lazuli? - insistiu e a de asas respirou fundo, tentando acalmar-se

- O seu…

- Suemi! Um Dragão! - Midoriya gritou vendo aquela enorme sombra branca se aproximar rapidamente deles

- É ELE! - Lazuli gritou e desmaiou.

- Lazuli! Lazuli! - chamou ela diversas vezes, porém, ela não acordava.

- Ele está vindo, Suemi! - Midoriya dava passos para trás até tropeçar e cair no chão.

A menina arregalou os olhos e foi junto ao esverdeado para o chão. Ela estava com a boca aberta vendo o grande Dragão branco bater suas asas fazendo seu chapéu voar para dentro do prédio principal. Midoriya já estava desmaiado no chão, tal como Lazuli, que estava no colo da acastanhada.

Observou todas aquelas escamas azuladas se maravilhando com a beleza do dragão. Seus olhos eram incrivelmente azuis e tinha algumas pintas azuis escuras no rosto. Havia dois chifres grandes e grossos seguidos por mais finos e flexíveis. As enormes asas pareciam brilhar pelo branco mais lindo que já vira, que tinha pequenas garras nas pontas. Sua calda era feita por escamas gigantescas que cobriam toda sua extensão com algumas na ponta com degradê do branco ao azul tal como seu corpo. Garras em suas patas azuladas e um par de dentes que apareciam levemente. Mas algo lhe chamou atenção. Um cordão em seu pescoço que tinha o mesmo tipo de cristal que o do colar que sua mãe havia lhe dado.

Algo brilhou em seu peito sob a camisa branca. Era o colar. Viu que o do Dragão também brilhou e as rajadas de vento acabaram quando o majestoso animal alado pousou no gramado e curvou seu pescoço. A ponta de seu nariz era do tamanho da garota em pé. Ele era enorme. Por algum motivo, não sentia medo, apenas um conforto. Arregalou mais ainda seus olhos até que finalmente se deu conta de quem era.

-Ao? - murmurou 

- Que bom te ver novamente, mestra.


Notas Finais


Olá novamente, meus anjinhos!!! E ai!? Curtiram o capítulo!??!?!? Comentem oq acharam e não se esqueçam de favoritar, está bem!?

Bjss e até quarta feira, meus amores!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...